Leão apresenta ônibus à torcida

1452321_545506218874496_1314530243_n

A diretoria do Remo apresentará neste sábado (30) o ônibus do Leão. A partir das 11h, na Toca do Leão no Baenão, haverá a apresentação formal do ônibus aos torcedores. O veículo transportará a delegação azulina para jogos, treinos e viagens intermunicipais. Para participar da festa, o torcedor terá que comprar uma cartela, no valor de R$ 50,00, que dá direito a uma feijoada e refrigerante. A arte acima (tirada do Facebook) é meramente ilustrativa, mas dá uma ideia de como é o Busão do Leão.

Papão contrata ex-gerente do Remo

A diretoria do Paissandu contratou Sérgio Papellin para a função de gerente de futebol do clube na temporada 2014. Papellin, que já trabalhou no Remo, era o supervisor do Luverdense, que conseguiu o acesso à Série B do próximo ano. Em entrevista à Rádio Clube, no começo da noite desta sexta-feira, Papellin já falou como novo gerente do Papão, informando que Sidney de Moraes é mesmo a primeira opção para técnico da equipe. Disse que já tratou com Roger Aguillera e Vandick Lima quanto a possíveis contratações.

Nilton Santos, o bom velhinho

Do Blog do Menon

niltonsantos-300x233Eu queria escrever sobre Nílton Santos. Mas é difícil para mim. Garoto caipira de Aguaí só fui conhecer o Maracanã quando Romário fez dois no Uruguai e nos classificou para a Copa. Não tenho, então, memória afetiva do maior lateral esquerdo da história do futebol. É o que dizem os craques do jornalismoe eu acompanho.

Tenho certa dificuldade em aceitar estórias que viram história. O jornalismo nos anos 50 era muito diferente do atual. E nem estou dizendo que era melhor, com certeza era mais gostoso de se ler. Então, não gosto de repetir que Nilton Santo desobedeceu Vicente Feola, ultrapassou o meio campo e fez um gol na Áustria em 1958. Feola não era nenhum tonto e, ao barrar Canhoteiro, o gênio do drible que jogava em seu time, o São Paulo e Pepe, o segundo artilheiro da históra do Santos para escalar Zagallo sabia o que estava sabendo. Estava montando um 4-3-3 e, para isso, contava com as subidas de Nilton Santos. Ou a gente vai acreditar que ele colocou Zagallo para ajudar Nílton Santos?

Poderia falar sobre a “andadinha” que deu no jogo contra a Espanha, enganando o árbitro apos um pênalti. Mas isso é menor diante de uma carreira tão maravilhosa.

Difícil escrever sobre quem você não viu jogar e ainda depois de tanta gente boa haver escrito. Ia desistir, ma recebi esse desenho feito pelo Fausto Bergocce e fiquei a pensar em algo que não tivesse sido dito. Foi então que Rubens Leme da Costa, meu anjo da guarda – um pouco obeso – me ligou. Rubens é jornalista – escrevemos juntos o livro “Os donos do Mundo”, sobre campeões mundiais de futebol – e largou a profissão para formar uma banda de punk-reggae no Maranhão. Casou-se com Naiacy, professora e ex-groupie da banda.

O Rubens me disse que uma vez havia entrevistado Nilton Santos, que o tratara muito bem. Então, se fez a luz. Me lembrei que em 1999 fui a Brasilia acompanhar o Corinthians em uma partida – era a estreia de Luisão – e que à noite, fui recebido na casa de Nilton Santos. Havia marcado a entrevista um dia antes.

Ele me pareceu um avôzinho simpático. Ficamos em uma sala e sua mulher trouxe café e bolachinhas. Ele falou muito sobre futebol. Me disse que a bola o havia feito um homem feliz. Falou sobre o papel de conselheiro de Garrincha. E só perdeu a linha quando falou que, depois do Maracanazo, foi convidado por Zizinho para participar de jogos amistosos contra o Uruguai. ”Nunca aceitei. Depois que eles ganharam da gente em nossa casa eu vou dar a mão para eles? Nada disso, amistoso com eles, não. Só queria jogo para valer e nunca perdi”.

Dizem que, aos 25 anos, em 1950, ele poderia ser titular na Copa. Mauro Ramos, capitão de 62,  também era reserva. Nilton Santos poderia ter parado Ghiggia? Não faço a mínima ideia. O Uruguai era um time muito bom, como o Brasil. Aquilo não foi zebra como gostamos de dizer.

Mas isso é teoria.

O importante é que escrevi sobre Nílton Santos.

Isso não tem a menor importância na vida dele.

Tem na minha.

Puta texto, tidizê…

E hoje tem marmelada?

O experiente zagueiro Álvaro, que vinha sendo titular absoluto do Bragantino e capitão da equipe, misteriosamente, foi sacado da equipe que enfrentará o Figueirense-SC, no próximo sábado, em Bragança Paulista. A partida não vale nada para o Bragantino, mas é decisiva para o Figueirense que, vencendo, garante vaga no Campeonato Brasileiro da Série A de 2014.

“Tenho condição total de jogar e quero jogar. É uma partida de muita visibilidade, inclusive vai ser televisionado pela TV Bandeirantes. Fiz 41 jogos como titular este ano e queria fazer mais uma. Sou o capitão do time. Mas o presidente (Marquinho Chedid), do nada, resolveu me dar férias e me tirar do jogo.”, informou Álvaro em entrevista exclusiva ao Portal Futebol Interior, demonstrando estar revoltado com a situação:

0002048134482_img“Eu não sou dono do Bragantino. O presidente criou uma situação e mandou tirar seis jogadores que são titulares absolutos. A gente não sabe o motivo disto tudo, mas podemos deduzir. Não tenho provas para afirmar os interesses em tirar estes jogadores, mas deduzir eu posso”, diz o revoltado Álvaro, deixando claro que o presidente do Bragantino está mandando tirar os jogadores titulares para enfraquecer a equipe e beneficiar o Figueirense. E acaba dando mais detalhes:

“Por enquanto o presidente mandou tirar quatro jogadores titulares absolutos: eu, Magno Cruz, Cezinha e Lincon, mas vão mandar tirar mais dois jogadores, inclusive o goleiro (Rafael Defendi)”, denuncia Álvaro, que até a última rodada, era titular absoluto e capitão do time do Bragantino. O fato teria acontecido na quinta-feira à tarde, antes mesmo do treinamento técnico-tático programado pela comissão técnica. Como profissional correto, Álvaro ainda tem esperança de jogar: “Eu quero estar neste jogo, porque é um jogo importante”, completou. (Da AFI) 

Dívida do Náutico pode paralisar Série A

Por Juca Kfouri

Em dívida com seus jogadores, o Náutico diz que não tem como pagar nesta sexta-feira o que deve. Depois de mentir em nota oficial ao dizer que não tinha a dívida que agora admite, a direção timbu está desmoralizada.

Pois que a CBF, que acaba de dizer que distribui sua riqueza em benefício do futebol brasileiro, trate de fazer um empréstimo de emergência ao clube pernambucano para não ver concretizada a paralisação do Brasileirão.

Sairá muito mais barato que os prejuízos que uma eventual greve causará.

Leia a nota do Bom Senso FC:

“Nesta quinta-feira o Bom Senso FC tomou conhecimento dos problemas que os atletas do Clube Náutico Capibaribe estão enfrentando, em relação a atrasos de salários. Os jogadores estão cobrando o justo e o que é devido pelo clube.

Sabendo da repercussão interna e das ameaças públicas sofridas pelos profissionais, o Bom Senso FC declara que caso exista alguma tentativa de retaliação aos atletas e o não pagamento da dívida, o Campeonato Brasileiro da Série A será paralisado IMEDIATAMENTE.

Aguardamos soluções urgentes.”

Papai Noel chegou mais cedo

Por Gerson Nogueira

O jogo foi horroroso, deu dor de dente em serrote e só foi salvo pelos lances finais que determinaram a vitória do Flamengo, mas a conquista da Copa do Brasil é um merecido prêmio à austeridade financeira, à coragem e ao pragmatismo de uma gestão.

Depois de assumir a gestão de um dos clubes mais endividados do Brasil, o presidente Eduardo Bandeira de Mello foi logo avisando que o ano de 2013 seria dedicado a apertar o cinto. Para surpresa geral, em poucos meses o futebol rubro-negro se encarregaria de garantir, por baixo, um lucro de mais de R$ 11 milhões, entre bilheteria e patrocínios agregados.

unnamed (21)Nada de contratações bombásticas ou parcerias que normalmente se transformam em barcas furadas. A diretoria só fez uma aposta de risco: a contratação do ex-técnico da Seleção Brasileira, Mano Menezes, em substituição a Jorginho. Para sorte do Flamengo, uma goleada (4 a 2) sofrida no Brasileiro para o mesmo Atlético-PR da final da Copa, provocou a saída de Mano.

Para substituir um treinador caro, em outros tempos o Flamengo traria outro mais caro ainda. Fiel aos princípios anunciados na campanha eleitoral, os dirigentes optaram por uma solução caseira. Sob o descrédito da torcida, o auxiliar Jaime assumiu e logo deu ao time um formato que Mano nem chegou a rascunhar. Acima de tudo, ele levantou o astral de um grupo massacrado por críticas.

Familiarizado com o ex-zagueiro do clube, o elenco entregou-se a um projeto de ressurreição no Brasileiro e tratou a Copa do Brasil como uma competição à parte, que premia quem tem mais disposição física e capacidade de decisão. Jaime deixou de lado reforços que não se consolidaram, como Moreno e Gabriel, e dedicou atenção ao núcleo mais jovem e comprometido.

Depois de atropelar Cruzeiro, Botafogo e Goiás, times bem posicionados na Série A, o Flamengo avançou resolutamente em direção à terceira conquista na Copa, tendo ao mesmo tempo afastado o risco de queda no Brasileiro. Sob as ordens de Jaime, até jogadores limitados, como Ernani e André Santos, brilharam. E outros, que andavam desmotivados, como Paulinho e Luiz Antonio, passaram a se destacar.

O próprio Elias, grande destaque individual da equipe, exibiu no torneio qualidades que ficaram ocultas na curtíssima era Mano. Uma receita simples, certeira e surpreendentemente milionária. Com vaga assegurada na Libertadores de 2014, o Flamengo pode desde já projetar receitas que estavam fora dos planos até o começo deste semestre.

É claro que o acaso teve lá sua influência, mas a política de austeridade e pés no chão foi decisiva para que o Natal chegasse mais cedo para os rubro-negros. Que sirva de exemplo.

———————————————————– 

Caminho para a Sul-Americana

Brasiliense, Cuiabá e Nacional surgem como os grandes adversários da dupla Re-Pa na disputa da Copa Verde, anunciada ontem pela CBF, com o mimo adicional de vaga garantida na Copa Sul-Americana de 2015. A tabela, também divulgada, confirma cruzamentos relativamente tranquilos para os representantes paraenses.

Princesa do Solimões e Náutico de Roraima não devem, em tese, criar maiores entraves para a caminhada dos rivais. Nem mesmo o Santos amapaense deve opor resistência ao Paragominas.

Competição de tiro curtíssimo, a Copa Verde só tem o inconveniente de acontecer simultaneamente aos campeonatos estaduais, dificultando um rendimento melhor por parte dos times. A duplicidade de eventos exige também elencos mais qualificados para encarar duas competições.

———————————————————- 

A mais nova peraltice da Macaca

Enquanto o Flamengo festeja uma taça improvável, o São Paulo chora pitangas pela perda de uma vaga líquida e certa. Com um dos elencos mais caros do país, o Tricolor de Rogério Ceni encarou na semifinal da Sul-Americana o adversário dos sonhos: a combalida Ponte Preta, candidata certa ao rebaixamento à Série B do Brasileiro.

Como o futebol tem caprichos que a própria razão desconhece, eis que a Macaca buscou as chamadas forças primitivas e conseguiu seguir em frente na competição, desbancando o poderoso São Paulo (4 a 2 no placar agregado). Com isso, pode estabelecer a situação curiosa de ser o primeiro campeão sul-americano de segunda divisão.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta sexta-feira, 29)