Um passeio pela Belém dos anos 70

Curioso filme de propaganda produzido pela Agência Nacional enaltece a cultura e a religiosidade, sem economizar adjetivos, da Belém dos anos 70. Ênfase também na louvação aos programas de incentivo de instituições de desenvolvimento (Basa, Sudam etc.). Era o Brasil do “milagre econômico”. Vale a pena conferir e comparar.

TV paga perde assinantes para o Netflix

a-cada-10-assinantes-do-netflix-um-cancela-tv-paga

DO COMUNIQUE-SE

A venda de planos de TV por assinatura está cada vez mais difícil, conforme aponta pesquisa da consultoria CVA Solutions, especializada em investigar a percepção que o consumidor tem em relação a marcas. Em seu levantamento, a empresa concluiu que, ao longo do último ano, 11,5% dos assinantes da Netflix cancelaram o serviço das operadoras de TV.

Os dados coletados no levantamento, realizado com 4.502 entrevistados, confirmam o sucesso da plataforma destreaming. Questionados sobre a maneira que costumavam assistir a filmes, 32,8% dos participantes responderam que usam o Netflix. Em outra pergunta, 4,8% afirmaram que pretendem cancelar sua TV por assinatura nos próximos seis meses para continuar apenas com Netflix.

Segundo o sócio-diretor da CVA, Sandro Cimatti, a redução do interesse pelos pacotes é resultado da combinação da crise econômica com a consolidação de serviços de streaming. A média de gasto mensal de brasileiros com pacotes de TV paga caiu de R$ 140, em 2015, para R$139. Uma assinatura Netflix pode custar de R$ 19,90 a R$ 29,90.

A amostra citou alguns dos prestadores mais comuns de TV por assinatura: Claro TV, CTBC-ALGAR, GVT, NET, Oi, Sky e Vivo TV (TVA ou Telefônica).