Guardiola e Bielsa

Por Edyr Augusto Proença – especial para o blog

Bielsa x Guardiola: mestre e discípulo se encontram neste sábado no  Campeonato Inglês - Jornal O Globo

As equipes dirigidas por Guardiola e Bielsa, no Campeonato inglês deram uma aula de futebol na tarde deste sábado. O primeiro, sem pagar para ver, colocou seu time para agredir vigorosamente o adversário logo no primeiro minuto, conseguindo marcar um gol. Aos poucos, fisicamente, o time de Bielsa se recompôs, passando a ter alguma supremacia, o que colaborou para uma partida excelente.

Marcação sobre pressão, passes rápidos, recomposição imediata, marcação dura mas leal, com raras faltas. Caía uma chuva intensa e nem por isso o campo de jogo ficou alagado. A questão é que Guardiola comanda uma legião estrangeira de grandes craques, que jogam nas seleções de seus países, enquanto Bielsa vem com o Leeds desde a Segunda Divisão, apresentando novos jogadores, todos com a compreensão exata do jogo coletivo, tirando o melhor de cada um. E esse melhor, em ambos os times era o passe perfeito, vertical, ousado.

Em campos magníficos, isso é essencial. Claro, não se trata dos campos em que são jogados as partidas do campeonato paraense, no período chuvoso, no interior. Aí é outro esporte, apelidado de futebol. Mas o jogador brasileiro desaprendeu a passar. Mínimos passes ousados não são feitos por medo ou certeza de errar. E o passe é sempre com a bola rasteira, servindo ao companheiro. Pelo contrário, sempre passamos uma bola quicando, fazendo nosso companheiro dar dois ou três toques para dominar, permitindo a chegada do adversário.

Pep Guardiola Reveals What Marcelo Bielsa Told Him Post Manchester City &  Leeds United 1-1 Draw

Como dizia Neném Prancha, a bola é de couro, couro de vaca, e vaca come capim. A bola precisa rolar. Os zagueiros, hoje, precisam saber jogar. A única saída, por enquanto, para nós, talvez fosse escalar jogadores de meio campo, com alguma estatura para a zaga, pois a saída de bola é muito importante. Agora, convencer nossos jogadores a correr pelos companheiros, marcar ao invés de aguardar um possível erro para estar bem colocado para receber a bola, ainda é difícil.

Após Manchester e City, assisti Grêmio e Internacional, que foi uma lástima, certo, um clássico, com detalhes emocionais, mas mesmo assim. Atletas fortes, mas com pouca compreensão do jogo, da tática e sim atuando para não perder, aguardando o erro adversário para obter alguma vantagem. Guardiola x Bielsa foi um show.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s