Fred na idade da pedra

No jogo entre Goiás x Fluminense, pela Copa do Brasil, o atacante tricolor Maicon recebe o segundo amarelo e é expulso. Exclusão justa, sem direito a dúvidas.

Antes, porém, o árbitro é empurrado e sacolejado de todas as formas pelos inconformados jogadores do Flu, tendo à frente um destemperado Fred.

Com a bagagem internacional que tem, o atacante – que continua sem deslanchar – deveria agir com mais equilíbrio.

Em tempo: mesmo depois da acintosa prensa no juiz, Fred não recebeu nem advertência.

O jogo terminou empatado, 2 a 2.

Outro carioca passou aperto dentro de casa. O Vasco, rebaixo à Série B, tropeçou (1 a 1) no modesto Icasa-CE, rebaixado à segunda divisão cearense.

Dança de cabeças

O Paissandu confirma a contratação de Rogério Correia, ex-Remo.

Da tumultuada campanha remista no Parazão, foi um dos poucos que escaparam.

É, seguramente, o melhor zagueiro da competição.

Boa aquisição para a Série C.

Ainda mais levando em conta a instabilidade da dupla Roni-Luciano.

Fonte do Bicola diz que o goleiro Adriano seria uma opção natural, mas a profunda identificação do arqueiro com as cores azulinas inviabiliza qualquer acerto.

O destino do melhor goleiro do Estado deve ser mesmo o Águia de Marabá.

Cai a Lei de Imprensa

Do site do DIÁRIO, agora há pouco:

 O STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu nesta quinta-feira revogar a Lei de Imprensa, criada no regime militar. Agora, os jornalistas ficam submetidos à Constitucional Federal e aos códigos Penal e Civil.
A extinção da lei foi apoiada por sete dos 11 ministros da Corte. Votaram a favor da revogação total os ministros Carlos Alberto Menezes Direito, Cezar Peluso, Carmen Lucia, Ricardo Lewandowski e Celso de Mello. Eles seguiram os votos do relator do caso, Carlos Ayres Britto, e do ministro Eros Grau, que apresentaram seus posicionamentos na sessão de 1º de abril.
Os ministros Joaquim Barbosa, Ellen Gracie e Gilmar Mendes sugeriram a revogação parcial da lei e o ministro Marco Aurélio Mello votou pela manutenção da norma e a criação de novas regras.
Para os ministros favoráveis, a lei é incompatível com a Constituição. “O preço do silêncio para a liberdade dos povos é muito mais alto do que a livre circulação das ideias. Não é possível legislar com conteúdo punitivo que criem condições de intimidação. Por outro lado, a dignidade da pessoa humana deve ser assegurada para a liberdade de imprensa”, afirmou Menezes Direito no seu voto
.

Líder e grande timoneiro

CBF realiza Assembléia Geral Ordinária

Balanço Patrimonial Financeiro e Relatório de Atividades de 2008 são aprovados por unanimidade

CBF NEWS

 A CBF realizou na manhã desta quarta-feira no Hotel Windsor, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, a Assembléia Geral Ordinária para exame do Balanço Patrimonial e Financeiro e do Relatório de Atividades de 2008 da entidade. Os 27 presidentes de Federações Estaduais do país aprovaram os dois temas por unanimidade.

Os presidentes das Federações de Futebol do Amazonas, Francisco Dissica Tomaz, do Mato Grosso, Carlos Orione, do Mato Grosso do Sul, Francisco Cezario de Oliveira, do Espírito Santo, Marcos Antônio Vicente, de Pernambuco, Carlos Alberto Oliveira, e da Bahia, Ednaldo Rodrigues, fizeram ainda pronunciamentos marcados pelos elogios à administração do presidente Ricardo Teixeira à frente da CBF – elogios endossados pelos demais presidentes presentes.

– O futebol brasileiro atingiu um nível de organização e seriedade que todos nós, desportistas, sempre desejamos. E isso se deve à competência do presidente Ricardo Teixeira, o verdadeiro líder que o futebol brasileiro encontrou – resumiu o presidente da Federação de Pernambuco, Carlos Alberto Oliveira.

 Depois dessa, com o ex-oposicionista Carlos Alberto Oliveira, aparecendo como fã de Teixeira, não há muito o que dizer. Mas, chamar o homem de “verdadeiro líder que o futebol brasileiro encontrou”, é de lascar.

Juan na berlinda

Depois de levar um drible de Maicosuel, cometer falta violenta e ainda xingar o meia botafoguense (que estava caído no gramado), que lhe custou somente o cartão amarelo, o lateral-esquerdo Juan, do Flamengo, foi denunciado pela Procuradoria do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro em dois artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

O julgamento está marcado para a próxima terça-feira, dois dias depois da decisão, mas o jogador pode ser desfalque na final de domingo, pois a procuradoria pediu sua suspensão preventiva. Essa reivindicação será analisada pelo presidente do TJD/RJ, Antônio Vanderler, ainda nesta quinta-feira.

Juan foi denunciado nos artigos 258 (assumir atitude contrária à disciplina ou à moral desportiva, em relação a componente de sua representação, representação adversária ou de espectador.) e 278 (ameaçar alguém, por palavra, escrito ou, gestos ou por qualquer outro meio, causar-lhe mal injusto ou grave).

Há um precedente de punição preventiva por atitude anti-desportiva. O TJD de Goiás suspendeu preventivamente dois jogadores por agressões a adversários durante o campeonato goiano.

Duvido que vá dar em alguma coisa, mas fica pelo menos o gesto de inconformismo diante da absurda postura de Juan, que se sentiu ofendido por um drible! Ora, ora.

Educação é tudo

Da Agência Brasil:

RIO – O bicampeonato do Colégio de São Bento no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) não surpreendeu os responsáveis pela escola, há 151 anos ensinando meninos e rapazes desde o primeiro ano do fundamental até o terceiro do ensino médio.

A supervisora pedagógica Maria Elisa Penna Firme Pedrosa lembrou hoje (29), a propósito, que nos últimos quatro anos, o colégio dos frades beneditinos só não conquistou o primeiro lugar no Enem em 2006, devido a mudança nos critérios de avaliação das provas de redação. A excelência foi comprovada no último vestibular do ano passado, quando mais de 90% dos 73 formandos do São Bento entraram direto para a universidade pública e sem auxílio do Enem.

A boa posição do São Bento é  basicamente resultado do ensino “humanístico”, explica Maria Elisa. “Cada aluno aprende que todo dia é o mais importante no seu aprendizado, daí cria-se logo uma vinculação profunda entre ele e a escola. Aqui ensinamos filosofia, sociologia, matemática, todas as matérias num contexto abrangente, no qual interessa o papel do homem em sociedade”.

A criança aprende desde cedo princípios de moral, ética e civismo, além do ensino religioso, sempre com ênfase no indivíduo dentro do coletivo. “Quando tratamos de economia, por exemplo, falamos também de distribuição de renda”.

GP de Atletismo

A governadora Ana Júlia Carepa assina às 15h desta quinta-feira, no Palácio dos Despachos, o convênio para a realização da 25ª edição do Grande Prêmio Caixa de Atletismo.

Antes, às 12h30 no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, haverá o lançamento oficial da programação, já cativa no Estado, com a presença de autoridades e jornalistas.  Convidado, o escriba estará presente.

Justas homenagens

O radialista Guilherme Guerreiro, da Rádio Clube do Pará, será uma das 16 personalidades que receberão a comenda “Guilherme Paraense” nesta quinta-feira pela manhã na Assembleia Legislativa, cuja sessão enfocará os dez anos de fundação da Seel.

Além dele, o medalhista para-olímpico em Pequim Alan Fonteles, sua técnica Suzete Montalvão, ex-atleta em Seul, e mais nomes conhecidos como o de Agberto Guimarães, Wilson Caju, técnico da seleção brasileira de basquete em cadeiras de rodas, entre outros, serão contemplados.

Todos os secretários de Esporte que o Estado já teve, incluindo o atual Carlos Alberto Leão, estão na relação de premiados.

Placar da Libertadores

Com um golaço (Cleiton Xavier) no apagar das luzes, o Palmeiras bateu o Colo Colo e salvou parcialmente o semestre.

De quebra, salvou também a pele do chamuscado Luxemburgo.

Classificou-se para as oitavas na Libertadores.

Em segundo no grupo liderado pelo valente Sport de Nelsinho Batista, que venceu o LDU, no Equador, de virada: 3 a 2.

Nessa batida, chega longe o Leão da Ilha. Bela campanha.

Política de contratações

Outro forte sinal da fase auspiciosa vivido pelo Remo no plano financeiro: a diretoria não pára de contratar funcionários para áreas executivas.

Na sede social, já estão trabalhando vários remanescentes da administração Duciomar Costa, atingidos por demissões recentes.

Há, inclusive, um ex-secretário municipal que teria sido contratado a peso de ouro pelo clube, com salários na faixa de R$ 8 mil.

Detalhe: referido profissional, gabaritado na área contábil e financeira, não entende lhufas de um clube de futebol

Além dele, mais pessoas oriundas da administração municipal. O preocupante é que a PMB não chega a ser referência administrativa – a não ser por má gestão.

No Evandro Almeida, muitas outras aquisições no setor administrativo, perfazendo incremento de mais de R$ 14 mil na folha salarial dos funcionários.

O futebol, mero detalhe, não recebeu qualquer reforço.     

A política entra em campo

Na opinião de alguns conselheiros, a crise parece não afetar o Remo.

Apesar de estar “fora de série”, o clube está com dinheiro em caixa, depois de muito tempo sem saber o que é isso.

Acumula cerca de R$ 1,2 milhão.

São recursos oriundos do acordo firmado com o governo estadual, da receita dos clássicos no Parazão, dos jogos em Santarém, da premiação da Copa do Brasil e do patrocínio com a Unimed.

E logo entrará o segundo pagamento (R$ 480 mil) do contrato firmado com o governo do Estado.

Por esse prisma, a diretoria não parece ter com o que se preocupar, nem ter motivos para tristezas.

Talvez por isso não considere tão desastroso ficar ausente de competições oficiais até 2010.

Seria, inclusive, um projeto do próprio presidente Amaro Klautau: recarregar as baterias, fazer economia e voltar com tudo na próxima temporada.

“O presidente planeja formar um timaço para recuperar as glórias do Remo no próximo ano. Quer vencer tudo e fazer a torcida esquecer as tristezas de 2009”, confidencia um antigo funcionário, ligadíssimo a Klautau.

Segundo ele, a partir da recuperação do clube, o presidente partiria para sua própria arrancada – aí, já no terreno eleitoral.

O único problema vai ser convencer a torcida sobre o acerto dessa estratégia.