Benefício de um salário mínimo começa a ser pago a vítimas das enchentes em Marabá

Entre as várias iniciativas do governo do Estado para apoiar as famílias atingidas pelas cheias dos rios Tocantins e Itacaiúnas, que banham Marabá, no sudeste paraense, uma já começou a se concretizar na tarde desta segunda-feira (17): o pagamento de um salário mínimo, R$ 1.212,00, previsto pelo Programa “Recomeçar”, oferecido em caráter emergencial pelo Governo do Pará. Os saques são feitos exclusivamente em agências do Banco do Estado do Pará (Banpará), por famílias em situação de vulnerabilidade, que precisam do apoio financeiro para reconstruir os imóveis atingidos pelas cheias.

Ainda nesta segunda-feira, as equipes da Defesa Civil do Estado fizeram triagem nos abrigos e encaminharam famílias para o cadastramento na sala do gabinete de crise, no Centro Regional de Governo do Sudeste, das 8 às 17 h. A subida dos níveis dos rios Tocantins e Itacaiúnas no município já atingiu 2.836 famílias, sendo 640 desabrigadas, 1.384 desalojadas, 401 ribeirinhos atingidos e 411 ilhadas.

Os técnicos da Defesa Civil do Estado também foram ao abrigo São Félix, no distrito de São Félix, para levar as 35 famílias à agência bancária para recebimento do recurso.

Decreto – O Programa “Recomeçar” concede em situações emergenciais auxílio financeiro, em parcela única, a famílias em situação de vulnerabilidade social. De acordo com o decreto assinado pelo governador Helder Barbalho, e publicado no Diário Oficial do Estado (DOE), o programa vai atender vítimas de calamidade pública ocorrida no primeiro semestre de 2022, e em situação de emergência ocasionada pelas fortes chuvas, deslizamentos, inundações, enxurradas e alagamentos. O objetivo do governo é oferecer às famílias um valor que possa ser utilizado na reconstrução dos imóveis danificados pelas águas.

Para ter acesso ao benefício, a família deve ter renda mensal de até três salários mínimos e residir em imóvel atingido diretamente pelas fortes chuvas, de forma grave.

“O governador Helder Barbalho determinou que toda estrutura do Estado seja colocada à disposição da população de Marabá. Estamos concentrando todos os órgãos de governo na Secretaria Regional para articular as ações. Nós estamos trabalhando no sentido de minimizar o sofrimento dessas pessoas. Hoje, cerca de 2.500 famílias já foram atingidas, e o rio continua a subir. Mas o governo vai dar toda a assistência para essas famílias”, afirmou o secretário Regional de Governo do Sul e Sudeste do Pará, João Chamon Neto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s