Além da queda, o coice

A situação do Botafogo no Brasileiro poderá ficar ainda mais delicada. Nesta quinta-feira, a Procuradoria do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) denunciou o clube por causar um tumulto depois do empate de 3 a 3 contra o Grêmio, no último dia 30. Consequentemente, o Alvinegro será julgado na próxima terça-feira e poderá perder o direito de atuar no estádio Engenhão em algumas partidas da competição nacional, com a possibilidade de a equipe não atuar mais dentro do seu campo neste ano.

Segundo o tribunal, diretores do Botafogo manifestaram sua ira com a atuação do árbitro Rodrigo Martins Cintra na partida contra o Grêmio. Os botafoguenses reclamam da não marcação de um pênalti e ainda de uma possível saída de bola no lance que originou o segundo gol gaúcho. Irados, os mandatários cercaram Cintra no caminho para o vestiário e finalizaram o protesto apenas com a força policial, além de seguranças do próprio clube que amenizaram a confusão.

Mesmo com o árbitro minimizando o acontecimento na súmula oficial da partida, a Procuradoria do tribunal enquadrou o clube carioca nos artigos 211 (falta de infraestrutura necessária para garantir a segurança de um jogo) e 213 (falta de providencias capazes de reprimir desordens) do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva). Caso seja punido pelo tribunal, o Botafogo poderá ter o Engenhão interditado por tempo indeterminado, como ocorreu com a Portuguesa anteriormente. Entretanto, o castigo para o clube de General Severiano deverá ser baseado no 213, que prevê a perda do mando de campo de uma a dez partidas no Brasileirão, além de uma multa que poderia atingir R$ 200 mil.

Além de ter sido assaltado em campo, com um penal não marcado e gol ilegal (bola tinha saído pela linha de fundo), o Botafogo ainda será “premiado” com a perda de vários mandos. Não há combate.

16 comentários em “Além da queda, o coice

  1. O Engenhão não dá sorte, que seja interditado pois, em nome da supertição que nos marca enquanto botafoguenses!

    1. Du-vi-de-o-dó, como diria o outro. Lembra daquele jogo com o River Plate, pela Libertadores, em que a malta corintiana provocou um dos maiores tumultos na história da competição? Pois a sentença final é uma das maiores comédias de todos os tempos: o tribunal condenou o Pacaembu pela arruaça!!! É mole??

      1. É verdade. “Operou” o Paissandu pelo menos duas vezes em campeonatos brasileiros.

  2. Lamento pelo BEBETO DE FREITAS, um dos poucos e verdadeiro ÍCONE da HISTÓRIA do BOTAFOGO contemporâneo.

    Ele (o BEBETO DE FREITAS), tem DIGNIDADE SUFICIENTE para não se SENTIR jogado nessa “AREIA MOVEDIÇA”.

    O resto, que se AFOGUE !!!

  3. Companheiro, na atual conjuntura o negócio é manter distância do Engenhão, que virou um cemitério pro nosso Glorioso. Vamos jogar em Edson Passos, Saquarema, Juiz de Fora… Quiçá Barbalhão em Santarém, autêntico local pros alvinegros de proa.

  4. O Cintra sempre gostou de favorecer os times visitantes, pois ele sente prazer em chamar toda a atenção da torcida do time da casa, ainda que negativamente.
    Meu querido Paysandu que o diga.

  5. Poxa, Gerson, se não fosse o presidente boquirroto do Papão ter emperrado a subida do bicolor para a Série B, ias poder ver teu Botafogo ao vivo e cores aqui em Belém no proximo ano.

  6. Sinceramente, assim com penso que o Fluminense já caiu, penso que o Botafogo não cai.

Deixe uma resposta para Daniel Malcher Cancelar resposta