Dupla vitória queniana na São Silvestre

A decepção do ano passado se repetiu: pelo segundo ano consecutivo, o Brasil sequer chegou ao pódio da corrida de São Silvestre, em São Paulo. Com grande facilidade, os corredores quenianos cumpriram o prometido e dominaram a 85ª edição da disputa, faturando as três primeiras colocações. Campeão em 2008, Kipsang se desgarrou dos demais competidores pouco após da avenida Rio Branco e venceu com 44min40s, três segundos melhor que no ano passado. Ele é o primeiro atleta a conquistar dois títulos consecutivos desde o pentacampeão Paul Tergat, que venceu três vezes na sequência em 1998, 1999 e 2000. A segunda colocação ficou com o atual campeão da maratona, Elias Chelimo, que foi seguido por Robert Cheruyot, tricampeão da São Silvestre. Em quarto e quinto, dois colombianos: Diego Colorado e Naranjo. O melhor brasileiro foi Clodoaldo Gomes da Silva. Entre as mulheres, a vitória também ficou com o Quênia, através de Pasalia Chepkorir, que dominou a disputa com assombrante facilidade marcando 52min30s. (Da ESPN/Folhaonline/Gazeta)

Agradecimentos por 2009, esperanças para 2010

Aos amigos de blog, coluna, rádio, TV, da vida enfim, um ligeiro comentário sobre o ano que está acabando e alguns palpites para o que chega daqui a pouco. Otimista por natureza, daqueles de só dar o jogo por perdido depois que o soprador apita, não tenho queixas de 2009, muito pelo contrário até. Foi um ano bom, simpático e produtivo. Não faltou saúde, inspiração e, principalmente, novas (e boas) amizades – e quase todas nascidas aqui neste espaço, na figura dos parceiros diários de viagem, gente inquieta, crítica e disposta a papos descompromissados, de simples desabafo. Ou, em outros momentos, pronta para conversas mais consequentes. Bons companheiros, enfim.

O blog foi uma grande conquista em 2009. Como tudo que fiz na vida, sempre encarei o projeto como um desafio. Com responsabilidade, intenção de acertar e marcar presença; não apenas de cumprir tabela. Adiei a estreia o quanto pude, por receio de não encontrar tempo para dedicação plena. Sabia, por ouvir histórias de outros blogueiros, que nenhum blog sobrevive sem atenção diária. É como planta, que pede água todo dia.

Outro dia fiquei pensando o quanto a internet veio para preencher uma lacuna na vida de escribas em tempo integral como eu. Sempre quis ter espaço para escrever. Sobre temas que me tocam mais (futebol, música, cinema, livros, política, animação, basquete, comportamento, mídia, propaganda etc.). Alguém já disse que jornalistas são, por essência, especialistas em generalidades. Não fujo à regra e, às vezes, saio a discorrer sobre todo e qualquer assunto, sem medo de cometer heresias. Com a bondade dos amigos, vou sobrevivendo impunemente, apesar de alguns excessos e topadas.

Antes de inventarem a blogosfera, planejava arrumar um jeito de exercitar mais o texto. Texto, como blogs e plantas, também precisa de água todo santo dia. A atividade no jornal, apesar de diretamente vinculada à informação, nem sempre possibilita esse exercício. Como diretor de redação, tenho a responsabilidade final pelo material publicado e acompanho todo o processo de busca, captação e preparo das notícias. Nem sempre escrevendo, pelo menos na quantidade mínima necessária. O blog, portanto, compensou essa carência. É espaço aberto, como folha virtual de papel, à espera de ideias. Livro em permanente construção. Gosto muito disso e, a cada dia, percebo o quanto seria difícil fazer as mesmas coisas sem essa ferramenta.

Só pela oportunidade (e coragem) de fazer o blog este 2009 já teria sido magnífico. Mas foi além. Permitiu a consolidação do projeto editorial-gráfico do DIÁRIO DO PARÁ, à custa do empenho e comprometimento de uma equipe talentosa, com craques do jornalismo impresso. Talvez o melhor time com o qual já tive a sorte de trabalhar, o que é ventura e grande aventura. Deu a oportunidade de continuar a aprender os macetes do rádio e a me divertir com a TV, sempre ao lado de companheiros generosos.

Para o novo ano, expectativas de projetos mais arrojados. Cobertura de Copa do Mundo vitoriosa, se Deus quiser. Acompanhamento das eleições. Avanços no sentido de fazer do nosso DIÁRIO, líder incontestável de tiragem e índices de leitura, a grande referência regional em jornalismo. Valorizar a grande reportagem talvez seja o primeiro passo nesse sentido. Fizemos isso muito bem em 2009, com um punhado de repórteres de primeira linha, e certamente faremos melhor em 2010. Aguardem.

Feliz Ano Novo para todos nós.

Fla fecha patrocínio de R$ 25 milhões

Atual campeão brasileiro, o Flamengo estampará uma nova marca em seu uniforme no próximo ano. A diretoria do clube carioca assinou um pré-contrato de um ano com a Batavo, empresa de laticínios do grupo Brasil Foods e que patrocinou o Corinthians em 2009.
Com o acordo, o Flamengo, que tinha a ALE como principal patrocinador, receberá R$ 25 milhões para ter a marca da Batavo no espaço principal de sua camisa – peito e costas. Desse valor, o time da Gávea irá receber R$ 22 milhões diretamente. Outros R$ 3 milhões serão gerados por meio de ações promocionais. (Da ESPN)

Impressionante é que entra tanta grana no clube e o balanço é sempre no vermelho.

Brasileiros brilham na rodada da NBA

O ala brasileiro Leandrinho Barbosa, do Phoenix Suns, começou no banco, mas foi um dos destaques de sua equipe, marcando 17 pontos na vitória por 116 a 98 sobre o Boston Celtics, nesta quarta-feira, pela temporada regular da NBA. Nos 22 minutos que esteve em quadra, Leandrinho, que recentemente se recuperou de lesão, capturou ainda dois rebotes e deu quatro assistências. O ala Stoudemire e o pivô Channing Frye foram os cestinhas dos Suns, com 26 pontos cada. Frye ainda pegou dez rebotes, completando um double-double.

O Phoenix Suns, que chegou à segunda vitória seguida, tem agora um registro de 21 vitórias e 12 derrotas na temporada, ocupando a terceira posição da Conferência Oeste. O Boston Celtics, que jogou desfalcado dos alas titulares Kevin Garnett e Paul Pierce (ambos com lesões nos joelhos), foi liderado pelo armador reserva Eddie House, que anotou 19 pontos. Entre os titulares, o maior pontuador foi o ala Ray Allen, com 15.

O ala LeBron James foi o grande destaque da vitória do Cleveland Cavaliers por 106 a 101 sobre o Atlanta Hawks, mas Anderson Varejão também foi decisivo. O brasileiro definiu o triunfo de sua equipe ao marcar uma cesta de três pontos – a primeira desde sua estreia na NBA – restando 17,2 segundos para o encerramento da partida. O triunfo foi o sexto consecutivo do Cleveland Cavaliers e colocou a equipe na liderança da Conferência Leste. (Da ESPN)

Os 12 clubes mais valiosos do Brasil

Do Bola de Meia

Estudo finalizado pela consultora independente Crowe Horwath aponta os clubes mais valiosos do Brasil. Foram levados em conta, entre outros dados financeiros, as receitas geradas pelos clubes entre 2003 e 2008. O estudo incluiu o perfil e hábitos dos torcedores, dados de marketing, publicidade e estádios. O mais interessante do estudo é a previsão de que, com a Copa do Mundo de 2014, o valor total dos 12 clubes fique duas vezes maior.

1 – Flamengo – R$ 568 milhões (226 milhões de euros)
2 – Corinthians – R$ 563 milhões (225 milhões de euros)
3 – São Paulo – R$ 552 milhões (221 milhões de euros)
4 – Palmeiras – R$ 420 milhões (168 milhões de euros)
5 – Internacional – R$ 231 milhões (92 milhões de euros)
6 – Grêmio – R$ 214 milhões (85 milhões de euros)
7 – Cruzeiro – R$ 139 milhões (55 milhões de euros)
8 – Santos – R$ 135 milhões (54 milhões de euros)
9 – Vasco – R$ 122 milhões (48 milhões de euros)
10 – Fluminense – R$ 109 milhões (43 milhões de euros)
11 – Botafogo – R$ 97 milhões (38 milhões de euros)
12 – Atlético Mineiro – R$ 92 milhões (36 milhões de euros)

Tribuna do torcedor

Por Ricardo Von Grapp (ricovongrapp@hotmail.com)

Estou muitíssímo feliz com uma resolução que está sendo tomada pelos clubes, em questão Remo e Paissandu. Esta resolução de tirar setoristas de dentro dos clubes está me deixando confiante, fica claro que essas especulações de contratatações são meros boatos, atrapalha até mesmo os clubes em futuras contratações, todos os dias lemos nos jornais notícias que jogadores estão vindo para os times daqui, resumindo o jogador em questão acaba nem sendo sondado e nem proposta ele recebeu, fica provado que era tudo mentira.
Gerson, a esperança de dias melhores virão para nossos clubes, medidas como essas já deveriam ter sido tomadas a mais tempo, sempre toquei no assunto com amigos e alguns representantes da imprensa, até uma vez comentei com você em e-mail. Fica aqui meus parabéns pra esses representantes desses clubes, principalmente o meu glorioso e o mais querido Clube do Remo.
Gerson, tenha um Feliz Ano Novo com saúde, paz e muita prosperidade.

Disputa por volante agita até o mundo do rock

A simples notícia da possível transferência de Guiñazu para o São Paulo agitou até os bastidores do rock. A banda Ataque Colorado, autora do hit “Guerreiro Guiñazu”, prometeu riscar a música do repertório caso o jogador deixe o Beira-Rio para jogar no Morumbi. Os integrantes esperam que a relação entre Guiñazu e a torcida não desafine, no entanto, o tom é de apreensão com a bomba que ecoou como um solo de bateria. “Estamos perplexos com essa notícia. Ele é o ídolo máximo da torcida, me atrevo a dizer que é um dos grandes de nossa centenária história”, comentou Kako Kanidia, baixista e coautor da música. A opinião de Kako é compartilhada por Peppe Joe, a voz da banda, que também não vê sentido algum em manter a homenagem durante os shows do trio gaúcho.

Há antecedentes que comprovam que ex-jogadores do Inter não têm vez nas apresentações da Ataque. Sóbis, Fernandão e Rentería foram alguns dos que tiveram suas homenagens aposentadas. “Como torcedor, assumo que ficaria um pouco ressentido com ele. Como artista, perderia um dos maiores sucessos do grupo”, assumiu um dividido Peppe. (Do Portal Terra)

Colorado critica cobiça de S. Paulo por Guiñazu

O presidente do Internacional, Vitorio Píffero, disse que não existe possibilidade de o volante argentino Guiñazu ser negociado com o São Paulo e criticou a cobiça do time paulista pelo jogador. Esta semana, o diretor de futebol do São Paulo, João Paulo de Jesus Lopes, aconselhou o Inter a liberar o jogador argentino diante do desejo dele de se transferir para o time paulista. “Não vamos negociar qualquer jogador com qualquer equipe que seja nossa adversária na Libertadores. Não existe a menor chance. Essa história do Guiñazu é uma brincadeira do São Paulo, parece. Estão achando que isso aqui é fundo de quintal, como se bastasse ir lá e pegar quem quiser. Não tem a menor chance [de a transferência acontecer], a possibilidade é zero”, disse Píffero, em entrevista à Rádio Gaúcha. De acordo com o BID (Boletim Informativo Diário da CBF), o contrato de Guiñazu com o Inter acaba em 22 de junho de 2010. Os dirigentes do Inter alegam que há outro contrato feito até 2012. O motivo de o registro atual ir até 2010 seria o fato de o volante ser estrangeiro – por isso, não pode assinar contrato de trabalho por mais de dois anos. Assim, os dirigentes do Inter falam que o jogador só sairá mediante uma multa de cerca de US$ 20 milhões, quantia que o São Paulo nem cogita desembolsar. Ontem, o vice-presidente de futebol do Internacional, Fernando Carvalho, admitiu que Guiñazu deseja ir para o time paulista. “O agente Fabiano Ventura [autorizado por Guiñazu a oferecê-lo ao São Paulo] afirmou que Guiñazu não queria ficar no Inter, que desejava ser negociado ao São Paulo. Eu e o Vitorio dissemos que ele só sairia se o clube pagasse a multa [cerca de US$ 20 milhões]. Guiñazu ficou quieto. Foi uma reunião constrangedora”, afirmou. (Do Folhaonline)