Longe demais das capitais

Há três meses, quando ainda era ralo o interesse no assunto, escrevi sobre a candidatura de Belém a sub-sede da Copa de 2014. Enumerei os motivos pelos quais a Cidade das Mangueiras teria, na minha opinião, presença obrigatória entre as 12 escolhidas. Em primeiro lugar, Belém é uma das cinco capitais dotadas de um estádio moderno e que precisa de poucos ajustes para se tornar apto a abrigar jogos de Copa do Mundo. A avaliação é de consultorias internacionais especializadas, que apontam o Mangueirão como um dos melhores estádios brasileiros.
Um segundo item, também importante, favorecia Belém. A íntima vinculação de seus cidadãos com o futebol. Poucas são as cidades brasileiras com índices tão altos de presença de público em estádios. Talvez somente Salvador e Porto Alegre estejam à frente nesse quesito.
Outro aspecto fundamental: a acessibilidade. Ao contrário de Manaus e Rio Branco, as outras postulantes regionais, Belém tem a facilidade do acesso por via rodoviária, permitindo a chegada de torcedores de outras capitais.
Mencionei ainda a tradição em sediar grandes eventos, como o Fórum Social Mundial, jogos internacionais da Libertadores e das eliminatórias sul-americanas. Argumentei também com a mais óbvia das vantagens belemenses: a incrível secura do torcedor por futebol, fenômeno que só encontra paralelo em duas outras praças, Salvador e Porto Alegre.
Havia, por fim, o jogo político. Governado por uma petista e contando com o apoio declarado do presidente Lula, esperava-se que nos bastidores a Cidade das Mangueiras estivesse bem representada. Ledo engano.
Nada disso parece ter adiantado. A informação é extra-oficial, a Fifa só confirma as escolhas neste domingo, mas paira no ar uma sensação de tristeza, desânimo e impotência. Belém está às vésperas de receber o que provavelmente será a pior notícia desses últimos 50 anos.
Uma cidade singular, diferente das demais capitais. Maltratada por inúmeros gestores insanos, conserva-se linda e altaneira. Pelo desenho das ruas, pelo jeito único de sua gente, pela chuva, pelas mangas…
A derrota, cantada pelo colunista de O Globo, é tanto mais dolorosa porque acontece num setor que dominamos. Aqui futebol é religião. Nas esquinas, nos escritórios, nas feiras, nos bares. Remo ou Paissandu. Dá ou desce. Oito ou oitenta. Milhares de pessoas têm o hábito saudável de comparecer aos estádios. Ou melhor, de lotar estádios.
Por esse aspecto, nenhum outro lugar merecia tanto estar na Copa.
Infelizmente, essa fantástica vocação esportiva não teria sido capaz de sensibilizar o conselho de anciãos da Fifa, ciceroneados pelo todo-poderoso Ricardo Teixeira. Ao que parece, as escolhas precederam o ritual de visitação dos fiscais. Cartas marcadas, como se especulou ante a indisfarçada simpatia da CBF por Manaus.
 
 
Caso o Globo esteja realmente certo, Belém terá sido preterida por razões obscuras, que desafiam a lógica, a métrica, o bom senso e as próprias exigências da Fifa. Triunfa a cidade sem estádio pronto, sem torcida e sem futebol. Não é crível que embustes marqueteiros suplantem a realidade. Algo de mais forte – e inconfessável – certamente prevaleceu.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO deste domingo, 31/05)

7 comentários em “Longe demais das capitais

  1. Gerson, Bom Dia!

    Parece que você tinha (infelizmente) razão quando disse que estava com pé atras por conta de algumas palavras proferidas pelo Prefeito Dulciomar (tudo indica que ele estava blefando quando disse que tinha fortes razões para acreditar na subsede de Belém…) e pelo Presidente da Federação Coronel Antonio Nunes (que com certeza sabia desde sempre que Belem estava fora das 12 (deixou o barco da ilusão deslizar) e para ficar caladinho, na sua, foi o unico vencedor da peleja, ganhou do lobbista Ricardo Tixeira, como prêmio por sua lealdade canina: a Chefia da Delegação da Seleção Brasileira, no torneio, na Africa do Sul).

    Se confirmada o furo do Ancelmo – e acho que é isso mesmo, eis os enganadores:

    1) Lula, que enganou a todos os paraenses decentes e ludibriou a todos os politiqueiros locaos que, infelizmente, são representados por esses politicos espurios, desleais e covardes…

    2) Politicos devassos, do quilate de Ana Julia (do mesmo partido do rei, mas que não goza de nenhuma influência junto com seus asseclas do tipo: Paulo Rocha, e Zé Geraldo e Beto Fetagri e etc); de Jader Barbalho (e sua gigantesca quadrilha de pilantras…); de Mario Couto (e seus Flechas sem pontas e Zenaldos apagados…), de Jatene (que é amigo do futuro rei-presidente e que não fez lobby algum junto a Serra para que intercerdesse junto a CBF para que a Copa pudesse vir para Belém.

    Se confirmada o furo do Ancelmo – que é unha e carne com o Ricardo Teixeira – ESTE SERA O MAIOR FIASCO POLITICO-ESPORTIVO DE TODOS OS TEMPOS, PARECE, JA DECIDIDO!

    Acho que, pelo visto, a morenosa Belém: dançou!

    Sugestão:

    – Não votar na Candidata ou no Impostor do Lula da Silva – ele é nocivo ao Parà e nos enganou e nos engana, impiedosamente…
    – Não reeleger, no auge de sua fraqueza, a Sra Ana Julia, esta pérola sem valor e seus asseclas – todos mamantes desprestigiados….
    – Exigir (de forma legal) a renuncia do prefeito Dulciomar do posto de prefeito para o bem da nossa terra…
    – Propagandear e não votar (mesmo) no Governador Serra e nos seus omissos parceirinhos tucanos do Parà…
    – Por fim: Construir um novo Estado, de mãos limpas, e eleger homens sérios comprometidos com o resgate do tempo (que perdemos para o Amazonas) onde éramos “sem piedade” o maior estado da Amazônia!

    Concluo com misto de vazio e vergonha…

    Grande abraço, Gerson!

  2. Outra coisa:

    Vamos ter autoestima. Vamos radicalizar gzral!

    Sugiro Boicote total aos Produtos da COCA-COLA e da SONY!

    Assim, nos respeitarão de vez!

    Abçs!

  3. Isso mesmo Caio Márcio. Temos que valorizar nossa condição de paraoaras, temos que resistir. Temos que convocar as torcidas que frequentam os estádios do Pará a manifestarem sua indignação. Temos que boicotar GLOBO, COCA-COLA, SONY, e pedir, formalmente, que REMO, TUNA LUSO E PAYSANDU desfiliem-se da FEDERAÇÃO PARAENSE DE FUTEBOL, em forma de protesto. E, ainda, que DECLAREM a CBF e o “elemento nocivo” “RICAÇO TEIXEIRA” entidades/personalidades indesejáveis! Somos, antes de tudo, belenenses e paraenses. Se confirmar esses prognósticos, esqueçam BRASIL, SELEÇÃO e outros embustes que querem que engulamos guela abaixo! Chega!!!!

  4. Não havia uma só mente sã que acreditasse na vitória de Belém. Os discursos eram letra-morta para agradar os governantes. Os dois secretários fizeram uma ridícula campanha que se restringiu a Belém (onde não seria feita escolha nenhuma), ao invés de se estender à mídia européia. É compreensível. Nem estado nem prefeitura tem dinheiro para tal. Mas podiam ter evitado o engodo…

  5. Só quero reforçar uma coisa: Belém tem todas as vantagens muito bem colocadas pelo Gerson (parabéns!). Além de tudo isso, sempre foi a Porta de Entrada da Amazônia. Por que motivo a FIFA escolhe a dos fundos?
    Belém perdeu para o explicável: a imoralidade do Ricardo Teixeira que leva pra CBF dinheiro de Belém e não de Manaus. É indecente! Foram manipulações do imoral Ricardo Teixeira com raiva da governadora por sua participação na CPI do Futebol.

Deixe uma resposta para Daniel Malcher Cancelar resposta