A morte de Lennon, segundo Paulo Francis

Trecho inicial do texto intitulado Cinco tiros abrem novos negócios, que Paulo Francis escreveu para o caderno Ilustrada, da Folha de S. Paulo, no dia 9 de dezembro de 1980. Vale a pena ler/reler pela crueza verbal e erudição do autor.

John Lennon, compositor, cantor, músico, o “pai” dos Beatles, foi assassinado à uma hora da manhã (hora de Brasília) de ontem, por um vagabundo, Mark Chapman, que disparou nele seis tiros de um revólver 38, acertando cinco. O crime aconteceu no saguão de um dos prédios mais famosos de Nova York, a oeste do Central Park, o Dakota (que a maioria dos brasileiros conhece como cenário do filme de Roman Polanski Rosemary’s baby, com Mia Farrow e John Cassavetes). Lennon estava acompanhado da mulher, Yoko Ono, e dois cavalheiros ainda não identificados. Chapman esperou por ele horas no saguão, sem ser incomodado pelos agentes de segurança do prédio (cuja maioria dos moradores é celebridade, gente como Lauren Bacall etc.) que provavelmente, como é freqüente em Nova York, estavam bêbados ou dormindo. Lennon tinha 40 anos. Chapman, de Atlanta, Geórgia, conterrâneo de Jimmy Carter, tem 25.  

A polícia, chamada ao local, apreendeu facilmente Chapman, que largou o revólver depois de esvaziá-lo, sorrindo, certo (e está certíssimo) que do anonimato se tornará, como Lennon, uma celebridade. Esse o motivo aparente do crime. O canibalismo de celebridades que é rotina neste país (e no Brasil e todo o mundo ocidental), graças a um sistema de comunicações que evita assuntos sérios, mas que fornece um “circo” permanente, obsessivo, avassalador, sobre a vida dos bem-sucedidos e ricos, excitando sentimentos contraditórios, da adoração bocó dos fãs à frustração homicida, que às vezes se manifesta a la Chapman. É tolice atribuir o crime à violência de Nova York. Chapman estava em Nova York havia apenas duas semanas, proveniente de Atlanta (trabalhou um tempo no Havaí, como guarda de segurança, vulgo “vigia”). Em Nova York não é possível comprar armas de fogo sem extensa e prévia investigação policial (estou falando do mercado legal, naturalmente). Em Atlanta, onde recentemente 12 crianças negras foram assassinadas, é possível comprá-las em qualquer armazém…

A polícia de Nova York é treinada em paramedicina. Tentou ressuscitar Lennon, aplicando-lhe técnicas recomendadas, sem sucesso. Uma ambulância recolheu Lennon, que ainda falou aos médicos, dizendo quem era (”Meu nome é John Lennon”) mas foi pronunciado “D.O.A.”, morto ao chegar, no Hospital Roosevelt, a 13 quarteirões do Dakota. A causa: hemorragias incontroláveis.

A nova celebridade, Chapman, está presa. Não precisa declarar nada. Pode exigir a presença de um advogado. Se não tiver dinheiro para pagá-lo, o Estado paga. É a lei. Se for chamado de assassino pela imprensa, um juiz poderá anular o julgamento, considerando-o preconceituoso contra o réu, presumindo-o culpado antes que um júri o condene ou absolva. É também a lei. Mas o provável é que se determine que Chapman é um psicopata, ou seja, passará o resto da vida num manicômio judiciário, vendendo direitos de lhe filmarem a vida, “escrevendo” memórias, vendendo entrevistas etc. Neste país tudo é faturável. A polícia já o chamou de “whaco” (demente, em gíria), pois a polícia conhece como ninguém como funciona o processo judiciário americano.

Cartola do S. Paulo ainda inconformado

O presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, não poupou seu time e nem o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pelo fracasso do clube em garantir o título do Brasileiro em 2009. Para o cartola, além da “incompetência” da equipe em vencer os jogos decisivos na reta final da competição, a “interferência do STJD” também pesou nos resultados. “Se não houvesse o que houve fora dos gramados, será que o resultado teria sido o mesmo? Não sei responder. Talvez eu pudesse ser campeão, apesar da incompetência”, disse Juvenal nesta terça-feira, durante o Footecon, principal fórum do futebol brasileiro, realizado no Riocentro, zona oeste do Rio.

Para o presidente, as suspensões aplicadas aos atacantes Dagoberto e Borges e ao volante Jean atrapalharam o time. “O Jean era réu primário e levou três jogos de suspensão. Houve equívoco no julgamento. O efeito suspensivo não foi efetivado e eles não puderam enfrentar o Botafogo. Por lei, o efeito suspensivo é automático”, questionou Juvenal. (Da ESPN)

A cartolagem brasileira não toma jeito. Até Juvenal Juvêncio, macaco velho, agora tira onda de injustiçado. Antes de culpar o STJD, devia reclamar da apatia do time contra o Goiás, no Serra Dourada.

Liga dos Campeões: Bayern despacha Juve

O Bayern de Munique foi à Itália enfrentar a Juventus em duelo direto pela vaga nas oitavas de final da Champions League e levou a melhor. Com direito a gol de goleiro, os alemães venceram por 4 a 1, classificaram-se e deixaram os italianos fora da próxima fase. Restou ao time de Turim a disputa da Europa League.

Com direito a um golaço de falta de Cristiano Ronaldo, o Real Madrid derrotou o Olympique de Marselha por 3 a 1 nesta terça-feira, na França, e confirmou sua classificação às oitavas de final da Uefa Champions League na primeira colocação do grupo C, com 13 pontos. Eliminada, a equipe francesa fez sete pontos e terminou em terceiro lugar, tendo de se contentar com a vaga na segunda fase da Liga Europa. O destaque da partida foi Cristiano Ronaldo, autor de dois gols.

O Milan teve muitas dificuldades nesta terça-feira, mas arrancou um empate por 1 a 1 com o Zurich, pela sexta e última rodada do grupo C da Uefa Champions League, garantindo classificação às oitavas de final do torneio. A equipe do técnico brasileiro Leonardo terminou em segundo lugar da chave, com 9 pontos, quatro a menos que o líder Real Madrid (13) e dois a mais que o Olympique de Marselha (7), que “cai” na segunda fase da Europa League. Ronaldinho Gaúcho marcou, de pênalti, o gol milanista. (Da ESPN)

Independente tropeça no lanterna

O Independente Tucuruí não conseguiu reeditar o bom futebol dos últimos jogos e empatou em 0 a 0 com o Bragantino, lanterna da competição. A fraca atuação diante de uma equipe que ainda não venceu no campeonato fez com que a torcida de Tucuruí vaiasse o time ao final da partida. Os dois times tiveram dois jogadores expulsos. Pelo Independente, o jogador Roberto, e pelo Bragantino foi excluído Esquerdinha. O resultado não influenciou na classificação. O Independente segue líder agora somando 14 pontos e o Bragantino segue na última colocação, somando agora o seu primeiro ponto. Se tivesse vencido, o Independente estaria virtualmente classificado para a fase principal do Parazão.

Na próxima rodada, o Bragantino receberá no sábado (12), no estádio Leandro Pinheiro, em Capanema, o Santa Rosa, às 16h, e no domingo (13) no estádio Navegantão, em Tucurui, o Independente enfrentará o Cametá, também às 16h.         

Jogos da sexta rodada: 
         
Terça (08/12): 
       
Independente 0 x 0 Bragantino 
20h Castanhal x Sport Belém 
         
Quarta-Feira (09/12): 
16h Time Negra x Vila Rica 
16h Santa Rosa x Tuna 
20h Cametá x Ananindeua

E o metalúrgico não pára de subir

Antes que eu me esqueça, subiu novamente o índice de aprovação do presidente. A aprovação a Lula subiu de 81% em setembro para 83% em novembro, segundo pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta segunda-feira, 7. A confiança no presidente também melhorou, saindo dos 76% para 78% no mesmo período. A rejeição, por sua vez, regrediu de 17% para 14%. A fonte é o insuspeito, nesse caso, Estadão.

Remo ainda não está garantido na Copa do Brasil

Notícia preocupante para o Remo. A vaga na Copa do Brasil, que parecia líquida e certa com a classificação do S. Paulo para a Libertadores, já não é tão segura assim. Como 26º do ranking da CBF, o Leão estaria automaticamente dentro da competição, mas o diretor técnico da CBF, Virgílio Elísio, ainda não confirmou a participação azulina na competição. “As pessoas precisam entender que o Remo não tem ligação nenhuma com o S. Paulo, é mais uma questão de ranking. Tenho amigos em Belém que me ligam perguntando se o time vai conquistar a vaga na Copa do Brasil do ano que vem, e eu digo que aguardem a CBF anunciar a lista dos clubes que participarão da competição em 2010. No momento não posso dar essa posição, mas lá por quarta ou quinta-feira faremos esse anúncio”, disse o baiano Elísio.

Com a “força” que tem junto à CBF, a lentidão de seu presidente e o pouco-caso do presidente da Federação Paraense de Futebol, pode-se dizer que a tal presença na Copa do Brasil já corre bastante perigo. Todo cuidado é pouco. Se o Remo não se espertar, dança. A lei não protege os que dormem, diz antigo princípio do Direito. (Com informações do Bola)

Empresa sob suspeita é parceira da dupla Re-Pa

O Brasileiro terminou e, como de hábito, muita coisa ruim será imediatamente esquecida. É o caso do escândalo dos ingressos falsificados para a final Flamengo x Grêmio no Maracanã e os 8 mil ingressos achados pela Polícia nos escritórios da empresa BWA, no Rio, que seriam repassados a cambistas. Isso para não mencionar o envolvimento de um alto executivo da mesma firma nas falcatruas para colocar ingressos no câmbio negro. Não custa lembrar que a BWA/Ingresso Fácil é a mesma empresa que andou trabalhando com Remo e Paissandu nos últimos dois anos, cuidando das bilheterias de jogos em Belém.

Ditador da Coréia só permite notícias das vitórias

Kim Jong-il, líder da Coréia do Norte, praticamente proibiu a cobertura da Copa de 2010, na África do Sul, pelos meios de comunicação de seu país. O ditador criou uma lei permitindo apenas a divulgação das vitórias da seleção de futebol norte-coreana. Como o país não paga pelos direitos de transmissão cobrados pela Fifa, a televisão estatal da Coréia do Norte não poderia transmitir ao vivo nenhuma partida. Isso significa que 99% dos cerca de 29 milhões de habitantes do país não saberão quem venceu a Copa, a menos que um resultado extremamente improvável aconteça. A Coréia do Norte será o adversário do Brasil na primeira rodada do mundial. (Do Blog Planeta que Rola) lucro dos apostadores será de US$ 350,00 por US$ 1,00.

Melhores e piores do campeonato

Como é tempo de fazer as listas de fim de ano, o blog orgulhosamente também apresenta suas preferências quanto à seleção do Campeonato Brasileiro, tanto positivas quanto negativas.

Seleção dos melhores:

1) Bruno (Flamengo)

2) Jonathan (Cruzeiro)

3) Miranda (São Paulo)

4) Danilo (Palmeiras)

6) Júlio César (Goiás)

5) Guiñazu (Inter)

8) Conca (Flu)

7) Iarley (Goiás/foto)

10) Petkovic (Fla)

9) Adriano (Fla)

11) Fred (Flu)

Craque: Adriano

Revelação: Fernandinho (Barueri)

Técnico: Paulo Silas

 

Seleção dos piores

1) Castillo (Botafogo)

2) Élder Granja (Sport)

3) Astorga (Santos)

4) Luiz Alberto (Flu)

6) Juan (Fla)

5) Rodrigo Souto (Santos)

7) Mozart (Palmeiras)

8) Arouca (São Paulo)

10) Tcheco (Grêmio)

9) Dênis Marques (Fla)

11) Vagner Love (Palmeiras)

Piores técnicos: Muricy Ramalho (Palmeiras), Renato Gaúcho (Fluminense) e Péricles Chamusca (Náutico)

Perna-de-pau do ano: Vagner Love (Palmeiras)

Revelação de bonde: Edu (Corinthians)

Árbitro: Carlos Eugênio Simon

Cartola: Luiz Gonzaga Belluzzo

Luxemburgo fecha com o Galo por 2 anos

Por Paulo Vinícius Coelho

Vanderlei Luxemburgo acertou tudo e é o novo técnico do Atlético-MG. São dois anos de contrato. Esse era o ponto que dificultava as coisas com o Internacional. Com o Inter, Luxemburgo exigia três anos de contrato. Com o Atlético-MG, acertou as bases salariais e os dois anos de trabalho, porque é este o período de mandato de Alexandre Kalil.

Luxemburgo volta a Belo Horizonte, onde fez imenso sucesso no Cruzeiro, entre outras razões porque essa era a vontade de sua esposa. O treinador saiu do time celeste brigado com Zezé e Alvimar Perrella, principais dirigentes do clube.

“Houve esforço do Inter, interesse na contratação, mas o Vanderlei tem outras situações fora do Brasil (pode assumir e seleção do Irã e um clube na Europa), e preferiu não trancar o Inter porque sabe que o clube tem pressa para ajustar o time da Libertadores”, disse o procurador de treinador, Gilmar Veloz, ontem à noite, à Rádio Gaúcha.