Dica de cinema: Sinédoque, Nova York

synecdoche_05-1024x685Charlie Kauffman dirigindo Phillip Seymour Hoffman 
 
Um diretor de teatro cheio de problemas mergulha na tentativa de criação de uma peça espelhada na realidade em que vive. Essa é a atmosfera de Sinédoque, Nova York, atração deste mês do Oi Cine Estação, no teatro Maria Silvia Nunes da Estação das Docas. O filme terá quatro sessões. Tanto nesta sexta-feira (18/09), quanto no domingo (20/09), os horários serão: às 18h e às 20h30. Ingressos a R$ 5,00 (garantida a entrada de R$2,50 para estudante).
 
O filme, lançado em 2008, marca a estréia do roteirista Charlie Kaufman (“Brilho eterno de uma mente sem lembrança” ou “Quero ser John Malkovich”) no posto de diretor. No papel principal, Phillip Seymour Hoffman encarna Caden Cotard, um diretor de teatro que está preparando nova peça, ao mesmo tempo em que se preocupa com a saúde e enfrenta a separação da esposa, Adele Lack (Catherine Keener), que vai morar em Berlim com sua filha.
 
Além disso, sua terapeuta Madeleine Gravis (Hope Davis), não está tão disposta em ajudá-lo. Caden decide então reunir um grupo de atores em um armazém de Nova York para dar início à produção de um espetáculo.  Nesse espaço, a ficção proposta começa a se misturar com a realidade. O elenco conta ainda com Jeniffer Jason Leigh, Emily Watson e Dianne Wiest. Sinédoque, Nova York dura 160 minutos e tem classificação de 14 anos. A produção ganhou o Prêmio Robert Altmann e o Independent Spirit Awards de Melhor Filme de Estréia. Foi ainda indicado nesta premiação na categoria de Melhor Roteiro. Só o premiado Phillip Seymour Hoffman já vale a ida ao cineminha da Estação.

3 comentários em “Dica de cinema: Sinédoque, Nova York

  1. Gerson, com certeza vale sim uma olhada nessa película. É muito bom também rever grandes atrizes como Jeniffer Jason Leigh, Emily Watson e Dianne Wiest. E é muito baratinho o ingresso.

    Agora, Gerson, outro que vale muita a pena de ser visto é “Up – Altas Aventuras”. E vale para o sujeito de qualquer idade, qualquer coração pronto para a fantasia, o que ainda é o grande barato do cinema.

    Depois de Toy Store, a Pixar dá novo show. E não é só pela tecnologia de animação que o filme se supera, mas pela sensibilidade da história que une duas figuras de gerações tão distantes: um garoto de 8 anos e um senhor de 78.

    As cópias que estão passando em Belém são dubladas, com Chico Anysio também dando seu show particular ao emprestar a voz ao velho.

    Se vc Gerson ou alguém que acessa o blog ainda não tiver assistido, podem ir com a família sem medo de errar. Isso, claro, se o sonho ainda habita o coração e mente de cada um de vcs.

    1. Muito bem lembrado, Diogo. Já agendei uma sessão de “Up…” com o infante João, claro. E ainda vou postar alguma coisa no blog sobre o filme da Pixar.

  2. Eu já assisti também ao “Up”, Diogo, e amei, amei, amei. Tem aquele vilão lá meio sem noção, mas no geral o filme é um encanto em todos os aspectos. Aquele garotinho oriental é a coisinha mais fofa que tem no mundo! Tenho certeza que o o infante João vai adorar o mundo fantástico do Sr. Carl Friedericksen e do pequeno Russel!

Deixe uma resposta para blogdogersonnogueira Cancelar resposta