Essa seleção é o Jonas Brother do futebol

Por André Barcinski

Para quem não viu: a CBF trouxe um boi de piranha – a China – para ser goleado e aliviar a pressão em cima do técnico Mano Menezes, que faz um trabalho esquizofrênico no comando do time. Na verdade, seriam dois bois de piranha, mas a seleção brasileira é tão ruim que fez jogo duro até com a África do Sul. A China, me perdoem os orientais, é uma piada. Acho que foi a pior seleção profissional que já vi jogar. Sem exagero, esse time chinês perderia da seleção brasileira feminina.

O time de Mano ganhou de 8 a 0 e saiu de campo com aquela pompa de “dever cumprido”. Jogadores só falavam da “ótima atuação” contra “um adversário de respeito”. Na coletiva, Mano teve a pachorra de dizer as palavras “China” e “forte” na mesma frase. E o pior é perceber que não houve UM jornalista para questioná-lo. As perguntas variaram do patriotismo mais rasteiro (“O time parecia muito unido ao cantar o hino…”) ao puxa-saquismo mais embaraçoso (“O Brasil não deixou a China jogar…”).

Para piorar, técnico e jogadores exaltavam a torcida nordestina e creditavam ao “grande apoio” dela a atuação do time. “Grande apoio”? Onde? O estádio do Arruda recebeu 29.658 pessoas. Ano passado, quando estava na 4ª divisão do Brasileiro, a média de público do Santa Cruz era de 36.916 pessoas. A torcida nordestina foi tratada como claque de programa de auditório. Pelas declarações exultantes dos jogadores e de Mano, parecia que a única coisa que se esperava do torcedor nordestino era apoio cego e incondicional, por pior que jogasse o time.

É muito triste perceber que o escrete canarinho virou um joguete de relações públicas na mão da CBF. Triste notar que Mano, com a cara de pau que estamos acostumados a ver em políticos, escala o são-paulino Lucas de titular num jogo no Morumbi e o nordestino Hulk para um jogo em Recife. Mais que um teatrinho, a seleção parece uma “boy band”, tipo Jonas Brothers.

Temos um produto – o time – de qualidade sofrível, mas que é vendido como a última bolacha do pacote. Os “atores” – os jogadores – são jovens, bonitinhos e facilmente manipuláveis, prontos a bater continência para qualquer coisa que o empresário – a CBF – disser.

Nos “shows”, todos têm seu script: o time ganha de um adversário ridículo, a claque bate palmas, e os jornalistas, ou melhor, assessores de imprensa, tratam de levantar a bola do time. Nossos Jonas brothers têm até coreografia. É só ver a dancinha de Lucas e Neymar após um dos gols de ontem.

Para completar, chega o intervalo do jogo e qual o primeiro comercial que pinta na TV? O super-herói Neymar, chutando a caspa para longe com chutes de videogame.

Chega logo, Maracanazo!

Na mosca…

22 comentários em “Essa seleção é o Jonas Brother do futebol

  1. Sorte do Mano que a Argentina vem sem Messi,Higuain,Di Maria entre outros portenhos selecionáveis que atuam no velho continente.Sem o Messi o negócio já estaria complicado,imagina com ele em campo?

  2. EXCELETE, Gerson ! Nem teria tempo, agora, para comentar. Assisti um pedaço do 2o tempo e fiquei notando que os caras da TV Globo evitar ao máximo criticar o Mano. Só o Casagrande é que esboça alguma crítica, mas leve, para o que pede a situação. E mais: notei que os câmeras-man só podem ter sido orientados a evitar mostrar os vários clarões nas arquibancadas, de vazios que tavam de torcedores.

    Lembrei-me que na entrevista do ricardo teixeira a uma revista (acho que foi naquela Piauí !) ele disse que o Brasil NÃO ganharia a Copa. E já venho crendo nisto, pois essa permanência do Mano é o quê ?!

    Que Maracanazo, nada, vai ficar pelo meio do caminho, em Fortaleza ou Brasília, numa semifinal no máximo.

  3. Concordo com o Edílson Costa do Post anterior,nunca pensei em torcer para a Argentina,mas se o Brasil quiser sonhar com algo melhor visando à Copa ,com certeza,não será sob o comando de Mano Menezes,apesar de a safra de jogadores não ser tão boa,porém poderiam reder muito mais técnica e taticamente,sem dúvida… A Seleção e a CBF são uma bagunça…

    1. Mas o post, como já expliquei há pouco, é de autoria do grande André Barcinski, amigo Cláudio. Inicialmente, saiu postado com meu nome, de maneira equivocada. Já fiz a devida retificação.

  4. Este título do artigo de Cosme Rimoli resume a patuscada que foi este jogo da seleção:
    Publicado em 11/09/2012 às 10h59
    “Quase meio Arruda vazio. A China, já eliminada da Copa de 2014, sem sete titulares. E como as vaias dos paulistas inspiraram o abraço na hora do hino. Pequenas histórias de Brasil e China aqui em Recife…”

  5. O texto é da Folha de Sao Paulo, camarada Gerson…e o Andre Barcinski está corretissimo nas palavras…

    1. Engano seu, amigo Edmundo. O texto é mesmo do Barcinski, que tem um blog na Folha. O crédito é sempre do autor. Rss… Na verdade, amigo Edmundo, engano meu, pois na pressa digitei meu próprio nome, como faço quando escrevo minhas colunas. Mil perdões pela apropriação indébita, embora involuntária. O crédito é do autor e este, de maneira brilhante mais uma vez, é Barcinski. De vez em quando, compartilho com os baluartes alguns desses inscritos inspirados dele sobre música, cinema e futebol.

  6. Perfeito Gerson,
    Agora vendo, esses jogos ridiculos arranjados, esses “craques ” atuarem dentro de campo e essa midia excessiva deles fora de campo, chego a ficar temeroso que esse grupo de jogadores ou parte desse grupo de jogadores ( exemplo Neymar, Romulo, Oscar e cia) estejam envolvidos direta ou indiretamente nesse circo de palhaçadas da CBF onde quem fica com o nariz de palhaço somos nós torcedores acreditando que esses “craques” estão trabalhando sério. Ou seja, temo que mafia da CBF esteja estipulando o seguinte: “Vamos arranjar alguns amistosos garapa para a seleção. Nele vcs poderão vencer, se destacar, ganhar status porque o que vale é a vitória. Assim nos poderemos silenciar ou acalmar ou até não margens de mal falatorio para os torcedores e pessoas da imprensa mais exaltados e do contra tipo Romário. Com isso teremos mais paciência para trabalhar até a Copa onde todos nos ganharemos, inclusive vcs que terão conovocação garantida. “

  7. Brasil ganhou de 8X0 de uma seleção fraca.
    Me lembrei que as grandes seleções da Europa fazem isso quando pegam umas garapas.

    Eu faço coro do fora mano.

    Mas o que aconteceu ontem foi normal. Anormal se fosse 2X0, 3X1,4X2,6X3 2X1 ou 1X0 então o mundo cairia.

    O Brasil fez o simples, deu de 8X0, um placar normalissímo no futebol atual pelo mundo afora, de vez em quando a cada 6 meses um ganha por este placar.

  8. Verdade, Claudio…hoje um jornal da cidade coloca o placar de 8×1 para a equipe Brasileira…e ainda noticia que o Manauara Washignton Alves foi quem apitou…que lomba….rs rs rs…

  9. Acontece né Claudio ??? e como escreveu o Gerson, o cansaço mental é pior que o fisico..explica sim, camarada…

  10. Concordo com tudo o que foi dito nessa coluna, só não concordo a respeito do Maracanazo, pois pra que o mesmo aconteça é preciso que a seleção chegue a final, o que pelo andar das carruagens não vai acontecer…

  11. Querem saber de uma coisa? Não quero bancar a pitonisa, mas acredito que essa Copa de 2014 tem dono e se chama Argentina. Se os portenhos ganharem aqui dentro, será tiração de sarro com os brasileiros por toda a eternidade…

    1. Tá bem favorável pros hermanos e para os espanhóis, amigo Daniel. Com esse ataque brazuca comandado pelo cadeirudo Hulck e o treineiro corintiano, estamos lascados.

Deixe uma resposta para Cláudio Santos - Técnico do Columbia - Val de Cans Cancelar resposta