Quando o sonho vira pesadelo

auxerre-marcos-antonio-ff-Presse-Sports

Do Le Blog du Foot

A triste história de Marcos Antonio. É assim que os sites do L’Equipe e da France Football intitulam texto sobre o zagueiro brasileiro do Auxerre, publicado esta semana. E é triste mesmo, acho que a história mais triste destes pouco mais de 100 posts e 5 meses de vida deste Le Blog.

Marcos Antonio Elias Santos é baiano de Alagoinhas e tem 26 anos. Começou no Corinthians alagoano, mas partiu cedo para a Europa. Comprado pelo Porto, foi emprestado ao Acadêmica e defendeu outros dois clubes portugueses: Gil Vicente (por três temporadas) e União Leiria. Em junho de 2007, tornou-se o primeiro brasileiro a ser contratado pelo Auxerre, que em toda sua história recrutou apenas dois sul-americanos.

Após ser pouco aproveitado, foi emprestado no ano seguinte para o PAOK, da Grécia. Em abril, veio o grande baque: descobriu que tinha um câncer na garganta, depois de ter uma persistente dor diagnosticada como pequena infecção. O empréstimo acabou em junho, mas o Auxerre não renovou seu contrato e, com isso, ele não pode seguir morando regularmente na França. Atualmente em Portugal, onde vive com a esposa portuguesa sem receber nada do clube francês, está pronto para levar o caso aos tribunais internacionais.

Mundico cabreiro com árbitro

D’O Estado do Tapajós

O árbitro Vicente Almeida Filho, indicado pela CBF para apitar o jogo São Raimundo e Cristal, domingo, valendo vaga para a série C de 2010, tem contra si uma série de denúncias de facilitação de resultados.

 

Nelsinho Ceará, leitor do Blog do Estado as enumerou. Confira:

1-  O Bahia representou na CBF contra sua arbitragem na derrota 1×2 pro Guarani, gol legítimo de Bahia anulado (na rodada beneficiou o Fortaleza).Na reportagem do http://Correio24horas o representante do Ceará S.C, Edmilson Maciel, denunciou : quando Almeida apita jogo do Fortaleza sempre expulsa jogador do adversário. Obs.: no campeonato cearense/2009 em 4 partidas do Fortaleza sempre expulsou jogador do adversário, foram 5 e só 1 do Fortaleza e aos 43 ms/2º. Tempo.

2- Denúncias contra Almeida: 2.1- em 2006 no Cearense/2ª.Divisão, seu assistente, Marcione, denunciou ao presidente do Sind. de Árbitros, Dacildo Mourão, que o Almeida marcou “2 penais duvidosos” pra o Crateús , no 2×2 contra Crato.

Agora em 2009, apesar de todas as denúncias, Sérgio Correia (presidente da Comissão de Arbitragem da CBF) o promoveu a “aspirante Fifa”.

Segundo o Nelsinho Ceará, Almeida Filho vai “garfar” o time que não interessar à CBF continuar na Série D. Olho vivo.

Wenger e a formação dentro do bar

arsene

O francês Arsène Wenger, que há treze anos faz sucesso no comando do Arsenal, clube pelo qual conquistou três títulos do Campeonato Inglês, revelou que aprendeu a ser um bom técnico em um lugar inusitado. Enquanto alguns se formaram nos gramados, Wenger teve como escola o bar. O treinador passou sua infância em um estabelecimento de seus pais no vilarejo de Duttlenheim, na França. “Não tem melhor educação psicológica que crescer em um pub quando você tem cinco ou seis anos. Você conhece todo tipo de pessoa e descobre o quão cruel elas podem ser. Também aprendi sobre tática dos clientes que conversavam sobre futebol no bar.”

O francês, que teve uma carreira apagada como jogador, diz que não esperava se tornar um treinador. “Não sabia que queria ser técnico. Quando comecei a jogar não imaginei que ia terminar assim. Percebi que essa era a única forma de continuar com o futebol”. Wenger está próximo de completar 60 anos e já tem mais de 20 como técnico. Ainda assim, não pensa em deixar o banco de reservas. “A chave é controlar a decepção. Como um treinador sente-se quando perde um jogo? É um sentimento destruidor.”

Tive a oportunidade de falar (com ajuda de intérprete, claro) com Wenger na cabine de imprensa do estádio de Frankfurt, na noite em que a França eliminou o Brasil da Copa, em 2006. Ele comentou a partida para uma TV francesa e atendeu todos os jornalistas com atenção e cordialidade. Suas declarações não me surpreendem. 

Pinta a chapa Dilma-Temer

Por Kennedy Alencar

A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), deverá derrotar o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), na batalha pelo apoio do PMDB na sucessão presidencial de 2010. Ela tende a obter o apoio formal da legenda, o que garantirá maior tempo no horário eleitoral gratuito e o apoio de uma máquina partidária enraizada nacionalmente. Serra deverá ficar com dissidentes, que o apoiarão em alguns Estados contra o acordo nacional PT-PMDB.

O roteiro está traçado com aval da própria Dilma: o PMDB pretende indicar o presidente da Câmara, Michel Temer (SP), para ser o vice da ministra. Na próxima quarta (30/09), Temer viajará com Lula para a Dinamarca, na comitiva brasileira que defenderá a candidatura do Rio de Janeiro para sediar as Olimpíadas de 2016. Os dois selarão a decisão política sobre a aliança e o nome do vice.

CBF põe Roman na geladeira

O árbitro Evandro Rogério Roman foi afastado pela Comissão de Arbitragem da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) por no mínimo 30 dias por conta da atuação no jogo entre Palmeiras e Cruzeiro, quarta-feira, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro. Segundo o presidente do Cruzeiro, Zé Perrella, três pênaltis não foram assinalados para a sua equipe. A CBF comunicou a decisão em seu site oficial. Durante o período em que ficará afastado, Roman passará por uma reciclagem e apenas depois disto voltará a apitar jogos. (Do Folhaonline)

Esse elemento deveria ser banido do futebol.

Outra lambança à brasileira

Ainda dentro do assunto “artimanhas da arbitragem brasileira”, recebo este show de interpretação de ninguém menos que Wagner Tardelli – aquele que tarda, mas não falha, segundo o falecido filósofo Miguel Pinho. Aqui, Tardelli em ação num jogo recente: Náutico x Sport, na Ilha do Retiro. Dudu Araxá dá uma cortada, estilo vôlei de praia, e o soprador de apito “interpreta” como lance normal.

As lambanças de Evandro Roman

Cenas de janeiro de 2008, pelo campeonato paranaense, mostram as “qualidades” de Evandro Rogério Roman. O jogo era Londrina x Engenheiro Beltrão. Um festival de erros de Roman, o soprador de apito que “operou” o Cruzeiro no Mineirão, nesta quarta-feira. Como fez em favor do Palmeiras, Roman naquela partida só errou em benefício do Londrina, que venceu por 2 a 1, com gol em impedimento e com dois pênaltis não marcados para o Engenheiro Beltrão. Na ocasião, Roman teve o luxuoso auxílio de dois bandeirinhas/cúmplices de braço engessado, sempre contra o Engenheiro.

Segundo Juca Kfouri, o árbitro está pedindo indenização de R$ 325 mil do autor das imagens, que tornou públicas suas proezas no estádio do Café. Deveria mesmo era ser condenado a pagar o dobro desse valor, mas, depois da absolvição de Edilson Pereira de Carvalho, não corre o menor risco. Soprador de apito amigo, por mais provas que existam, não vai para a cadeia.