Revista Time chama Neymar de novo Pelé

960_1c13bac2-ffcd-3d7f-a0ae-9f95608716ac
300_978636f7-1b28-37fb-8c11-371507e5e364A pós ser expulso na última rodada do Campeonato Paulista e receber duras críticas de Pelé, Neymar ganhou um respaldo nesta semana ao ver o seu rosto estampar a edição latina da revista Time, uma das mais conceituadas no planeta, com o título “The Next Pelé” (‘O próximo Pelé’).
A publicação faz um perfil do santista, tanto fora quanto dentro de campo, e o compara com a boa fase da economia brasileira, que nos anos que seguem deve fazer girar os Jogos Olímpicos e a Copa do Mundo. O faturamento dos quase R$ 4 milhões mensais pelo camisa 11 também foi lembrado.
Depois de receber o cartão vermelho no jogo contra a Ponte Preta, no último final de semana, Neymar foi ‘punido’ no jornal ‘O Estado de S.Paulo’ pelo Rei do Futebol, que vê o atacante muito preocupado com a mídia e pouco com o time. De acordo com a lenda do Peixe, o atleta de 20 anos precisa deixar a vaidade de lado.
Ribeiro detona o Rei
O empresário de Neymar, Wagner Ribeiro, classificou como “uma brincadeira de mau gosto” as críticas feitas por Pelé ao atleta do Santos. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o Rei do Futebol havia criticado o excesso de vaidade do atacante. O agente pediu que Pelé cuidasse de sua própria vida e relembrou as polêmicas pessoais do maior jogador de todos os tempos.

“Ele foi muito infeliz. Ele está querendo desvalorizar o patrimônio nacional. Acho que ele não deveria falar isso. Ele sabe que o Neymar é um ídolo brasileiro, precisamos dele na Copa, agora na Copa das Confederações. Ele fica fazendo essas brincadeiras de mau gosto”, disparou Ribeiro.
“Também acho que ele deveria parar de cuidar da vida pessoal dos outros. Vamos falar de futebol. Ele tem muitos problemas, uma vida muito mal resolvida, uma filha não reconhecida, dois netos que trabalham comigo que sentem falta do avô, são carentes e ele nem liga para os netos”, completou Wagner, fazendo referência a Gabriel, 12 anos, e Octávio, 14, que passaram pelo São Paulo na última temporada.
Preso numa reunião de negócios, Wagner Ribeiro não teve a oportunidade de conversar ainda com Neymar, mas aproveitou para destacar que o seu cliente joga contra adversários que impõem mais dificuldades do que aqueles enfrentados por Pelé no passado. (Da ESPN)

27 comentários em “Revista Time chama Neymar de novo Pelé

  1. O Pelé tem nome e conhecimento para falar o que falou, aliás, muitos que nem sequer passaram perto de uma bola falam como donos da razão “marionetados” por VT, então, ele pode!

    E o Wagner Ribeiro, claro, vislumbrando uma supervalorização econômica em uma transferência e consequente retorno inflacionado, ficou P da vida, afinal, uma das marcas mais conhecidas no mundo (Pelé) quando expõe opinião, supervaloriza ou deprecia(no sentido contábil da palavra).

    RRamos

  2. Pra mim tá todo mundo equivocado: o Neimar, o Pelé, a Time e o Wagner Ribeiro. O Neimar porque não deveria estar ganhando tanto dinheiro assim (rsrsrs). O Pelé porque não deveria deixar aflorar demasiada e publicamente seu sentimento paternal pelo Neimar e a sua preocupação com as necessidades do Santos (kkk). A Time porque não percebe que o Neimar já está muito à frente do Pelé (hi hi hi). E o WR porque não deveria estar preocupado com a depreciação de seu produto pelo Pelé, pois como todos passaram a saber depois que o Romário explicou, o Pelé calado é um poeta (harárá). Ah, eu também estou errado, porque ao invés de estar escrevendo estas besteiras aqui, deveria era estar cuidando de despachar esta montanha que especialmente hoje se acumulou aqui na minha mesa.

    1. Amigo Oliveira, o mais errado dessa parada é o tal Wagner Ribeiro, metendo-se a desrespeitar o Rei no afã de defender seu repre$entado. Deveria ter, no mínimo, educação.

  3. Pelé foi o primeiro a romper esta rede de proteção feita ao falso craque Neymar. O apoio que vemos ao atleta na mídia é pago, bancado por onze patrocinadores, que blindaram seu protegido das críticas, senão vejamos:

    – Quando Neymar joga mal na seleção, a mídia diz que “o time não joga para ele”.
    -Quando joga mal no Santos, que joga para ele, todos culpam o Montillo.
    -Quando é expulso, responsabiliza-se o agressor, que o teria provocado.
    -Se perde pênalti, é porque está cansado da maratona de jogos.

    Enfim, sempre tem uma desculpa furada. Ele nunca tem culpa de nada, toda a responsabilidade é transferida para os outros. Criaram um jogador mimado, que não pode ser tocado, porque inventaram que “o craque deve ser protegido”. O rapaz virou um tremendo cai-cai, habituado a atirar-se em campo para cavar faltas e que se esconde nas partidas internacionais, onde sabe que não terá o beneplácito dos árbitros.

    Talvez porque o estoque de desculpas já esteja começando a acabar, junto com o futebol do “craque”, inventaram agora que ele deve sair do país “o mais rápido possível”, para que seu futebol possa evoluir. E quando ele voltar da Europa (não aguenta nem seis meses), a desculpa já estará também na ponta da língua. Dirão que foi boicotado pelos preconceituosos europeus.

  4. Neymar já está aí há quantas temporadas? Umas quatro ou cinco no mínimo, já tendo sido até exigida sua convocação pra Copa de 2010, lembram? Já teve a chance de capitanear seleção olímpica e principal e de brilhar em uma final de interclubes da FIFA. Trocando em miúdos, já passou de revelação-promessa e é tratado como estrela, mas nunca se afirmou como craque protagonista além de campeonatos brasileiros e paulistas.
    Abre o olho Felipão.

  5. Neymar hoje é um dos 10 melhores jogadores do mundo.

    É claro que ainda não chega aos pés do bocudo Pelé, mas não tem gente que comete a brutalidade de dizer que o Messi já é melhor que o Maradona ( ah! Coitado! ) então está perdoáda a revista.

    * Hoje ví no Ge/Nacional os gols do Jobson pelo São Caetano na derrota de 4×2 pro São Paulo.

    Torço muito por este rapaz que foi mais um dos marginalizados pelo Osvaldo Oliveira e sua turma lá no fogão.

    1. O Jobson jogou muito bem ontem, Edson. Fez um gol e participou do lance do outro. Movimentação excelente, parece que vai engrenar desta vez. Tomara.

  6. perfeito comentário do seu Antonio oliveira onde ele diz que todos são equivocados por essas bizarras comparações. E mais equivocados ainda são os que insistem como loucos nessas comparações porque guardadas as devidas proporções de tempo, espaço, estrutura, visibilidade financeira e e social que o futebol não tinha tanto no tempo do Rei Pelé, comparar Neymar que ainda não ganhou absolutamente nada, na seleção canarinho ainda não disse o que foi fazer, no Santos ganhou uma Libertadores às duras penas e foi humilhado pelo Messi no Mundial então comparar esse senhor da mídia com Rei Pelé chega a ser bizarro e até loucura de alguns.

  7. O Pelé como santista que é deveria se preservar, as vezes fala muito mesmo.

    Será que não sabe o fone dele?

    Se faz isso publicamente, é porque parece que quer se aparecer. Por isso que o bocudo do Romário disse que ele é um poeta.

    Deus deu pra gente uma boca pra falar e dois ouvidos pra ouvir, mas de nada adiantaria isso se ele não desse juízo pra articular nossas ações sobre todas as coisas.

  8. Quando Galvão Bueno e sua equipe da Globo começam muito a elogiar algum jogador de futebol eu começo a desconfiar.
    Espero para ver e depois – raramente me engano – vejo que há muito mais coisas por trás de tanta rasgação de seda que apenas futebol.

    É só conferir. Há 23 anos que eles não merecem crédito.

  9. Chego a pensar que essa implicância, essa má vontade, esse ranço, que as pessoas têm (e a mídia tem parte nisso) contra Pelé, quase sempre desqualificando suas opiniões, tem a ver com algum preconceito racial enrustido, mal enrustido.

    Será que, no íntimo, até hoje tem gente ressentida com o fato de um negro ter chegado, pelo seu talento, ao posto que chegou o menino Édison Arantes do Nascimento, talento este reconhecido pelo mundo inteiro? Será que se fosse um Zico ou mesmo um Messi (futuramente) dariam o mesmo tratamento? Acho que se fosse um Zico ou Messi, seria muito mais respeitado e aplaudido.

    O que tem a ver a vida pessoal de Pelé com isso? Ter a vida mal resolvida lhe tira o direito de opinar sobre um jovem – que está se perdendo – jogador do seu querido Santos, a quem dedicou quase 20 anos de sua vida?

    O que não fariam se Maradona tivesse feito, ao menos, a metade das obras do nosso Pelé? Seria endeusado eternamente, com certeza.

    No caso, basta Pelé, com razão, falar mal desse rapaz, que chamam logo um tal Wagner Ribeiro, que muito pouca gente conhece, para dar um ar de polêmica.

    Acho que as pessoas mais isentas poderiam prestar mais atenção nisso, caro Gerson.

  10. Só que o Neymar tem de melhor ao Rei, é a mulherada que o mesmo pega, só as gatas.

    Agora futebol cumprade, ta longe, mais muito longe.

  11. Então agora eu vou deixar de criticar um jogador, treinador, diretor do clube pelo qual torço; ainda mais se eu tivesse 1% da notoriedade de um Edson Arantes?

    O Zico não vai poder mais falar mal de algum jogador do Flamengo e assim por diante, que vão logo chamar um empresário para responder desqualificando o Zico, atacando-o em algum ponto fraco de sua vida.

    Nem o Gerson Nogueira vai poder criticar, só vai poder elogiar, que logo vão ficar melindrados.

    Pára com isso!

  12. Capitão Antonio Valetin, não seria nada falarem dessa maneira da vida do Rei, se ele não fosse tão bocudo, sendo assim como o senhor colocou, o quê então que o Pelé quer falando da vida pessoal do garoto, do cabelo, da performance dele na mídia e coisa e tal…O Sr. tá entendendo, capitão? Quem fala o quer, ouve o que não quer…

  13. Concordo com você amigo Valentim. Pelé tem todo o direito, como torcedor, ícone do Santos Futebol Clube e maior legenda do futebol brasileiro e do esporte em nível mundial, de dar uma “enquadrada” em Neymar, pois quem diz a verdade não merce castigo não é mesmo? Quanto a um possível preconceito com Pelé, sua suposição é extremamente válida, até por que ao contrário do que se crê, há muito preconceito no país.

    Amigo Édson, pra mim Neymar não está nem entre os 20 maiores jogadores da atualidade. Há, creio, pelo menos uns 30 jogadores que atuam do meio campo pra frente jogando um futebol em um nível acima daquilo que o moicano da Vila tem apresentado, que não necessariamente nesta ordem são para mim:

    1. Lionel Messi
    2. Cristiano Ronaldo
    3. Xavi
    4. Iniesta
    5. Van Persie
    6. Edinson Cavani
    7. Mesut Özil
    8. Bastian Schweinsteiger
    9. Andrea Pirlo
    10. Falcão Garcia
    11. Ibrahimovic (que segundo minha ótica é um caneleiro com grife, mas é mais decisivo que Neymar)
    12. Angel Di Maria
    13. Theo Walcott
    14. Wayne Rooney
    15. Thomas Muller
    16. Hernanes
    17. Lucas
    18. Oscar
    19. Zé Roberto
    20. Luis Suarez
    21. Seedorf
    22. Kum Aguero
    23. David Silva
    24. Carlos Tevez
    25. Xabi Alonso
    26. Pedro Rodriguez
    27. Didier Drogba
    28. Frank Lampard
    29. Gerrard
    30. Mario Balotelli

    Neymar, como se vê, não está nem entre os 30 melhores do mundo, seja por qualidade técnica ou por capacidade de decisão em partidas importantes. Logo, aquela patuscada global quando da decisão do mundial de 2011 em que tentou-se insistentemente enfatizar que o confronto entre Santos e Barcelona também oporia os 2 melhores jogadores do mundo só fez ludibriar aqueles que não acompanham o futebol internacional. E o placar final e o desempenho dos dois jogadores principais das duas equipes foi categórico em atestar o equívoco. Não é de se estranhar que a principal emissora do país venda um produto que por sua vez também é patrocinado por grupos que bancam sua principal atração esportiva: o futebol.

    Neymar pode vir a ser um jogador fenomenal, mas pelo tamanho de sua exposição, jamais vista neste país em se tratando de uma personalidade do esporte (Pelé, Ronaldo, Romário, Zico e Senna nunca foram tão badalados nestes níveis), também pode vir a ser o maior fracasso de nossa história futebolística. Será Neymar um gênio ou um “flop”, como se diz em Portugal sobre aqueles jogadores que foram sem nunca terem sido craques? Só o tempo dirá…

  14. Valentim, é claro que o Pelé tem todo o direito de criticar o Neimar, seja no que diz respeito à produção como atleta, seja no que pertine à vida particular do cara, seja no que alude aos supostos reflexos negativos que a vida particular possam ter no desempenho profissional do atleta, mesmo que isso acabe por causar alguma depreciação no produto Neimar. E esse direito vem tanto da democracia que vigora no país, quanto da autoridade que o Pelé ostenta, seja em decorrência de merecidamente ser o Rei do Futebol, seja em função de ser também um muito bem sucedido gerenciador da marca Pelé. Enfim, a crítica é autorizada seja em função do Pelé, seja em função do Edson.

    Agora, o que não se pode, nem se deve perder de vista, é que qualquer outra pessoa também tem direito de criticar a crítica do Pelé, e especular sobre os motivos que movem o Pelé a veiculá-la pela grande mídia. E, com maioria de razão, o administrador do produto depreciado. Enfim, desde que não se inviabilize o Pelé de se manifestar e se arque com as conseqüências d’algum excesso ao criticá-lo, a democracia garante todas as críticas, isto é, tanto as críticas do Pelé, quanto as críticas contra as crítica do Pelé.

    Eu, por exemplo, não raras vezes, concordo com o Romário. E, no caso concreto, estou de pleno acordo com o bicolor Edson do Amaral, se o objetivo era só ajudar o Neimar o Pelé poderia tê-lo criticado e orientado reservadamente. Como o fez publicamente é porque tem interesse na polêmica e na notoriedade natural que esta acarreta. Esta é a opinião crítica a qual a democracia me dá o direito de fazer.

  15. Vale lembrar que o tal Wagner Ribeiro é persona non grata no Corinthians por vender ao clube um gato (o tal Lulinha, à época vendido como craque e fora de série pelo “empresário”) como se fosse lebre. É o “mágico” boçal desancou Pelé sem sequer ter chutado uma bola na vida. Se eu fosse o Rei processaria o camarada por “desacata à autoridade” (hehehehe). E caso Neymar não vingue, acionaria novamente o indivíduo por “dano ao consumidor”(rsrsrs).

  16. Amigo Gerson, como opinei em “4”, acho que o WR errou. Só tenho cá minhas dúvidas quanto à mensuração da culpa que você faz. Sabe, às vezes, me ocorre que é o próprio Pelé que não se respeita, expondo a si próprio e ao Edson (como ele gosta de separar), este que, como você mesmo disse, nos bons tempos também “estraçalhava” e por isso é suscetível. Afinal, como alguém também já disse hoje aqui, quem diz dos outros publicamente o que quer, acaba ouvindo publicamente sobre si o que não quer.

  17. Acho interessante o Sr. Valentim falar em preconceito racial a respeito do Pelé.

    É só ver quantas mulheres ele já teve ou se envolveu e conferir quantas são negras.

  18. O preconceito, caros amigos do blog do GN, é uma realidade no Brasil, e não é privilégio só de brancos.

    Mas, pensando melhor sobre o que escrevi antes, creio que há propriamente mais um, digamos assim, complexo de vira-latas, que mesmo o racismo (e este também existe, no caso).

    Vamos supor que Pelé fosse argentino, italiano, norte-americando, inglês, francês etc…

    Seria considerado um semi-deus, haveria estátuas e nome de rua em tudo que é cidade, estaria diariamente na mídia (e não em situações polêmicas, mas sim como homenageado), continuaria dizendo algumas bobabens (quem, de vez em quando não as diz ou faz) e ainda assim todos desculpariam…

    Não surge um Pelé, mesmo no Brasil, há cada 10 anos, assim como não surge um Santos-Dumont a cada século, ou até mesmo um Chico Buarque em cada esquina. Pensemos nisso.

    É preciso dar mais valor às nossas coisas ou personalidades. Pensemos nisso!

  19. Penso que Neymar ainda está longe do Rei do Futebol. Primeiro, o Neymar foi bombardeado com o “oba-oba” típico de quem se destaca. Isso acaba subindo à cabeça de quem não possui estrutura para separar as coisas. É nítido que o cara se deixou influenciar com o extra-campo.

    Só joga quando o time adversário é frouxo na marcação. quando é marcado some do jogo não conseguindo nem mesmo figurar como coadjuvante.

    Penso que ele deveria mesmo ir logo para Europa, pois investiriam no seu porte físico e aprimorariam sua técnica fazendo com que suplantasse seus defeitos.

    Ele é ruim?? longe disso, é bom jogador, mas poderia ser melhor se colocasse a cabeça no lugar e tivesse mais preparo – que nenhum time Brasileiro consegue dar ao atleta.

Deixe uma resposta