Corinthians perde dois mandos de campo

A derrota para o Flamengo trouxe sérios prejuízos para o Corinthians. Além da desconfiança de que abriu as pernas para o rubro-negro carioca, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) puniu o goleiro Felipe com dois jogos de suspensão, multou o clube em R$ 20 mil e ainda tirou dois mandos de campo do time no próximo Brasileiro. O técnico Mano Menezes e o zagueiro Chicão, por outro lado, foram absolvidos.

Tourinho concorre à presidência da FPF

Como o blog informou há dois meses, foi oficializada ontem a chapa de Artur Tourinho à presidência da Federação Paraense de Futebol. Ao lado de Hamilton Gualberto e Sérgio Zumero, o ex-presidente do Paissandu atira-se à empreitada de tentar destronar o coronel Antonio Carlos Nunes, que reina na FPF há duas décadas, com amplo apoio de ligas interioranas e pequenos clubes. É uma alternativa concreta (com boas chances de vitória), que pode sacudir as estruturas do futebol paraense.

Incidente marca festa do sócio torcedor Fiel

Uma manifestação do ex-presidente do Conselho Deliberativo e “primeiro ministro” do clube, Ricardo Rezende, acabou empanando o clima festivo do lançamento do projeto Sócio-Torcedor Fiel, pelo Paissandu. Em resposta às críticas de Rezende, o presidente Luiz Omar Pinheiro declarou que o Paissandu não tem donos, nem feudos. “O clube pertence ao torcedor e não vou ficar dando atenção a quem quer pegar carona, arranjar confusão e tumultuar o ambiente. Nossa luta é para fazer com que o Paissandu volte ao lugar de onde nunca deveria ter saído”, disse ao programa Cartaz Esportivo, da Rádio Clube, nesta sexta-feira.

Brasil festeja logística e grupo sem riscos

Além da logística favorável no grupo G da Copa, a Seleção Brasileira também pode comemorar a ordem de jogos no começo da competição, definida em sorteio realizado nesta sexta-feira, na Cidade do Cabo. O Brasil terá uma estreia tranquila na Copa, contra a Coreia do Norte, no dia 15 de junho de 2010, no estádio Ellis Park, em Johanesburgo. Depois, terá o adversário mais difícil da chave: no dia 20, de novo na capital do país, no estádio Soccer City, jogará contra a Costa do Marfim. Encerra participação na fase em Durban no clássico com Portugal.

Na condição de G1, ou seja, o time considerado número um do grupo, o Brasil terá o privilégio de atuar na principal sede da Copa, Johanesburgo, nos dois primeiros jogos. Além disso, terá intervalos de cinco dias entre as três partidas, o que permitirá o recondicionamento da equipe. Se a lógica prevalecer, na fase seguinte, o Brasil terá pela frente Suíça ou Chile, do grupo H. Como se vê, uma caminhada das mais favoráveis no início da Copa sul-africana.

Grupos da Copa:

Grupo A
África do Sul
México
Uruguai
França

Grupo B
Argentina
Nigéria
Coreia do Sul
Grécia

Grupo C
Inglaterra
Estados Unidos
Argélia
Eslovênia

Grupo D
Alemanha
Austrália
Sérvia
Gana

Grupo E
Holanda
Dinamarca
Japão
Camarões

Grupo F
Itália
Paraguai
Nova Zelândia
Eslováquia

Grupo G
Brasil
Coreia do Norte
Costa do Marfim
Portugal

Grupo H
Espanha
Honduras
Chile
Suíça

Candidato a xerife remista bate em retirada

O Remo perdeu seu candidato a xerife para a temporada 2010. O zagueiro gaúcho Leandro Cassel se desligou do clube nesta sexta-feira. As versões para sua saída são desencontradas. O clube diz que havia uma cláusula no contrato que permitia o desligamento caso surgisse proposta do futebol internacional. A tal oferta seria de um clube chinês. Por outro lado, há quem garanta que Cassel resolveu ir embora insatisfeito porque foi colocado no time reserva no treino coletivo realizado na quarta-feira, no gramado do Mangueirão.

Botafogo arma operação de guerra para decisão

Por Cosme Rímoli

Desde ontem os solteiros do Botafogo estão concentrados.

A ordem foi de Estevam Soares. Não quer baladas. E defende, sutilmente, o jejum sexual dos jogadores até domingo, dia do jogo decisivo contra o Palmeiras. Essa é uma velha estratégia que Estevam aprendeu nos seus tempos como zagueiro.

Vários treinadores do passado garantem que a raiva pela concentração e a impossibilidade de namorar trabalham a favor dos times em decisões. Além disso, ele incentivou a diretoria a colocar o ingresso mais barato possível. Há entradas a R$ 5,00. O treinador acredita que o torcedor mais simples é o mais vibrante, o mais apaixonado.

Com essa oportunidade de acompanhar o jogo fará de tudo para ajudar o seu time a vencer. Estevam quer uma ‘panela de pressão’. Quem vê o técnico desesperado nesta última rodada relembra como ele estava no início do Brasileiro. Largou uma campanha tranquila com o Barueri e assumiu o Botafogo. Em entrevista exclusiva ao blog  ele disse que precisava abrir o leque e ganhar o mercado do Rio de Janeiro.

Ele sabia que o clube tem imensos problemas financeiros. Mesmo assim jurou que não seria rebaixado. Na entrevista, o clube tinha larga vantagem sobre o Fluminense. Visionário, ele anteviu que o rival poderia disparar e fugir da queda por causa do elenco e do dinheiro, leia-se Unimed. E foi o que aconteceu. O Botafogo foi perdendo partidas seguidas e conseguindo resultados esporádicos. E vai ‘jogar a vida’ c0ntra o Palmeiras. O Engenhão estará lotado. A sofrida torcida tentará fazer sua parte.

Por sorte, o adversário, com melhor qualidade técnica, está abalado por agressão de seus próprios torcedores a Love. Antes, a torcida já havia apedrejado o ônibus do elenco e ameaçado dirigentes. Estevam Soares tem se agarrado a este desespero do rival. Em todas as conversas com seus jogadores repetem que estarão psicologicamente bem melhores que o rival.

Que o Palmeiras atuará até mais pressionado. Será o favorito da partida onde lutará até pelo título brasileiro. Com os atletas temendo novos ataques da torcida em caso de derrota. Perder para o Botafogo pode significar ficar fora até da Libertadores. Estevam já passou filmes motivacionais, perdeu a voz várias vezes, já levou familiares.

Implorou aos dirigentes que oferecessem o máximo de dinheiro que conseguissem pela sobrevivênca. Tudo isso para tentar fugir do rebaixamento. Estevam não quer ficar marcado logo no seu primeiro trabalho no Rio de Janeiro. E o treinador paulista trabalha sabendo que grande parte da diretoria pensa em tirar o seu emprego assim que o Brasileiro acabar. Os resultados não são satisfatórios dizem pessoa muito importantes ligadas ao clube. Estevam sabe de tudo isso.

Não vai assumir nunca publicamente a pressão interna que sofre. Para ele só importa vencer e fugir do rebaixamento. Só com essa vitória ele ganhará o direito de voltar ao futebol do Rio de Janeiro. Se for rebaixado com o Botafogo pode riscar a Cidade Maravilhosa do restante da sua carreira. Mas ele aposta na vitória.

Até na sequência no próprio clube.

E em uma grande festa dos solteiros na noite de domingo para comemorar a permanência na Série A…

McCartney defende menor consumo de carne

Paul McCartney e os demais Beatles em foto de 1966, nos EUA.

O ex-beatle Paul McCartney disse nesta quinta-feira no Parlamento Europeu que não comer carne um dia por semana é a atitude individual mais eficaz para frear a mudança climática. “Não é tão difícil, eu garanto”, afirmou o músico, que discursou junto ao presidente do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês), o cientista indiano Rajendra Pachauri, na conferência “Less Meat = Less Heat” (“menos carne = menos calor”, em tradução livre).

Conhecido vegetariano e ativista meio ambiental, Paul interrompeu sua turnê europeia para defender a dieta vegetariana diante dos muitos presentes a sua visita ao Parlamento Europeu, que o receberam de pé e com uma grande salva de palmas. Em seu discurso, o ex-Beatle lembrou que decidiu se unir à causa de um dia por semana sem carne depois de ler um relatório das Nações Unidas publicado em 2006. Entre outros dados, o documento revelava que a produção de carne emite 18% dos gases do efeito estufa – mais até que o transporte, com 13% – e, além disso, é em grande parte responsável pelo desmatamento e pela escassez de água no planeta.

“Produzir um hambúrguer consome a mesma quantidade de água que um banho de quatro horas”, afirmou o músico de Liverpool. Algumas cidades já adotaram esta iniciativa, como Gent (Bélgica) ou Baltimore (Estados Unidos), onde os refeitórios escolares não servem carne uma vez por semana. (Da Folha de S. Paulo)

Imagens da Copa 2010 em três dimensões

O grupo japonês Sony anunciou nesta sexta-feira que chegou a um acordo com a Fifa para gravar até 25 jogos da Copa do Mundo da África do Sul de 2010 em três dimensões (3D) e projetá-los em telões instalados em sete cidades, incluindo o Rio de Janeiro. Um porta-voz da Sony confirmou à reportagem que as partidas poderão ser vistas em telões no Rio de Janeiro, Roma, Berlim, Londres, Paris, Sydney e México, mas ainda não se precisou se serão ao vivo ou haverá um resumo posterior. Após o torneio, será produzido e distribuído o filme oficial da Copa de 2010 em 3D, em Blu-ray e em outros formatos, mas, antes de sair à venda, poderão ser vistos vários trailers promocionais nas lojas da marca japonesa. (Da ESPN)

Coluna: O maestro resistente

Tentadoras ofertas de dinheiro têm sido encaminhadas a um jogador sul-americano, talvez como a nenhum outro futebolista em atividade no continente. O alvo é Juan Roman Riquelme, meia-armador clássico, típico camisa 10 como há muito não se vê mais. Dono de estilo refinado de jogar, dribles elegantes e temível disparo de média distância, reina na Bombonera como ídolo incontestável da fanática torcida.
Tem o maior salário do futebol portenho, algo em torno de R$ 300 mil, segundo o jornal Olé. Ao que se especula, o Corinthians teria chegado a uma quantia bem superior aos ganhos atuais de Riquelme. Apresentou proposta a seus representantes desde o começo do ano, quando ainda disputava a Copa do Brasil.
Depois de conquistar o torneio, voltou à carga, insistindo na aquisição do craque para a disputa da Libertadores 2010. Desde o início das conversas, o jogador não manifestou interesse em vir jogar no Brasil. Aliás, nunca admitiu claramente ter sido procurado pelo Corinthians. Fiel ao estilo prima-dona, que os argentinos tanto cultuam, Riquelme não é de dar muitas entrevistas. Quando se dispõe a falar alguma coisa, fala pouco.
Repórteres argentinos com quem conversei durante a cobertura da Copa da Alemanha são unânimes em definir o meia como uma estrela, que se cerca de assessores e não abre espaço para ninguém que não seja de seu círculo pessoal. Depois do seqüestro de um irmão, Riquelme ficou compreensivelmente ainda mais arredio. De temperamento forte, abespinhou-se com críticas de Maradona e deu tchau à seleção argentina. Coisa de gente difícil? Prefiro ver no gesto coisa de gente de caráter. 
Nos últimos dias, investidores ligados ao Corinthians reforçaram o cerco ao jogador. Ontem, como não fazia há semanas, Roman, como é chamado pelos boquenses, fez aparição de surpresa na sala de imprensa da Bombonera e reafirmou seu amor incondicional pelo Boca.
Disse que nunca tratou diretamente com clubes interessados em sua contratação. Seus advogados cuidam disso e levam as propostas à direção do Boca. Deixou claro que vai cumprir seu acordo contratual até 30 de junho, “porque tem palavra”. E acrescentou que fica por lá até o fim da carreira, se assim permitirem.  
Sorte do Boca, azar do Corinthians, que fica sem um maestro capaz de arrumar aquele meio-campo povoado de carregadores de piano. Azar também do futebol brasileiro, que só teria a lucrar com a presença desse médio de raro talento, um dos últimos artistas dos gramados. 
 
 
Saiu a convocação, assinada pelo presidente do Conselho Deliberativo do Remo, Felício de Araújo Pontes, aos membros natos (grande-beneméritos, beneméritos e ex-presidentes) e eleitos (conselheiros), para a reunião extraordinária do próximo dia 9 de dezembro, no auditório do Metropolitan Tower (à rua dos Mundurucus, 3.100). Finalidade da reunião: apreciação de proposta de compra do Baenão pela Igreja Universal do Reino de Deus.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta sexta-feira, 4)