Fogo & paixão

Imagem

O que os idiotas da objetividade não entendem é que essa alegria toda não é pelo Honda – também não era pelo Diego quando rubro-negros receberam o reforço longe de seu auge. A alegria é pelo Botafogo. Futebol não são ‘linhas de 4’, ‘jogo reativo’, ‘transição’. Futebol é paixão”.

André Rizek, jornalista

Para incendiar o campeonato

Ronaell, Xaves e Dudu Mandai

POR GERSON NOGUEIRA

O primeiro Re-Pa da temporada tinha tudo para não empolgar a massa. Não é o mais decisivo para os rumos do Campeonato Estadual e não define nada em termos de classificação, mas atrai a atenção da torcida por ser repleto de novidades nos dois lados. Imprevisível e aberto a possibilidades, o clássico muitas vezes dá o tom do que será a temporada para os velhos rivais.

No ano passado, porém, o resultado criou falsas expectativas para a torcida alviceleste. O Papão jogou melhor e saiu vencedor, aplicando um surpreendente 3 a 0, mas não chegou nem à decisão estadual. Terminou em quarto lugar no Parazão e viu o ano passar sem festejar títulos ou acesso.

O Remo, que não conseguiu vencer o rival ao longo do ano, saiu-se ligeiramente melhor. O acesso não veio, mas a conquista do bicampeonato estadual serviu como prêmio de consolação.

A plateia que vai encher o estádio Jornalista Edgar Proença hoje à tarde terá a oportunidade de avaliar o nível técnico dos reforços que a dupla Re-Pa contratou para a competição. Das 21 aquisições (12 azulinas e 9 bicolores), pelo menos 9 estarão em ação desde o início do jogo.

No Remo, estão confirmados Jackson, Gustavo Ermel, Xaves, Charles, Douglas Packer e Robinho. No PSC, Netinho, Serginho e Alex Maranhão.

Depois de sucumbir (de virada) para o Castanhal domingo passado e enfrentar um princípio de crise com o vazamento de conversa gravada do diretor Felipe Albuquerque, o Papão se reergueu com a classificação na Copa do Brasil.

Imagem

O avanço na competição, com a consequente premiação, trouxe um astral positivo e concedeu tranquilidade ao técnico Hélio dos Anjos e ao time, que começava a ser cornetado pela torcida. O Remo, que ainda não encantou a torcida, mas lidera o campeonato, tem a chance de desfazer desconfianças em relação às escolhas do técnico Rafael Jaques.

Por tudo isso, o clássico pode ser novamente um divisor de águas trazendo fogo e paixão a uma competição que ainda não empolgou as torcidas.  

Bola na Torre

O programa começa às 22h30, após a transmissão do jogo da NBA, na RBATV. Guilherme Guerreiro comanda, com participações de Giueppe Tommaso e deste escriba de Baião. Em pauta, a quarta rodada do Campeonato Estadual, com ênfase no clássico Re-Pa.

Um balde de água fria no entusiasmo do Japiim

O estádio Maximino Porpino, em Castanhal, não cumpriu as especificações técnica e continua impedido de receber público. Por isso, o jogo deste domingo, entre Castanhal e Carajás, será disputado com portões fechados. A comunicação foi feita na sexta-feira e representou um duro golpe para o time da cidade, que faz uma boa campanha no Parazão, incluindo vitória histórica sobre o PSC na última rodada.

Por culpa da gestão municipal, responsável pelo estádio, os laudos técnicos demoraram a ser cumpridos. O torcedor, que não tem nada a ver com a negligência do poder público, fica impossibilitado de ver e incentivar o time treinado por Artur Oliveira.

Botafogo & Honda: uma parceria interessante

Para um clube que é um dos recordistas mundiais em quantidade de craques – Garrincha, Nilton Santos, Didi, Amarildo, Jairzinho, Afonsinho, Gerson, Paulo César Caju, Seedorf etc. –, o Botafogo faz um giro radical de perspectiva para festejar um meia-armador que vem do Oriente e que em outros tempos teria dificuldades para conquistar um lugar na estrelada meiúca alvinegra.

Sinal de novos tempos, a vinda de Keisueke Honda, 33 anos, com passagens por Milan, CSSSKA e seleção do Japão, diz muito mudança de perfil do Botafogo e reveladora da globalização do futebol.        

Imagem

Como marketing, a contratação se insere no patamar do que foi feito antes com Clarence Seedorf, craque holandês que dignificou a Estrela Solitária. Um meio-campista clássico que escolheu o Botafogo para desfilar cadência e estilo na última temporada de sua carreira.

É improvável que Honda obtenha o mesmo sucesso de Seedorf, até pela diferença técnica entre ambos, mas, na situação atual do Botafogo, envolto em dívidas e incertezas, sua chegada representa um alento ao torcedor e indica a abertura de uma rota mercadológica da marca alvinegra em direção ao mercado asiático.

Que Honda seja muito feliz na missão de fazer botafoguenses felizes.  

Torcida pelo Brasil no Oscar

Em tempos sombrios de censura ao conhecimento, de ódio à cultura e às artes, a coluna se integra à imensa torcida brasileira pelo documentário “Democracia em Vertigem”, de Petra Costa, que concorre ao Oscar na noite deste domingo. Um filme que impressiona pela fotografia precisa de um período perturbador de nossa história.  

(Coluna publicada na edição do Bola deste domingo, 09)

O disparate da hora

Bolsonaro voltou a citar, nesta sexta-feira 7/II, palestra na qual Alexandre Garcia, ex-jornalista da TV Globo, compara brasileiros a japoneses. “Inventaram agora ‘racismo reverso’. Não sei o que é isso e vou mandar alguém estudar. Eu tô dizendo que o povo japonês é uma raça superior e nós, todo o resto, somos inferiores. Daqui a pouco alguém vai entrar no Supremo com uma ação de racismo reverso. Já imaginou ser condenado por racismo reverso? Você não pode falar mais nada, poxa. Isso é uma verdade”, disse ele na saída do Palácio da Alvorada. (Do Conversa Afiada)

Honda veste o manto alvinegro e é apresentado para os fanáticos botafoguenses

Honda surge diante de uma multidão de botafoguenses — Foto: Caíque Andrade

O forte calor neste ensolarado sábado foi incapaz de afastar o alvinegro do Nilton Santos. No dia da apresentação oficial do japonês Honda como principal reforço do Botafogo para 2020, a torcida começou a chegar em peso ao estádio desde bem cedo. O gringo de 33 anos chegou ao estádio às 10h40, concedeu coletiva em sequência e pisou no gramado pontualmente às 13h.

A primeira atração foi ver Matheus Nascimento em amistoso do Botafogo contra o Boavista entre os times da categoria sub-17. E o camisa 9 não decepcionou, abrindo o placar e participando do segundo gol. O jogo terminou em 3 a 0 para o Glorioso.

Honda vai na galera agradecer ao carinho da torcida do Botafogo — Foto: Caique Andrade

“De início, decidir vir para cá porque as pessoas daqui estavam esperando por mim. Eles vieram, fizeram contato em todas as redes sociais. Senti essa emoção deles, essa animação no aeroporto. Eu nunca vi nada assim. Nunca vi algo tão bonito em toda a minha vida. Acho que essa paixão dos torcedores me fez decidir jogar aqui”, afirmou o jogador ante de entrar no gramado.

Honda faz embaixadinhas após ser apresentado como reforço do Botafogo — Foto: Caíque Andrade

(Com informações do UOL e Globo Esporte)

Volante quer estrear no Re-Pa

Depois de defender o Operário-PR na Série B, o volante Gelson completou ontem uma semana como jogador do Remo. Na última segunda-feira, ele foi apresentado oficialmente como novo reforço do Leão paraense. Totalmente adaptado no novo clube, Gelson vive a expectativa de ser relacionado para o duelo do próximo domingo, às 16h, contra o PSC no estádio Mangueirão. “Um clássico é sempre difícil de jogar, mas o trabalho foi muito bem feito nesta semana e estamos preparados para a decisão. Estou me sentido bem. Fui recebido com muita positividade pelo elenco e estou motivado para estrear no clássico”, declarou o volante de 26 anos.

Com uma semana de treinos no Remo, Gelson vê um ambiente de trabalho muito bom no atual líder do estadual. Ele projeta brilhar com a camisa do clube paraense. “Estou muito focado nos treinos e o Remo nos dá uma ótima condição de trabalho. Espero fazer história por aqui. Vim para cá com o intuito de ajudar o clube em todos os seus objetivos de 2020”, finalizou o volante.

A frase do dia

“No dia da eleição a cabeça do povo, majoritariamente, com culpa ou sem culpa, votou no Bolsonaro. Esse cidadão tem que parar a brincar e passar a governar, é isso que ele tem que fazer. O PT não tem que ficar torcendo para dar um golpe todo dia, eu sou contra impeachment sem crime de responsabilidade, nós temos que fazer oposição, o papel da oposição é fazer oposição, é criticar, é propor, é ir para a rua conversar com o povo, esse é o papel do PT”.

Lula

Veja aponta que procuradores da Lava Jato receberam dinheiro de doleiro

Procuradores do Ministério Público Federal do Paraná (MPF-PR), órgão responsável pelas denúncias da Lava Jato em primeira instância, também receberam dinheiro de Dario Messer, conhecido como o “doleiro dos doleiros”. Ele já havia pago propina ao procurador Januário Paludo, que inspirou o grupo no Telegram “filhos de Januário” e fez vários ataques ao ex-presidente Lula. A informação é da coluna Radar. Memmbros do Rio de Janeiro (MP-RJ) estão constrangidos com o inquérito o pedido de propina. 

Os diálogos de Dario sobre a propina ocorreram em 2018 e foram obtidos pela Polícia Federal do Rio de Janeiro durante as investigações que basearam a operação Patrón, última fase da Lava Jato do Rio.

Nas conversas obtidas pela PF, Messer fala a sua namorda, Myra, sobre o andamento dos processos que responde e diz que uma das testemunhas de acusação contra ele teria uma reunião com Paludo. Depois, afirma à namorada: “Sendo que esse Paludo é destinatário de pelo menos parte da propina paga pelos meninos todo mês.”

De acordo com as investigações, os “meninos” são Claudio Fernando Barbosa de Souza, o Tony, e Vinicius Claret Vieira Barreto, o Juca. Os dois trabalharam com Messer em operações de lavagem de dinheiro investigadas pela Lava Jato do Rio. 

Em depoimento prestados em 2018 à Lava Jato no MPF-RJ, Juca e Tony disseram ter pago US$ 50 mil (cerca de R$ 200 mil) por mês ao advogado Antonio Figueiredo Basto em troca de proteção a Messer na PF e no Ministério Público. Basto já advogou para o doleiro.

Atleta do Leão conquista ouro no boliche

A paraense Dayse Silva, atleta de boliche, retornou a Belém depois de conquistar o título de campeã na 40ª Taça S. Paulo Clubes, realizada no final de janeiro em Guarulhos (SP). Ao lado da paulista Roberta Rodrigues, a atleta ocupou o 1º lugar no pódio da primeira divisão de duplas femininas na categoria principal adulto e para a participação nesta competição, contou com apoio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel).

Na competição, a dupla disputou 20 partidas ao todo, vencendo todas em três dias de competição. Dayse e Roberta derrubaram 7821 pinos, 797 a mais que a dupla segunda colocada. Essa não foi a primeira vez que Dayse subiu ao pódio na Taça S. Paulo e com o resultado conquistado em Guarulhos, a veterana está entre os seis melhores colocados no ranking nacional e a posição que lhe garante a oportunidade de participar de competições internacionais.

Entre as muitas vitórias ao longo de 30 anos de carreira, Dayse, que é atleta do Clube do Remo, conquistou o bronze no Sul-Americano de 2016, em Cali, na Colômbia e 2020 já iniciou com medalha de ouro.

“Eu sempre pratiquei outros esportes, mas fiquei desafiada com o boliche. Três meses depois de começar a praticar, já estava na seleção paraense. Seis meses depois fui revelação do Brasileiro da modalidade, em Belo Horizonte. E de lá para cá subi no pódio em eventos nacionais e internacionais. Comecei esse ano com o pé direito conquistando ouro em Guarulhos. Espero repetir o mesmo resultado nas competições que estão por vir”, finalizou. O próximo desafio será competir na Taça Brasília, que será realizada de 13 a 15 de março.