Só 4% desaprovam o governo Lula

Por Fernando Canzin

A nove meses de deixar o cargo e em campanha aberta para eleger a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) sua sucessora, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva atingiu no final de março a sua melhor avaliação desde que assumiu a Presidência, em janeiro de 2003: 76% da população consideram seu governo ótimo ou bom.
O recorde na avaliação positiva para um presidente no Brasil desde que o Datafolha iniciou esses levantamentos, em 1990, aparece como contraponto a um aumento para nove pontos na vantagem entre o candidato à Presidência da oposição, José Serra, e Dilma.
Esta foi a terceira pesquisa consecutiva, agora realizada entre 25 e 26 de março, em que o Datafolha registrou oscilação positiva nos índices de ótimo e bom concedidos pela população ao presidente Lula.
Ao longo dos últimos sete anos, os resultados positivos na avaliação do presidente vêm coincidindo, ano a ano, com a melhora nos indicadores econômicos e sociais do país. Mesmo entre os mais escolarizados e ricos, que no início do governo tinham grandes doses de prevenção contra o governo Lula, a popularidade do presidente avançou.
Só entre agosto de 2009 e agora, a avaliação positiva de Lula saltou nove pontos, de 67% para os 76% atuais.
Já nos últimos três anos, Lula aumentou em 26 pontos a sua popularidade. Hoje, apenas 20% consideram seu governo regular e 4%, ruim ou péssimo.
Tendo Dilma como candidata, Lula manteve a tendência de crescimento na popularidade entre as mulheres. Também pela terceira vez seguida, a aprovação a seu governo cresceu nesse segmento da população, passando de 71% para 75%.
Mas, de acordo com resultados da pesquisa Datafolha divulgados ontem, as intenções de voto em favor de Dilma para a eleição presidencial deste ano oscilaram negativamente um ponto no último mês. A ministra tem agora 27%. Já o candidato tucano, José Serra, voltou a abrir vantagem sobre a petista. A diferença em relação à candidata, que era de quatro pontos no mês passado, passou agora para nove pontos. Serra tem hoje 36% das intenções de voto.
Além de ter avançado no segmento feminino da população, a avaliação do presidente cresceu também entre as pessoas com mais de 60 anos. Subiu seis pontos, de 67% para 73%. Mas um dos maiores saltos na avaliação positiva de Lula captado pela pesquisa se deu entre as famílias que têm renda superior a dez salários mínimos (R$ 5.100,00). Foram 12 pontos percentuais de aumento, de 56% para 68%.

Na estreia de Giba, Cametá vence Remo

Um gol de Torrô nos instantes finais do primeiro tempo deu ao Cametá a vitória sobre o Remo, no estádio Baenão, na tarde deste domingo. Com forte marcação no meio-de-campo e jogadas de ataque com Joilson e Torrô, jogando bem abertos, deram ao visitante uma boa alternativa de contra-ataque no primeiro tempo. Do lado remista, a escalação de Vélber como responsável pela criação acabou não dando certo e o time ficou com um trio de volantes (Danilo, Fabrício e Otacílio), dependente de bolas lançadas para Landu e Marciano, muito marcados pela zaga cametaense.

O jogo começou com o Cametá pressionando, tentando marcar o Remo em seu próprio campo. Paulinho Pitbull e Torrô obrigaram Adriano a defesas difíceis antes dos 5 minutos. Aos poucos, o Remo foi se arrumando em campo, embora sem explorar o lado direito, onde Índio não se apresentava para ajudar o ataque. A primeira grande chance remista ocorreu aos 18 minutos. Vélber cruzou alto para a área e Marciano se antecipou à zaga, quase fazendo o gol.

Confirmando as dificuldades de marcação que o Remo enfrentava, Márcio Nunes e Fabrício Carvalho receberam cartão amarelo aos 20 e 21 minutos, respectivamente, por faltas duras na intermediária. Depois de duas boas jogadas de Marlon para Landu, o Remo parecia conformado com o empate no primeiro tempo. Foi quando em rápida investida pela direita Américo foi até ao lado da área azulina e cruzou rasteiro. Torrô, bem colocado, tocou para as redes.

Para o segundo tempo, Giba trocou Índio por Patrick e passou a utilizar o sistema de três zagueiros, com o volante Danilo recuando para compor a zaga com Pedro Paulo e Márcio Nunes. A mudança surtiu efeito nos primeiros minutos, pois Patrick passou a funcionar como um extrema e se aproximou de Vélber para jogadas pelo lado direito. Aos 8 minutos, iniciou jogada que culminou com cruzamento de Landu para Marciano dentro da área. O atacante girou e bateu para o gol. A bola resvalou em Souza e acertou o travessão.

Aos 15 minutos, Marciano invadiu a área e bateu à meia-altura para grande defesa de Evandro. No instante seguinte, o Cametá quase marcou o segundo. Torrô recebeu passe de Paulo de Tárcio e bateu rasteiro, mas Adriano defendeu com os pés. Giba faz duas mudanças: Gian no lugar de Otacílio e Héliton substituindo Landu. O Remo aumentava a intensidade dos ataques. Aos 20, Marciano disparou rasteiro, à queima-roupa, mas Evandro estava bem colocado e defendeu. Logo depois, Marlon perde um gol quase embaixo da trave. Em resposta, contragolpe do Cametá por pouco não resultou no segundo gol: Joilson tentou cruzar e a bola estourou no poste direito de Adriano, saindo pela linha de fundo.

Aos 34 minutos, Gian chuta rasteiro e marca, mas o árbitro anula o gol pois a bola havia saído na cobrança de escanteio. Em cruzamento de Marlon, Pedro Paulo cabeceia com perigo. O jogo é interrompido seguidamente pelas contusões do goleiro Evandro, que aproveita para ganhar tempo. O Remo, a essa altura, já buscava o gol na base do desespero, cruzando bolas sobre a área. Aos 43, Vélber recebe na entrada da área e chuta à esquerda do goleiro Evandro, quase empatando a partida. Em seguida, após falta dura, Vélber reclama e recebe cartão vermelho. O público no Baenão foi de 2.936 pagantes e 400 credenciados (total de 3.336), com renda de R$ 29.214,00. (Fotos 1, 2, 3, 5 e 7: MÁRIO QUADROS; fotos 4 e 6: TARSO SARRAF/Bola)

Ficha técnica: Independente x S. Raimundo

INDEPENDENTE x S. RAIMUNDO

Local – estádio Navegantão, em Tucuruí, às 16h.

Independente – Dione; Lima, Roberto, Silva e Iranílson; Euler, Diego Silva, Adelson e Marçal; Ró e Gian Carlo. Técnico: Samuel Cândido.

S. Raimundo – Labilá; Leandrinho, Filho, Alex e Ceará; Marcelo Pitbull, Beto, Maurício Oliveira (Tiago) e Michel; Ítalo e Branco. Técnico: Flávio Barros.

Árbitro – Delson Fernando Freitas; assistentes: Fernando de Brito Miranda e Luís Diego Nascimento Lopes.

Ficha técnica: Remo x Cametá

REMO x CAMETÁ

Local – estádio Baenão, às 16h

Remo – Adriano; Índio (Levy), Pedro Paulo, Márcio Nunes (Raul) e Marlon; Danilo (Didão), Otacílio (Fabrício), Gian e Vélber; Marciano e Héliton (Landu). Técnico: Giba.

Cametá – Evandro; Rodrigo, João Gomes e Flávio; Américo, Paulo de Tárcio, Paulinho Pitbull, Vítor Baiano (Tetê) e Souza; Jailton e Torrô. Técnico: Vítor Jaime.

Árbitro – Andrey da Silva e Silva; assistentes – José Ricardo Guimarães e Milton do Socorro Souza.

Ingressos – R$ 15,00 (arquibancada), R$ 20,00 (arquibancada coberta).

Na Rádio Clube – Ronaldo Porto narra, Carlos Castilho comenta. Reportagens: Paulo Caxiado.

Button vence na Austrália; Ferrari lidera mundial

O marasmo da abertura de temporada da F-1 esteve longe de aparecer na segunda corrida da categoria em 2010. Neste domingo, o inglês Jenson Button, da McLaren, venceu o GP da Austrália, em Melbourne, uma prova cheia de alternativas. Essa foi a primeira vitória do atual campeão mundial em sua nova equipe – era da Brawn, atual Mercedes, em 2009. O polonês Robert Kubica, da Renault, chegou em segundo, e o brasileiro Felipe Massa, da Ferrari, completou o pódio.

Alonso, que venceu a corrida do Bahrein, há duas semanas, chegou em quarto e lidera o campeonato, com 37 pontos. Massa, que tem 33, ocupa a segunda posição. A prova do Bahrein, a primeira da F-1 neste ano, gerou várias reclamações sobre a falta de alternativas e ultrapassagens. Neste domingo, o quadro foi completamente diferente, com mudanças climáticas, estratégias diversas e muita briga por posições. (Do Folhaonline)

Veja a classificação final do GP da Austrália:

1º – Jenson Button (ING/McLaren)
2º – Robert Kubica (POL/Renault)
3º – Felipe Massa (BRA/Ferrari)
4º – Fernando Alonso (ESP/Ferrari)
5º – Nico Rosberg (ALE/Mercedes)
6º – Lewis Hamilton (ING/McLaren)
7º – Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India)
8º – Rubens Barrichello (BRA/Williams)
9º – Mark Webber (AUS/Red Bull)
10º – Michael Schumacher (ALE/Mercedes)
11º – Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso)
12º – Pedro de la Rosa (ESP/Sauber)
13º – Heikki Kovalainen (FIN/Lotus)
14º – Karun Chandhok (IND/Hispania)