Coluna: O Papão jogou a toalha?

Na entrevista do Luiz Carlos Barbieri à TV RBA, depois do jogo com o Cametá, ficou claro o desconforto do técnico em relação à diretoria do Paissandu. A não ser que estivesse delirando, Barbieri disse que precisava de apoio nos momentos difíceis. Disse, ainda, que na hora dos maus resultados com a torcida fungando no cangote “ninguém aparece” nos vestiários. O recado foi claro.
Direto e claro, sem escamotear o fato de que a equipe voltou a jogar mal, tropeçando no Cametá e merecendo plenamente os apupos do torcedor, o treinador reafirmou que tem o grupo sob controle e que confia no potencial dos jogadores que indicou para o elenco. Mas, obviamente, precisa sentir segurança para que o trabalho possa ser desempenhado com tranqüilidade.
Pela reação dos torcedores, indignados com a fraca produção do time, ficou a impressão de que o torcedor não terá tanta paciência para aturar novos tropeços depois da sequência de quatro empates – jogos contra o Remo, Potiguar, Águia e Cametá. Nesse aspecto, Barbieri parece ter se apressado a alertar que está sozinho e que os problemas não envolvem seu grupo de jogadores. E se existem problemas, como ele sugeriu, só podem envolver a relação entre dirigentes e comissão técnica.
Estaria a diretoria do Paissandu jogando a toalha no primeiro turno, conformada com a baixa produção apresentada até aqui e se guardando para o returno? Se for esse o caso, talvez a intenção de reagir na segunda metade do campeonato não seja confiada ao mesmo comandante, o que explica o posicionamento de Barbieri.
De qualquer maneira, com a bola rolando, o time não deu motivos para o torcedor se sentir tranqüilo. O primeiro tempo foi patético, com erros infantis de posicionamento e incontáveis chutões dos zagueiros Leandro Camilo e Paulão em direção a área adversária. Moisés, o mais efetivo do time, era obrigado a voltar até o meio-campo, desempenhando o papel de meia que não se molda às suas características.
O time só melhorou no segundo tempo, já com Zé Augusto e Eanes em campo, mas ainda assim ficou exposto a sustos seguidos – como no gol legítimo de Rodrigo que o árbitro anulou. Claro que a ausência de Sandro é um ponto a considerar, pela capacidade de liderança e organização que o volante tem. No entanto, parece óbvio que o Paissandu não pode depender de apenas um jogador se quiser mesmo chegar ao tricampeonato.
 
 
O sábado à noite teve um surpreendente espetáculo de futebol no Baenão. O horário era o menos indicado, mas a torcida compareceu e viu Remo e S. Raimundo se apresentarem muito bem. O primeiro tempo já foi interessante, com ampla movimentação e jogadas de qualidade, mas foi na etapa final que a partida ficou eletrizante. A partir dos 10 minutos, os ataques se sucediam em alta velocidade, com chances de lado a lado. O desequilíbrio foi estabelecido por Samir, que substituiu Gian e comandou a busca remista pela vitória. Acabou recompensado, com méritos, marcando os dois gols que desempataram a partida.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta segunda, 22)

30 comentários em “Coluna: O Papão jogou a toalha?

  1. Gerson, está acontecendo com o Paysandu, aquilo que sempre falo: Futebol e parte administrativa, tem que funcionar, para que o Time conquiste os títulos. Penso eu, que aí entra a postura do Técnico, de exigir de sua diretoria, encontrando resistência, larga o cargo. O cara tava precisando de um meia de ligação, falaram no Alex Oliveira, depois trouxeram o Fabricio, que penso que foi até melhor, mas não regularizaram o jogador. Penso, também, que jogadores que não estão conseguindo se aclimatar, deveriam, imediatamente, serem substituidos, por outros, mas que cheguem em condições de jogo, como o Fabricio, por exemplo. Penso que, por já conhecermos e estarem jogando, valeria a pena investir nas contratações de Mael e Dadá e, mais um meia de ligação e, dispensar, pelo menos uns 5 jogadores. Técnico competente, o Papão tem, penso que lhe falta jogadores de qualidades, apenas no Meio.

    Curtir

  2. O que o time do Paissandu apresentou onteme não foi surpresa. É o sétimo pelo Estadual e em termos de rendimento foi até pior que o anterior quando jogou contra um time mais qualificado e fora de Belém, deduzindo-se que na verdade houve retrocesso ao fazer este comparativo, não justificando a ausência de Sandro para servir de escudo para outra decepcionante apresentação. Uma mudança de técnico no momento é possível sim, um local ligado ao clube interinamente seria mais proveitoso que continuar com o Barbiere que já teve várias oportunidades para convencer a todos que não dá e este está ciente quando em entrevistas declarou que o trabalho está sendo feito e avalia que o rendimento não é satisfatório, ou seja, não parecendo está muito incomodado se este trabalho está agradando. Parabenizo os poucos mais de 3 mil torcedores que compareceram para empurrar o Papão, com jogo transmitido pela TV, com alternativas de ver a decisão carioca ou clássico paulista, prestigiando um jogo de baixo índice técnico e a mais nobre atitude, pagando. Agora vamos esperar o jogo pela Copa do Brasil com um pé atrás, porque pelo que está jogando o time tudo pode acontecer. Tem muito bonde inchando e veem mais duas contrações por aí. Desta vez o ex-rei dos bobos chorou com razão e sua ira com a arbitragem se justifica. Barbiere se queixa de falta de apoio, pode ser afinal LOP é o dirigente e competente no desmonte dentro e fora de campo.

    Curtir

  3. Berlli, penso que o Paysandu não engrenou, ainda, por não possuir um meio campo compacto e, isso acontece, por não ter jogadores de qualidade. Pense: Um meio campo com Tácio, Bruno Lança, Zeziel e Sandro(a exceção de Sandro que foi uma contratação avalisada pelo Barbieri), sendo contratações do Nazareno, do que culpar o Técnico? A única que ele avalisou, foi o Sandro, que é o melhor do time. Muçamba, que é sim bom jogador, e Edson Pelé(não se aclimatou), para entrar nesse meio, é muito pouco. O Papão, na minha opinião, conta com um bom Goleiro, duas boas zagas, 2 bons laterais(Fabinho e Parral) e dois excelentes atacantes( Didi e Enilton). Então perceba que o grande problema do Papão, não é Técnico, mas seu meio campo. Por isso falo: Dispensar alguns e contratar outros, mas que estejam bem preparados fisicamente. A Receita é simples. Agora se quizerem perder o ano e o Paysandu cair pelas tabelas, é só trocar o Treinador por um local. É bom parar e tentar lembrar um pouco do passado. A Receita é simples, liberado o Sandro e, o Fabricio Regularizado, o Papão já será, e muito, diferente, mas penso que, mesmo assim, terá que dispensar e contratar, como falei, acima.

    Curtir

  4. tb concordo q o problema está em não ter dois homens criativos. Dois caras no meio campo com competencia, criatividade e inteligencia. Se – o papão tiver – ai sim, acredito q esse time decole.
    Agora quero ressaltar q o papão tem um excelente ataque (didi, enilton, moises) e uma excelente dupla de zagueiros. Alias, 4 zagueiros bons. o que há muito tempo não tinha. por isso, acredito mais nesse time pro brasileirao da serie c. porque ai podera encontrar as peças que faltam.

    Curtir

  5. Concordo plenamente com o leitor claudio, o problema do paysandu está neste meio de campo, eu colocaria atualmente pelo que temos o seguinte meio campo, tácio, sandro, eanes e zeziel ou preferencialemente o fabricio se for regularizado, no ataque o moises e o enilton.

    Curtir

  6. Não entendo!
    O que faltava para o Paysandu engrenar e mostrar produção, não era os importados, exemplos: Didi, Enilton, etc, etc, etc ?
    Com eles jogando, surgiram outras desculpas, incrível!
    Não querem entender que o “professor” é limitado para sacudir esse elenco que, até certo ponto não é pior que os demais, teoricamente, igual ao do Leão. A diferença é……………e………….e…………etc, etc, etc. Segredo de Estado!

    Curtir

  7. tb concordo q o arbitro errou no gol legitimo do cametá. mas nao acho q foi “ladrão” pro papão, mas sim “burro”. porque durante o jogo todo ele tb marcou lances errados em favor do cametá.
    mas eu o meu comenário nao foi sobre esse jogo especificamente, mas sobre o time do paysandu na temporada.

    Curtir

  8. Acho que o Papão está em formação pra formar um time competitivo pro brasileirão. Por isso, mesmo não jogango bem (aliás, jogando bem mal), vejo coisas positivias nesse time como a zaga (segura, tanto nos titulares quanto nos reservas). E isso já é uma grande coisa.
    Afinal, o projeto desse ano é a volta a série B.
    Agora o que me preocupa é realmente a capacidade do técnico de formar um time taticamente bom, competitivo e inteligente. Realmente essas qualidades eu não vejo no Barbiéri. Mas vamos lembrar que ELE também faz parte do grupo que está sendo montado para a volta ao mundo dos grandes (serie B do brasileiro). Ou seja, assim como os jogadores estão sendo trabalhados e observados, a comissão técnica tb está.
    EU ACREDITO NO PROJETO DE LEVAR O PAPÃO A SÉRIE B DESSE ANO.

    Curtir

  9. Claudio ele indicou e a diretoria contratou mais de vinte jogadores, já pensou esse panorama, com o Válter Lima comandando esse time? esse técnico é ruim mesmo cara, não tem nada prá ele aqui; só que tem muita gente na diretoria do BICOLOR que lamentavelmente, ainda acredita que é só importar profissionais e estará tudo resolvido.
    Os importados por sua vez, pensam que é só chegar aqui, vestir a camisa e botar a faixa de campeão; lêdo engano, após o jogo contra o Águia em Marabá, entrevistado pelo Dinho Menezes, da Clube, o Barbiéri declarou que se surpreendeu com a forção do Águia e com o futebol de Marabá.
    Tal qual ele, estão os atletas por ele indicados; ontem, o Edson Pelé, passou mal estando no banco de reservas; indisposição de que? o mais correto não seria dizer que PIPOCOU?
    penso que sim.

    Curtir

  10. Concordo Carlos Berli,

    Se a diretoria do BICOLOR AMAZÔNICO, possuir a altivez nescessária para tentar reparar a situação desonrosa por ela causada anteriormente, manterá o plantel e recontratará o Válter Lima, se não possuir a dignidade necessária, recomendo o NAD, ele é muitísimo melhor que o Barbíéri, mantendo o atual plantel e deixando eles(quem quer que seja) fazer os ajustes.
    Se o Barbiéri demorar até quarta, não passaremos pelo Potiguar.
    Detalhe: Torcedor Alvi Celeste, não é trouxa, ele não tem confiança no time, no comando técnico, tampouco, na destemperada diretoria, por isso, prefere ficar em casa, assistindo o evento pela TV, que já não é pouco sofrimento.

    Curtir

  11. Concordo Falconi,
    Acontece, que quem reconhece que a falha está no professor(torcida), não tem o poder de mudar imediatamente; mas, a parte que lhe cabe neste scripit, ela está fazendo, por que tu achas que no jogo de ontem, só compareceram pouco mais de tres mil pagantes, isso, no conceito de NAÇÃO ALVI CELESTE, NÃO É TORCIDA,
    SÃO TETEMUNHAS.

    Curtir

  12. O Barbieri é curioso. É o tipo de técnico que não sabe escalar mas mexe bem.
    Não cobro nada (ainda) do treinador bicolor. O time não teve preparação alguma e isso conta sim. Grande parte do material humano à sua disposição é sofrível: Parral, Marcos Vinicius, Fabinho, Brida, Bruno Lança são piada de mal gosto. No mais:
    – O Paysandu tem 4 zagueiros razoáveis.
    – Tácio é bom jogador.
    – Zeziel é opção no banco – não serve para ser titular.
    – Nessas bandas Sandro é craque.
    – Didi entende do riscado.
    – Enílton é bom mas não vai aguentar jogar nessa zona que é o futebol paraense.
    – Moisés tem que ser colocado aos poucos na equipe. É um jogador cheio de altos e baixos.
    – Gostei do Eanes.
    A série C de 2010 será a mais difícil dos últimos 3 anos. Fortaleza, ABC e Criciuma… Tou cabreiro.

    Curtir

  13. Prefiro acreditar que foi uma simples expressão do Babieri quando olhou para banco colocou a mão no queijo e disse ao Ney o que faço agora? Se verdadeira a expressão, sinceramente as coisas não andam bem na Curuzú.

    Curtir

  14. Tô gostando de ver os torcedores “Nostradamus”.
    Relembrando algumas previsões.

    1 . O paissandu vai engrenar a partir da quarta rodada.
    2. O remo vai pegar times mais afinados e não vai vencer.
    3. O paissandu ainda tem muita gente para lançar(Enilton.Eanes,Didi,Edson Pelé etc.) e quando eles entrarem a coisa vai ser diferente.

    Continuem prevendo que a TROCA do baenão não vai dar certo..ahehahehaehhaehaheaheh

    Curtir

  15. Se o Paysandu dispensou, rancharia, adonis e bruno, porque também não dispensar os quatro laterais ( 2 direitos e 2 esquerdos) são muito fracos, não sabem cruzar e não têm sangue. Jogam com o freio de mão puxado. Recado ao Barbiere – essa tal de indisposição dos jogadores na hora do jogo chama-se ” Migué ” ou pipoqueiros. Ganhar sem fazer força.
    Sds
    Carlos Figueiredo

    Curtir

  16. A desculpa do Barbiere que o time está em formação não cola mais é ruindade mesmo dos jogadores, é so a Diretoria entregar esse time para o Charles Guerreiro e verá tudo mudado rapidamente e sem essa história de ainda estar encaixando. Isso é conversa mole para boi dormir. Ou não saber o que fazer !
    Sds
    Carlos Figueiredo

    Curtir

  17. Aliás, carlos figueiredo, se colocar esse time nas mãos do Charles Guerreiro, vai mudar muita coisa sim, pode aguardar. Mas pra pior. Te contar. Te dizer.(diria o Gerson). Será que vc já esqueceu do Valtinho?

    Curtir

  18. Fica Frio amigo!
    Agente quer ver o remo sofrer, mas não queremos ele morto, senão a vida do torcedor bicolor perde o sentido!!..rsrsr!

    Bom proveito com o Colosso (da dengue) do Tapanã!!.. rsrsr!

    Curtir

  19. Silas, disse vc, que o Barbieri contratou, mais de 20. Ele, na verdade, só trouxe 13 Jogadores:
    1-Ney(bom goleiro)
    2-Rogério Correa(bom zagueiro)
    3-Paulão(bom zagueiro)
    4-Leandro Camilo(bom zagueiro)
    5-Brida(lateral razoável)
    6-Fabinho(bom lateral)
    7-Parral(bom lat. dir.)
    8-Marcus Vinicius(Lat Dir.-pode render mais)
    9-Rafael Muçamba(é bom jogador, sim)
    10-Edson Pelé(é bom jogador, mas não se aclimatou, ja teria mandado embora)
    11- 12-13 – Os três atacantes, que a meu ver, de muitas qualidades: Enilton, Didi e Luciano Dias.
    obs: Nenhum Meia de ligação(a exceção de Edson Pelé)
    Meias de ligação que a Diretoria deu a ele, e, talvez por isso, confiando nela, indicou apenas 1:
    1- Sandro – ótimo
    2- Zeziel – ?
    3- Fabricio – Nem jogou
    – Levando-se em consideração que o problema do Papão é Meia de ligação, logo, não vejo culpa no Técnico. Só penso, que se estivesse no lugar dele e com o nome a zelar, reuniria, hoje com a diretoria e pediria: Liberação, até amanhã do Fabricio(pra jogar na quarta) e, indicava mais 2 meias de ligação e um volante e dispensava quem não estivesse interessando. Se não me dessem, entregava o lugar, na hora.

    Curtir

  20. Em teoria, pouco menos de dois meses (50 dias, se muito), não é tempo suficiente para reunir vários atletas de procedência diversa, grande parte deles carente de melhor condicionamento físico, alguns com futebol abaixo daquilo que se apregoava, e lograr imprimir padrão de jogo, esquema tático e que tais. Máxime quando a preparação tem que ser feita durante uma competição, cuja disputa mesmo aparentemente não sendo a prioridade para o Clube, desperta grande interesse na maioria da torcida, o que resulta em pressão e diminuição da tranqüilidade necessária. Ocorre que a indignada reclamação do Barbieri na entrevista após o jogo parece indicar a existência de algo mais atravancando o caminho em direção à estabilidade técnica do time do que problemas relacionados especificamente à potencialidade do elenco. Tais problemas podem estar vinculados p. ex., tanto à falta de suporte da diretoria, quanto à limitação do próprio treinador, ou a ambos. Mas, o certo é que o Paysandú tem que se decidir, se quer substituir o técnico o momento é agora. Daqui a pouco vai ser tarde demais para novo recomeço até para a disputa da terceirona.

    Quanto ao jogo de sábado à noite, não me pareceu surpreendente o que produziram as duas equipes. O São Raimundo vem crescendo, e muito, de produção. O Leão tem time para vencer e bem o S. Raimundo, como, de fato, venceu. Até pelos resultados recentes do São Raimundo, era de se esperar um jogo como o que foi jogado no Baenão. Todavia, mesmo com a grande vitória, neste que me pareceu o melhor jogo do Remo, n’alguns aspectos o time voltou a apresentar aquele padrão costumeiro: (a) a zaga batendo cabeça, até um pouco mais com a estréia do Antonelle; o gol surgiu de uma destas pixotadas (do Pedro Paulo, no caso); (b) os laterias chegando pouco. O Paulinho até melhorou o número de subidas, mas, em compensação, parece estar querendo adotar, agora, aquela jogada do tipo “enceradeira”; (c) os meias armadores ainda erram um número grande de passes, com o agravante de que o Velber tá se arrastando em campo. Acho que o Samir cairia bem por ali, enquanto isso o Velber se condicionaria melhor fisicamente, pois ele tem muito a contribuir ao Leão; (d) Já no ataque o Hélington que tá jogando muito bem, poderia melhorar mais ainda caso n’algumas vezes servisse mais e mais rápido o seu companheiro melhor colocado. Em síntese, o Leão ainda tem muito para acertar, mas segue firme no caminho certo. E o Labilá, seguiu operando os seus milagres, sem falar que também contou com alguns bafejos da sorte. Mas, desta vez não deu, foi um número muito grande de investidas do Leão, uma hora ele tinha de sucumbir. VALEU LEÃO!

    Curtir

  21. O Problema Diogo, é que vc se refere a Vitórias e eu a Títulos e, isso, ninguem, ainda possui.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s