A tribuna do torcedor

Fui ao Mangueirão ontem (domingo) e não gostei do que vi, o Paissandu na minha opinião ainda não é o time que a torcida espera e confia para subir. Os comandados do teimoso Edson Gaúcho (insistência com Alex Sandro no meio) não conseguiram em momento algum tomar conta do jogo, achei o time acreano bem mais perigoso e rápido nas ações de ataque. O time alvi-azul mostra mais uma vez não possuir um padrão tático, jogadores bons o time tem. Só precisam de alguém que entenda do negócio!

No primeiro tempo, o treinador viu a situação ficar preta após o gol do Rio Branco e mexeu no time, louvável atitude, porém mexeu errado, tirou Lê que não vinha comprometendo e deixou em campo Alex Sandro (o pior de todos em campo), que não conseguia acertar um passe, e para piorar colocou o afoito Torrô, que passou a maior parte do tempo perdido.  

Após o gol de empate de Zeziel esperava que tudo mudasse, me enganei e o ritmo do jogo não mudou devido à inoperância do meio campo que fez com que o Paissandu desperdiçasse alguns contra-ataques, Velber não jogou o sabe, apesar de alguns dribles bonitos e passes na medida. Além dos problemas no meio, os laterais Aldivan e Paulo de Tarcio (não sabe jogar de lateral) não produziram nada.

No segundo tempo, os 20 primeiros minutos foram de alternâncias entre ataques, com destaque para Zé Carlos que deixou sua marca duas vezes e ainda voltava pra ajudar na zaga, após aumentar a diferença o Paysandu cedeu muito espaço e quase o time do Acre empata, teve pelo menos umas três ou quatro chances de marcar, e ainda deu bola na trave, depois da expulsão do Ley o time tocou a bola esperando o tempo passar deixando o jogo chato e perigoso.

Gaúcho escala mal, mexe errado e quando trocou o homem certo (Alex) poderia ter ido pra cima porque estava com um a mais, mais preferiu colocar Rossini que não parou em pé e quase nada produziu, somente ajudou a povoar o meio campo.

Outra decepção foi o piauiense do apito: inverteu faltas, não marcou algumas, deixou o jogo correr com o carrinho da maca em campo, repórter da beira de campo até entrou para dar a bola pro Rafael. Enfim, foram muitas lambanças do árbitro do Piauí.

Para não ficar somente criticando, na zaga Luciano e Roni se desdobraram para tentar segurar o ataque acreano, na cabeça-da-área Mael carregou o piano nas costas e Zeziel tanto combate quanto ataca com eficiência. Além destes, Rafael mostra que está melhorando e praticou pelo menos umas três defesas milagrosas e Zé Carlos prova que não devia ter sido esquecido na final do paraense. É bem mais técnico e consciente que Zé, Balão e Reinaldo.

Espero que contra o Águia a postura seja outra, pois é um adversário perigoso e destemido. Se o Jucemar já estiver regularizado, acho que o “Sargentão” da Curuzu não deve pensar duas vezes. Meu time seria: Rafael, Jucemar, Roni, Luciano e Aldivan; Mael, Dadá (ou Paulo de Tárcio), Zeziel e Vélber; Balão (ou Zé Augusto) e Zé Carlos.  

Luciano Gomes

5 comentários em “A tribuna do torcedor

  1. Engraçado que quando o Zé Carlos foi sacado do time nas finais do Paraense e o Papão fez 6 a 1 no Pantera, selando a conquista do campeonato, ninguém veio defender o atacante e nem sequer se lembraram dele. Na verdade, Zé Carlos não voltou mesmo bem depois da contusão que sofreu e precisava trabalhar mais o condicionamento físico. A barração nas finais do Paraense serviram sim para incentivá-lo a brigar pela vaga e assim ele fez. Penso que nesse momento é importantíssimo valorizarmos cada vitória que o Papão conquistar, seja jogando bem ou mal. Não adianta querer ver espetáculo que isso não vai acontecer só por causa de nossos belos olhos. Torrô ajudou muito sim na vitória e Rossini também. Todos ficam dizendo que o Rio Branco foi melhor, que apertou e tudo mais, mas se fosse tudo isso mesmo tinha ganhado o jogo. O Luverdense teve várias chances de fazer gol no Águia, mas foi incompetente, já o azulão ganhou porque foi competente. Portanto, para ganhar é preciso competência, não adianta ficar só jogando bonitinho. Confio muito no trabalho desenvolvido pelo Gaúcho. Dizer que ele escala mal e mexe errado é uma injustiça. Sabemos que nem sempre as escalações darão certo, assim como as substituições. Mas ontem deu tudo certo, afinal, ganhamos. Precisamos melhorar? Claro que sim, e o Gaúcho e os jogadores sabe muito bem disso. Vamos confiar!

    1. Opa, amigo Diogo, uma correção importante. Aqui mesmo no blog, na coluna, no Bola na Torre e na Rádio Clube defendi a escalação de Zé Carlos, ressalvando apenas a possibilidade de alguma indisciplina, que poderia ter motivado a barração. É o melhor atacante que o Paissandu tem. E seria o artilheiro do Parazão se continuasse no time até o final do campeonato.

  2. Eu sei Gerson que vc foi o único que sempre defendeu o Zé Carlos. Como o “se” não entra em campo, fica difícil dizer que de fato o atacante seria o artilheiro do campeonato, ainda mais da forma lerda com que estava jogando as últimas partidas, fazendo até um suposto pênalti no último clássico re-Pa.

  3. Gerson,
    Discordo em relação ao Zé Carlos, ele é pior que o Reinaldo. Zé Carlos só joga bem contra times ruins, por isso foi artilheiro no paraense, no “pega pra capar” quem decide são os outros.
    Outra coisa é que fiquei impressionado que ninguém fala que o time do Rio Branco é horrível (nunca tinha visto um time assim, caindo e saindo com a bola), como o do Sampaio, com certeza o campeonato paraense é mais forte que esse nosso grupo na série C.

    Quanto ao time, acho que tá fazendo muita falta o Dadá, ele contagia o grupo correndo e tem saido jogando bem. Quando o Zeziel ficou de volante voltamos a ter uma pegada melhor.

    O Paulo de Tárcio compromete em qualquer posição, mas na lateral é pior ainda.

    Concordo em relação ao Alexsandro, mas ele pode ser interessante em alguns jogos, porém contra esses times tem que ser o Rossini, que jogou bem no tempo que esteve em campo. Realmente não sei qual foi o jogo que o torcedor do Post viu, o Rossini foi o único que acertou passes de longa distância com qualidade e dava continuidade nas jogadas. (vide o último gol)

    O Lê é injustiçado no time, ele dá a cadência no meio do Papão e deve ser trabalhado, pois é bom jogador. E na hora que ele saiu, a torcida vaiou o Treinador, inclusive com gritos de burro, pois quem nem deveria ter entrado era o Alexsandro.

    O Velber sem o Rossini ou o Balão não consegue jogar bem, ele não trabalha bem somente com o Zeziel, eles se confundem na posição em campo.

    Pra mim outra opção que deve ser trabalhada é o Moises.

    O nosso lateral direito é o Allax, pelo amor de Deus, o Jucemar é ruim, só sabe bater falta, e sem dúvida o grupo do ano passado era bem pior que este.

    Acho que o Gaúcho fez besteira, mas acho que faz tempo que não temos um técnico nesse nível, pelo menos não no paisandú. Portanto, acho que não há o que reclamar, até pq ele acerta mais que erra.

    Infelizmente jogamos mal, mas felizmente ganhamos.Nós temos é que nos preparar pra nossas 2 partidas do ano, que são as do mata-mata, e se jogarmos assim, não haverá chance.

    Que venha o Luverdense, o pior dos três times. Pelo amor de Deus, essa série C tá muito baixo nível, com exceção do Águia que tá de parabéns.

  4. Gerson e Luciano, na minha modesta opinião, a equipe do paysandu deveria ser treinada e ir para o jogo com:Rafael, Alex Sandro, Roni, Luciano e Aldivan; Mael, Dadá , Zeziel e Rossini. Vélber e Reinaldo.ok? Se o Velber não estiver bem, é só colocar o Balão.
    Cláudio Santos – Técnico do Columbia de Val de Cans.

Deixe uma resposta para Cláudio Santos-Técnico do Columbia de Val de Cans Cancelar resposta