Má fé ou incompetência?

Vi ontem, pela TV, o mais futuroso árbitro paulista, José Henrique Carvalho, “operar” meu Botafogo no estádio dos Aflitos, diante do Náutico. Não por má fé, diga-se. Acredito mais em incompetência, o que é tão ruim quanto para o futebol. Primeiro, a dois metros do lance, fez que não viu uma cotovelada criminosa do volante Jones em Lúcio Flávio, que passou o resto da partida com a cabeça enfaixada. Jones não recebeu nem amarelo.

Depois, validou um gol irregular do Botafogo. Juninho chutou de fora da área e André Lima, impedido, deixou a bola passar entre suas pernas, confundindo o goleiro. Por conta desse erro,  sobre o qual o árbitro deve ter sido avisado nos vestiários, o Botafogo pagaria muito caro ao longo do segundo tempo.

Carvalho não deu falta clara sobre o lateral alvinegro e, em seguida, assinalou pênalti esquisito sobre atacante pernambucano. O Náutico empatou, foi à frente e virou o placar. As faltas eram sempre invertidas e Fael acabou expulso num lance patético: nem tocou no adversário e levou o segundo amarelo. Apesar de apenas com 10, o Botafogo teve forças e empatou o jogo em 2 a 2, com Reinaldo.

Antes, havia marcado dois gols anulados por um bandeirinha meio maluco. Não tive certeza se os gols foram válidos ou não. Só tenho certeza que foi um jogo terrivelmente mal arbitrado.

11 comentários em “Má fé ou incompetência?

  1. Essa vai para o Edmundo Neves, o comentarista de arbitragem do blog. O Zé Henrique já tinha aprontado das suas na quinta na Curuzú, e se ele é a menina dos olhos da Federação Paulista, vai ser dificil entrar na FIFA com esse nível de arbirtragem.

  2. A sentença “tem coisas que só acontecem ao Botafogo” é sempre executada pelos juizes de futebol. Time formado na classe média alta do Rio, nascido no mio universitário e adotado pela intelectualidade foi durante a fase anterior as leis que criaram as “fábricas de craques” o verdadeiro celeiro para as melhores seleções brasileiras e ao mais empolgantes títulos no Rio e no Brasil. Tornou-se, por isso, a bola-da-vez sempre que insiste em aprontar ante aos chamados times da massa.

  3. Tem que dia nada dah certo para o ser humano…de repente, ontem foi o dia em que o Jose Henrique de Carvalho juntamente com os assistentes, naum se entenderam muito bem…faz parte do futebol…se fosse contra Barueri, Santo Andre, e.t.c. naum iam nem reparar mas como foi o Botafogo, rs, aí neh fica facil dizer que ele ”operou”, qndo na verdade, cometeu lapsos, equivocos, como qualquer um de nós….hj, no Olimpico, Remo e Paissandu empataram em 1×1 no tempo normal, marcando Wellington para o Remo e Moises para o Paissandu..nos tiros livres da marca do penalti, Wallax, Admilton, e Tyson perderam para o clube bicolor, fazendo com que o Leão de Antonio Baena fosse o Campeao da Copa Metropolitana Sub 20 2009…..

  4. Meu Caro Gerson,não de hoje que o botafogo é prejudicado pela arbitagem mais ontém aconteceu a mesma coisa,no domingo passado contra o flamengo uma falta clara no Lucio Flavio originou no gol do Flamengo no final do jogo.Há quem reclamar! Chega de ser roubado nos olhos de todos! Fábio Cebolão

  5. Gérsom, meu amigo, já começou o choro? O São Paulo foi garfado duas vezes ontem no Beira-Rio e nem por isso… Rsrsrs.

  6. Faz parte neh Fabio ? ou alguem aí já esqueceu o empurrao do Mauricio no Leonardo em 89 ? rsrsrs, e Cassio vc estah certissimo….nao podemos transferir a responsabilidade das derrotas dos clubes para a arbitragem, se nao ….

    1. Verdade, caro Ed. Há o empurrão do Maurício, mas para esse vacilo do árbitro existem verdadeiras montanhas de arbitragens amigas ao longo das décadas. Só nos últimos três anos, dá para anotar uns 5 erros dignos de nota. Mas, como você bem lembra, é melhor não observar erros da arbitragem e concentrar tudo no jogo. O problema é que a arbitragem rege o jogo, meu caro. E, convenhamos, decide muita coisa no Brasil. Veja bem: o jogo do Náutico não era decisivo, não muda nada na Bolsa de Tóquio e foi pinto perto do que já vi neste Brasileiro envolvendo outros times. Há clube que coleciona um pênalti por jogo e nenhum jogador expulso de campo. Nem precisa ficar adivinhando de quem se trata, visto que é situação antiga que se repete sempre e ninguém liga mais. Vida que segue, como diria o velho João Saldanha.

Deixe uma resposta para blogdogersonnogueira Cancelar resposta