Moreno: Piquet não vai deixar barato

Roberto Pupo Moreno, ex-piloto de Fórmula-1, que mora atualmente em Miami, falou nesta quarta-feira que sente muito por Nelsinho Piquet ter sido convencido a fazer parte da armação de Cingapura. Disse também sentir “pela demissão de Pat Symonds, meu amigo de longas datas, de tomar chá juntos na fábrica de formula Ford da Royale em 1979, onde ele foi o projetista do meu primeiro carro de corrida, o Royale RP26”, carro que Moreno ajudou no desenvolvimento. “Fui até baby-sitter de sua filha algumas vezes para ganhar um trocado a mais”, revelou.

Roberto apontou que “muita coisa ainda vai acontecer” pelo que conhece de Nelsão. “Ele não vai deixar por menos”, indicou. “Não vai deixar o filho que ele tanto apoiou para chegar aonde chegou ser punido pelas pressões de Briatore sem fazer o Briatore pagar caro por isso”. Mais: “Se ele ainda é o Nelson que conheço vai até o fim nesta história toda, não vai sossegar enquanto o Briatore não tiver pagado bem caro o que fez seu filho fazer.” E na guerra contra Briatore, Moreno disse, em tom de brincadeira — com seu inerente fundo de realidade: “Não preciso dizer que terá todo o meu apoio neste processo.”

Zico contratado pelo Olympiakos

O Olympiakos, da Grécia, anunciou nesta quarta-feira a contratação do técnico Zico, que irá substituir o georgiano Temuri Ketsbaia, demitido na terça. O contrato será de dois anos. Zico estava desempregado desde a semana passada, quando foi demitido do CSKA Moscou, da Rússia, por causa da má campanha no Campeonato Russo – o brasileiro deixou o clube na quarta colocação, com dez pontos a menos que o líder Rubin Kazan.

No Olympiakos, Zico comandará outros três brasileiros: o volante Dudu Cearense (ex-Vitória), atacante Diogo e lateral-esquerdo Leonardo (ex-Portuguesa). Nesta quarta, o clube estreia pela primeira rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões contra o AZ Alkmaar, da Holanda, sob comando do interino Bozidar Bandovic.

Confirmada a volta da Legião

Por Lauro Jardim

Uma das marcas registradas dos anos 80, a Legião Urbana voltará a fazer shows – evidentemente, sem Renato Russo nos vocais  mas com os outros integrantes usando o nome da banda depois de quase 15 anos. O primeiro show está marcado para este domingo, em Brasília, no festival Porão do Rock – a banda é a “atração surpresa” que consta na programação do evento. Para o show, o guitarrista Dado Villa-Lobos e o baterista Marcelo Bonfá chamaram o cantor Toni Platão para substituir Renato Russo, morto em 1996. E convidaram amigos do rock dos anos 80 para participar de algumas músicas, como Herbert Viana, Philipe Seabra (Plebe Rude), Roberto Frejat e Dinho Ouro Preto.

Dado e Bonfá chegaram a se apresentar juntos em dezembro do ano passado, tocando com bandas uruguaias num tributo ao Legião em Montevidéu. Mas, com o nome Legião Urbana, é a primeira vez que eles sobem num palco desde a morte de Renato Russo. O último show da banda havia sido em Santos, em 1995. Depois de Brasília, eles planejam fazer shows em outras capitais.

Beatles lideram paradas americanas

41_1626-AbbeyRoadxx

Não. Não se trata de matéria do tipo túnel-do-tempo. Estamos falando desses dias confusos. Os Beatles venderam 626 mil cópias nos Estados Unidos esta semana. Até a semana do lançamento dos CD’s remasterizados, os Beatles tinham vendido 635 mil álbuns na América, o que eleva a soma para 1 milhão 261 mil cópias. A revista “Billboard” informa que desde 1991 os Beatles sempre venderam mais de 1 milhão de cópias por ano na América de toda sua obra. O melhor ano foi 2000, quando o lançamento da coletânea “1” elevou a soma para 7 milhões 289 mil cópias.

A parada principal da “Billboard” é só para discos atuais, mas há duas paradas paralelas que são dominadas pelos Beatles. Na de Top Comprehensive Albuns, para lançamentos em qualquer época, “Abbey Road” ficou em terceiro, “Sgt Pepper’s” em quinto, o álbum branco em sétimo, “Rubber soul” em oitavo e “Revolver” em décimo.

Na parada de Top Pop Catalog Albuns, para discos com mínimo de 18 meses de lançados, os Beatles ocupam os nove primeiros lugares com “Abbey Road” em primeiro lugar. As duas caixas são lançamentos novos, por isso estarão na parada pincipal. A caixa em stereo no 15º lugar com vendas de 26 mil unidades e a caixa em mono no 40º lugar com 12 mil unidades. Na Grã-Bretanha quatro discos entraram no Top Ten. “Sgt Pepper’s” em quinto, “Abbey Road” em sexto, “Revolver” em nono e “Rubber soul” em décimo. Americanos e britânicos deram preferência à produção dos Beatles de “Rubber soul” (1965) em diante. Na lanterna ficou a trilha de “Yellow submarine.” (Com informações de Jamari França)

Isso tem nome: permanência.

O que mais Grafite precisa fazer?

1ba42f3b-b75a-3d98-8a11-7bb07a71467c

Por Juca Kfouri

Grafite fez sucesso por onde passou.

No Goiás foi campeão goiano.

No São Paulo, foi campeão paulista, da Libertadores e Mundial, em 2005.

Na Alemanha, levou o desconhecido Wolfsburg ao inédito título nacional, na temporada passada.

De quebra,  foi o artilheiro do Campeonato Alemão, além de ter sido eleito, pelos jogadores, o melhor da competição.

Hoje, na primeira partida do Wolfsburg em sua história na Liga dos Campeões, ele marcou os três gols da vitória por 3 a 1 no CSKA.

Maduro, aos 30 anos, profissional de ficha exemplar, o que mais Grafite precisa fazer para ter uma chance você sabe onde? 

 

Algumas opções de resposta para essa angustiante questão:

1) falta contratar o mesmo empresário de Afonso, V. Love e Tardelli;

2) badalar, fazer caretas e micagens diante das câmeras, como o triatleta (corre, pedala e nada) Robinho e o André Santos;

3) puxar o saco do Ricardo Peixeira; 

4) declarar, em entrevista na TV (como anda fazendo o São Marcos, do Palmeiras), que Dunga foi massacrado pela imprensa, é um coitadinho e coisa e tal…;

5) fazer um estágio básico no Curíntians;

6) aparecer no programa do Chaustão e no Bem Amigo$ do Gavião; 

7) arranjar patrocínio da Nike, abrir conta no Itaú, fazer a barba com Gillette (epa…) e arranjar um celular da Vivo;

8) entrar rápido para um grupo de pagode paulistano;

9) fazer um curso de marketing do abandono com o Adriano Scooby Doo;

10) entrar para a mesma igreja evangélica do Jorginho, do Lúcio, do Kaká, do Fabuloso, do Maicon, do Felipe Melo, do Elano, do Josué e do Gilberto Silva (ufa…).

Alguém tem mais palpites de respostas aí?

Renault demite chefão italiano

A Renault confirmou nesta quarta-feira a demissão do chefe de equipe, Flavio Briatore, e também do diretor de engenharia, Pat Symonds. A decisão foi tomada por conta do escândalo sobre o GP de Cingapura, em 2008. A equipe também informou, através de um breve comunicado oficial, que não contestará as alegações feitas pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA) relativas à prova, e acrescentou que, até comparecer perante o Conselho Mundial do órgão, na próxima segunda-feira, não fará nenhum outro  comentário. Tudo teve início após o brasileiro Nelsinho Piquet ter revelado à entidade que controla a Fórmula 1 que o acidente que sofreu no GP de Cingapura, ano passado, havia sido algo planejado para que Fernando Alonso pudesse chegar à vitória. Na ocasião, o fato levou o safety car a ser acionado, o que beneficiou o espanhol a garantir o triunfo.

Só falta agora enquadrar o “santo” Fernando Alonso, que nem desconfiava da mutreta…

El Pibe recarrega as baterias

304_1510-maradona1

Depois daquele vareio do Brasil e perder para o Paraguai, Dieguito decidiu dar um pit-stop. E não escolheu um lugar qualquer. Foi para um spa de luxo, o Centro Henri Chenot em Merano, no charmoso norte da Itália. Uma semana de estadia por lá custa de 2 mil a 4 mil euros. El Pibe vai se submeter a uma dieta de desintoxicação, tratamentos com barro, terapias capilares, aromaterapia (humm…) e teste para analisar níveis de estresse. E ainda terá direito a sauna (mais huumm…) e ao chamado banho turco (epa, epa), que ninguém é de ferro. A ideia é que volte com todo o gás, lépido e fagueiro, para o amistoso contra Gana no dia 30 de setembro e para os jogos decisivos pelas Eliminatórias, contra Peru e Uruguai. Acima, pequena amostra do refúgio de Dieguito. (Com informações do blog Bola de Meia)

Filho de peixe, nem sempre, peixinho é

Por Marina Miyazaki Araújo

O infortúnio ocorrido na Fórmula 1, envolvendo Pai, Filho, Equipe, Espírito e o “Santo” – o outro piloto que não sabia de nada, mui amigo e “companheiro” de equipe – deu pano pra manga e pro macacão não-inflamável, ainda bem, “Júnior” vai precisar, sairá queimado, praticamente um torresmo depois de tudo isso, mas nada que não possa ser resolvido.

O tempo faz um bem danado pra memória. O mundo esqueceu que o maior ídolo brasileiro da F1 também teve que admitir que bateu no seu arquirrival intencionalmente e por conta própria, ninguém precisou mandar (acho), mesmo assim, é considerado herói nacional (me tira dessa estatística). E todo mundo tem certeza que ele foi pro céu.

Coisa que eu não entendo é o cara ser considerado herói por ganhar uma dúzia de “troféis” (no dialeto do futebol, para os demais: troféus) pilotando um carro impecável. Seguindo o mesmo raciocínio, vou apelar: o “piloto” de 80 anos que passa aqui na rua puxando o “carrinho de papel” no braço, fazendo as vezes de cavalo, motor, combustível, engenheiro e mágico, com velocidade e manobras impressionantes para evitar acidentes (deslealdade não é privilégio da F1), deveria ser o quê, Deus?

Mas, voltando ao imbróglio (palavra da moda entre jornalistas), imaginem Bob-Pai, o bronco, dando uma bronca em Bob-Filho; deve ter sido tão, mas tão, mas tão assombrosa e abissal, que até o pau mais torto teria virado régua de prumo na hora. É o tipo de coisa que merece uns dois pedalas bem caprichados, uma piaba, uma coça pra aprender o que é ser homem como papai: “matar a cobra e mostrar o pau” – a frase não está entre as 100.000 coisas mais elegantes do mundo, mas combina com o jeitão de Bob-Pai, que não faz a linha cara-de-paisagem-com-rabo-preso, como tantos outros pilotos e jogadores de futebol, que só falam coisas agradáveis e fofas sem compromisso.

Não acho que uma conduta irresponsável e infeliz determine o caráter de “Júnior”, apenas evidencia o quanto é criançola, mimado e, enquanto tiver o grande-pai para socorrê-lo, nunca será adulto apenas com a imitação chinfrim que faz do pai. Quanto maior o pai, mais inseguro o filho, e isso está longe de ser “mau caratismo”, já seu “companheiro” que se faz de idiota completo como se nem desconfiasse de nada e, mesmo depois de tomar conhecimento da “asneira”, não pede as contas, isto sim, é de caráter questionável e não poderia passar sem a peçonha.

E sobre a “delação premiada” – se “Júnior” contasse tudo, a FIA o pouparia – e a idéia de que o pai só abriu a boca e entregou todo mundo apenas para se vingar do ex-chefe do filho, é um tanto tacanha. Vamos ao exemplo, peguem o retroprojetor e a cartolina, vou explicar como se vocês tivessem mais de 40 anos:

Eu sei que “Júnior” é adulto e deveria saber a diferença entre o certo e errado, mas, guardadas as proporções do caso, siga o meu raciocínio confuso usando o Paulo Autran que há dentro de você e vivencie: um dia, Júnior, seu filho, menino aparentemente bonzinho, mas influenciável, é levado a fazer algo ilícito na escola, pois o colega o “obrigou”, e Júnior o faz, por vários motivos racionais, irracionais, inexplicáveis e indefensáveis, e acaba prejudicando outra criança.

Você amigo leitor, que não nasceu ontem, sente cheiro de asneira (não vou escrever “merda”, pois acho feio mocinhas escreverem a palavra merda) no ar, e coloca “Júnior” no pau-de-arara, que confessa a colossal asneira (sempre que aparecer a palavra “asneira” substitua por “merda”, se isso lhe for mais confortável). Diante da “asneira”, você abafaria o caso para que ninguém soubesse que o culpado foi Júnior? Jogaria panos quentes para que ninguém soubesse das fraquezas de Júnior que quase te matou de vergonha? Acobertaria tudo para Júnior não perder a vaga na escola? Abriria o jogo na diretoria da escola apenas para se vingar do coleguinha que sempre explorou Júnior?

Ou você faria seu filho enfrentar a verdade, mesmo que isso lhe rendesse processos, fama de dedo-duro e expusesse seu filho até as entranhas?

No fundo, Bob-Pai está errado, didaticamente falando, deveria ter deixado Bob-Filho à deriva se lascando sozinho para aprender a lição, pelo menos é o discurso de muitos educadores. Mas, quem não se lambuzaria com o filho, que atire a primeira mola.

Bob-Pai logo ressurgirá das cinzas como Fenix, arrasando com quem o cutucou com a vara curta. O que não mata, fortalece.

Purra, sumano, vá escrever bem assim lá em Cingapura… Matou a pau, resolveu o jogo nos primeiros dois parágrafos. Piquet pai, ao contrário do que pregam alguns abilolados do SporTV, é um grande cara e o campeão mais destemido (e sem apoio global!) que o Brasil produziu nas pistas. Esse texto resume um pouco disso. Quando crescer, quero ter um naco desse talento para a escrita. Um conselho amigo: leiam, meninos, leiam.

Nova greve dos Correios

Os funcionários dos Correios decidiram entrar em greve por tempo indeterminado a partir de hoje. São 109 mil em todo o país, representados por 35 sindicatos. Reivindicam aumento real linear de R$ 300,00, fora vantagens extras. Esse exército de trabalhadores movimenta, diariamente, cerca de 30 milhões de objetos em todo o país. Na última greve, iniciada em 1º de julho de 2008, os Correios pararam por 21 dias, causando inúmeros transtornos à população.