Isto é solidariedade

Os torcedores do Real Madri esqueceram a rivalidade com o Barcelona nesta quarta-feira. Pelo menos por 30 segundos, antes do confronto com o Lyon, os madridistas presentes ao Santiago Bernabéu prestaram uma homenagem ao francês Eric Abidal – o jogador do Barcelona está com um tumor no fígado. O lateral teve sua imagem mostrada no telão do estádio e foi muito aplaudido pelos torcedores do maior rival. Após a partida, vencida pelo Real Madri por 3 a 0, jogadores das duas equipes vestiram uma camiseta com a frase “Animo, Abidal”. O francês teve diagnosticado um tumor no fígado e será operado na quinta-feira. Desde que o Barcelona divulgou a notícia, jogadores de vários clubes têm divulgado mensagens de apoio ao lateral. (Com informações da ESPN)

Seria possível ver essas cenas civilizadas no futebol do Brasil – e no do Pará? Para refletirmos.

Paissandu pede anti-doping na primeira semifinal

O Paissandu vai pagar a taxa de R$ 3.040,00 do exame anti-doping para o primeiro jogo das semifinais contra o Cametá, no estádio Parque do Bacurau. Dirigentes do clube não admitem publicamente, mas comentam nas internas que o time de Fran Costa está correndo muito, daí a desconfiança e o pedido de anti-doping. Vale dizer que o Remo também chegou a cogitar o pedido, mas não havia mais tempo hábil para a solicitação.

Tuna faz parceria com time de futebol americano

Por Gerardo Von

Após reunião semanal de diretoria da Tuna, realizada na segunda-feira (14), ficou decidido que o clube fará uma parceria com o time de futebol americano conhecido como  Titans, que a partir de agora passará a ser chamado de Tuna Titans. O diretor de esportes amadores da Tuna, Charles Tuma, junto com os demais diretores presentes na reunião aprovaram a proposta de parceria apresentada pelo líder do time Titans, Maurício. O projeto é pioneiro em nosso Estado e, a princípio, o Tuna Titans treinará toda sexta-feira na academia Companhia Atlhética e no domingo, a partir das 16 horas, o treino será no campo social da Tuna. No domingo pela manhã, os integrantes do Tuna Titans darão aulas numa escolhinha que será criada na própria Tuna para difundir o esporte entre os sócios e outros interessados. O Tuna Titans terá em breve o seu próprio site de divulgação e o patrocínio da equipe será totalmente independente e sem gerar custos para o clube. Em breve, o Tuna Titans participará de torneios e campeonatos a nível nacional defendendo os nomes da Tuna e do Pará.

Para maiores detalhes sobre o Tuna Titans acompanhe no blog da ATAT http://atat-pa.blogspot.com ou entre em contato com mauricio_pereira7@hotmail.com

Coluna: Prejuízos de uma derrota

Além das óbvias dores de cabeça quanto ao futuro imediato, a perda do primeiro turno custará muito caro aos combalidos cofres do Remo. No bico do lápis, a fatura gira em torno de R$ 450 mil, incluídos nesse cálculo a premiação estabelecida no convênio com o governo do Estado e a partilha das rendas dos clássicos Re-Pa que decidiriam a Taça Cidade de Belém.
Muito além da zoação entre torcedores, o Remo vai conviver nas próximas três semanas com a necessidade premente de reformular sua estratégia para o restante do campeonato. O plano inicial de ganhar o turno, como passo decisivo para se aproximar da Série D (e voltar à Copa do Brasil), caiu por terra depois de 180 minutos de confronto com o modesto Cametá.
O saldo negativo de 7 bolas em dois jogos dá bem a dimensão dos equívocos de Paulo Comelli na montagem do time para as semifinais. Pior, na visão de credenciado dirigente, foi constatar que jogadores enjeitados pelo clube foram fundamentais na eliminação do Remo. Jailson, Leandrinho, Wilson, Romeu e até o próprio Leandro Cearense, que sequer teve oportunidade nas divisões mirins do clube.
Trata-se do quinto fracasso consecutivo na disputa de turnos, quase sempre vitimado por um emergente. Foi assim em 2009, quando o Remo foi suplantado pelo S. Raimundo de Valter Lima, com direito a uma surra inesquecível de 5 a 1 no Baenão. Em 2010, ficou pelo caminho atropelado pelo Águia. E o histórico é desanimador: início enganoso, como agora e no ano passado, resulta sempre em frustração ao término do torneio.
A diretoria bola novas mágicas para ajustar as contas, pois o esforço pela conquista do returno inclui a troca de peças do elenco por jogadores mais eficientes, badalados e caros. Sem descuidar de, em meio a isso, por via das dúvidas, torcer bastante pelo rival nas finais. Afinal, o Cametá é concorrente direto pela vaga à Série D.     
 
 
O propalado assédio do Paissandu a Leandro Cearense e Robinho remete àqueles tempos românticos de travessia e “guerra de nervos” às vésperas de grandes decisões no futebol paraense. Bastava um clube cobiçar atleta do oponente para que pipocassem logo as desconfianças quanto ao rendimento dele em campo. Como o Cametá é emergente, sem rivalidade histórica com o Paissandu, o assunto não provocou maiores turbulências.
 
 
Depois de persistir no erro durante várias temporadas, a CBF dá a mão à palmatória e programa clássicos estaduais na última rodada do Brasileiro-2011. É santo remédio contra bandalheiras recentes. A providência é eficaz, pois é praticamente impossível o Inter amolecer jogo para o arqui-rival Grêmio ou o Flamengo abrir para o Vasco, e vice-versa. 

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta quarta-feira, 16)