Neymar nega pretensão de “carregar” Seleção nas costas

Neymar provocou polêmica na última semana ao defender seus privilégios na seleção brasileira. Antes do empate por 1 a 1 com o Senegal em amistoso, o camisa 10 disse ser um dos que carregam a equipe nas costas. Resultado: recebeu várias críticas por isso, e resolveu respondê-las hoje.

“Desde a primeira vez que eu pisei aqui (na seleção), eu sempre tive muita responsabilidade e sempre fui um dos principais nomes, um dos que carregavam sempre – acho que – praticamente tudo nas costas. Eu não me escondo disso. Se você for parar para pensar, analisar corretamente e ser honesto, nestes dez anos, eu sempre exerci meu papel muito bem na seleção”, disse Neymar.

“Quando um atleta de alto nível atinge um nível alto, considerado um dos melhores do mundo, por que não tratá-lo de forma diferente? Não pode existir inveja do resto do time. Eu tive meu papel de entender. No Barcelona, eu trabalhei com o Messi, e ele tem o tratamento diferente. Por que ele é bonito? Não. Porque ele decide. Ele conquistou aquilo. Ele está assim depois do que alcançou. Não estou falando só de mim, estou falando de todos os atletas que têm tratamento diferente”, acrescentou.

A análise de Neymar foi alvo de várias críticas da imprensa especializada. “Na seleção brasileira, o Neymar ainda não foi esse jogador de entregar tanta coisa assim”, disse André Rizek, do SporTV.

“O talento é inegável, o melhor que o Brasil produziu (na geração). Até agora, ele não transformou isso em algo tão útil para a seleção brasileira. Ele virou um leão de amistosos”, classificou Rodrigo Bueno, do FOX Sports. “Você não tem personalidade, está fazendo um mal para o futebol brasileiro. Você carrega a seleção nas costas em benefício seu”, disparou Neto, da Band, após o jogo contra o Senegal. Nas redes sociais, a assessoria de Neymar publicou hoje uma resposta do astro a “parte da imprensa” – segundo ele, “a turma dos que não querem entender”.

Vote no mico da semana

Escolha seu macaco preferido e se agarre a ele, com argumentos…

1) Meia Tiago Galhardo, do Remo, reclama da chuva e do mau estado do gramado durante pré-temporada em Castanhal. Coitado, não viu nada ainda. Deixa ele pegar aquele barranco do Zinho Oliveira e o pântano do Parque do Bacurau.

2) Marcelo Nicácio conversou com os dirigentes do Paissandu, encaminhou proposta, pediu tempo para pensar e nessa enrolação toda passou três semanas. Para, no fim de tudo, fazer beicinho e ficar no Vitória.

3) Presidente da FPF justifica o não-patrocínio do Parazão pela Chevrolet, alegando que a grana era mixaria e que já havia contrato com o Governo. Potoca. Vários outros campeonatos patrocinados por governos fecharam com a montadora.