Schumacher causa insatisfação na Mercedes

A vida é engraçada. Grande parte do mundo da Fórmula 1 e da cena esportiva em geral recebeu com alegria o retorno de Michael Schumacher às pistas, previsto para 2010. Mas, por incrível que pareça, a contratação acabou sendo reprovada pelos próprios funcionários da Mercedes. Motivos? Ciúmes em relação aos ganhos do heptacampeão mundial de F-1. Os trabalhadores da fábrica alemã mostraram revolta com o alto salário de Schumacher, de cerca de sete milhões de euros (aproximadamente R$ 17 milhões) anuais durante três temporadas, em meio a uma fase aperto geral nos custos da empresa.

Antes da contratação de Schumacher, a Mercedes tinha dificuldade em competir no mercado automobilístico. Uma das medidas que revelaram os sérios problemas da empresa foi a transferência de parte da produção do modelo Classe C para os Estados Unidos, objetivando reduzir despesas. Entretanto, a direção da Mercedes avalia que Schumacher trará lucros a longo prazo para a montadora. O diretor da divisão esportiva da empresa, Norbert Haug, confia no aumento da venda de automóveis com a presença do alemão no cockpit da equipe. “Com certeza, a presença dele aumentará a venda de veículos e irá atrair a atenção de muitas pessoas para a qualidade da estrela, símbolo da nossa empresa. Sabemos muito bem onde investimos nosso dinheiro”, garantiu Haug, em entrevista ao canal de televisão ZDF.

Cada um sabe onde o sapato aperta, mas é mais ou menos óbvio que a vinda de um astro do nível de Schumacher vai dar um sopro de qualidade na Mercedes, que certamente terá condições de aumentar seu faturamento e, com isso, melhorar os ganhos de seus demais funcionários. Só os muito malucos ou burros não entenderam a equação.

Zico e Romário fumam cachimbo da paz

Antigos desafetos, Zico e Romário vão se reencontrar no próximo domingo no Maracanã. O Baixinho aceitou convite para disputar o Jogo das Estrelas, um evento beneficente organizado por Zico. E os dois vão jogar no mesmo time pela terceira vez num jogo não-oficial. A bandeira branca para a reaproximação deles está erguida. “Não é porque tive um problema com esse ou aquele jogador que vou deixar de convidá-lo. Romário sempre foi um ícone do futebol. Tivemos problemas, mas não misturo as coisas”, disse Zico, nesta quarta-feira, em entrevista coletiva no seu centro de futebol, no Recreio dos Bandeirantes (zona oeste do Rio).

A rixa entre os dois ganhou proporções maiores antes da Copa do Mundo de 1998, na França. Romário atribuiu a Zico, então coordenador-técnico da seleção brasileira, toda a culpa pelo seu corte às vésperas do início do Mundial. Na época, o Galinho de Quintino alegou que tomou essa medida porque o atacante estava contundido.

Em retaliação, Romário mandou pintar uma charge de Zico, segurando um papel higiênico, na porta do banheiro de seu antigo bar, na Barra da Tijuca. Zico abriu processo contra Romário e afirmou nesta quarta que não vai retirar a ação, que tramita em segredo de Justiça. “Nunca quis um centavo do Romário, mas precisava defender o meu nome. Muita gente alimentou uma situação que não leva a nada”, afirmou Zico. “Na vida de pessoas públicas sempre tem alguma coisa que surge, mas meu coração está limpo e aberto para qualquer coisa.” (Da ESPN)

Belo e generoso gesto do Galinho, acompanhado pela grandeza de Romário em aceitar o armistício.

Registro obrigatório

Agradeço o recebimento de mensagens de Natal e Ano Novo, enviadas pelas seguintes pessoas e entidades:

Assessoria de Comunicação do Museu Goeldi

Gaby Comunicação

Dulcimar Melo

Bruno Noronha

Fábio Cebolão

Luizão Costa

Federação das Indústrias do Pará

Alcoa

Prefeitura de Benevides

Agropalma

Prefeitura de Ananindeua

Dep. Wandenkolk Gonçalves

Agência Unama

Livraria da Travessa

Castanheira Shopping Center

Luiz Alho

Adilson Verçosa

Henrique Ribeiro (Assembléia Paraense)

Revista Brasileiros

VZ Camisetas

Neide Almeida

Associação Nacional de Jornais

Agência Graffo

Ag. France Press

André Carim

Marcelle Barbosa

Benedita Aparecida Gianino

Comunique-se

Christian Emanoel

Temple Comunicação

Everaldo Figueira

Emanuel Villaça

Irineu Euzébio

Socorro Souza

Osvaldo Serrão

Agência Estado

Ricardo Camarão

Candyce Rocha

Alexandre & Naira Carvalho

Thais Weber (LG)

Legião da Boa Vontade

Wilson Branco Filho

Tânia Guimarães

Ana Paula Pereira

Jorge Cartagenes

Agência Globo

A algumas foi possível responder, a outras não. Registro aqui meus sinceros votos de feliz Natal e próspero Ano Novo a todos os amigos, do blog, da coluna, da Rádio Clube, do Bola na Torre, de Baião e da vida.

Caso Cametá pode implodir Parazão 2010

Recebo e transcrevo comentário do amigo e baluarte Ricardo Camarão a respeito do caso Cametá, ainda envolto em muita discussão e sinalizando para um desfecho que pode até inviabilizar o Parazão 2010. Depois de amplo debate aqui no blog, o Ricardo volta ao tema, derrubando com fatos a tese de que os clubes participantes da 1ª fase avalizaram a decisão unilateral da FPF, quanto à substituição do Pinheirense pelo Cametá. Ricardo argumenta que a atitude irresponsável da entidade pode implodir o Parazão 2010. Acompanhe:

Por Ricardo Camarão

O regulamento 2010 do paraense não pode ter sido referendado pelos clubes na reunião do dia 14.09.2009 (artigo 1°), em toda sua totalidade, pois a 2ª divisão (acesso) somente seria definida em 25.10.2009, com o acesso de Independente e Santa Rosa. O Pinheirense decidiu oficialmente pela desistência no início de novembro e o Cametá foi incluído no mesmo período. No artigo 2°, estão incluídos Independente, Santa Rosa e Cametá, que teriam sido referendados como reza o artigo 1° do mesmo regulamento no dia 14.09.2009. Como? Alguns(da FPF, cronistas, comentaristas e juristas estão se agarrando a esse regulamento (1° e 2°art.), que deve ter sido concluído apenas em novembro, para sustentarem que os 9 clubes participantes da 1ª fase referendaram a entrada do Cametá em reunião do Conselho Técnico, Assembléia Geral e o escambau. Não é verdade!

A FPF decidiu sozinha e o sr. Paulo Romano foi quem defendeu a tese de índice técnico para entrada do Cametá, após a desistência do Pinheirense, fato este noticiado no Cartaz Esportivo (Rádio Clube) de 27.10.09, em entrada ao vivo via telefone. Nunca houve reunião nenhuma envolvendo os 9 clubes interessados para referendarem a entrada do Cametá. A FPF não perguntou nada! Foi uma decisão unilateral e comunicada ao Cametá somente via ofício. A inclusão no artigo 2° dos nomes de Independente, Santa Rosa e Cametá, somente foi efetuada em novembro. Se esse artigo tivesse sido elaborado na reunião de 14.09.2009, quem deveria constar seria o Pinheirense e não o Cametá. Esse regulamento somente em novembro foi colocado à disposição no site da FPF.

Gérson, só com bola de cristal, búzios, leitura da mão etc., os membros do Conselho Técnico em 14 setembro poderiam saber que o Pinheirense iria desistir e que o Independente seria o primeiro colocado no acesso, o Santa Rosa seria o 2° e que o Cametá, por ter sido o 3°, seria chamado a ocupar a vaga do desistente, sendo portanto referendada a inclusão do Cametá. Aquela reunião foi apenas para dizer que o regulamento de 2010 seria igual ao de 2009. É por isso que é necessário ir ao TJD e, principalmente, recorrer ao STJD. Isso foi abuso de poder, fato que está prejudicando vários clubes e, em especial, todos que pleiteiam uma vaga na Série D 2010.

Você leu o e-mail enviado dia 22.12.09 ao Clube na Bola, alertando em especial o jurídico do Remo. É mandado de garantia até 20 dias depois de domingo (20.12.09) para salvaguardar direito que  poderá perder, conforme art.88 do CBJD. Basta o Cametá ficar a frente com o Remo (e outros sem série) na fase principal do certame. Falo do Remo pela pressão da torcida e  maior poder que essa patota da 1ª fase. Paissandu, Águia e S. Raimundo podem perder a vaga para Copa do Brasil de 2011.

Gerson, isso é uma palhaçada, quando foi para mudar a excrescência da divisão de rendas do campeonato (artigos 43 e 44), a FPF arguiu o Estatuto do Torcedor, que não permitiria mudança antes de 2 anos. Remo e Paissandu não puderam nem colocar em pauta a proposta de mudança na divisão de renda. Para mudar essa divisão exdrúxula  de renda (que está atrapalhando os projetos de arrecadação do sócio-torcedor), foi dito que não se poderia mexer no regulamento. A norma é para todos, e a interpretação da lei é ato exclusivo dos juízes! Repito, a única reunião para tratar do campeonato 2010 foi a do CT/FPF, no dia 14.09.09.