A tábua das penalidades no Parazinho

A velha discussão, sempre presente no blog, quanto ao papel das arbitragens e supostos benefícios em favor deste ou daquele time envolve sempre a marcação de penalidades máximas. No primeiro turno do campeonato e na primeira rodada do returno, os árbitros marcaram 15 pênaltis, assim discriminados:

Águia (1) – Gol de Soares, contra o Independente, na 6ª rodada.

Independente (3) – Euller, na 6ª rodada contra o Águia; Lima, na semifinal contra o Paissandu; e Lima, na 1ª rodada do returno contra o Paissandu.  

Cametá (2) – Dudu, na 1ª rodada do primeiro turno contra o Águia; e Torrô, na 7ª rodada, contra o Ananindeua.

Paissandu (6) – Sandro, na 1ª rodada do turno contra o Independente; Sandro, na 2ª rodada do turno contra o Santa Rosa; Sandro, na 5ª rodada do turno contra o Águia; Sandro, na 7ª rodada do turno contra o S. Raimundo; Fabrício, na final contra o Remo; e Bruno Rangel, na 1ª rodada do returno contra o Independente.

Remo (3) – Vélber, na 1ª rodada do turno contra o Ananindeua; Vélber, na semifinal contra o S. Raimundo; e Marciano, na primeira partida da decisão do turno contra o Paissandu.

Algumas curiosidades:

Ananindeua, S. Raimundo e Santa Rosa não foram contemplados com marcação de penais até agora.

Sandro (foto ao lado) é o artilheiro das penalidades – converteu quatro das seis marcadas para o Paissandu.

O Cametá não teve nenhum pênalti assinalado contra sua defesa; Independente, Paissandu e Águia, com 3 cada, foram as equipes que mais cometeram penalidades.

(Produção de Sérgio Wilson Japonês e Rodrigo Godinho de Sousa/Rádio Clube)

Os números do campeonato

Análise comparativa dos números dos primeiros turnos de 2009 e 2010 apontam alguns detalhes interessantes. Em termos de público pagante, 2010 ganha disparado: foram 176.683 pagantes contra 99.106 no ano passado – uma diferença de 77.577. A renda ampliou essa disparidade: R$ 2.929.296,00 contra R$ 1.350.173,00, saldo pró-2010 de R$ 1.579.123,00. Já no aspecto técnico, 2009 levou a melhor por ligeira diferença. Foram 112 gols contra 109 neste ano. No aspecto disciplinar, outra vitória de 2009, que teve 190 cartões amarelos e 11 vermelhos, contra 196 amarelos e 15 vermelhos nesta temporada.

A Federação Paraense de Futebol também não tem do que se queixar. Faturou no primeiro turno de 2010 R$ 292.929,00 (10% da renda bruta dos jogos). Em 2009, ganhou um pouco menos: R$ 135.017,30. Com o arrecadado nos jogos da Copa do Brasil em Belém, R$ 77.212,00 (5% da renda bruta), a FPF já acumulou R$ 370.138,00 em 2010. (Produção de Sérgio Wilson Japonês e Rodrigo Godinho de Sousa/Rádio Clube)  

Giba não define time para domingo

O técnico Giba comandou nesta sexta-feira seu primeiro treino, no Baenão, e a princípio não definiu o time que vai enfrentar o Cametá, domingo. Conversou longamente com o jovem Patrick (foto acima), que reapareceu contra o Ananindeua, participando ativamente da partida no segundo tempo. Landu e o volante Didão também treinaram, com boa movimentação. O atacante Samir, com lesão no ombro, está entregue ao departamento médico.

É provável que a torcida veja domingo um time inteiramente modificado contra o Cametá. Um palpite de escalação: Adriano; Levy, Pedro Paulo, Márcio Nunes e Marlon; Danilo (Didão), Otacílio, Gian e Vélber; Marciano e Landu (Patrick). (Foto: MÁRIO QUADROS/Bola)

Um adeus com elegância

Tomo a liberdade de transcrever, porque interessante e muito bem escrita, a coluna-carta de despedida do jornalista Flávio Gomes do diário Lance. Craque da cobertura automobilística, Gomes era uma das atrações do jornal. Como divórcios profissionais nem sempre são bem resolvidos, entendo que este ficou muito bem retratado no texto abaixo:

A gente se vê 

     Pelas minhas contas, foram 652 semanas em quase 13 anos pingando aqui, religiosamente às quintas-feiras, algumas palavras soltas sobre carros e corridas. Muita gente que começou a ler o LANCE! ainda garotinho, com 10, 12 anos de idade, é hoje adulto. Eu estou 13 anos mais velho, o que depois dos 30 não faz muita diferença.

     Neste tempo todo, vimos Villeneuve ser campeão, Hakkinen esboçar uma hegemonia, Schumacher conquistar o primeiro título, e depois o segundo, e o terceiro, e o quarto, o quinto, o sexto, o sétimo… Vimos Barrichello assinar com a Ferrari e ganhar seu primeiro GP, o surgimento de Massa, a ascensão de Alonso, o fenômeno Hamilton, a surpresa da Brawn.

     Vimos equipes nascerem e morrerem, como a Jaguar, a Stewart, a Jordan, a Arrows, a Benetton, a Prost, a Tyrrell, a Minardi, a Lola, a BAR, a Toyota, a Renault, a Red Bull, a Midland, a Spyker, a Toro Rosso, a Super Aguri, a Force India, a Hispania, a Virgin, a Lotus, a Mercedes…

     Sim, tudo isso aconteceu em 13 anos. Rodei o mundo várias vezes, escrevi um monte de bobagens, fiz centenas de previsões que não se confirmaram, dei palpites, entrevistei muita gente, relatei grandes corridas.

     Nesse tempo todo aconteceram três Copas, três Olimpíadas, o futebol brasileiro ameaçou se endireitar com os pontos corridos, o país ganhou algumas medalhas, Guga explodiu e implodiu, o Rio ganhou o Pan e os Jogos de 2016, o Brasil levou o direito de fazer o Mundial de 2014.

     Detesto despedidas. Sou meio carioca nessas coisas de dizer adeus. Prefiro um “a gente se vê”, mesmo sem saber se a gente vai se ver de novo. Assim, nestas que possivelmente são minhas últimas palavras aos milhares de leitores do LANCE!, é tudo que consigo dizer agora. A gente se vê.

     E um enorme e sincero obrigado aos leitores que me aturaram nesse tempo todo. No bad feelings, como dizem os gringos. No regrets. A vida, no fundo, é uma longa corrida. E a última volta ainda está longe.

Leonardo, o substituto de Dunga?

De acordo com o jornal “Corriere dello Sport”, o ano de 2010 pode ter sido o primeiro e último de Leonardo no comando do Milan. Com contrato até o fim de próxima temporada, o treinador poderia acertar uma rescisão consensual já em julho, de olho em dois cargos importantes para a Copa de 2014. Segundo o periódico, Leonardo poderia ser o técnico do Brasil após a saída de Dunga ou um dirigente na organização do próximo Mundial, que será realizado em terras brasileiras.

O jornal pontua que, embora o Milan esteja fazendo uma campanha melhor do que a esperada nesta temporada, Silvio Berlusconi, dono do clube, não estaria disposto a gastar dinheiro para realizar grandes contratações e isso desagradaria Leonardo. (Da ESPN)

Copa 2010: festival de peladas inaugura estádio

O Soccer City, principal estádio da Copa do Mundo, foi inaugurado nesta sexta-feira em Joanesburgo com um festival de peladas! O primeiro jogo no gramado que receberá a abertura e o encerramento do Mundial foi entre o Africa Legends, formado por ex-jogadores, e o Councillor, um time formado por vereadores. O Legends venceu por 9 a 3 e teve a honra de marcar o primeiro gol do estádio, com o ex-atacante Rio Michabela, de 49 anos. Ele recebeu cruzamento da direita e, da entrada da pequena área, acertou uma meia-bicicleta. Golaço.

Em seu primeiro evento, o Soccer City recebeu apenas cinco mil espectadores, abaixo da expectativa inicial dos organizadores que era de 30 mil. Os torcedores eram, em sua maioria, funcionários públicos e operários que participaram da construção do estádio. A arena foi aberta parcialmente apenas para testar o acesso ao público, a segurança e instalações como os banheiros. (Do GloboEsporte)

Não duvido que teremos, daqui a quatro anos, a mesma situação em praças brasileiras sem maior tradição futebolística. Quem pensou em Manaus, acertou.

Crise palmeirense abre chances para o Papão

Por Mauro Cezar Pereira

Palmeiras x Paissandu será um dos confrontos da próxima semana pela Copa do Brasil. A equipe paulista venceu em Belém, mas em meio aos resultados ruins que tem acumulado, inclusive em seu estádio, onde acontecerá a partida, uma derrota para o clube paraense é mais provável do que em outras condições.

Claro que os 2 a 1 no Mangueirão colocaram a equipe de Antonio Carlos em posição confortável, podendo até perder pela contagem mínima que ainda assim passará à próxima fase. Mas há o histórico de fiascos palmeirenses no Palestra Itália, e derrotas feias em 2010, como diante de São Caetano, Santo André e Ponte Preta.

E você, palmeirense, acredita que a zebra passeie pelo Parque Antártica na quarta-feira que vem? Pra você, qual o maior fiasco do Palmeiras em seus domínios? (Da ESPN)

Tribuna do torcedor – 8

Por Antonio Osvaldo Ponte Souza (odlavso@interconect.com.br)

Paredão de gesso! Mas esses azulinos são mesmo de morte! Se goela ganhasse campeonato, não tinha pra ninguém. Deveriam aprender humildade com o Papão, este sim, o glorioso. Dois Brasileiros, uma Copa dos Campeões, a Copa Norte, as vitórias internacionais históricas, incluindo a da Bombonera, contra o temível Boca Júnior, isso sem falar na liderança absoluta em títulos estaduais. Mas os tais azulinos trocam a humildade pela esquizofrenia, apesar do único título real que possuem seja o de eleitor. Agora inventaram essa história de Adriano “Paredão”. Ora, o cara é um dos mais vazados do campeonato, levou 11 gols em 3 jogos, tomou 4 do bíblico Moisés em 2 jogos, e ainda é paredão? Só se for paredão de gesso, igual aquele do Teatro da Paz, que arreia na primeira brisa.

Gaúcho está no álbum de figurinhas da Copa

Boa parte da torcida brasileira quer ver Ronaldinho na Copa do Mundo. Ao que tudo indica, Dunga não deve levá-lo, mas pelo menos no álbum de figurinhas o Gaúcho está escalado, para alegria dos colecionadores. A Panini, empresa responsável pelo álbum, vai fazer o lançamento oficial na próxima terça-feira, no Museu do Futebol, em São Paulo. A imagem do álbum da Copa 2010 vazou através do twitter da filha do desenhista Maurício de Souza, Marina de Souza, que o mostrou num jantar promocional da empresa.

Na seleção do álbum, estão Júlio Cesar, Lúcio, Juan, Luisão, Maicon, Daniel Alves, André Santos, Josué, Gilberto Silva, Felipe Melo, Elano, Kaká, Ronaldinho Gaúcho, Robinho, Nilmar, Luís Fabiano e Adriano. Destes, apenas André Santos e Ronaldinho não vêm sendo convocados. (Do Bola de Meia)