Fifa escolhe gol mais bonito da temporada

Dois atacantes brasileiros estão entre os autores dos 10 mais belos gols do ano escolhidos pelos obervadores técnicos da Fifa para concorrer ao recém-criado Prêmio Puskás – Nilmar e Grafitte. Desde o dia 4 de dezembro, quem quiser votar pode fazer indo ao link  http://www.fifa.com/classicfootball/awards/puskasaward/index.html

Os gols escolhidos são realmente dignos de prêmio. Três são de bicicleta. O anúncio oficial do vencedor será feito no próximo dia 21, na cerimônia de entrega do prêmio dos melhores jogadores do mundo, categoria masculina e feminina, em Zurique, na Suíça. O Fifa Puskás Award foi criado como homenagem a Ferenc Puskás, o capitão e estrela da seleção húngara durante da Copa do Mundo de 1954. 

Segundo a Fifa, os critérios adotados pela Comissão de Futebol para selecionar os dez gols entre os milhares de inscritos foram:

1) estética (critérios subjetivos: chute de longa distância, jogada coletiva, gol acrobático etc.);

2) importância da partida (critério objetivo, por ordem decrescente: equipes nacionais “A”, torneios continentais e campeonatos da primeira divisão);

3) ausência do fator sorte ou de erro de adversário que tenha contribuído para a marcação do gol;

4) fair-play: o jogador não deve ter se comportado mal (sendo expulso, por exemplo) durante a partida nem ter sido acusado de doping, por exemplo;

5) data: gols marcados entre julho de 2008 e julho de 2009.

(Com informações do blog de Gilmar Ferreira)

Para Dunga, Portugal é o Brasil B

Mal terminou o sorteio dos grupos da Copa do Mundo da África do Sul, sexta-feira, na Cidade do Cabo, e o técnico Dunga tratou de acirrar os ânimos para um dos confrontos mais difíceis da seleção brasileira na primeira fase da competição. Ao falar sobre o duelo contra Portugal, o último do Grupo G, dia 25 de junho, em Durban, o treinador da seleção brasileira fez uma infeliz escolha de palavras: “Vamos jogar contra o Brasil. Será o Brasil A contra o Brasil B”, comentou, em alusão ao trio formado pelos naturalizados Liedson, Pepe e Deco que defende a equipe de Carlos Queiróz.

A gracinha de Dunga, mesmo que não intencional, caiu mal nos ouvidos do selecionador português. Ao saber do comentário de Dunga a respeito do segundo embate entre os países na história das Copas do Mundo – o primeiro aconteceu em 1966, na Inglaterra, e foi vencido pelos patrícios por 3 a 1 -, Queiróz rebateu: “É bom lembrar que muitos brasileiros são filhos e netos de portugueses. Então poderia ser mesmo um jogo entre Brasil A, B, C e D”, argumentou o treinador lusitano, no mesmo tom irônico de Dunga. (Do iG Esporte)

O primeiro confronto entre os dois países em Copa do Mundo foi vencido por Portugal, em 66, na Inglaterra. Banho de bola (e pancada) dos lusos: 3 a 1 no placar, com show de Eusébio. Pelé saiu de campo contundido, carregado por Mário Américo, derrotado pela violência dos beques lusos.

Dunga consegue o grupo dos seus sonhos

Por Cosme Rímoli

É incomparável a superioridade técnica brasileira diante da Coréia do Norte, Costa do Marfim e Portugal. O Brasil não é melhor. É muito melhor. A hora é de esquecer,de novo o complexo de vira-lata, e deixar a preocupação com eles, os adversários. Basta trabalhar sério.

E Dunga pode agradecer à estrela de Davi que leva grudada no peito. A Copa de 2010 começou muito bem para ele…

(Em tempo. Kaká deve estar completamente tomado pelo trauma da eliminação do Real Madrid da Copa da Espanha. Deve estar sonhando todos os dias com o Alcorcón, da terceira divisão espanhola. Kaká teve a coragem de classificar o Brasil como o Grupo da Morte. O talentoso meia precisa procurar urgentemente um psicólogo…)

Mundico pode jogar a Série C no Mangueirão

Do blog d’O Estado do Tapajós

A CBF já avisou à Federação Paraense de Futebol que o estádio Jader Barbalho, em Santarém, não tem a capacidade mínima de 10 mil torcedores sentados exigida pelo Estatuto do Torcedor. Se não houver reforma do Barbalhão para a susbtituição da área da geral por um lance de arquibancadas até o início dos jogos da Copa do Brasil e do Brasileiro da Série C, o São Raimundo terá que mandar seus jogos no estádio Mangueirão, em Belém. Mesmo que a geral seja transformada em arquibancada, a capacidade do Barbalhão deve cair de 18.500 para 12.500 torcedores. O atual lance de arquibancadas comporta apenas 8.500 torcedores sentados.

Tribuna do torcedor

Por Rafael Araújo (rafael.gomesaraujo@yahoo.com.br)

Fiz uma modesta análise do Brasileirão 2009, que se encerra neste próximo domingo e cheguei a algumas conclusões. Primeiro: Muricy Ramalho, como você várias vezes assinalou muito bem e eu sempre concordei, está muito longe de ser um gênio do futebol, como várias vezes a provinciana imprensa paulistana apregoou. Muricy é  muito bom dentro das suas limitações. Ele até pode ser um “gênio”, mas sua pseudogenialidade se limita a o jogo fechado, retrancado e de “chuveirinho” na área adversária. Como não encontrou jogadores com o perfil para desempenhar esse jogo feio, que funcionou muito bem no São Paulo, se enrolou todinho no comando alviverde e praticamente perdeu o título brasileiro nas últimas rodadas. Trocando em miúdos, Ramalho é ótimo até a página 2, e olhe lá. Segunda conclusão: os defensores do sistema de pontos corridos afirmam que ele é mais justo por premiar o melhor time, mas  melhor time em que sentido? Com certeza, o campeonato de pontos corridos não vem premiando o time de melhor futebol. O São Paulo foi tricampeão com o jogo feio e truncado orquestrado por Muricy, com muita marcação (à base de muitas faltas) e o enfadonho jogo aéreo. Não estou dizendo que o São Paulo não foi merecedor desses três títulos consecutivos, apenas afirmo que o pontos corridos premia sim o mais eficiente e não necessariamente o melhor futebol, apesar de que neste domingo o Flamengo, que vem apresentando junto com o Fluminenense o futebol mais bem jogado do Brasileirão, pode acabar unindo a eficiência ao futebol qualificado se conseguir o seu sexto título brasileiro.

Santa Rosa goleia Ananindeua; Tuna empata

Tuna e Castanhal não passaram de um empate em 0 a 0, na abertura da 5ª rodada da primeira fase do Campeonato Paraense 2010. O time cruzmaltino dominou boa parte do jogo, mas pecou nas finalizações. Com o resultado, a Tuna soma agora 10 pontos (7 gols de saldo), igualando-se temporariamente ao Independente na primeira posição. 

No outro jogo da manhã deste sábado, o Santa Rosa goleou o Ananindeua por 4 a 2, com gols de Léo Oliveira (12′ 1º e 22′ do 2º), Ricardo Capanema (21′ do 1º) e Itupiranga (aos 43 do 2º). Descontaram para a Tartaruga Soares, de pênalti, aos 24 do 1º e Róbson aos 21 da etapa final. Foi a segunda derrota consecutiva do Ananindeua, que é comandado por Walter Lima. 

Ainda neste sábado, jogam Bragantino x Vila Rica (15h30), Sport Belém x Independente (15h30) e Cametá x Time Negra, às 20h, em Cametá. (Com informações da Rádio Clube e do Bola)

Palmério planeja fazer biografia de Anselmo Duarte

Por Sérgio Ripardo

Depois de se dedicar aos segredos da família Sarney, o jornalista paraense Palmério Dória, autor do best-seller “Honoráveis Bandidos”, quer escrever a biografia do ator, roteirista e cineasta Anselmo Duarte, único brasileiro a ganhar a Palma de Ouro em Cannes como diretor. A ideia veio à mente do escritor antes da morte de Duarte, em novembro deste ano. Palmério nutre admiração de longa data pelo homem que escreveu e dirigiu “O Pagador de Promessas”, filme premiado no Festival de Cannes em 1962.

Palmério diz que ficou surpreso com a morte do cineasta no último dia 7 de novembro, aos 89 anos. Duarte estava internado desde outubro no Hospital das Clínicas, em São Paulo, quando deu entrada com um AVC (acidente vascular cerebral) hemorrágico. Ele sofria de mal de Alzheimer. Por enquanto, Palmério diz que o projeto de livro sobre Anselmo Duarte está engavetado, mas não descartou que volte a se interessar pela biografia.

Lançado em setembro, “Honoráveis Bandidos” chegou a liderar a lista dos mais vendidos na categoria “não ficção” em novembro. O título bombou após livrarias maranhenses rejeitaram o lançamento da obra com medo da família Sarney, segundo Palmério. A sessão de autógrafos foi feita na sede do Sindicato dos Bancários e terminou em pancadaria devido ao tumulto provocado por um grupo de estudantes ligado à família Sarney.

Dica de (boa) música

O programa Cor da Pátria apresentará no próximo dia 12 de dezembro, às 20h30, no Memorial dos Povos, o show Tirando de Letras com a participação do compositor Renato Gusmão, autor das músicas que compõem o repertório, das cantoras Nanna Reis e Juliana Sinimbú e da clown Carolina Araújo. Na percussão, o Trio Manari. Ingresso a R$ 10,00. A boa música paraense pede passagem.