Luxa e Peixe: planos ambiciosos

Por que Vanderlei Luxemburgo no Santos? Pela quarta vez na sua carreira? Há vários e significativos motivos. O primeiro e principal é financeiro. Sim, apesar de ser o treinador mais caro do Brasil, a idéia de Marcelo Teixeira é o lucro que ele pode trazer. O treinador jantou na semana passada com Teixeira. E declarou que tem um parceiro para trabalhar no Santos.

Um grupo investidor para colocar jogadores para valorizarem no clube. E deixar uma parcela do lucro na Vila Belmeiro. O modelo segue o padrão da Traffic. Com a diferença que o treinador recomendou a Teixeira um investimento maçiço nas categorias de base. Os garotos do Palmeiras ainda estão longe de receber toda a atenção que merecem, por isso o clube revela tão pouco.

Além disso, esse grupo financeiro estaria disposto a bancar parte do salário do manager. Sim, novamente, Luxemburgo será o manager santista. Como o presidente gosta. Entregará o futebol a Vanderlei e ele poderá fazer o que quiser. Desde afastar jogadores até pintar de cor de abóbora o Centro de Treinamento.

Vamos voltar aos lucros que Luxemburgo promete dar. Teixeira está preocupadíssimo com a desvalorização de Neymar. O técnico terá como missão incentivá-lo, deixá-lo como titular absoluto do time. O jogador já reclamou de como sofreu nas mãos de Mancini, com o entra e sai na equipe. Isso o deixou inseguro, marcado pela torcida. De acordo com o dirigente, Luxemburgo tem força para bancar Neymar mesmo jogando mal.

A ordem é valorizar o maior ‘diamante’ santista. Transformá-lo no melhor atacante do Brasil. Depois, dele, Ganso. O meia também terá todo o incentivo do treinador para desenvolver seu futebol. Quem o acompanha desde os juniores também o considera brilhante e mal aproveitado. Enfim, valorizar o elenco como um todo.

Para vender pela melhor oferta, sem constrangimentos. Luxemburgo é um dos únicos treinadores na face da Terra que Fábio Costa respeita. E domar Fábio Costa é mais do que meio caminho andado para pacificar o elenco. As brigas do goleiro formaram vários grupos no plantel. Os dois mais fortes são os jovens de um lado e os veteranos, os rodados do outro.

Luxemburgo tem carta mais do que branca para unir os dois lados. Passando até superbonder se precisar. Na primeira fase a ordem de Luxemburgo será utilizar a Vila Belmiro como um caldeirão. Para isso, ele contará com o apoio irrestrito da principal torcida uniformizada santista. A mesma que ele ajudou no carnaval. E que expulsou Emerson Leão do clube. As ovadas, as pipocas vão sumir como por encanto. O relacionamento de Vanderlei com a Torcida Jovem é ótimo. E ninguém esconde isso.

Depois de transformar a Vila em caldeirão com o objetivo de conquistar pelo menos uma vaga para a Libertadores, entrará a segunda parte do projeto. O Santos passará a utilizar mais a capital paulista. Para ter mais público, atrair mais visibilidade e patrocínios mais fortes. Luxemburgo tem o clube de Pelé nas mãos. Ele já deu ao Santos o Campeonato Brasileiro de 2004. Os paulistas de 2006 e 2007. E o Rio-São Paulo de 1997.

Agora está na hora de o clube recompensá-lo. Depois da amarga e doída demissão do Palmeiras. Ele terá a chance de fazer o que quiser. E provar ser de vez o manager dos sonhos de qualquer equipe. Está tudo nas suas mãos… (Do Blog de Cosme Rímoli)

5 comentários em “Luxa e Peixe: planos ambiciosos

    1. Verdade, Maciel. É bom, mas não faz milagre. Lembro do Sandro Silva e do Jecimauro, que enganaram aqui no Remo. Ele levou a dupla pro Palmeiras, mas a coisa não deu certo.

  1. Gerson, isso me fez lembrar quando o Leão colocou o Robinho no banco de reservas no Santos, porque queria que o mesmo trabalhasse apenas pelos lados do campo.Quando o Luxemburgo chegou, o fez ver que com a habilidade que tinha, ele tinha que ir atrás da bola e não se isolar pelos lados, esperando que a bola chegasse a seus pés, e o mesmo joga assim, até hoje. Se um dia aparecesse por aqui, daria um jeito no Velber e no Rogério Belém, com certeza.

  2. É, Cláudio, mas ainda acho que a melhor fase do Robinho foi pré-Luxemburgo, quando o Peixe foi campeão brasileiro, detonando o Corinthians na final e o moleque aplicou umas pedaladas em cima de Rogério, Vampeta & cia. Quanto aos daqui, talvez desse jeito no Velber, mas com o Rogério não há mais tempo – é um dos casos mais flagrantes de desperdício de talento de que se tem notícia.

Deixe uma resposta para Cláudio Santos- Técnico do Columbia de Val de Cans Cancelar resposta