Conselheiros querem punir maus gestores

Conselheiros do Clube do Remo pretendem ingressar na Justiça do Trabalho com ação regressiva contra ex-presidentes que, administrando-o de forma desastrosa, afundaram o clube em dívidas. Citam como exemplos específicos os casos dos ex-atletas Tiago Belém e Márcio Pinho, que foram julgados à revelia, causando uma das maiores punições já impostas a um clube de futebol no Brasil, com prejuízo de quase R$ 2 milhões. O que causa mais revolta, segundo esses conselheiros, é a pose ostentada por esses ex-gestores. Em que pese as administrações danosas aos interesses do clube, transitam faceiros pela sede social e pelo Baenão, como se nada tivesse ocorrido. O grupo deixa claro, porém, que também está atento à gestão atual.

Jornalista critica exigências da Fifa

“Blatter é um egomaníaco”. Assim o conceituado repórter investigativo Andrew Jennings explica as várias exigências da Fifa e de seu presidente, Joseph Blatter, sobre a construção dos estádios da Copa do Mundo de 2014. O estádio do Morumbi, por exemplo, foi questionado pela falta de estacionamento e estrutura para a imprensa e acabou excluído da competição. Jennings, autor de três livros sobre corrupção no COI (Comitê Olímpico Internacional) e de uma obra sobre denúncias contra a Fifa, está no Brasil e não poupou o todo-poderoso presidente da entidade. “Blatter quer grandes estádios para dizer: ‘eu tenho o poder de fazer isso’. Mas o Brasil pode dizer: ‘não, mostre seu dinheiro’. As pessoas estão vivendo em situação deprimente nas ruas. Como na África do Sul. Vocês sabem que não precisam disso. O dinheiro poderia ser melhor usado”.

O jornalista, que chama a Fifa de organização criminosa, criticou a forma como Blatter tenta conduzir a organização do Mundial no Brasil e também questionou a permanência de Ricardo Teixeira na presidência da CBF. “Lá fora, Ricardo Teixeira é sinônimo de corrupção. Temos que nos perguntar se ele serve ao futebol brasileiro ou a ele mesmo. Ele pode dizer, ‘se me tirarem, a Fifa vai banir o Brasil’. A Fifa banir o Brasil? Não se bane o Brasil. Ele não é ninguém”.
“O povo brasileiro não é corrupto, não é pior do que qualquer outro. Então porque vocês aceitam esse… vocês não precisam aceitar isso. Por que vocês precisam desse lixo?”.

Em entrevista à revista ‘Carta Capital’, Jennings, baseado em anos de investigações, denuncia a passagem do brasileiro João Havelange pela presidência da Fifa como o marco da corrupção na entidade que comanda o futebol mundial. Segundo ele, Teixeira, alvo de uma série de acusações desde sua chegada ao trono da CBF, em 1989, também se beneficiou do esquema.
“Foi ele – Havelange – que inaugurou o ‘sistema’, recebendo propinas via ISL – empresa que cuidava do marketing e dos direitos de TV da Fifa. Já perguntei sobre isso a Blatter e ele sempre ficou calado”, declarou o jornalista, que disse ter recolhido testemunhos de ex-integrantes da Fifa. (Com informações da ESPN)

Ibope: Dilma abre cinco pontos

A candidata Dilma Rousseff (PT) abriu cinco pontos sobre José Serra (PSDB) na disputa pela Presidência da República, segundo o Ibope. A pesquisa, realizada do dia 26 ao 29 de julho, apontou a petista com 39% das intenções de voto, enquanto o tucano tem 34%. Marina Silva (PV) está em terceiro lugar com 7%. Os demais candidatos não pontuaram. Brancos e nulos somam 7%, e indecisos são 12%. Foram ouvidos 2.506 eleitores em todo o país. A margem de erro é de dois pontos percentuais. A pesquisa, encomendada pela TV Globo e pelo jornal “O Estado de S. Paulo”, está registrada no TSE sob o número 20.809/2010.

No levantamento anterior do Ibope, Dilma tinha 36% das intenções de voto, Serra aparecia com 36%, e Marina, com 8%. Se o segundo turno das eleições fosse hoje, Dilma seria eleita com 46%, contra 40% de Serra, segundo a pesquisa. Votariam nulo ou em branco 6% dos eleitores, e 8% se dizem indecisos. (Com informações da Folhaonline)

Charles com o time quase definido

Das dúvidas iniciais, que incluíam as laterais e a zaga, o técnico Charles Guerreiro conservou apenas a indefinição quanto à lateral esquerda no time do Paissandu para o jogo de domingo contra o Águia, na Curuzu. Aldivan e Zeziel disputam a titularidade, mas o primeiro reúne mais chances, por ser um especialista na função. Aldivan, por sinal, disputou (e bem) o campeonato paraense pela equipe marabaense. O provável time: Fávaro; Bosco, Leandro Camilo, Paulão e Aldivan (Zeziel); Tácio, Sandro, Marquinho e Fabrício; Bruno Rangel e Tiago Potiguar.

Fenaj elege novo presidente

Celso Augusto Schröder é o novo presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj). Com mais de 70% dos votos, a chapa 1, encabeçada por ele, venceu a eleição realizada de 27 a 29 de julho em todo o país. Sua plataforma inclui a defesa à regulamentação profissional e à validação do diploma de jornalista – cassado por decisão do Supremo Tribunal Federal, presidido à época por Gilmar Mendes.

“A defesa do diploma de 3º grau para o exercício do Jornalismo, assim como a imediata criação do Conselho Federal dos Jornalistas, se impõe com tarefa prioritária e indubitável para todos os jornalistas, principalmente para aqueles que se propõem representar estes jornalistas”, argumenta Schröder. A Chapa 2, derrotada nacionalmente, foi a vencedora do pleito entre os jornalistas paraenses, por oito votos de diferença. A representação estadual conseguiu também uma vaga na diretoria executiva da Fenaj.

Massa recebeu três ordens para tirar o pé

Essa história ainda vai render muito. Quase uma semana após o polêmico episódio da ordem de equipe durante o GP da Alemanha, por parte da Ferrari, a revista “Auto Motor und Sport” afirmou que Felipe Massa foi avisado três vezes para deixar Fernando Alonso passar. De acordo com a publicação, o espanhol começou a reclamar com a Ferrari sobre o ritmo de seu companheiro após o pit stop. Após tentar ultrapassar o brasileiro e não ter obtido sucesso, Alonso chamou a situação de “ridícula”, reclamando com seu engenheiro, Andrea Stella, que disse ao piloto que precisava diminuir a diferença para Felipe. O espanhol respondeu que o faria.

– Não tem problema, vou me aproximar – disse o bicampeão, que retirou os três segundos de vantagem de Massa. Felipe já havia recebido duas notificações para deixar o espanhol ultrapassá-lo, mas cedeu na terceira vez, quando Rob Smedley, engenheiro de Massa, falou pausadamente que Alonso estava mais rápido que ele. Ainda segundo a publicação, Alonso seria mais influente hoje que Michael Schumacher era em seus tempos de Ferrari. (Yahoo Esportes)

… e as capas de Cléo Pires na Playboy

Excepcionalmente, a revista traz duas capas com a filha de Glória Pires e Fábio Júnior. Bob Wolfenson assina a capa mais colorida, à esquerda, que responde por 90% da tiragem. A outra capa traz foto de Jacques Dequeker, que mostra a atriz em versão mulher anos 80, de perfil, sobre fundo branco. É a primeira vez que a Playboy usa dois fotógrafos para fotograr uma peladona. (Com informações do blog GPS)

Do fundo do baú, páginas de O Cruzeiro…

Não havia computador, mas a criatividade estava em plena ebulição. As páginas acima são do primeiro número da revista O Cruzeiro, do dia 10 de novembro de 1928. A diagramação arrojada, pode-se dizer até moderna, mostra ilustrações vazadas e superposição de imagens e tipologia arrojada, como se tornou comum nas publicações atuais, que dispõem de recursos tecnológicos quase ilimitados. Com exceção do uso da cor salmão na página ímpar, dá até para confundir com publicações atuais. A revista foi a primeira grande publicação semanal brasileira e resistiu até 1975, mas viveu seu apogeu nos anos 50 e 60, quando atingiu tiragens próximas de 1 milhão. (via Jornalistas&Cia.)