As mentiras sobre as privatizações

Por Manuel Dutra

Celpa, empresa que distribui energia elétrica no Pará, jogou a toalha. É um exemplo claro do desastre das privatizações irresponsáveis, em que empresas públicas construídas com o dinheiro suado do zé-povo vai para as mãos de grupos desqualificados. Outro grande exemplo, do governo FHC, foi a entrega da Embratel para especuladores estrangeiros. 
A Celpa, uma das empresas controladas pelo Grupo Rede, foi privatizada através de leilão público no dia 7 de julho de 1998, no primeiro governo de Almir Gabriel. O preço de venda da empresa alcançou, na época, a cifra de R$ 450 milhões. Era muito dinheiro na época. O que foi feito com essa grana toda? Nada, além daquelas coisas sobre as quais são eternas as suspeitas.
O certo é que há anos a Região Metropolitana de Belém vive alternando apagões pelos diversos bairros. A instabilidade da corrente elétrica é um fato. Uma porcaria que se verifica pelo interior do Estado. No entanto, durante a farra das privatizações – a palavra é essa mesmo, farra! – o que foi que Almir e FHC disseram? Que os capitais privados é que dariam o impulso ao crescimento da infraestrutura do país.

No dia 9 de dezembro do ano passado o Diário do Pará publicou a notícia que segue:
“A direção da Celpa não confirmou, mas também não negou, nesta quinta-feira (8), a informação de que o controle da Rede Energia foi posto à venda. A notícia, com origem em São Paulo, onde fica o comando do grupo, foi veiculada ontem por agências de notícias nacionais. “A Celpa não vai se pronunciar hoje (ontem) sobre o assunto”, afirmou uma fonte da assessoria da empresa.
Ela admitiu a possibilidade de ser divulgada hoje uma nota expondo oficialmente a posição da companhia. Se isso acontecer, a nota provavelmente confirmará a venda. A matéria mais completa sobre a anunciada venda do controle da Rede Energia foi publicada pelo Valor Econômico. Segundo o jornal, o Grupo Rede, dono da concessão de distribuidoras de energia em sete Estados brasileiros – incluindo o Pará, com a Celpa – vem enfrentando há anos dificuldades financeiras, com prejuízos frequentes e tendo de administrar um alto endividamento. O último balanço do grupo, com dados do terceiro trimestre deste ano, conforme revelou o Valor, mostra vencimentos de empréstimos e financiamentos de curto prazo na ordem de R$ 2 bilhões, além de outros R$ 5 bilhões de obrigações de longo prazo”.

Hoje, anotícia que está na praça é a seguinte:
A Celpa, distribuidora de energia elétrica do Pará controlado pelo Grupo Rede Energia, entrou com pedido de recuperação judicial, informou a empresa ontem (28). “A despeito dos esforços da administração junto a credores e potenciais investidores, o pedido de recuperação judicial mostrou-se inevitável diante do agravamento da situação de crise econômico-financeira da Celpa e do imperativo de proteger a continuidade dos serviços públicos por ela prestados”, informa a empresa.
Segundo o comunicado, a medida visa proteger o valor dos ativos da Celpa, atender aos interesses dos credores, na medida dos recursos disponíveis e manter a continuidade das atividades da companhia.
A Celpa é uma das distribuidoras com pior desempenho do Grupo Rede Energia e segundo o balanço patrimonial fechado em setembro de 2011, tinha uma dívida de curto prazo de 1,4 bilhão de reais e de longo prazo também no mesmo valor.
Uma fatia de 54% do acionista majoritário da Rede Energia, Jorge Queiroz Jr, está a venda em uma operação da qual o grupo AES e a a chinesa State Grid já desistiram, diante dos riscos regulatórios e do preço pedido pela participação.

24 comentários em “As mentiras sobre as privatizações

  1. Gerson, aqui pela Eletrobras, tudo indica que vamos comprar ou federalizar!

    Bom por um lado. Pois certamente o sistema elétrico do Pará melhorará!

    Ruim por outro: Minha Participação nos lucros provavelmente será menor…rsrsrsr!! heheh!

    Um abraço…!

  2. Complementando sua exposição de motivos sobre a Celpa : “foi privatizada através de leilão público no dia 7 de Julho de 1998, no primeiro governo do Almir Gagábriel ” e com excepcional ajuda do hoje, governador Jatene (PSDB). A venda – subfaturada (RS450 milhões de reais), foi precedida, pela contratação de uma empresa, que fez avaliação da Celpa, resultando num montante de quase RS800 milhões de reais. Ressalte-se que, do valôr real da venda (RS450 milhões de reais), metade, foi subsidiado, ou seja “um negocio de pai prá filho”. Pergunta-se : Na época, no quadro funcional da empresa, não havia pessoas capacitadas que a fizessem lucrar ? É claro que sim. Não havia nenhuma necessidade de “vender” a empresa. Ela só estava mal administrada. A empresa hoje, tem um passivo trabalhista de grandes valôres ? Sim, tambem resultado da mà gestão. São questões evindentemente técnicas e solucionaveis com aporte financeiro. Porém, não acredito, ou pouco creio, nessa falência, me cheira a negociata novamente, urdida em gabinetes. A empresa passou a ser superavitaria mensalmente, tanto, que recursos(dinheiro) foram aplicados em outras empresas do mesmo grupo(Rede) em outros estados. Num particular, por exemplo, há que ser motivo de debates/seminarios, as altas tarifas cobradas ao consumidor parauara, considerando que nossa fonte geradora é a UHE/Tucuruí, bem como, os custos de geração, transmissão, distribuição e manutenção. Em 29.02.12, Marabá-PA.

  3. 3. Edmundo Neves, do Marco | 29/02/2012 às 12:12

    Será estatizada novamente ?

    Resposta:

    Não, será federalizada.

    com ações na bolsa de valores e controle majoritário do Governo federal.

    É o que tudo indica!!

    Entretanto há um problema, o governo do Pará é do PSDB e o secretário de planejamento durante a privatização da Celpa era o Simão Jatene. Logo, ele vai relutar em assumir o erro da venda. Na verdade não teve erro algum, teve foi maracutaia, tanto que esse dinheiro “sumiu” ***!

    “Sumiu” ***, entenda: foi pulverizado na campanha do Almir e do FHC.

  4. O mais engraçado é a cara de pau e o cinismo do neo-liberais em ainda afirmarem que o mercado deve ser livre de regulamentações (dos braços do Estado quando este se arvora no papel de defensor dos direitos de seu povo) e gerenciar os serviços básico como saúde, energia, transporte, esgoto e abastecimento hídrico. Mas esses mesmos demagogos esquecem de dizer que, contraditoriamente, para controlar estes setores de serviços, precisam da anuência do… um doce pra quem advinhar?

  5. Falando-se de negócios amigo escriba-roqueiro já tem informações suficientes para enredar uma coluna daquelas certeiras sobre essa parceria que o Roberto Carlos confirmou no twitter com o Paissandu?
    Penso que é viável e muito boa , para reestruturar o futebol bicolor, mas desde que o Paissandu não entregue os jovens e promissores valores para o penta-campeão quase grátis..

  6. Falando de Companhias elétricas aqui no MS vai td bem obrigado ( que inveja saudável ).Outro dia um transformador queimou na esquina de minha rua.Em dez minutos depois do estouro chegaram, trocaram o transformador e contando todo tempo não ficamos meia hora sem energia!
    E não moro exatamente no centro,moro depois do estádio morenão,perto da UFMS,proprietária do famoso Pedro Pedrossian.
    A propósito amigo Edson 7×0 obrigado por me seguir no twitter e já lhe seguindo de volta,em relação ao jogador Jean o que joga aqui no Comercial é aquele veterano que jogou no Palmeiras em 93.Ainda continua no time comercialino.

  7. Falando de Companhias elétricas aqui no MS vai td bem obrigado ( que inveja saudável ).Outro dia um transformador queimou na esquina de minha rua.Em dez minutos depois do estouro chegaram, trocaram o transformador e contando todo tempo não ficamos meia hora sem energia!
    E não moro exatamente no centro,moro depois do estádio morenão,perto da UFMS,proprietária do famoso Pedro Pedrossian.
    A propósito amigo Edson 7×0 obrigado por me seguir no twitter e já lhe seguindo de volta,em relação ao jogador Jean o que joga aqui no Comercial é aquele veterano que jogou no Palmeiras em 93.Ainda continua no time comercialino.

  8. Engrosso a fila dos reclamantres. Postei parabens aos privatizadores da telefonica de Ribeirão Preto e até
    agora não saiu nada.

  9. Égua!! Gerson,

    Eu queria ter uma bola de cristal!!

    Olha esse comentário antigo meu:

    3. Alberto lima – Maceió | 14/09/2010 às 20:07

    Repito mais uma vezaqui nesse Blog!
    As Centrais Elétricas do Pará S.A. está totalmente individada e sem capacidade de investimentos por um simples motivo:
    Evasão de dinheiro1
    A Celpa foi depenada nos cinco primeiros anos de privatização, simulando lucros absurdos, porém mascarados, já que não houve reinvestimento das receitas em manutenção e extensão do sistema.
    É quase certeza a federalização e o controle da Celpa pela Eletrobras que está com o caixa em azul e suas empresas apresentaram lucro.
    Todas as empresas da eletrobras saíram do vermelho.
    Amazonas Energia, CEAL, CERON, Eletroacre, CEPISA, Boa Vista Energia, Eletronorte, Chesf, Furnas, Eletrosul, etc..
    Na Holding comenta-se sobre a Compra da Celpa pela Eletrobras, pois a mesma já está impactando no fornecimento do Pará, criando gargalos no desenvolvimento, por falta de energia.

    Tudo é só uma questão de tempo!

    fonte:

    http://blogdogersonnogueira.wordpress.com/2010/09/14/em-defesa-do-cidadao-2/

  10. Interessante Alberto, é que o Sindicato dos Urbanitários, em nenhum momento se manifestou sobre o assunto publicamente, será que Sindicato não havia detectado esta situação, ou sabia e se calou? O Sindicato tem interesse na federalização.

  11. Otávio, a verdade é que o sindicato perdeu poder quando a Celpa foi vendida!

    A capacidade de influência diminue muito quando uma empresa é privada devido as constantes ameaças de demissão quando a empresa vê um funcionário seu fazendo greve ou protesto!
    Aconteceu muito isso!
    Motivo: A Quantidade de emprego e empresas para absorver a mão de obra no Pará é muito pequena, e, quem tem o seu, pouco se importa com as mobilizações sindicais, basta ver a força do sindicato dos urbanitários com a eletronorte e com a cosampa para perceber quanto ele é forte por lá! Na Celpa era assim quando era do estado.
    Mas, quando foi vendida, vi muito terror e muita ameaça de demissão desta empresa com seus funcionários.
    Houve até situações em que meus superiores me chamavam e diziam pra eu demitir meia dúzia de funcionários, só para “agitar” o departameto que parecia estar muito calmo!! Um absurdo!!
    Não gostava da postura administrativa dessa empresa e pedi minha demissão, fui pra Manaus trabalhei autônomo, fui convidado a trabalhar em algumas empresas do polo, fiquem uns dois anos e fiz concurso pra Eletrobras.

    A Celpa foi “estragada” por má gestão! Mas, não pense que seus diretores estão falidos!! Não estão!! estão ricos!! Muito ricos!!

    Alguns funcionários, inclusive eu, cheguei a falar pro Jorge Queiroz: ” Dr, estão roubando muito a sua empresa!”
    Bom, ele não ouviu…
    fazer o que?? Né?

  12. 10. Pr.Carlos Rodrigues @ prcarlosrod http://escadaprofuturo.blogspot.com) | 29/02/2012 às 18:34

    Falando de Companhias elétricas aqui no MS vai td bem obrigado ( que inveja saudável ).Outro dia um transformador queimou na esquina de minha rua.Em dez minutos depois do estouro chegaram, trocaram o transformador e contando todo tempo não ficamos meia hora sem energia!
    E não moro exatamente no centro,moro depois do estádio morenão,perto da UFMS,proprietária do famoso Pedro Pedrossian.
    A propósito amigo Edson 7×0 obrigado por me seguir no twitter e já lhe seguindo de volta,em relação ao jogador Jean o que joga aqui no Comercial é aquele veterano que jogou no Palmeiras em 93.Ainda continua no time comercialino.

    Resposta:

    Pastor, a Enersul vai quebrar também!
    Pode esperar!
    É do mesmo grupo, possui os mesmos acionistas (menos a Eletrobras com cotas menores que a Celpa), e tem os mesmos administradores…( …e cacoetes…rsrsr)

    É só esperar um pouquinho, que vc vai ver…

  13. Alberto, não sei se estou enganado, mas acho que a empresa que pertence ao Grupo Rede é a Cemat e não a Enersul, estou certo?

  14. o momento é agora,é preciso fazer uma devassa nas contas da celpa. Pois com certeza, super faturaram diversos contratos: frota de veiculo e sua munatenção, transporte de cargas, em fim, vamos checar. isso permite tambêm a evasao de receitas, que foram repessadas as empresas do grupo, até caixa dois. Deveriam ter vendido outra empresa como: cemat enersul, celtins, e nao a celpa. todas essas medidas como recuperação judicial, servirão somente para ganhar tempo, pois não tiveram a coragem de dizerem, assume que o filho é teu. csa

  15. não entendo, para um grupo empresarial jogar a toalha a empresa vai muito mau, para os populistas melhor e ser estatal com empreguismo no patrimonio público, perdas de energia para o cidadão pagar energia para quem não paga.

Deixe uma resposta para Luis Sergio Anders Cavalcante Cancelar resposta