Papão vacila na defesa e cede empate

O Paissandu desperdiçou boa oportunidade de disparar na liderança do grupo A do Brasileiro da Série C ao empatar com o Fortaleza, por 1 a 1, na tarde deste domingo, no estádio Edgar Proença. Paulão, aproveitando cruzamento perfeito de Tiago Potiguar, marcou o gol alviceleste logo aos 18 minutos do primeiro tempo. A vantagem inicial deu a impressão de que o jogo seria amplamente dominado pelo Paissandu.

Ocorre que, apesar de algumas boas chances criadas (principalmente por Tiago Potiguar), os atacantes paraenses não acertavam nas finalizações. Marquinhos, Tiago Potiguar e Bruno Rangel desperdiçaram lances diante do goleiro Douglas ainda na primeira etapa.

O Fortaleza buscava atacar, mas errava muitos passes, principalmente pelo lado direito da defesa, permitindo seguidos avanços de Tiago Potiguar em contra-ataque. Aos 44 minutos, em erro de marcação dos zagueiros do Paissandu, o lateral Jeff cruzou para a área e Finazzi complementou para as redes, mas o gol foi anulado, pois Paulo Isidoro estava adiantado.

Mais sólido na marcação e bem mais ágil no ataque, o Fortaleza retornou do intervalo disposto a empatar. Adiantou a marcação e acuou o meio-campo bicolor. Com Rinaldo substituindo a Danilo Portugal, os cearenses passaram a criar boas jogadas e esteve perto de empatar aos 20 minutos, em cruzamento de Jeff Silva. Quatro minutos depois, Rinaldo voltou a criar uma boa situação, mas Fávaro se antecipou e defendeu bem.

O Paissandu tinha mais posse de bola, mas não conseguia mais agredir como no primeiro tempo. Aos 40 minutos, o lance que calou a grande torcida bicolor presente ao Mangueirão. Éder recebeu livre pela direita e chutou forte. Fávaro espalmou para a frente e Finazzi, livre, tocou para as redes, empatando a partida. E, aos 44, Rinaldo quase marcou o segundo, errando na finalização dentro da área.

O Paissandu se manteve em primeiro lugar na chave, com 11 pontos. No próximo sábado, às 19h, enfrenta o Águia de Marabá, no Zinho Oliveira. (Fotos: MÁRIO QUADROS/Bola)

13 comentários em “Papão vacila na defesa e cede empate

  1. O resultado confirma a avaliação de que o Paysandu é um time comum num grupo fraco. Bastou o Fortaleza jogar um pouco que já deixou expostas as fraquezas do time na defesa.

    O Paysandu tem um sério problema no preparo físico e que vem se agravando a cada jogo. Hoje foi visível logo no início do segundo tempo o desgaste da equipe, que terminou a partida se arrastando. O Fortaleza, sabidamente um time velho, terminou o jogo muito melhor e por pouco não saiu vencedor. A imprensa endeusa demais certos jogadores do alvi-azul e a cada partida vemos que eles são atletas de nível apenas regional.

    E o remo? Esse não merece nem comentários. Vive seus últimos suspiros na quarta divisão… Que dia, hein?

    1. Amigo no que diz respeito ao preparo físico, estou com você. Mais não se esqueça de que ontem o calor era insuportavel, mais mesmo assim não e desculpa para à cida de rendimento do time no segundo tempo. Minha opnião!

  2. Os jogadores do Papão estavam visivelmente cansados no segundo tempo.

    Para variar, Bruno Rangel resolveu reforçar a máxima de que só faz gol em time pequeno.

    Sandro estava mal e Tiago ficou muito sobrecarregado na criação das jogadas.

    O Paysandu não pode depender do Bruno Rangel e nem de Zé Agusto.

    O time precisa também de um Camisa 10 de verdade. Marquinho é esforçado, mas limitado na criação.

    O Charles mexeu mal. O jogo era para Vaninho e não pra Gean Sá.

    O Paysandu não pode nem pensar em perder para o Águia, senão, a coisa vai se complicar.

  3. É flagrante que precisamos de 2 jogadores de criação. Fabricio pode ser transformado em volante, pois hoje fez muito bem esse papel, mas não tem força pra sair para o ataque.

    Sofremos o empate e quase a derrota por deficiencia no meio campo, onde o Fortaleza, mais inteiro, comandou as ações. Tácio e Sandro cansaram por não terem mais 2 jogadores com o preparo físico deles.

    Zé Augusto precisa ser ciente de sua atual situação e o próprio pedir para parar. Gean Sá entrou bem, pode ser útil nesta Série C.

    Concordo com o Diogo, hoje o jogo seria para o Vaninho, com Gean Sá e Tiago na frente.

    Empatamos quando podemos, serve para chacoalhar esse time e mostrar para “alguns” que ainda não estamos nem no meio do caminho.

    1. Concordo no que diz respeito ao Zé Augusto! Acho que o mesmo, já deveria seguir o caminho do DIDI é, ter a mesma coragem para encerrar a carreira.

  4. e ainda roubaram um gol legítimo do Fortaleza, mas não ia lotar o mangueirão? e olha que era contra o Fortaleza kkkk a infiel é uma piada mesmo kkkkk ô vovô pé frio kkkkk

    1. Perder para o Mapará 3×1, não tem preço!!!!!!!!!!!

      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

      Por sorte estavam classificados senão!!!!

  5. Se voce fosse sincera, ÔOOOO, AURORA. Vão morrer no alvorecer da segunda fase. R$ 470.000. Lá 12.000.

  6. A Roberto Freitas:
    Meu caro, o PSC é um time de terceira divisão. Nenhum torcedor é doido em pensar o contrário, mas creio que inferior ao Fortaleza e aos demais times da terceira não.

    Time comum? Comum é tudo e nada ao mesmo tempo. Vejo que o PSC é superior no seu grupo e tem grandes chances de subir num mata, pois a camisa ainda “pesa” a favor do time de massa.

    Agora, meu caro, você parece que deseja ser o “Abutre” do futebol paraense, vindo ao blog para fazer cobranças impossíveis, afinal o que você espera de Remo e PSC? Times de primeira na terceira e quarta? Isso não existe meu caro! Temos que formar times para ganhar a competição, pois estamos na terceira e quarta.

    Quanto ao Paulo Cruz. Bem tenho certeza que no fundo ele deseja que Remo e PSC subam, afinal níguem pode ser tão bobo em ficar feliz com os dois nesta situação.

    1. Olá Celira eu concordo com você em parte, creio que é bom para ambos PSC e REMO e para o proprio futebol Paraense que os dois estivessem na serie B pela tradição e torcida e acredito que os torcedores no fundo também almejam isto, agora com relação aos investimentos do REMO 300.000 de folha mensal e PSC com 500.000 é de se esperar melhores resultados como por exemplo o ALECRIM de Natal disputa a serie C e tem uma folha mensal de 100.000 e tem real condição de passar a proxima fase um investimento de um terço do REMO que disputa a serie D e que até o momento não convenceu nem a sua propria torcida.

  7. Ninguém está denominado o Paisandú de máquina. Quanto ao Remo, o Giba sabe o que diz, voces é que não entedem.

  8. O Paysandu deveria conceder ao Zé Augusto uma licença para ele cuidar de seus assuntos eleitoreiros.
    É notório que o jogador quer fazer dessa campanha na Série C o trampolim final de seus objetivos.
    Isso ficou patente contra o Rio Branco quando preterido pelo treinador, jogou o colete no chão ao retornar ao banco. Contra o Águia na marcação do penalty quando saiu comemorando como se tivesse feito um gol de placa e ontem, visivelmente fora de forma, pouco ou quase nada fez.
    São inquestionáveis os serviços prestados pelo Zé às cores alvi-celestes, mas está na hora de parar. Sob o risco de em vez de amealhar mais alguns votos, perder os que ainda tem.

Deixe uma resposta