Circuito Rango de Feira divulga vencedores do concurso nesta sexta-feira, 14

Imagem

O aniversário de 406 anos de Belém é dia 12 de janeiro e será nesta semana que a cidade vai conhecer os melhores rangos de seis das suas maiores feiras. O Circuito Rango de Feira anuncia na sexta-feira (14), os pratos vencedores do concurso gastronômico, em mais uma etapa do projeto, que conta com o patrocínio do Instituto Cultural Vale e da Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Economia (Secon), e apoio do Governo do Estado, por meio das Secretarias de Estado de Cultura (Secult) e de Turismo (Setur).

Os feirantes receberam capacitação, elaboraram receitas especiais e disponibilizaram para avaliação do público, que vai decidir, juntamente com um júri especializado, composto por chefes de cozinha, cozinheiros e digital influencers, os melhores rangos, considerando elementos como organização, assiduidade higiênica, sabor textura, aroma, entre outros. A somatória das notas vai determinar os três melhores pratos de cada feira participante: Icoaraci, Benguí, Pedreira, 25 de Setembro, Cremação e Ver-o-Peso.

As receitas que compõem o concurso estão disponíveis tanto de forma presencial, nos boxes de cada feirante, como podem ser pedidas pelos clientes por meio de delivery. Os pratos, seus respectivos criadores e os contatos para entrega estão sendo divulgados nos perfis dos jurados e nos do Circuito, no Instagram e Facebook. Por meio desses perfis, o público também pode dar a sua nota para os pratos, deixando comentários na foto. Cada nota será somada às notas dos jurados que vão percorrer as feiras de segunda (10) a quinta-feira (13), degustando as receitas.

Imagem

Na sexta-feira (14), os vencedores serão anunciados nas redes sociais dos jurados Leona (@leonaoficial), João Takahashi (@eguataka), Trisha Guimarães (@acasacomoelae), Keila Gentil (@tremekeila), Marcos Médici (@mediciland), o embaixador do projeto, chef Léo Modesto (@leomodestoz5), o júri técnico Ângela Sicília (@angelasicilia) e Nazaré Reis (@asnegonasoficial) e as do Circuito: @rangodefeirabelem e @rangodefeiracardapio (Instagram) e rango.de.feira.belem (Facebook).

A feirante Rosiane Silva, há 28 anos trabalhadora do Ver-o-Peso, diz que o Circuito Rango de Feira a fez sentir mais valorizada como cozinheira. “Eu realmente amo a gastronomia, trabalho com todo o meu amor. E essa é uma oportunidade excelente de mostrar a nossa comida, a variedade dos nossos ingredientes e o nosso talento. Participar de um concurso como esse realmente aquece o coração da gente”, diz. “Independentemente do resultado, quero que a nossa feira seja cada vez mais visitada e que as pessoas venham provar a comida de feira, que tem muita qualidade”, ressalta.

A frase do dia

“Sinais da Terceira Onda que muito disseram nunca existiria. Quando alertei que o padrão pós-segunda onda era idêntico ao americano e que haveria um interlúdio seguido da ter eira onda disseram q Brasil havia derrotado a pandemia. To vendo! Vacinem-se Protejam-se! Usem máscaras!”.

Miguel Nicolelis, cientista

Andrew Jennings: o repórter que derrotou Havelange, Blatter, Teixeira e outros corruptos do futebol

CONVERSA PÚBLICA com Andrew Jennings, inimigo número 1 da FIFA - Agência  Pública

Por Jamil Chade

Morreu no dia 8 de janeiro o jornalista britânico Andrew Jennings. Seu trabalho pioneiro sobre a estrutura do poder no futebol e no COI revelou as entranhas da corrupção e foi um marco na denúncia sobre o funcionamento das organizações que comandam o esporte. Em suas redes sociais, a causa da morte não foi detalhada, apenas indicando que ele sofreu de uma “doença repentina e breve”.

Jennings, ao longo de sua vida, investigou o envolvimento britânico no Irã, a máfia na Chechênia e outros temas polêmicos. Nascido em 1942, o repórter começou a chamar a atenção no final dos anos 60, ainda no Sunday Times. Em 1986, já na BBC, a rede de televisão se recusou a difundir um documentário realizado por ele sobre as entranhas da Scotland Yard. O material acabou se transformando em um livro, com um impacto grande.

No esporte, Jennings abriu as portas a um jornalismo que não se conformava em apenas entreter milhões de torcedores. Sua contribuição no caso brasileiro também foi significativa. Foi com base em uma de suas investigações que o esquema de corrupção montado por João Havelange na Fifa passou a ser alvo de atenção internacional. Parte de seu trabalho também foi direcionado à gestão de Ricardo Teixeira, ex-presidente da CBF, além de nomes como Sepp Blatter, Nicolás Leoz e outros cartolas.

No caso brasileiro, antes da Copa de 2014, Jennings fez um apelo: “chegou a hora de o governo dizer para a Fifa: vocês fedem”. Já na CPI do Futebol, em 2015, ele alertou que “a Fifa e a CBF são entidades podres e que precisam urgentemente de um novo estatuto para que elas não tomem mais o dinheiro das pessoas”, afirmou Jennings.

Em 1992, seu livro “The Lords of the Rings: Power, Money and Drugs in the Modern Olympics” sacudiu a família olímpica, gerou a queda de cartolas, abriu uma crise e obrigou o COI a realizar uma reforma profunda. Considerado por muitos como um divisor de águas na imprensa esportiva, Jennings inspirou uma geração inteira de jornalistas.

No dia em que a Fifa foi alvo de uma operação policial, em 27 de maio de 2015, consegui falar logo pela manhã com ele, que estava em sua fazendo no norte da Inglaterra. Sua reação foi simples: “finalmente”.

Thanks, Andy, and rest in power.