Archive for abril, 2013

Jogadores do Leão convocam Fenômeno Azul

30 de abril de 2013 at 22:56 6 comentários

Jacaré afia os dentes pra enfrentar o Leão

PFC Jogador e Bea-Mario Quadros

PFC grupo-Mario Quadros (4)

PFC Paulo de Tarcio-Mario Quadros (2)

(Fotos: MÁRIO QUADROS/Bola) 

30 de abril de 2013 at 21:39 17 comentários

A frase do dia

“Talvez eu saia. Quero um lugar onde as pessoas gostem de mim. Sei que na Inglaterra os torcedores e os jornalistas me tratam de forma justa. Me criticam, mas me dão méritos quando preciso. Aqui, muitos me odeiam. E estão nesta sala, inclusive”.

José Mourinho, técnico do Real Madri, cuspindo fogo em relação à imprensa espanhola logo depois da eliminação na Liga dos Campeões.  

30 de abril de 2013 at 21:04 2 comentários

A voz rouca das arquibancadas

Por Gerson Nogueira

Como de hábito, a coluna abre espaço para os comentários e considerações do torcedor, a partir de mensagens enviadas por e-mail à coluna e postagens no blog, no Twitter e no Facebook. Em pauta, a rodada que definiu Remo e Paragominas como finalistas do returno do Campeonato Paraense.

bol_ter_300413_15.psPara Silas Negrão, o responsável pela ascensão remista na reta final chama-se “brio”. Segundo ele, “os moleques da base e os rejeitados pelo Flávio Araújo mostraram a todos o que está na cara: os bondes trazidos pelo técnico não jogam nada, mas são escalados sempre, claro. Para salvação da até então acabrunhada torcida remista pintou uma tal de virose e uns cartões amarelos que escantearam os meninos de ouro do FA, que, sem alternativas, foi obrigado a escalar os moleques oriundos das bases e mais um enjeitado, que botaram pra fora o brio que o jogador paraense tem e o resultado está aí. Parabéns, garotos”.

Quanto ao Paissandu, Silas avalia que o time perdeu na hora certa, se é que há hora boa para perder. “Perdemos os anéis, mas preservamos os dedos. Essas duas derrotas serviram para mostrar-nos o que corrigir. Penso que está na hora do retorno do Zé Carlos ao arco. Paulo Rafael é um grande goleiro, mas ainda não recuperou a forma das campanhas de 2012, Copa do Brasil e Série C. Está muito nervoso, brigão e isso transmite insegurança pra defesa”.

Já Cláudio Santos, técnico do Columbia de Val-de-Cans, defende que ao Remo só resta jogar no 3-6-1 ou 4-5-1 e fazer valer sua camisa. “Nada de 4-4-2, pelo amor de Deus, Flávio. É um jogo de 180 minutos, como se diz, mas é no jogo daqui que o Remo tem que conquistar a vaga, e eu não tenho dúvidas que conquistará. Quanto ao Paissandu, seu problema é a falta de um bom técnico. A hora de trocar é essa. É a minha opinião”.

No entendimento do Rodrigo Cavalcante pertencem ao técnico Flávio Araújo os méritos pela reação remista no campeonato. “Ele foi o principal responsável por essa classificação e possível título do segundo turno, e até do campeonato. Os jogadores estão felizes e dando tudo de si. Estou mais feliz pelos jogadores da base, Alex Ruan tem que ser titular absoluto na lateral-esquerda, Yan foi uma excelente surpresa”.

Ainda abespinhado com a postura apagada do Paissandu nos clássicos, Miguel Ângelo questiona a ausência de triangulações e tramas no setor de armação. “Foi o que decidiu o jogo a favor do Flamengo. Ou seja, rapidez nas triangulações derrubam qualquer esquema de retranca. Outra falha clamorosa foi o excesso de lançamentos para a área azulina com atacantes de estatura mediana. É muita incoerência: quando o Rafael entrou, eles pararam com os lançamentos. Estão doidos?!”.

Miguel vai além: “A nossa zaga é aquela eterna avenida, a falta de aproveitamento do Pikachu, que nem marca e desaprendeu a atacar, tem dado aos adversários um amplo leque para o contra-ataque. Não há cobertura. O Paulo Rafael tem que primeiro se conscientizar que não é o melhor dos três, não sabe sair do gol, se coloca sempre adiantado. Não consegue sair jogando. E o pior de tudo é muito desagregador, isto acaba com qualquer time!”.

Daniel Leite destaca a grande atuação do jovem Yan no Remo. “Entrou como incógnita e postou-se muito bem na defesa, fazendo boa marcação e ótimos desarmes. A segurança do jogador deveria fazê-lo figurar pelo menos no banco de reservas”.

Por fim, Eduardo Morais avalia que o Remo finalmente encontrou um esquema eficiente. “Em minha opinião, o esquema do Remo na verdade, é o esquema da moda no futebol europeu, o 4-2-3-1. E está funcionando bem, volantes protegem bem a zaga, os zagueiros estão seguros, os laterais apoiam bem, com destaque para o Alex Ruan, e Capela, Ramon e Jhonnatan estão criando as jogadas ofensivas. O atacante, seja Val Barreto ou Leandro Cearense, está fazendo gols”.

———————————————————

Uma final para corações fortes

Parte da torcida remista chegou a alimentar esperanças de que o local do segundo jogo da decisão do returno fosse modificado, mas Bombeiros e Polícia Militar devem revalidar os laudos e a Arena Verde deverá mesmo ser o palco da finalíssima, apesar das críticas às precárias condições do gramado.

Ontem, um dos oficiais que vistoriou o estádio antecipou que a liberação será concedida, com restrições. Parecer suficiente para que o PFC realize o jogo mais importante de sua história diante de seus torcedores.

Certeza de jogo tenso, com forte presença das torcidas do PFC e do Remo, que vai se deslocar de Belém e dos municípios vizinhos. Aliás, ao contrário do confronto de quarta-feira, no estádio Jornalista Edgar Proença, o de domingo será de alto risco, merecendo reforço de policiamento.

O posicionamento dos Bombeiros e da PM impõe ao Remo a necessidade de um resultado que permita certa folga para conter a pressão que o PFC costuma fazer em seu campo – a Tuna que o diga. Daí o acerto na cobrança de ingressos a R$ 10,00, para lotar o Mangueirão na quarta-feira e fazer a massa empurrar o time a uma vitória, de preferência por um placar confortável.

Como tem ocorrido nos últimos anos – contra Águia, Independente e Cametá –, o Remo se vê no dilema de decidir seu futuro na temporada contra uma equipe interiorana. E o retrospecto não é nada animador para os azulinos.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta terça-feira, 30)

30 de abril de 2013 at 2:32 48 comentários

Capa do Bola, edição de terça-feira, 30

bol_ter_300413_01.ps

30 de abril de 2013 at 2:32 2 comentários

Som na madrugada – Cartola, Peito Vazio

30 de abril de 2013 at 2:28 2 comentários

Capa do DIÁRIO, edição de terça-feira, 30

cid_ter_300413_01.ps

30 de abril de 2013 at 2:16 4 comentários

Posts antigos


CONTAGEM DE ACESSOS

  • 7,279,656 visitantes

Tópicos recentes

gersonnogueira@gmail.com

Junte-se a 12.713 outros seguidores

VITRINE DE COMENTÁRIOS

Jorge Paz Amorim em Mais que mil palavras
Antonio Oliveira em Mais que mil palavras
Jorge Paz Amorim em Mais que mil palavras
Nelson Albuquerque em Rock na madrugada – John…
Antonio Valentim em O adeus do Rei da Comédia

ARQUIVOS DO BLOG

FOLHINHA

NO TWITTER

GENTE DA CASA

POSTS QUE EU CURTO


%d blogueiros gostam disto: