Supervisão de apito

Vem provocando uma certa estranheza a presença do ex-árbitro Fifa Sérgio Carvalho como supervisor de futebol do Brasiliense, que disputa a Série B do Campeonato Brasileiro. Técnicos de times derrotados pelo Jacaré reclamam do comportamento da arbitragem em seus jogos. O “reforço” teria sido uma sacada do ex-senador Luís Estevão, patrono do clube. O ex-árbitro abandonou o apito no ano passado, depois de atuar em três jogos da Série B e em 21 da Série A. No Rio, o Fluminense chegou a adotar a mesma prática, tendo Valquir Pimentel e José Roberto Wright.

Dica de filme: Um Louco Apaixonado

louco-apaixonado01

Vi o filme, meio assim despretensiosamente, e acabei gostando muito. Às vezes, é mais interessante descobrir ao acaso pequenas pérolas que o cinema ainda é capaz de produzir. É o caso deste Um Louco Apaixonado (How to Lose Friends & Alienate People), comédia dirigia pelo inglês Robert B. Weide e que tem Simon Pegg como protagonista. No elenco, várias figuras de peso: Kirsten Dunst (Homem Aranha), Jeff Bridges e Megan Fox (Transformers). Claro que é sempre bom ver Megan Fox, mas o filme é muito mais que isso e vale, principalmente, pelo fino humor do personagem de Simon Pegg.

A história é simples: jornalista que vive criticando o mundinho das celebridades passa a trabalhar em uma revista de sucesso, que faz com que ele próprio se veja enredado no ambiente que tanto despreza. Sidney Young (Simon Pegg) trabalha em uma revista chamada Post Modern Reviews, cujo conteúdo principal é ridicularizar pessoas famosas. Um dia, após trabalho de grande repercussão, o editor Clayton Harding (Jeff Bridges) decide oferecer a Sidney emprego em uma grande revista de Nova York, a Sharps Magazine. Sidney aceita e, aos poucos, meio aos trancos e barrancos, torna-se também uma celebridade. Boas piadas, algumas frases lapidares (e cínicas) sobre jornalismo e interpretações interessantes garantem a diversão. Vale conferir – o filme está nas locadoras.

 Andei pesquisando e descobri que Um Louco Apaixonado se baseia na vida de Toby Young, que foi impedido de permanecer nos sets de filmagens. O motivo é que Young ficava interrompendo o diretor Robert B. Weide na produção de cenas, dando palpites e perturbando constantemente os atores. Simon Pegg foi convidado para interpretar o papel principal ainda no início do projeto, em 2004.

louco-apaixonado05

História de Pelé nas telas

Da Veja

A trajetória de Pelé será contada no cinema com os toques hollywoodianos que ela merece. Pelé assinou um contrato para que sua história seja produzida pela americana Imagine (responsável, entre outros filmes, por O Código da Vinci) e roteirizada por Greg Howard, que tem no currículo Ali e Ray, as cinebiografias de Muhammad Ali e Ray Charles. O estúdio ainda não foi definido.

Nunca entendi como o cinema ignorou até hoje a história do principal jogador de futebol de todos os tempos. Se fosse americano, já teríamos uns 50 filmes sobre sua vida. Canso de ver homenagens em película a figuras que não chegam aos pés da importância do Rei Pelé.

Paissandu faz o jogo do ano

O Paissandu disputa neste domingo, na Arena da Floresta, em Rio Branco (AC), o jogo mais importante de sua agenda neste ano. A explicação é simples: caso vença o Rio Branco, garante classificação à próxima fase da Série C e fica a dois jogos (do primeiro mata-mata) da Série B do Campeonato Brasileiro. É um passo gigantesco para um clube que, há apenas dois anos, estava praticamente falido. Em contrapartida, caso perca a partida, põe em risco sua caminhada no torneio. Recomenda-se, portanto, cautela e muita gana de vencer.

Vaticano critica gastança do Real

Da Reuters

Os valores exorbitantes gastos pelo Real Madrid na contratação de novos jogadores aumenta o risco de inflacionar os preços do mercado e pode levar os clubes de futebol à falência ou ao controle do crime organizado, disse neste sábado o Osservatore Romano, jornal oficial do Vaticano. O retorno de Florentino Pérez à presidência do clube madrilenho foi a mola propulsora de uma febre de gastos em contratações que até agora já somam 215 milhões de euros.

O clube espanhol usou este dinheiro para contratar o atacante português Cristiano Ronaldo, o meiocampista brasileiro Kaká, o centroavante francês Karim Benzema e o defensor Raúl Albiol. “É bom perguntar-se de os valores pagos pelo presidente do Real Madrid em um período de crise econômica e financeira são justificáveis a partir do ponto de vista estritamente econônico ou se são inexplicáveis, mesmo aos olhos da lei do mercado,” apontou o editorial escrito por Gaetano Vallini.

“Também é necessário ver se esses (valores) são compatíveis ou desestabilizadores para o futebol,” acrescentou. O editorial cita um relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico que adverte para o risco que o esporte tem de cair nas mãos do crime organizado. “O risco passa por dar vida a uma espiral de preços em alta em meio a uma situação global que pede maior sobriedade devido aos déficits nos balanços dos clubes, o gera uma possibilidade crescente de resultar em falência ou sob o comando do crime organizado, que usaria o futebol para lavar dinheiro ganho em atividades ilegais.”

Minha dúvida é: o que o Vaticano tem a ver com as coisas do futebol? Resposta óbvia: nada. Aliás, acho que a Igreja tem coisas (inclusive suas) mais importantes para se preocupar.

Webber e Barrichello na primeira fila

0919221

Em um treino final marcado pelas surpresas do clima, quem se deu bem foi Mark Webber, da Red Bull. O piloto australiano assegurou a pole position do GP de Nurburgring, na Alemanha, ao marcar 1min32s230 neste sábado. Rubens Barrichello, da Brawn, fem um bom treino e sai em segundo. Os outros dois brasileiros também foram bem, com Felipe Massa e sua Ferrari largando em oitavo e Nelsinho Piquet, ameaçado de ser demitido da Renault, saindo em 10º.  É a primeira vez em sete anos de Fórmula 1 que Webber consegue a posição de honra do grid. De quebra, ele ainda superou o jovem alemão e seu companheiro de equipe Sebastian Vettel, apontado como a maior promessa da categoria. Porém, para conquistar sua primeira vitória na temporada, Webber terá que superar todo o ímpeto de Rubens Barrichello. Na foto acima, Webber entre Barrichello e Jenson Button, líder do campeonato.