Mundico vence Botafogo no Barbalhão

Com um gol de Branco aos 23 minutos do segundo tempo, o São Raimundo derrotou o Botafogo, em sua estreia na Copa do Brasil, no estádio Barbalhão. O jogo foi equilibrado no primeiro tempo, apesar da maior presença ofensiva do Botafogo. Para o segundo tempo, o Mundico voltou mais disposto e, empurrado pela torcida que lotou o estádio, foi à frente e conseguiu chegar ao gol em jogada de linha de fundo que teve falha do zagueiro alvinegro Fahel. O goleiro Labilá apareceu bem e fez pelo menos três grandes defesas. No final, apesar da pressão do Botafogo, a zaga santarena resistiu bem.

Paissandu estreia com empate na Copa do Brasil

O Paissandu estreou com empate em 0 a 0 na Copa do Brasil contra o Potiguar de Currais Novos (RN), na noite desta quarta-feira, no estádio Bezerrão. No primeiro tempo, o time conseguiu pressionar e levar bastante perigo ao gol de Jader, principalmente através do atacante Moisés. Na etapa final, o Paissandu entrou com uma postura mais cautelosa, esperando atrair o adversário para seu campo e sair em contra-ataque. Repetiram-se os erros de passe e posicionamento dos alas, praticamente inoperantes na etapa final. Com isso, o próprio Moisés caiu de produção. Didi e Zé Augusto entraram, mas o panorama do jogo não se modificou. Nos instantes finais, Thiago Potiguar e Gildésio perderam chances claras de marcar para o time da casa.

Fabrício é reforço do Papão para o meio-campo

Nem Alex Oliveira, nem Harison. O Paissandu vai optar mesmo por um velho conhecido da torcida para tentar resolver o problema da meiúca: trata-se do meia Fabrício, que foi o destaque do time na campanha da Série C 2008, sob o comando de Dário Lourenço. O jogador foi negociado, naquele mesmo ano, com o Bursaspor da Turquia por um valor recorde para os padrões do futebol local – R$ 400 mil, segundo a diretoria; cerca de 2,5 milhões, segundo a oposição. Não se adaptou ao país e acabou retornando no ano passado, aparentemente sem se desligar do clube e foi parar em Igarapé-Açu, onde se dedicava a jogar peladas. Dirigentes do Paissandu confirmaram o acerto com Fabrício, que deverá ser apresentado nesta quinta-feira, na Curuzu.

Morre zagueiro campeão mundial em 58

O zagueiro Orlando Peçanha, titular e campeão mundial pela Seleção Brasileira em 1958 na Suécia, morreu nesta quarta-feira vítima de uma parada cardíaca, aos 74 anos, no Rio de Janeiro. Segunda a família, o ex-jogador com passagens marcantes por Vasco, Boca Jrs. e Santos foi internado na noite da última terça e teve uma parada cardíaca fulminante pela manhã desta quarta-feira.

O corpo de Orlando Peçanha será velado no cemitério São João Baptista, em Botafogo, no Rio de Janeiro, a partir desta quinta-feira, e o enterro será somente na sexta. O zagueiro começou sua carreira no Vasco da Gama em 1955 e ficou em São Januário até 1960. Neste período, formou com Belini uma das melhores zagas da história do futebol brasileiro, tanto que em 1958 eles atuaram juntos na Seleção Brasileira na vitoriosa campanha na Copa da Suécia. (Da ESPN)

Para Ciro, FHC morre de inveja de Lula

O deputado Ciro Gomes (PSB-CE) continua com a língua afiada. Entrou de sola no bate-boca entre o PT e o PSDB e acusou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso de ter “inveja” do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, além de não ter “moral para falar mal” da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, pré-candidata do PT à sucessão de Lula. Ao se referir ao pré-candidato do PSDB à Presidência, Ciro xingou José Serra de “figura detestável”. Segundo ele, “a vaidade misturada com a inveja que o Fernando Henrique tem de Lula é que provoca isso”.

A polêmica entre o PT e o PSDB começou com um artigo publicado no jornal O Estado de S.Paulo no último domingo, onde o ex-presidente FHC criticou “autoritarismo” de Lula e  disse que o presidente “inventa inimigos”. Para atacar FHC, Ciro lembrou as denúncias de compra de votos para aprovação da emenda que implantou a reeleição no Brasil. Argumentou ainda que, assim como Lula, Fernando Henrique também escolheu José Serra, na época seu ministro, candidato à sucessão presidencial.

Mandou bem. Gostei de ver.

Imagens inéditas de uma tragédia americana

A tragédia ocorreu há nove anos, mas as imagens continuam atualíssimas, vivas na memória de todos. Só que nesta quarta-feira (10) a rede norte-americana ABC divulgou tomadas aéreas inéditas dos momentos seguintes ao choque dos aviões com as torres gêmeas do World Trade Center, em Manhattan, no dia 11 de setembro de 2001. Uma nuvem espessa de fumaça e poeira ergue-se, encobrindo os destroços dos edifícios destruídos no atentado que abalou (e mudou) o mundo. Pelo impacto visual, vale a reprodução.

Sub-17: Papão aplica goleada de 6 a 2 no Remo

O Paissandu conquistou, na manhã desta quarta-feira, o bicampeonato paraense de futebol sub-17, ao golear o Remo por 6 a 2, no estádio da Curuzu. O resultado garante ao Papão o direito de representar o Pará na Copa SP de Juniores em 2011.

No primeiro tempo, o Paissandu marcou através de Pablo, de cabeça, aos 16 minutos, e Emerson aos 19. O Remo descontou com Alan Peterson, aos 26 minutos. No segundo tempo, o destaque foi o atacante Gleidson, do Paissandu, que marcou três gols: aos 7 minutos (pênalti), 11 minutos (de falta) e aos 19 minutos. Jonatan cobrando falta, diminuiu para o Remo aos 43 minutos. O meia Rodrigo fechou o placar para o Paissandu, aos 44 minutos, marcando o sexto gol.

O jogo teve três expulsões: Djalma (Paissandu), aos 17 minutos, e Betinho (Remo), aos 33 minutos. No segundo tempo, Alex Juan (Remo) foi excluído logo aos 6 minutos. (Com informações da Rádio Clube) 

Paissandu é favorito em Currais Novos

Mesmo como visitante, o Paissandu enfrenta o Potiguar de Currais Novos (RN) pela Copa do Brasil, na noite desta quarta-feira, na condição de favorito. Luiz Carlos Barbieri deve escalar o Papão com: Alexandre Fávaro; Parral, Vítor Hugo, Rogério e Brida; Tácio, Bruno Lança, Sandro e Zeziel; Moisés e Luciano Dias (Didi). A equipe do técnico Netinho Matias é a quinta colocada no campeonato potiguar e espera fazer um jogo equilibrado contra o bicampeão paraense. O time para esta noite terá como base a equipe que perdeu para o Baraúnas por 2 a 1, no fim de semana. A próvavel escalação do Potiguar deve ser: Jader; Tanzinho, Roquete e Leandro Carioca; Vânio, Leandro Oliveira, Tércio, Barata e Thiago Potyguar; Carlinhos e Quirino. (Com informações do Bola/AFI)

Re-Pa decide campeonato sub-17

A partir das 10h, Remo e Paissandu decidem o Campeonato Paraense categoria Sub-17 2009, sem torcida presente, no estádio da Curuzu. Por determinação do Ministério Público, baseado em laudos do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar, a Federação Paraense de Futebol foi impedida de vender ingressos por questões de segurança. Quem não gostou da medida foi o treinador do Remo, Alcindo Aguiar, o Tindô. “São jogadores da categoria de base e, assim, querem mostrar serviço. Por que o jogo não foi para o Mangueirão?”, questionou. (Com informações do Bola)

Coluna: A morte do camisa 10

O Brasil ganhou tudo que disputou sob o comando de Dunga e o sonho do hexa é perfeitamente possível. Os resultados, incontestáveis, garantiram a permanência do ex-capitão da Seleção no cargo, apesar da implacável oposição no começo das Eliminatórias sul-americanas. Caso a equipe mantenha a postura objetiva, vencendo quando precisa, mesmo sem dar espetáculo, o êxito está praticamente garantido na África do Sul.

Mas que ninguém se iluda: o Brasil de Dunga vai pregar muitos sustos, exigindo de Júlio César novos milagres e impondo altas doses de sofrimento ao torcedor. A rigor, somente Kaká, Robinho, Daniel Alves, Adriano e Nilmar podem ser avaliados como acima da linha do horizonte que separa os bons de bola dos medianos.       

A respaldar essa impressão registre-se outra vez o tom claramente vingativo que marca a trajetória de Dunga na Seleção, única justificativa para tanto menosprezo por jogadores de habilidade no meio-campo. Esse sentimento voltou a aflorar na penúltima convocação antes da Copa do Mundo, divulgada ontem. Ronaldinho Gaúcho, cotado para voltar ao escrete, foi descartado e é improvável que tenha nova chance.

Curiosamente, o técnico preferiu chamar Kléberson, campeão do mundo em 2002 (como o Gaúcho) e atualmente no Flamengo. Meia por formação, Kléberson joga como um volante adiantado, apoiando e fazendo transição, mas carece dos recursos técnicos de Ronaldinho e de bagagem para atuar na criação. Dunga lembrou, ainda, de Gilberto, que voltou da Alemanha para encerrar carreira no Cruzeiro como ala disfarçado de meia.

Resulta dessa combinação de volantes com falsos meias uma meia-cancha burocrática, essencialmente marcadora. Há, a rigor, apenas o talento de Kaká, que é mais um condutor de bola do que meia-armador dado a lançamentos. É provável que o Brasil de Dunga tenha na Copa sul-africana um quadrado de meio-campo ainda mais travado que o de 1994: Gilberto Silva, Felipe Melo, Ramires (Josué) e Kaká.

É um desalento constatar que, nas últimas Copas, o Brasil bom de bola, de Gerson-Didi-Zico-Ademir da Guia-Falcão-Sócrates, saudado em prosa e verso aos quatro ventos, não consiga arranjar pelo menos um camisa 10 típico, criador por excelência, para reger a orquestra. Dunga, que compreensivelmente adora escalar volantes, só faz confirmar essa tendência. E o pior é que existem bons meias (Diego, Alex, Ganso, Iarley…) por aí. Infelizmente, o setor mais decisivo do time exige a presença de craques. Sem eles tudo fica mais difícil e enfadonho.     

Vejo o Paissandu em vantagem para o jogo desta noite, em Currais Novos. Está bem mais animado depois do Re-Pa e pode ter a novidade de Didi no ataque, ao lado de Moisés. Só não pode cair na tentação da retranca. 

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta quarta-feira, 10)