Destaque do Re-Pa vai ganhar aumento

Em entrevista ao Bola, o diretor de futebol do Remo, Lucival Alencar, adiantou que o clube vai dar aumento salarial de 100% ao atacante Heliton, que teve destacada atuação no Re-Pa de domingo. Natural de Curuçá, o jogador tem 19 anos e ainda não se firmou no clube em função do porte franzino (tem 1m65 de altura). Atualmente, a multa rescisória do contrato de Heliton é de R$ 300 mil. Até o final do mês, ele será chamado para renovar contrato com duração de dois anos e multa maior.

Coisas da vida

Pra ver como são essas coisas do futebol. Alexandre Pato, do Milan, que nem é mais convocado para a Seleção Brasileira, foi eleito Golden Boy no Campeonato Italiano. Já o Felipe Melo, chegado naquela munhequeira fashion, titularíssimo de Dunga, é top Bidone D’Oro, que vem a ser o nosso perna-de-pau velho de guerra. (Com a colaboração do amigo Glauco Lima)

Papão prepara nova barca de dispensas

A demissão do técnico Nazareno Silva, ainda no domingo à noite, abriu caminho para uma nova barca de dispensas no Paissandu. Até o meio da semana deverão ser dispensados pelo menos seis jogadores. Especula-se que, além do zagueiro Carlos Eduardo, que teve atuação desastrosa no clássico, também receberão bilhete azul os jogadores Bruno Lança Dudu, Adonis e Wagner. Dudu teria cometido ato de indisciplina no meio da semana, mas acabou perdoado e foi figura decorativa diante do Remo.

As mudanças resultantes da derrota no Re-Pa podem respingar na diretoria. Na manhã desta segunda-feira, o presidente Luiz Omar Pinheiro chegou a falar em pedir renúncia, mas foi demovido por outros dirigentes. Deve reunir ainda hoje com os demais diretores para definir as providências em relação ao novo treinador, cujo nome continua indefinido.

(Foto de Tiago Araújo, da equipe do DIÁRIO)

Lula recebe campeões do Fla

Quatro jogadores, a comissão técnica e a diretoria do Flamengo, campeões brasileiros de 2009, foram recebidos nesta segunda-feira pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em cerimônia realizada em Brasília (DF). Torcedor assumido do Corinthians, Lula não poupou elogios aos rubro-negros e aproveitou o encontro para fazer suas tradicionais brincadeiras.
“Não fica muito do meu lado. Você é muito alto e eu vou parecer muito baixinho”, disse o presidente ao atacante Adriano, um dos destaques da campanha do hexacampeonato brasileiro do Flamengo.

Os rubro-negros presentearam Lula com uma camisa oficial do Flamengo com o número 13 às costas e o nome “Lula”. O zagueiro Ronaldo Angelim, autor do gol do título da equipe, deu outra camisa, com os dizeres “Hexa na raça”, o número 6 e, de novo, o nome do presidente. Apesar dos pedidos dos atletas, Lula preferiu não vestir a camisa do time carioca. “Só porque é Flamengo, está cheio de puxa-saco aqui”, brincou Lula.

Além de Adriano, Ronaldo Angelim, Welinton e Lennon, também estiveram presentes na cerimônia a presidente eleita do Flamengo, Patrícia Amorim, e o atual presidente, Márcio Braga. “É bom ter mulheres no poder”, comentou Lula, que escolheu a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, como sua pré-candidata à Presidência da República em 2010. (Da ESPN)

Digam o que disserem, mas é bom e tranquilizador ter um presidente que curte (de verdade) futebol. O metalúrgico está, de fato, antenado com a massa, ao contrário de alguns doutores metidos a besta que ocuparam a presidência. E como isso dói em algumas áreas…

Tribuna do torcedor

Augusto Roberto de Macedo Azevedo (augustomcazevedo@gmail.com)

O que vi no Mangueirão ontem (domingo) está muito longe até mesmo do Paissandu do ano passado. Vou comentar primeiro as contrataçoes do Clube do Remo, começando pelo técnico, o qual todos sabemos de sua competência já mostrada até mesmo no Paissandu. O Remo acertou pois um técnico local sabe como é a rivalidade, conhece o caminho das pedras e sabendo disto tratou de repassar para os novos contratados o que isso poderia acarretar. As contratações do rival, não que tenham sido explêndidas, mas são jogadores com técnica e que sabem jogar bola. Poxa, é doído para um trocerdor apaixonado ver o óbvio: que o rival acertou nas cartas e o Paissandu não. O Fabrício Carvalho joga muita bola; o Samir pra quem não era atacante arrebentou, sem contar a prata da casa que o Remo está valorizando. Raul é um zagueiro, que, apesar da pouca idade, dá de dez em muito zagueiro maluco que acho que é astro e fica jogando água na cabeça de bandeirinha e esquece de jogar; Marlon já conhecemos, Diego Azevedo bom lateral, muito melhor que o tal do Misturado (Ednaldo), que nunca me enganou, porém nas subidas dele o Paissandu poderia ter aproveitado mais (só que o Nazareno não foi para o jogo e não viu isso, para dizer aos seus comandados). Helliton: o garoto é bom de bola, espero que a diretoria azulina dê a atenção que ele merece, pois poderá render bons frutos. Agora vamos analisar o meu amado Paissandu. Para começar, o técnico Nazareno Silva, se era para trazer um cara do interior da Bahia ficasse com que tinha, o cara passou  a semana toda dizendo “que o RexPa não era pra ser levado a sério que, era apenas mais um jogo que fazia parte do cronograma da pré-temporada e blá, blá, blá…” No que eu entendo, isso é medo, é desvalorizar seu trabalho antes mesmo do jogo começar. Meu Deus, clássico é sempre valorizado, não importa se é jogo de peteca ou de botão, clássico é clássico e não se pode perder, não importa o valor dele. Onde já que Bruno Lança é melhor que o Mael, Tobias é melhor que o Dadá, Tácio é melhor que o Lecheva e Eanes é melhor que o Balão? Tenho um acoisa para dizer em relação ao presidente do Paissandu, o sr. Luiz “ditador” Omar Pinheiro: o barato às vezes sai muito caro, e nesse caso não foi diferente. A reformulação do elenco foi uma burrice. Era para esse senhor, o presidente do Papão, manter o técnico Valtinho, ter renovado com alguns jogadores como Rogério Correa, Aldivan, Rafael Cordova, Zeziel (que voltou) e principalmente Balão, Mael e Dadá. Portanto, o que digo agora é: contratem um técnico regional. Lucena, Artur Oliveira (apesar da identificação com o rival) ou Valtinho. Corram atrás da base do ano passado, deixem ir esses jogadores que o contrato termina agora no fim do ano, segurem o Bruno Rangel, repatriem Marcelo Maciel e contratem refoços que valham a pena (Maico Gaúcho, Ley, Testinha, Boiadeiro, Paulinho Marília e o resto é só fazer um apanhado entre os melhores do Parazão e Série C do ano passado).

Coluna: As verdades do clássico

Sem maiores atrativos no aspecto técnico, havia pelo menos uma certeza em relação ao clássico: o perigo que representava para os treinadores, cujos empregos sempre ficam ameaçados em caso de derrota para o maior rival. Com o revés do Paissandu, essa premissa acabou confirmada. O técnico Nazareno Silva foi despachado logo depois do jogo. Não se pode afirmar com certeza, mas é provável que, se o derrotado fosse o Remo, Sinomar Naves tivesse a mesma sorte.

Remistas e bicolores são, acima de tudo, previsíveis. Isso explica muita coisa quanto à forma de lidar com treinadores. E ajuda a entender, também, porque alguns jogos, mesmo sem valer pontuação, acabam se revestindo de súbita importância para os torcedores.

O foguetório que se ouviu na cidade deu a impressão de que estava em disputa uma taça ou turno de campeonato. A rivalidade, cultivada há quase um século, desafia o pensamento lógico e fala bem mais alto do que a análise racional dos fatos.

Por conta desses arroubos emocionais, é provável que muitos dos críticos de Sinomar passem a enxergar no atual time remista, depois do triunfo de ontem, uma boa aposta para o Parazão. A vitória, nesses casos, tem efeito enganoso. Mascara limitações e supervaloriza qualidades.

Nada, porém, que seja capaz de obscurecer algumas verdades do embate de ontem. A primeira, mais ou menos óbvia, indica que o Paissandu precisa de completa reformulação para adquirir feições competitivas. A defesa, sobretudo, carece de reparos urgentíssimos. O Remo, em escala menor, também precisa de ajustes no meio-campo e no ataque. 

Outra: Hellinton, normalmente desacreditado pelos torcedores e pelos analistas – entre os quais este escriba baionense – credencia-se como boa alternativa para o ataque remista. Seu comportamento no Re-Pa foi digno de registro, com participação marcante em todos os lances ofensivos da equipe, culminando no belíssimo gol com direito a finta desconcertante no goleiro Naldo. Técnico e seguro, o beque Raul foi outra boa presença entre os jovens valores azulinos. 

Uma terceira verdade: dos estreantes em Re-Pa, Samir foi o que mais se destacou. Fabrício não decepcionou. Danilo é apenas um volante mediano. No Paissandu, o goleiro Naldo falhou no segundo gol. Eanes (no primeiro tempo) e Tácio foram os mais efetivos. Muito pouco para a quantidade de gente que debutou no grande clássico.

Com vitória categórica em Tucuruí, Cametá garantiu a classificação à fase principal do campeonato. Juliano César, artilheiro desta etapa, confirma tudo o que já se sabia dele. E torna ainda mais esquisito o fato de Remo e Paissandu não conseguirem contratá-lo.

A Rádio Clube dá o pontapé inicial do projeto Copa 2010, com lançamento festivo hoje, às 19h, no Hilton Hotel. Guerreiro comanda a festa. 

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO, edição de segunda-feira, 14)