Cristiano estréia sem gols

09201212

O jogador mais caro da história do futebol fez nesta segunda-feira a primeira partida pelo clube que tumultuou com alto investimento a atual janela de transferências na Europa. Cristiano Ronaldo foi a atração da vitória por 1 a 0 sobre o Shamrock Rovers, em Dublin, amistoso que abriu a pré-temporada do Real Madrid. O português foi escalado pelo técnico Manuel Pellegrini para iniciar a partida. O francês Karim Benzema, outro badalado reforço, começou no banco de reservas e entrou no segundo tempo.

Apesar de ter ficado no banco, foi Benzema quem definiu o confronto. O francês fez o gol da vitória espanhola aos 43 do segundo tempo, quando Cristiano Ronaldo já não estava mais em campo – foi substituído por Negredo aos 11 minutos da etapa final.

Corinthians inicia desmanche

da20f6a2-d137-3366-a7ef-ca76ef165ac5

Por Paulo Calçade (ESPN)

André Santos e Cristian vão jogar no Fenerbahçe. Os dois clubes já anunciaram em suas páginas na internet. A janela de contratações finalmente se abriu para o Corinthians. Por uma porta entra um dinheiro que o clube não tem, por outra sai o talento, o jogador que resolve.

Cristian e André Santos não são craques, não são os “superstars” que anuncia o site do Fenerbahce, mas foram extremamente significativos nos títulos conquistados. Ainda é difícil prever que tipo de Corinthians o mercado do futebol deixará nas mãos de Mano Menezes.

O treinador já havia dado uma pista dias atrás:é possível consertar o time após o atual período de transferências. O grande problema está na próxima janela, após o Brasileiro. Desfalques, em janeiro, podem significar o fim do sonho da Libertadores no ano do centenário.

É o mercado.

Renato reassume no Flu

d0ed8c0a-0137-30b5-b467-27514b77a761
Um ano depois de levar o Fluminense à final da Copa Libertadores da América, Renato Gaúcho está de volta ao comando técnico da equipe. O treinador, que chega junto com Alexandre Mendes, será apresentado ao grupo de jogadores na tarde desta terça-feira, no CFZ. Logo após, Renato comandará o treinamento marcado para as 15h e em seguida concederá entrevista coletiva.

Alexandre Mendes, que foi auxiliar técnico de Renato Gaúcho na última passagem do treinador pelo Fluminense, em 2007 e 2008, volta ao clube desta vez para assumir a preparação física da equipe.

Renato, que entra em sua quinta passagem como treinador do Fluminense – ele desconsidera o breve período em que comandou a equipe interinamente no fim de 1996, quando ainda era jogador –, dirigiu o time na vitoriosa campanha da Copa do Brasil de 2007. No ano seguinte, levou o Fluminense à inédita final da Copa Libertadores. Ele fará sua reestreia na partida desta quinta, contra o Atlético-MG, no Mineirão.

Tribuna do torcedor

Por Fábio Cebolão

Vejo com bons olhos o inicio do trabalho do Sinomar à frente da comissão técnica do Remo, buscando jovens valores alguns já conhecidos e principalmente dando chance a outros que porventura não estavam sendo utilizados por técnicos anteriores. Caso não haja pressão e a cobrança indevida esse trabalho sendo mesclado com alguns jogadores expererientes tem tudo a dar certo e dar bons frutos ao Remo.

Foto famosa de Robert Capa seria fraude

MostraImagem

Do Comunique-se

“Se as suas fotografias não estão boas é porque você não está perto o suficiente”. Essa frase foi dita por Robert Capa, um dos fotojornalistas mais respeitados da história e fundador da famosa agência Magnum. Entretanto, segundo um jornal espanhol, Capa não seguiu sua cartilha e pode ter fraudado uma das imagens de maior repercussão da sua carreira. 

“A partir de 1936, a cobertura de Capa da Guerra Civil Espanhola apareceu com regularidade. Sua fotografia de um soldado sendo atingido fatalmente garantiu sua reputação internacional e se tornou um forte símbolo da guerra”, informa a biografia do fotógrafo no site da Magnum. 

É essa mesma imagem que o jornal El Periódico de Catalúnia afirma ter sido montada. Tirada em 05/09/1936, a fotografia mostra o miliciano Federico Borrell sendo atingido por um tiro em Cerro Muriano, na cidade de Córdoba. 

Porém, dados levantados pelo historiador Francisco Moreno mostram que, naquele dia, não houve combates e só existem registros de mortos na região a partir do final de setembro. Além disso, os conflitos na região foram urbanos, o que contrasta com a paisagem rural da imagem. 

De acordo com o jornal, até mesmo o local é uma fraude. Características da série de 40 imagens mostram que a foto em questão não pode ter sido tirada em Cerro Muriano. Além disso, um dos moradores mais antigos da região, Francisco Castro, que tinha nove anos em 1936, conta que não aconteceram trocas de tiros, apenas bombardeios aéreos. 

“Desde que vieram no fim de setembro, não houve um tiro por aqui, só alguns bombardeios de aviação. Os milicianos passeavam pelas ruas, comendo os melhores presuntos do povo”, contou Castro. 

“Capa pode ter chegado ao local sem encontrar ação real para fotografar (em Cerro Muriano só tinha refugiados), mas sim milicianos desocupados dispostos a posar”, afirmou o jornal.

Um goleador barato, no bom sentido

5297374_val_baiano_atacante_do_barueri_153_204

Val Baiano não é nenhum iniciante. Já rodou o Brasil. Perambulou pelo Nordeste, defendeu o Brasiliense e agora sentou praça no Grêmio Barueri, de Estevam Soares. Sempre fazendo o que sabe – gols. Nunca foi craque, nem mereceu maior badalação. Faz gols de todo jeito – de cabeça, de canela, de sem-pulo, raramente gol de placa.

É uma espécie de “punk da periferia”, um goleador barato, se é que me entendem. Eficiência é a sua marca. Domingo, contra o Náutico, fez os quatro gols do Barueri. Com simplicidade, sem afetação.

Vale aqui explicar como funcionam as coisas no Barueri, que segue à risca a receita criada pelo São Caetano. Empresários do interior paulista investem, trazem jogadores e depois recuperam o dinheiro com a venda para outros clubes. Não há torcida, nem pressão.

Só negócios.

Os salários, baixos para os padrões da Série A (e até da Segundona), são pagos rigorosamente em dia. Mas não existe extravagância. Val Baiano, que nem é o mais bem pago do elenco, fatura cerca de R$ 9 mil. O teto é R$ 11 mil.

Só para se ter uma ideia da política certeira do Barueri, tem jogador no Paissandu que ganha duas vezes mais que isso. No próprio Remo, fora de série, tem gente ganhando quase o mesmo salário de Val Baiano. Sem a mesma produção do artilheiro de aluguel, que lidera a tábua de goleadores do Brasileiro, com oito gols.

Pode não terminar como o goleador máximo, mas já deixou sua marca e está ajudando o Barueri a se destacar no Brasileiro (é o quinto colocado). Sem gastar muito, vivendo dentro de suas possibilidades.