Dunga errou ao deixar Ganso e Neymar fora da Copa

 

Por Mauro Cézar Pereira (da ESPN)

A seleção de Dunga era resultado de quase quatro anos de trabalho quando disputou a Copa de 2010.

A de Mano Menezes tinha menos de um ano de existência ao estrear na Copa América deste ano.

O time do capitão de 1994 era forte na defesa, ótimo no contra-ataque, e contava com jogadores experientes, de outros Mundiais. Faltava uma pitada de talento.

O de Mano refletiu uma renovação. Tanto que começou os 2 a 2 com o Paraguai com nove jogadores que não eram titulares na África do Sul.

No time de Dunga, se convocados, Neymar e Paulo Henrique Ganso não seriam protagonistas, mas jovens talentosos à disposição para ajudar. Ou ao menos ganhar experiência.

Na equipe de Mano eles viraram personagens centrais, “os caras” em meio às mudanças radicais em relação ao time de 2010.

Incrível como alguém consegue concluir que, por não terem ido bem no renovado time da Copa América, ambos fracassariam em gramados sul-africanos.

Pelo menos teriam convivido em ambiente de Mundial, mesmo sem entrar em campo, como tantos os Dunga’s Boys. E se entrassem… Só Deus sabe o que aconteceria.

Neymar e Ganso são talentosíssimos, ganharam dois Estaduais, uma Copa do Brasil e uma Libertadores em pouco mais de um ano.

Muitos jogadores passam a vida inteira sem sequer se aproximarem de tantas conquistas. Desprezar tamanho talento é tolice. Com um toque de pretensão, talvez.

13 comentários em “Dunga errou ao deixar Ganso e Neymar fora da Copa

  1. Se levarmos em consideração aquele momento vivido pela dupla com a camisa do Santos, com certeza o Dunga errou. Entretanto, o tempo, se encarregou de mostrar que a dupla dinâmica da vila Belmiro, não estava pronta ainda para tais responsabilidades. Se na Copa America que o Brasil acabará de ser eliminado, ambos foram apenas razoaveis, em uma competição, que tem um nível muito aquem de uma Copa do Mundo, eles não corresponderam o esperado o nosso conterrâneo Ganso (ainda tem uma desculpa para fiasco, pois estava voltando de contusão) já o Neymar não tem nenhum argumento que justifique seu fraco desempenho.
    Então, no meu entendimento, mesmo que de forma errado, o ex-treinador da seleção Dunga, acertou em não levar a duçla Santista, posso ate está enganado com o que acabo de escrever, mais se olharmos, para os números e para coincidências.

    Curtir

  2. Mas agora eles tem experiencia em jogo oicial e competições e se eles tiverem boa cebça vao tirar lições disso tudo e eles vai melhorar nos amistosos seguinte, sem falar que eles tem idade olimpica, ano que vem será uma experiencia a mais, uma competição de gande porte melhor que a copa america, mas se no proximo amistoso (Alemanha) não mostrarem isso, ai vai ficar muito dificil.

    Curtir

  3. Na mosca Gerso.

    Devia ter levado os caras sim.

    uma bolinha que o ganso colocasse o luiz fabuloso na cara do gol resolvia nosso problema.

    a não ser que o Dunga colocasse o pato lá na frente pra desperdiçar as jogadas criadas pelo Ganso.

    Vixe e o frango estava lá tambem. hehe

    Curtir

  4. O texto do MAURO CESAR da ESPN é perfeito e enfático como o próprio jornalista so quem tem o prazer de ter TV a cabo a assistir ESPN sabe como esses caras são bons !!!

    Curtir

  5. Nada pode passar de suposições. Na ocasião a mídia exigiu e não foi atendida para sorte ou azar da dupla, mas só Deus sabe. Acredito que seria prematuro e pouco aproveitáveis e certamente os vilões da derrocada.

    Curtir

  6. 1. o time do Dunga (que refletindo a safra dos jogadores brasileiros sempre foi meia boca) já estava formado a 4 anos, e o Ganso e o Neimar só começaram a se destacar em meados do primeiro semestre de 2010, no campeonato paulista (que todos os corneteiros da imprensa, principalmente da paulista, dizem que não é parâmetro para nenhuma outra competição maisacirrada), e, no caso do Ganso, após desempenho individual discretíssimo vestindo a amarelinha na seleção sub 20;

    2. O Mano Menezes pode ter menos de um ano de existência no comando da Seleção, mas muitos integrantes do elenco e do próprio time titular nacional, já tinham na estréia da CA experiência na Seleção e em competições internacionais. O próprio Ganso e o Neimar já tinham disputado jogos contra times Sulamericanos bem melhor qualificados técnica e psicologicamente que dos que estes que enfrentaram na malograda campanha da CA. A rigor, no grupo, só muito poucos eram mais inexperientes do que o próprio Mano;

    3. No time do Dunga faltou bem mais do que uma pitada de talento. Faltou que o talento que existia lá se confirmasse no momento decisivo. Ao contrário, o talentosíssimo Julio Cézar p. ex, falhou num momento capital, e, diga-se, numa bola facílima (Terá sido a Jabulani?). E o Ganso e o Neimar, nada obstante o incipiente talento que ostentavam na ocasião, ainda não tinham a têmpera para enfrentar uma competição daquele naipe. A prova disso foi o fraco desempenho individual (técnico e psicológico) do Ganso no campeonato internacional disputado meses ante pela Seleção sub 20. Confirmada pelo desempenho individual discreto nesta CA, mesmo depois da aquisição de mais alguma experiência (Copa do Brasil e Libertadores). Na Seleção, nesta CA, mesmo enfrentando Seleções de baixo nível técnico, o Ganso p. ex, parece que ficou escondido do jogo. Ele precisa de um acompanhamento especial para não perder o talento todo que tem (e que demonstrou claramente n’algumas jogadas que fez quando se permitiu aparecer para o jogo) naquilo que parece ser uma espécie de timidez. Já o Neimar tomou a iniciativa várias vezes, mas o jogo dele não fluiu, como flui no Santos e olha que ele teve a companhia dos seus companheiros de lá.

    4. A renovação refletida pelo time do Mano só vaia até a página 3. Afinal, Julio Cézar, Maicon, Daniel Alves, Lucio, Ramires, Elano, Robinho, dentre outros menos votados, eram da Seleção passada. Logo, considerando que destes sete, seis eram titulares, não há que se falar em mudança radical.

    5. É claro que ele não iriam fracassar na África do Sul, já que como o próprio corneteiro defende, eles não seriam protagonistas. O problema é que a maioria dos corneteiros quando reclama da não convocação dos mesmos o faz como se a falta deles tenha representado o malogro da Seleção.

    6. Nas entrelinhas o Corneteiro disse que a discretíssima atuação da dupla Neimar e Ganso na CA deveu-se ao fato deles não terem sido convocados. Isso é muito ressentimento corporativo. PERALÁ!

    7. Neimar e Ganso são talentosíssimos, sim. E só Deus sabe se não foi muito bom para a carreira deles que a convocação para a África do sul não tenha ocorrido. Afinal, eles não só não se queimaram, como a atuação deles na CA mostra que fatalmente teria acontecido acaso eles fossem jogados às feras (verdadeiras) do futebol mundial; como também tiveram seus direitos federativos valorizadíssimos mediante a flagrante superestima de seus inegáveis talentos, tudo com vistas a materializar os ressentimentos corporativos de determinados segmentos da midia.

    8. Em resumo, com todo o respeito às abalizadas opiniões em contrário, a midia esportiva deve deixar de lado os ressentimentos decorrentes das grosserias do Dunga e profissionalmente abrir os olhos para o futuro.

    Curtir

  7. Como meu comentário anterior (o qual não salvei) foi apanhado na malha fina, vou tentar postar aqui só o resumo (tomando o cuidado de salvá-lo antes):

    A midia deu agora para falar numa tal de “viuvez do Dunga”. Mas, comentários como estes do MCP, demonstra o imenso ressentimento corporativo de boa parte da midia esportiva brasileira,com o malogrado treinador. Tal ressentimento a na posição de “Infelicitada” do Dunga.

    Curtir

  8. Concordo Kelson. Os caras não baixam a guarda pra Confedereção Brasileira do Furto… digo, Futebol, e estão num patamar bem acima de idiotas, pachecos e baba-ovos da Globo e de alguns da Band. Assisti a uma reportagem especial na semana passada sobre Diego Forlán e o projeto de soreguimento do futebol uruguaio conduzido por Oscar Tabárez, que não se prende apenas ao futebol, mas também à educação de jovens jogadores e à formação de cidadãos com profunda consciência social. E ontem mesmo li uma crônica do Lúcio de Castro sobre o sucesso do Uruguai nos últimos 2 anos em decorrência desde processo, em que pese alguns tropeços e derrotas pois, sabemos, trata-se de futebol. Interessantísimos o texto do Lúcio – que por sinal é um historiador – e a reportagem!

    Curtir

  9. O Dunga esteve certo em não levar os dois na Copa de 2010. A falta de experiência uma hora iria pesar. Mesmo que eles jogassem contra a Holanda, não renderiam muita coisa.
    Existem muitos jogadores muito bons, mas que nunca vingaram nas seleções de seus paises. O Messi é um exemplo disso.

    Curtir

  10. Ás vezes me alongo em meus posts,é meu estilo até porque quanto mais estudo psicologia mais dá vontade de escrever ,só peciso aprender a fazê-lo.
    MAS SEREI breve.
    Se o” burrocutu ” Mello deu um passe meio gol para o Robinho numa defesa escancarada daquela Holanda ,imaginem o que não faria o nosso GANSO .Ganso estaria motivado,teria um incentivo de tecnico que privilegia os craque s,no caso se Dunga fosse assim, estaria ligadissimo .Neymar acho que não.Mas ganso teria dado uns 4 passes daqueles.E tem mais na Copa AMÉRICA ELES ESTAVAM SENDO COBRADOs como protagonista ,na COPA DA ÁFRICA SERIAM COADJUVANTES o que facilitaria ,tiraria o peso da responsabilidade.Ganso teria arrumado pelo menos o empate e depois penaltis.Penaltis?Meu DEUS .

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s