12 comentários em “Capa do DIÁRIO, edição de quarta-feira, 2

  1. GUIA DO FOLIÃO: Esse dispenso, mas recomendo aos amigos torcedores do Leãozinho. O Carnaval tem tudo haver com esses. São 4 dias de folia pra tudo terminar na quarta-feira, já dizia Zé Quete. Na verdade são 7, a maioria enforca a quinta e sexta-feira. Sem stress, vão para a folia.

  2. EM VEZ DE ENSINAR A PESCAR O GOVERNO BRASILEIRO OFERTA PEIXE DE GRAÇA TODOS OS DIAS PARA UMA MAIORIA QUE RECEBE DE FORMA ILEGAL ESSES VALORES ,MUITOS TEM CASA PROPRIA,CARROS ,EMPREGOS…E AQUELES QUE NÃO TEM NADA SE VANGLORIAM DE QUE PODEM FICAR EM CASA SEM FAZER NADA BEBENDO CACHAÇA QUE NO FIM DO MES HAVERÁ DINHEIRO NA CONTA,JÁ OUVI ESSES DIALOGOS VÁRIAS VEZES….QUERO VER DAQUI A UNS DEZ ANOS COMO FICARÁ A CONTA…

  3. E TOME cachaça!!!!!!!!!!!!!!!!!!! como disse o Vacarezza, com um aliado desse quem precisa de oposição.

  4. Os 0,4% do PIB brasileiro, que é o total destinado ao Bolsa Família é carreado de volta à economia. De que maneira? Muito simples. As famílias de baixa renda é inclinada ao consumo necessário para atender carências básicas, por exemplo: alimentos, roupas e material escolar.

    E por falar em eficiência e abrangência, Kirchner cria Bolsa Família para a Argentina. A presidente da Argentina, C. Kirchner, entendendo que o modelo brasileiro é um exemplo eficiente num processo de integração social maciço em tempo relâmpago e a custos um tanto quanto baixos, cria o BF para os argentinos. O valor será de 180 pesos ou R$ 90,00. A priori, 80% dos 180 pesos serão depositados mensalmente e os outros 20% serão depositados no ano seguinte, mediante a comprovação da freqüência, tanto escolar como de vacinação.

    Kirchner, não dá ibope para as falácias recorrentes sobre a patética hipótese de que o programa desencoraja para o trabalho. Só os levianos para quebrar o bom senso a que este contexto social exige.

    É isso mesmo, o Bolsa Família ultrapassa as fronteiras brasileira e pelo visto, ganhará o mundo.

    Daqui a 10 anos a conta ficará assim: O Planeta é adotante do Bolsa Família !

      1. Falconi As famílias de baixa renda é inclinada ao consumo necessário para atender carências básicas, por exemplo: alimentos, roupas e material escolar.
        Se realmente fosse para este fim amigo Falconi, mas a realidade é outra a maioria utiliza-se desta bolsa para comprar coisas superfulas, por exemplo: eletro-eletrônicos e alcool

    1. Falconi;
      Não sei por qual motivo, não leio, de parte dos críticos do Bolsa Família, nenhuma manifestação contrária à dinheirama DOADA aos banqueiros e às montadoras de Carro, aqueles no PROER bancado pelo FHC, os últimos bancado pelo próprio Lula quando da crise financeira a popular “marolinha”; por que será?!?!?!?

Deixe uma resposta para Silas Negrão Cancelar resposta