7 comentários em “Meus bons amigos, onde estão?

    1. Cássio e Sandra,
      De fato, são problemas mais ou menos parecidos e graves. Mas sempre resta a esperança, e é isso que nos move, afinal de contas. Não costumo fazer esse tipo de postagem, mas os dois em questão são velhos amigos, pessoas a quem admiro profissionalmente. Afonso, jornalista da melhor estirpe e professor, foi meu mestre. Com ele, graças à sua generosidade, aprendi em dois anos quase tudo que importava saber sobre o ofício. Raimundo foi mais um colega e parceiro, com quem tive a chance de trabalhar em duas oportunidades, sempre com imenso prazer e admiração.

  1. É meu caro Gerson, como dizia o poeta: ”É tão estranho, os bons morrem jovem…” e hoje é um dia especial, pois é o dia do amigo, e eu mesmo sem lhe conhecer pessoalmente (qq dia a gente se encontra) envio essas palavras do Einstein :
    ”Pode ser que um dia deixemos de nos falar…
    Mas, enquanto houver amizade, Faremos as pazes de novo.
    Pode ser que um dia o tempo passe…Mas, se a amizade permanecer, Um do outro há de se lembrar.
    Pode ser que um dia nos afastemos…Mas, se formos amigos de verdade, A amizade no reaproximará.
    Pode ser que um dia não mais existamos…Mas, se ainda sobrar amizade, Nasceremos de novo, um para o outro.
    Pode ser que um dia tudo acabe…Mas, com a amizade construiremos tudo novamente, Cada vez de forma diferente.
    Sendo único e inesquecível cada momento
    Que juntos viveremos e nos lembraremos pra sempre. Há duas formas para se viver a vida:
    Uma é acreditar que não existe milagre.
    A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre.
    Albert Einstein

    Sds Edmundo Neves,

    1. Caro Ed,
      Amigos modernos, ou virtuais, também são amigos. Ou não? O importante é o valor da amizade. Ou, como diria Herbert Vianna, às vezes o viajar é mais legal que a viagem.
      Quanto aos dois, Afonso e Raimundão, estão enfrentando galhardamente doenças terríveis. Resta-nos rezar (para os que rezam…) por eles

  2. Todo mundo se batendo com a tal gripe de porco, enquanto essa doença maligna chamada câncer vai nos destruindo paulatinamente…

Deixe uma resposta para Diogo Papão da Silva Cancelar resposta