Ingresso para Brasil x Argentina a R$ 90,00

Saiu finalmente a tabela de preços para o amistoso Brasil x Argentina, marcado para 28 de setembro, às 21h50, no estádio Edgard Proença. O ingresso mais em conta é o de arquibancada, a R$ 90,00. O mais caro é o de cadeira lateral, que custa R$ 190,00. Através do site www.peladeiro.com as vendas começam nos dias 7 e 9 de setembro. Na sede da FPF, os ingressos podem ser adquiridos a partir do dia 11.  

Arquibancada – R$ 90,00.
Arquibancada (meia) – R$ 45,00.
Cadeira Lateral – R$ 190,00.
Meia Cadeira Lateral – R$ 95,00.
VIP (tribuna A) – a divulgar.
Camarote – a divulgar. 

Filho de peixe, peixinho é…

Ao lado do padrinho, Paulo Henrique Ganso, o atacante Neymar levou nesta terça-feira o filho Davi Lucca para o CT Rei Pelé e apresentou a criança aos jogadores e funcionários do Santos. A criança nasceu no último dia 24, no Hospital São Luiz, em São Paulo. O pai do jogador, Neymar, também acompanhou a visita do herdeiro do craque.

A frase do dia

“A Ferj considera que decisões como essa desequilibram o Campeonato Brasileiro e prejudicam principalmente os clubes cariocas e nesse caso, em especial, o Botafogo. Vale ressaltar que a referida convocação aconteceu no último dia 18 de agosto e o aviso foi emitido a cinco dias da data original do jogo”.

Comunicado da Federação de Futebol do Rio, reclamando do adiamento do jogo Santos x Botafogo pela CBF.  

Brasil encara Canadá, hoje, no Pré-Olímpico

Canadá, adversário do Brasil no Pré-Olímpico de basquete, nesta quarta-feira, conta com o pivô Joel Anthony, do Miami Heat, e o armador Andy Rautins, do New York Knicks. É tido como líder do pelotão intermediário em Mar del Plata, que ainda tem Venezuela, Uruguai. São os times que buscam até a quinta colocação para tentar uma vaga em Londres-2012 no Pré-Olímpico Mundial, no próximo ano. Do terceiro ao quinto colocado ganham vaga. Na prática, o Canadá não costuma oferecer muita resistência. Foi 24º colocado no último Mundial, mas deve ser osso duro de roer, hoje, em Mar del Plata.

Como foi a Venezuela, ontem, na estreia brasileira no Pré-Olímpico. A vitória só veio a 7 minutos do final, quando a seleção brasileira virou o placar e estabeleceu diferença até fechar em 92 a 83, no ginásio Ilhas Malvinas, em Mar del Plata, na Argentina. A equipe brasileira ficou atrás do marcador nos três primeiros quartos. No último, perdia por 74 a 73, mas virou a partida faltando sete minutos para o final do jogo. Abriu cinco pontos de diferença, mas quase sofreu o empate na sequência. Depois alcançou a vitória com nove pontos de vantagem.

Morre um dos bruxos da TV brasileira

Morreu nesta quarta-feira, aos 86 anos, Homero Icaza Sánchez, consultor da TV Globo responsável por alguns dos maiores sucessos da emissora. Sánchez começou a trabalhar na Globo em 1971, como diretor do departamento de Análises e Pesquisas, onde demonstrou seu talento para interpretar os resultados das pesquisas. Sua sensibilidade para enxergar além dos números rendeu-lhe o apelido de “El Brujo”, o “Bruxo”, em espanhol. Foi ele quem identificou o nicho das novelas de época, inspiradas em clássicos da literatura brasileira, que em 1975 tornou-se a marca da novela das seis.  Fora da dramaturgia, Sánchez foi o responsável pela antecipação do horário do Globo Repórter, das 23h para as 21h, o que firmou o programa como um sucesso de público. Sanchez nasceu no Panamá, e chegou ao Rio de Janeiro em 1944, para estudar Direito, a convite do Itamaraty. Após a conclusão do curso, incentivado por um de seus professores, começou a trabalhar com uma nova técnica de pesquisa – a aferição da audiência a partir da aplicação de conceitos sociológicos.

Coluna: Águia diante de novos desafios

Até a rodada do último domingo, os representantes paraenses na Série C não podiam se queixar de prejuízos causados pelas arbitragens. Não que tenhamos juízes de primeira linha em todos os jogos. Longe disso. Acontece que, por sorte ou mera coincidência, os erros não têm sido grosseiros a ponto de alterar resultados.
A exceção ocorreu no jogo do Águia contra o Rio Branco. As imagens confirmam a impressão inicial de que o time paraense foi mesmo garfado na Arena da Floresta. A falta sobre Rodrigão pode até ter acontecido, vá lá que seja, mas no mesmo lance houve primeiro um puxão na camisa de um beque (Carlão) marabaense.
Velho calo a atormentar nossos times em momentos mais agudos em qualquer competição nacional, a arbitragem acabou pendendo para o lado dos donos da casa, prejudicando o representante paraense. João Galvão reclamou bastante também dos auxiliares, que, segundo ele, pareciam aquele personagem antigo de Jô Soares, que vivia com o braço engessado.
Nada disso, porém, exclui a responsabilidade aguiana em relação ao andamento do jogo. Com a vantagem de um homem a mais durante quase todo o segundo tempo, conseguiu empatar, através de Marquinhos Marabá, e poderia ter sido mais resoluto na busca do gol da vitória.
Teve chances, mas acabou deixando o tempo passar, conformando-se com o empate, resultado que parecia inevitável até o momento da lambança na área, aos 46 minutos.
O certo é que, para desprazer de sua torcida, o Águia deixou no Acre a liderança do grupo, recolocou o Rio Branco na disputa e ganhou sérios obstáculos para uma classificação que era quase certa depois da vitória sobre o Paissandu.
Nem tudo está perdido, as possibilidades permanecem vivas e o time só depende de seu próprio esforço, mas terá que superar o Araguaína, em Marabá, e buscar pontos fora de casa na última rodada desta fase. O jogo final é contra o Luverdense, concorrente direto por uma vaga e um time cascudo, como se sabe.
Acostumado a se superar, o Águia pode obter o resultado que lhe interessa, mas, para isso, será preciso que seu ataque volte a funcionar. Mendes, seu grande reforço, principalmente.
 
 
Boa opção para os times paraenses, sempre necessitados de um meia-armador que saiba lançar e finalize bem. Edu Chiquita, que ajudou a afundar o Paissandu aqui jogando pelo Salgueiro no ano passado, acaba de ser dispensado pelo Carcará e vai disputar a Copa União pelo Imperatriz (MA). A não ser que tenha desaprendido, encaixaria direitinho na meiúca de Paissandu, Águia, São Raimundo, Independente e até do Remo.
Outro nome que chegou a ser namorado pelo Paissandu também estreou em plagas maranhenses, e fazendo gol. Trata-se do veterano Kleber Pereira (ex-Atlético-PR, Santos e Internacional), que está no Moto Clube e fez a promessa de que pendura as chuteiras em dezembro.
 
 
 
Direto do blog
 
Do Claudio Santos, técnico do Columbia de Val-de-Cans e remista entediado: “Parabéns aos torcedores do Papão pelo espetáculo nos estádios. Agora, essa do LOP colocar a culpa no melhor parceiro dele (TV Cultura). Te dizer…. Nunca vi isso.”

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta quarta-feira, 31)