Seleção agora só vai encarar “carne assada”

Um dia depois da derrota para a Alemanha, por 3 a 2, a CBF divulgou seu calendário de amistosos até o final deste ano. E, ao contrário do que já havia anunciado, não vai enfrentar Itália nem Espanha. Na próxima data-Fifa, no início de setembro, o adversário será o Egito, no Cairo. Depois, em outubro, a seleção brasileira enfrentará México e Costa Rica – ambos fora de casa. Em novembro, o adversário será o Gabão. O último jogo do ano será na Suíça. Segundo o colunista Ancelmo Gois, do jornal “O Globo”, a partida será contra os anfitriões ou contra a Inglaterra. A seleção completou um ano sem conseguir ganhar de nenhum adversário da elite do futebol mundial. O Brasil perdeu para Argentina, França e Alemanha. E empatou com a Holanda. (Da Folha de SP)

Papão demite para cortar despesas

Sob alegação de contenção de despesas, o Paissandu dispensou nesta quarta-feira os assessores de imprensa Junior Brasil e Felipe Cesar e o gerente de futebol Carlos Pupo, o Carioca. O novo assessor de imprensa deve ser Haroldo Bezerra, que era funcionário do Remo e foi indicado pelo irmão do presidente Luiz Omar Pinheiro.

Felipão, a sombra no horizonte de Mano

Do Blog do Perrone

No intervalo do jogo, enquanto o Brasil ainda empatava com a Alemanha, ouvi um dirigente próximo de Ricardo Teixeira apostar que Luiz Felipe Scolari será o técnico da seleção brasileira  a partir da Copa das Confederações, em 2013. Não se trata de uma opinião isolada. A cada tropeço da seleção a queda de Mano se torna mais iminente. E, depois de Muricy Ramalho se recusar a assumir o cargo, Felipão passou a ser o único treinador que arranca elogios frequentes de Teixeira. O cartola define o técnico como “macho”, ou, em outras palavras, capaz de peitar a opinião pública e medalhões pouco produtivos. A admiração do presidente do CBF transforma Felipão na principal sombra de Mano. Basta que ele não faça feio com o Palmeiras no Brasileiro.

Por sua vez, sem a pressão das eliminatórias, o atual treinador da Seleção precisa vencer grandes adversários. E parar de insistir com alguns homens de confiança que não estão jogando nada, como André Santos. O lateral-esquerdo, agenciado por Carlos Leite, também empresário de Mano, afundou o time nacional na Alemanha. E já merecia ser barrado do time nacional após suas atuações na Copa América. Mas, às vezes, a teimosia deixa Mano cego.