Pedida alta afasta Tuta do Remo

A diretoria do Remo adotou, nesta segunda-feira, postura mais cautelosa em relação ao atacante Tuta. Diante das dificuldades para fechar acordo salarial com o atleta, há no clube quem garanta que o negócio ficou inviabilizado. O ex-jogador de Flu e Grêmio quer salário de R$ 50 mil, muito acima do limite que a diretoria do Remo estabeleceu. Com o impasse, o clube volta suas atenções para outros jogadores. Márcio Mexerica, do Santo André, ainda é nome cogitado.

Messi e Marta são os melhores do ano

O melhor jogador de futebol do planeta é argentino. E ganhou praticamente tudo o que disputou na temporada. Confirmando o favoritismo, o argentino Lionel Messi, do Barcelona, recebeu nesta segunda-feira o troféu Bola de Ouro da Fifa, destinado anualmente ao craque que mais se destacou em todo o planeta.

Pelo menos desde o meio do ano, quando foi decisivo na conquista do título da UEFA Champions League para o Barcelona, Messi já havia colocado uma mão no troféu. O argentino marcou o segundo gol da vitória na decisão sobre o Manchester United, por 2 a 0, que valeu ao time catalão o troféu mais cobiçado do Velho Continente. De quebra, Messi foi eleito o melhor jogador da Liga dos Campeões e foi o artilheiro do torneio continental, com nove gols.

A meia-atacante Marta consagrou-se novamente como a Melhor Jogadora do Mundo pela Fifa, nesta segunda-feira, em Zurique, na Suíça. Ela venceu pela quarta vez consecutiva o prêmio. A brasileira levou a melhor novamente sobre a compatriota Cristiane, as atacantes Birgit Prinz e Inka Grings (ambas alemãs) e a atacante norte-americana Kelly Smith.

“Foi um ano perfeito para mim”, declarou Marta, emocionanda. “Eu fiz minha estreia na liga americana, foi muito positivo. E de grande importância minha ida para o Brasil para dar uma ajuda à modalidade no país. Que não pare por aí e que a gente possa ver o futebol feminino como uma realidade.”

O gol mais bonito (Prêmio Ferenc Puskas) saiu para Cristiano Ronaldo, embora os brasileiros Grafitte e Nilmar estivessem entre os favoritos. A seleção do ano teve a seguinte formação: Casillas; Daniel Alves, John Terry, Bilic e Evra; Xavi, Iniesta, Gherard e Messi; Cristiano Ronaldo e Fernando Torres. (Com informações do Folhaonline e ESPN)

K-9 perde espaço no Benfica

Por Cosme Rímoli

Já está ficando até constrangedor.

A diretoria do Benfica esá extremamente decepcionada com Keirrison. A imprensa portuguesa não entende o sucesso que ele fazia no Brasil. A situação do Benfica é difícil.

 

O clube tem há muito tempo acordo com o Barcelona e  não quer se desgastar com o riquíssimo clube espanhol. Qualquer sobra do Real Madrid é aceita de joelho pelos portugueses.

Só por isso não mandam o jogador para Barcelona embrulhado para presente. Os dirigentes já cansaram da timidez, da falta de garra e de gols do brasileiro. Tanto que vieram buscar Alan Kardec do Vasco.

O ex-artilheiro palmeirense não tem ficado nem no banco de reservas. Dorival Júnior telefonou várias vezes para o atacante. Ele foi seu jogador no Coritiba. E fez de tudo para convencê-lo a jogar por um ano no Santos.

Os empresários do atleta acreditam ser um retrocesso tremendo da carreira voltar ao futebol brasileiro. Os dirigentes do Benfica quase soltaram rojões quando souberam que os gregos do Olimpiakos se interessaram pelo brasileiro.

No olho do furacão, Keirrison só teve uma alegria recentemente. Ver o Palmeiras despencar. Ele ficou traumatizado pelas críticas da torcida. E disse aos seus empresários que chegaria o dia em que um jogador do Palmeiras iria apanhar da torcida.

Previu as pancadas que Vagner Love levou. Keirrison não se arrependeu de não ter se despedido de ninguém do Palmeiras. E garante que triste ele ficou com o rebaixamento do Coritiba, seu clube de coração.

Do Palmeiras ele não quer nem saber…

Quem acompanha o blog e a coluna deve ter lido minhas observações sobre a revelação que encantava a mídia paulista. A todo instante, eram citados os gols de Keirrison no Paulistão, como forma de confirmar sua condição de garoto-prodígio. Nunca vi grande coisa. Um atacante comum. Rápido, às vezes; lerdo, outras tantas. Foi mais ou menos o mesmo processo de endeusamento de Diego Souza, elevado à condição de craque depois que foi jogar em S. Paulo. 

O pensamento vivo do João Sem Medo

Na curta (e definitiva) biografia de João Saldanha que escreveu, o escritor e jornalista João Máximo enfileira inúmeras e divertidíssimas histórias do cronista esportivo “que o Brasil consagrou”, como dizia Waldir Amaral, outra lenda. Abaixo, uma pequena coleção de frases no melhor estilo João Sem Medo, sobre pessoas e temas do seu tempo:

Armando Nogueira – Um idealista do futebol, um sonhador. Pensa que o futebol devia ser como ele pensa que é.

Geraldo Bretas – Maluco, mas inocente. A culpa é do diretor de televisão que deixa ele trabalhar lá.

Pelé – Um gênio do futebol.

Joel (quarto zagueiro do Santos) – Torce pelo bandido em filme de mocinho.

Flávio (então atacante do Fluminense) – Um jogador complexado. Perde o gol porque tem medo de perder o gol.

Cafuringa – Garoto inteligente. Quando ele fez o primeiro gol da vida dele, disse: ‘Agora só faltam 999’.

Perácio – O protótipo do jogador brasileiro. Confundia anestesia com anistia, mas jogava muito bem.

Vicente Feola – Um homem bom.

Jair Rosa Pinto – Conheço pouco. Um chute imprevisível, um jogador esperto e, dizem, o maior pão-duro do Rio de Janeiro.

Jânio Quadros – Fui colega dele no ginásio Paranaense. Já era maluco.

Ibrahim Sued – Fui muito amigo do Stanislaw Ponte Preta, que dizia: ‘O Ibrahim é a ignorância mais bem paga do país’.

Neném Prancha – O maior filósofo do futebol de areia.

Nelson Rodrigues – É meu amigo. Introvertido, tímido e capaz de escrever muito bem e muito mal sobre Papai Noel.

Jorge Cúri – Pão-duro, belíssima voz. Esteve a favor de todos os governos do Brasil.

João Havelange – Palavra de honra que ainda não consigo definir Havelange…

Mulher bonita – Mulher bonita é ótimo.

Mulher feia – Uma pena.

João Saldanha – Um cara que gosta de viver.

Atacante alemão perto de “marca” histórica

 

O jejum do argentino Palermo, que ficou 748 minutos sem marcar pelo Boca Juniors, já foi batido por outro atacante badalado. Na Alemanha, Lukas Podolski, do Colônia e da seleção alemã, já soma impressionantes 971 minutos sem balançar as redes adversários. São mais de 10 jogos deixando a torcida na mão. Se demorar meia hora para sair do ‘zero a zero’ no próximo jogo do Colônia, contra o Nuremberg, Podolski vai completar a nada honrosa marca de 1.000 minutos sem gol. 

Queridinho da torcida e da mídia durante a Copa de 2006, a figura nunca me enganou. Tropeça na bola, chuta mal e acha que é craque. O tempo está mostrando que minhas análises estavam corretas.

Inter acusa S. Paulo de tentar aliciar Guiñazu

O diretor-executivo do Internacional, Newton Drummond, criticou o São Paulo por aliciar o volante argentino Guiñazu e negou qualquer possibilidade de o jogador trocar o Beira-Rio pelo Morumbi. “Fico abismado e não acredito que o grande São Paulo, tido como um dos maiores clubes do Brasil, esteja aliciando jogadores. Devem estar com medo de enfrentar o Inter na Libertadores”, provocou o dirigente, em entrevista à rádio Gaúcha. Alguns rumores deram conta de que Guiñazu poderia assinar um pré-contrato com o time paulistano em janeiro e que o São Paulo tentaria uma compensação financeira para ter o jogador já no começo do ano. (Do Folhaonline)

A quem interessar possa…

Agenda do presidente Lula para esta segunda-feira, 21:

08h Café com os setoristas, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB)

10h Despacho interno

11h Cerimônia de lançamento do Programa Nacional de Direitos Humanos 3 (PNDH 3) e entrega do Prêmio Direitos Humanos 2009, no Palácio Itamaraty

13h Partida para o Rio de Janeiro (RJ), da Base Aérea de Brasília (DF)

14h30 Chegada ao Rio de Janeiro, no aeroporto Santos Dumont, III Comar

15h Visita e inauguração da estação de metrô General Osório, em Ipanema

16h Viagem inaugural do metrô no trecho Estação General Osório-Estação Maracanã 

17h15 Descerramento da estátua do jornalista João Saldanha, Maracanãzinho, rua Eurico Rabelo, s/nº 

18h1 Cerimônia de entrega do Prêmio Brasil Olímpico, promovido pelo Comitê  Olímpico Brasileiro (COB)

21h30 Jantar “Apresentando o Melhor do Brasil”, oferecido pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) aos empresários exportadores e investidores, no Copacabana Palace Hotel, av. Nossa Senhora de Copacabana

(Fonte: Secretaria de Imprensa da Presidência)

Coluna: O esperneio cruzmaltino

A Tuna, que por alguns instantes sentiu o gostinho da classificação, acabou perdendo a vaga no G-4 e resolveu buscar direitos no tapetão. Vai entrar com recurso contra a participação do Cametá, que só disputou a presente etapa do campeonato depois que o Pinheirense abriu mão da vaga. Convidado pela Federação Paraense de Futebol, que ignorou o Estatuto do Torcedor (que proíbe o convite a clubes como critério de acesso), o time da Terra dos Romualdos entrou na disputa. Muito bem, por sinal, pois conquistou o primeiro lugar geral, com todos os méritos, dentro de campo. 
Apesar dos lances emocionantes da rodada final, com três times brigando pela classificação e outros três tentando evitar o rebaixamento, o Parazão encerra sua primeira fase sob o signo da discórdia, que pode levar a um impasse, caso o Tribunal de Justiça Desportiva decida em favor da Tuna. Caso o resultado seja mantido no tapetão, a questão também não se esgota e é provável que tenha desdobramentos na fase principal.
Na hipótese de se considerar prejudicado, não representaria nenhuma surpresa se um dos oito clubes disputantes decidisse reapresentar a queixa tunante, através até de um torcedor, questionando a presença do Cametá na competição.
A verdade é que a preocupação em substituir o Pinheirense não levou em conta eventuais implicações jurídicas. O presidente da FPF chegou a argumentar que a opção pelo Cametá contemplou critérios técnicos, mas o fato é que falou mais alto a necessidade econômica de completar o número previsto de 10 equipes, isso para não falar dos interesses políticos em ano de eleição para a presidência da FPF.
O procedimento correto seria a não inclusão de nenhum outro time no torneio, que deveria ter sido disputado por nove participantes. Ao mesmo tempo, apesar de algumas manifestações tímidas, é preciso considerar que os clubes aceitaram passivamente a decisão da FPF.
O protesto tardio da Tuna, embora legalmente cabível, soa como um ato desesperado de derrotado. Fica a forte impressão de que os cruzmaltinos só estão esperneando porque não se classificaram. E vem a dúvida pertinente: se o Ananindeua tropeçasse no Vila Rica, dando-lhe a vaga tão sonhada, a Lusa faria algum protesto na esfera judicial?    
 
 
Além do Cametá, vencedor desta etapa com 21 pontos ganhos, merecem aplausos o Ananindeua, que arrancou vitória dramática em Santa Izabel, e o Santa Rosa, responsável por uma eficiente campanha de recuperação. Os dois times não começaram bem na disputa e estiveram ameaçados até o último instante.
Já o Independente, que liderou quase toda a disputa, termina em quarto lugar e demonstrando ter perdido o gás inicial. Precisará se recompor de imediato, buscando reforços, para não dar vexame no banquete principal.  

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta segunda-feira, 21)