Robgol anuncia retorno

Enquanto o técnico Edson Gaúcho diz não querer mais reforços, o Paissandu pode ganhar de volta um antigo ídolo. Róbson, o Robgol, voltou a anunciar a disposição de interromper a aposentadoria. Quer “prestar um serviço” ao clube que o tornou ídolo e cuja torcida o elegeu deputado estadual. Essa retribuição viria na forma de um contrato diferenciado, segundo o qual Robgol jogaria sem receber salário. Ele se diz em condições de ajudar o time de Edson Gaúcho e, desde já, se põe à disposição do técnico.

Robgol marcou 91 gols com a camisa do Paissandu. Defendeu o clube a partir de 2003, na Taça Libertadores, com algumas breves interrupções. Curiosamente, desde que veio para o Paissandu nunca mais voltou a brilhar em outros clubes. Seu último jogo oficial foi na Copa Centenário do ano passado, quando já demonstrava os efeitos da longa inatividade. Apesar do empenho, não exibiu o velho faro de gol e o excelente posicionamento na área, características marcantes de sua carreira profissional.

Ídolo dos bicolores, Robgol tem crédito junto à torcida e é até louvável que se disponha a contribuir. A dúvida é se sua vontade será forte o suficiente para se submeter às exigências que a vida de jogador profissional impõe.

Além disso, terá pela frente um outro desafio: mostrar em campo que sua disposição é mais do que mero lance de marketing eleitoral – afinal, 2010 é ano de eleição e renovação da Assembléia Legislativa.

Brasil em quinto no ranking

Saiu o novo ranking da Fifa e a Seleção Brasileira foi superada pela Itália. Ocupa agora a quinta colocação no ranking da Fifa, que teve a sua edição de junho divulgada nesta quarta-feira. Na nova lista, o time do técnico Dunga aparece com 1.288 pontos, sete a mais do que na classificação anterior. No entanto, a seleção italiana, atual campeã mundial, somou 21 pontos, chegou a 1.292 e assumiu o quarto lugar.

Pelo 12º mês consecutivo, a Espanha aparece na liderança do ranking. Os vencedores da última Eurocopa têm agora 1.761 pontos, contra 1.442 da Holanda, que ultrapassou a Alemanha e chegou ao segundo posto.

Fifa, CBF e S. Paulo em crise

Da Folha de SP:

A Copa de 2014 já experimenta sua primeira crise. São Paulo, ou mais precisamente o estádio do Morumbi, é alvo de uma disputa em público técnica, mas evidentemente política nos bastidores. O maior estádio privado do país, até então favorito a receber a abertura do Mundial, pode perdê-la e pode deixar até de ser sede.

Tecnicamente, o projeto de reforma do Morumbi apresentado pelo arquiteto Ruy Ohtake à Fifa não propõe intervenções profundas. Sendo assim, persistem problemas de visibilidade para o espectador (pontos cegos), mau posicionamento do setor de imprensa e dos camarotes, vagas escassas para o estacionamento, entre outros.

Isso não é novidade, mas a temperatura da discussão subiu nos últimos dias a ponto de o São Paulo, acuado, buscar amanhã uma parceria com o escritório de arquitetura americano Davis Brody Bond Aedas.

Em parceria com Ohtake, deve apresentar um novo projeto ao COL (Comitê Organizador Local) na segunda-feira.

Os problemas técnicos viraram munição para desencadear duas disputas políticas. Uma, mais ampla, que diz respeito à corrida de São Paulo, Belo Horizonte e Brasília para abrigar o jogo de abertura do Mundial e o Congresso da Fifa. Outra, doméstica, em que há pressão para que se construa uma nova arena na capital paulista.

“Eu acho engraçado não falarem de sede que nem terreno para construção de estádio tem e de sede cujo melhor time é da quarta divisão. A coisa é eminentemente política”, afirmou Adalberto Baptista, diretor de marketing do São Paulo, em referência aos projetos de outras cidades-sedes do Mundial.

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, fez críticas abertas ao projeto do Morumbi. Já a CBF ainda não se manifestou publicamente, mas os problemas do estádio podem servir para a entidade justificar uma eventual escolha de Belo Horizonte ou Brasília como sede da abertura, algo que só será anunciada no ano que vem.

São Paulo é a cidade, entre as 12 sedes anunciadas no último domingo, sobre a qual a CBF tem menor influência política. O governador José Serra mantém relações apenas cordiais com o presidente da entidade e do COL, Ricardo Teixeira.

Está ficando animado. E agora o Ricardo Peixeira comprou briga com gente grande. Vai sair faísca.

OEA revoga suspensão de Cuba

Revertendo um dos marcos da Guerra Fria no continente, os chanceleres que participam da 39ª Assembleia Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), realizado em Honduras, chegaram nesta quarta-feira a um acordo para revogar a suspensão de Cuba que começou há 47 anos, afirmou nesta terça-feira o ministro das Relações Exteriores do Equador, Fander Falconi.

“Já foi aprovada neste momento por todos os chanceleres, por consenso. Essa é uma notícia muito boa, reflete a mudança de época que se está vivendo na América Latina”, disse Falconi aos jornalistas. Segundo o equatoriano, chegou-se “a um consenso sobre um texto que não impõe condições [para Cuba retornar à OEA]”. (Do Folhaonline, mais detalhes no site do DIÁRIO)

Cheiro de manguaça

O Sportv e a ESPN estão exibindo imagens do treino coletivo da Seleção, direto de Teresópolis. Movimentação  sonolenta, sem qualquer entusiasmo ou grandes jogadas. Tudo na base do recebe-e-passa, com Dunga quieto, só olhando, sem interromper os jogadores.

Aí surge um visitante ilustre: Vampeta, que enganou no Corinthians e na própria Seleção de 1994, e ficou mais famoso pelo escorregão na rampa do Planalto diante de FHC. “Vim rever os amigos, matar as saudades, depois de oito anos sem visitar Teresópolis”, explica aos repórteres, todo pimpão.

De imediato, ficou aquele cheiro de manguaça no ar. Menos ruim para Dunga que o biriteiro Adriano está fora do escrete. Só terá mesmo que se preocupar com Robinho, outro notório parceiro de baladas do velho Vampeta.

Tribuna do torcedor

Em primeiro lugar quero comentar sobre a decepção de do povo do Pará, mais precisamente de Belém, por não termos sido escolhidos como sub-sede da Copa de 2014, no Brasil. Já fui a Manaus uma vez e percebi que naquela época ela já era uma cidade limpa e que estava em crescimento. Isso não quer dizer que seja perfeita. Mas você já parou para olhar que o Amazonas não tem destaque de problemas no jornais televisivos. Ontem mesmo no Jornal Nacional o Pará foi pauta de notícias ruins. Será que nossos governantes não percebem isso? É óbvio que escolheram algumas cidades para sediar jogos da Copa por conta do turismo, o que a meu ver é totalmente errado. Não vejo Manaus como a melhor opção para jogos de Copa na Amazônia.

Francisco Ireudo Júnior

Manchester terá patrocínio recorde

Do Folhaonline:

O Manchester United anunciou nesta quarta-feira que terá como patrocinador principal na sua camisa a partir da temporada 2010/11 a empresa de consultoria e seguros norte-americana Aon, com sede em Chicago. A Aon vai substituir outra seguradora dos Estados Unidos, a AIG que descartou renovar o seu contrato de patrocínio, que vence no próximo ano, por ter sido gravemente afetada pela crise econômica internacional. A empresa recebeu em setembro um empréstimo de US$ 85 bilhões do Fed, o banco central dos Estados Unidos, para escapar da concordata.

“O anúncio de hoje deixa clara a nossa posição como um dos maiores clubes do mundo do futebol”, disse o chefe-executivo do atual tricampeão inglês, David Gill. Os detalhes do acordo válido por quatro temporadas não foram divulgados, mas, segundo jornais ingleses, a Aon irá pagar 80 milhões de libras (cerca de de R$ 257,1 milhões) para estampar sua marca na camisa do Manchester.

Ecos da tragédia

Por Nelson de Sá, da Folha de SP:

“Como pode um avião moderno simplesmente cair do céu?“, pergunta o texto da manchete do “Washington Post” de hoje.

Sites de mídia já encontraram notícia de uma semana atrás, dia 27, do Momento 24, sobre a “ameaça de bomba num voo da Air France” que viajaria de Buenos Aires para Paris. A polícia argentina adiou uma hora e meia a partida, enquanto inspecionava o avião. Nada encontrou.

Resumo da opereta: é bom arranjarem logo uma boa explicação para a queda desse avião.