Dilma, a primeira mulher presidente do Brasil

A presidência do TSE já declarou que Dilma Rousseff (PT) venceu a disputa pela Presidência da República, sendo eleita a primeira mulher presidente do Brasil. Derrotou José Serra (PSDB) no segundo turno das eleições, neste domingo (31). Com 99% das urnas apuradas, Dilma obteve 55,96% dos votos, o que representa mais de 52,5 milhões de eleitores. Já Serra recebeu os votos de 44,04% dos eleitores (cerca de 1,9 milhões de votos).

Aos 62 anos, a mineira Dilma chega à Presidência após ser escolhida por Luiz Inácio Lula da Silva para sucedê-lo; isso depois de ter enfrentado a ditadura militar, comandado o principal ministério do governo Lula (a Casa Civil); vencido um câncer no sistema linfático e se tornado avó pela primeira vez, ainda no primeiro turno das eleições. Até então desconhecida pelo eleitorado, pois nunca havia disputado uma eleição, Dilma passou a liderar a corrida pela sucessão presidencial no final do primeiro semestre deste ano, sendo beneficiada pela aprovação recorde do governo atual. Após oito anos na Presidência, Lula deixa o governo no fim do ano com índices de aprovação superiores a 83%.

O candidato José Serra telefonou para Dilma, por volta de 20h30, parabenizando-a pela vitória. (Do R7)

Boca de urna aponta vitória de Dilma

A pesquisa de boca de urna apurada pelo Ibope neste domingo trará Dilma Rousseff à frente do tucano José Serra com folga. Segundo a Folha de SP apurou, Dilma recebeu 57% dos votos e Serra, 43%. O  resultado deve ser divulgado a partir das 19h de Brasília – quando termina a votação no Acre – pelo instituto e pela TV Globo.

Coluna: A marca da generosidade

Depois de assumir a Seleção Brasileira no pior momento, sob descrédito geral e baixíssima taxa de paciência por parte da torcida, Mano Menezes segue impressionando positivamente, com posicionamentos firmes e escolhas acertadas. A nova convocação, para o amistoso contra a Argentina, demonstra claramente seu equilíbrio na condução do escrete.
Resgatar Ronaldinho Gaúcho, que havia sido descartado por Dunga para a Copa do Mundo da África do Sul, é um gesto que atesta seu conhecimento da cena futebolística e revela um traço de generosidade, sentimento que muitos técnicos da Seleção parecem combater a ferro e fogo.
Craque sob suspeita desde que caiu de produção em 2006 e afundou definitivamente nos dois anos seguintes, Gaúcho precisa hoje muito da Seleção como ponte para a recuperação perante os olhos do torcedor. Suas boas atuações no Milan, desde o ano passado, já o credenciavam a retornar ao selecionado.
Mano usou o fato de não poder contar com Paulo Henrique Ganso, recém-operado, para prestigiar Gaúcho. Um gesto que pode ser de grande valia para o Brasil, afinal um craque jamais desaprende. As melhores passagens do meia-atacante na Seleção aconteceram na campanha do pentacampeonato, em 2002.
Duraram até as vésperas da Copa da Alemanha. A partir daí, frustrado com o vexame no Mundial, o jogador parece ter perdido o rumo. Faltava-lhe a fagulha que diferencia os realmente bons de bola dos demais atletas. Mas é justo reconhecer sua luta para voltar a ter alto rendimento. Mano entendeu isso e pode ser bem recompensado.
Ao lado de Neymar e Robinho, Gaúcho pode ser de grande valia no clássico com a Argentina, primeiro grande teste do novo comandante. De certa forma, o próprio projeto de reformulação da Seleção estará em jogo e, ironicamente, um quase veterano pode ser decisivo para que o rejuvenescimento do time siga seu curso normal.
Difícil imaginar que Gaúcho tenha fôlego para chegar à Copa de 2014 com futebol suficiente para ser titular da Seleção. Em seu favor, a baixíssima incidência de lesões. Dos grandes nomes do futebol mundial, é um dos que menos sofre contusões, o que pode lhe garantir longevidade em campo. Por outro lado, sua experiência pode ser mercadoria valiosa entre os garotos que despontam sob as ordens de Mano Menezes. De mais a mais, nunca é tarde para recomeçar – nem mesmo no futebol.
 
 
O Remo segue imerso em incertezas. Falta dinheiro para o pagamento dos funcionários (de alguns, pelo menos), o time foi desmanchado e a vida administrativa do clube é um verdadeiro labirinto sem saída. As esperanças podem vir da nova diretoria, que assumirá o clube em dois meses. Até lá, porém, resta a penosa (e conturbada) contagem regressiva de uma das mais infelizes gestões que o Leão já teve. 

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO deste domingo, 31)

Pesquisa Ibope indica vantagem de Jatene

A última pesquisa de intenção de voto sobre a eleição para o governo do Pará, divulgada neste sábado (30), indica que Simão Jatene (PSDB) tem 59% dos votos válidos enquanto Ana Júlia (PT) registra 41%. Na soma dos votos válidos não são contabilizados votos em branco, nulos e indecisos. Nos votos totais, Jatene tem 55% das intenções de voto, contra 37% de Ana Júlia. Os votos brancos e nulos somam 5% e os indecisos 3%. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais para mais ou menos. No levantamento anterior, de 16 de outubro, considerando somente os votos totais, Jatene registrou 54% dos votos, e Ana Júlia, 36%. Os votos brancos e nulos somaram 5%. Os indecisos também somaram 5%. O levantamento divulgado hoje foi feito com 812 eleitores em 41 municípios do Pará entre os dias 28 e 29 de outubro. A pesquisa foi registrada no TRE do Pará sob o número 19614/2010 e foi encomendada pela TV Liberal, afiliada da Rede Globo no Pará. (Com informações do G1 e do Blog do Noblat)

João Galvão para técnico do Remo?

João Galvão é um dos mais polêmicos e vitoriosos técnicos do futebol paraense. Misto de dirigente e treinador, conduziu o Águia de Marabá a campanhas empolgantes no campeonato paraense, onde chegou ao vice-campeonato por duas vezes, e em competições nacionais – fez boas campanhas na Série C 2008 e na Copa do Brasil do mesmo ano, quando esteve a pique de eliminar o Fluminense de Carlos Alberto Parreira dentro do Maracanã. Adepto do esquema 3-5-2, montou equipes competitivas (quase sempre ofensivas). De temperamento afável com os atletas, tem o mérito indiscutível de fazer com que seus jogadores executem suas ideias em campo. Outra de suas qualidades é o olhar apurado para reforços bons e baratos, que quase sempre se encaixam como luva na equipe marabaense. Seu lado mais controvertido é a incontinência verbal. Falastrão, costuma provocar os adversários e instigar torcidas rivais. Nos últimos tempos, porém, tem moderado a verborragia.     

Em função do trabalho desenvolvido no Águia ao longo dos últimos quatro anos, Galvão começa a ser especulado como opção para assumir o Remo a partir de janeiro de 2011. Defensores de seu nome argumentam que o clube não tem recursos para trazer técnicos de fora do Estado e precisa, desesperadamente, conquistar o título estadual, que ficou longe do Evandro Almeida durante a gestão Amaro Klautau. Seria, sob esse ponto de vista, a opção ideal, unindo baixo custo (inclusive dos atletas que costuma indicar) e eficiência. A dúvida é se Galvão conseguiria ter num clube de massa a autonomia de que desfruta no Águia, onde sua palavra é lei. Outra grande incógnita é a capacidade do treinador de suportar a pressão de dirigentes e as cobranças que certamente sofreria por parte da exigente torcida remista.

A 24 horas da eleição, Dilma tem boa vantagem

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, aparece com 14,4 pontos de vantagem sobre o candidato do PSDB José Serra, segundo pesquisa CNT/Sensus divulgada neste sábado (30). Considerando os votos válidos – quando brancos e nulos são descartados –, Dilma tem 57,2% da preferência do eleitorado, contra 42,8% de Serra. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos. Dilma tem 50,3% dos votos totais, contra 37,6% de Serra. Brancos e nulos somam 4,1% e indecisos chegam 7,9%. Nesta sexta-feira (29), pesquisa Datafolha indicou que a vantagem de Dilma é de 12 pontos. Na sondagem, a petista aparece com 56% dos votos válidos, contra 44% do tucano. A última sondagem do instituto, divulgada na quarta-feira (27), mostrou Dilma com 58,6% dos votos válidos, contra 41,4% de Serra. Brancos e nulos somavam 4,7% e indecisos chegaram a 6,8%. (Do R7)

Assim caminha a indústria do disco

Por Marcelo Costa

Chegou via release: os seis primeiros álbuns da Legião Urbana (lançados entre 84 e 93), editados originalmente em vinil, voltam ao formato em edições de capa dupla, com fotos e textos inéditos. Já “Tempestade” e “Uma Outra Estação”, editados originalmente em CD, foram adaptados ao formato vinil, ambos com dois LPs cada e capas duplas. Todos remasterizados em Abbey Road.

Preços sugeridos (sujeitos a variações determinadas pelas lojas)
Vinis simples – R$ 120 (“Quatro Estações” e “Descobrimento Do Brasil”)
Vinis simples – R$ 140 (“Legião Urbana”, “Dois”, “Que País é Este” e “V”)
Vinis duplos – R$ 190 (“A Tempestade” e “Uma Outra Estação”)

Enquanto isso, um dos discos mais clássicos da carreira de Paul McCartney (aquele cara que um dia integrou uma banda chamada Beatles e que daqui alguns dias estará entre nós) ao lado do Wings, “Band on The Run”, ganha uma reedição luxuosa também em vinil (além de CDs com material raro) que conta com as nove faixas do álbum distribuídas em dois discos de 12” de 180 gramas. Além, quem comprar o vinil duplo pelo site do Paul ganha “9 bonus audio tracks” em MP3, que são as músicas que integram um dos CDs extras (o tracking list você pode conferir aqui). O disco também foi remasterizado em Abbey Road.

Preço: US$: 29,99 (cotação de hoje: R$ 51,10 26/10)

Ou seja: Paul duplo, R$ 50. Legião duplo, R$ 190.

Assim, eu adoraria comprar vinis nacionais, e até trocar os vinis originais da Legião que tenho por essas novas reedições, mas não dá para acreditar nestes preços. Comprei a coleção do Wilco, via Amazon, 20 dólares cada vinil (todos com o CD de bônus incluso). Não dá para pagar os cento e tantos reais num vinil nacional. Boa sorte, indústria.

Só para corações botafoguenses

Uma bela demonstração de afeto na maneira como o pai zela pela formação do filho. Sem dúvida, o menino crescerá com noções de valores corretos, preparado para respeitar e honrar as mais relevantes instituições deste país. Um cidadão no sentido pleno do termo. Video a ser divulgado e seguido, principalmente se você for botafoguense.