Pearl Jam lança coleção de camisas das seleções da Copa

Pearl-Jam-Brasil

Pearl-Jam-camisas

O clima de Copa do Mundo já começa a tomar conta. Se você ainda não está sentindo e gosta de Pearl Jam, isso aqui pode te fazer mudar de ideia. A banda de Seattle (EUA) lançou nesta terça-feira uma linha de camisas temáticas para a Copa do Mundo de 13 países, com o nome da banda e o logo. A linha é produzida pela Copa, uma marca que faz muitas camisas retrô.

Os elementos de design do Pearl Jam estão combinados com cores e conceitos de alguns dos times de futebol preferidos da banda. Os países selecionados são Argentina, Brasil, Chile, Inglaterra, França (foto abaixo), Alemanha, Irlanda, Itália, México, Holanda, Portugal Espanha e Estados Unidos. Se você reparou bem, curiosamente, das 13 camisas de seleções, cinco não se classificaram para a Copa do Mundo (Chile, Irlanda, Itália Holanda e Estados Unidos).

france

As camisas trazem elementos que, de fato, lembram muito as camisas das seleções. O design é bem interessante, com cores bonitas. A do Brasil (primeira foto) ficou bem bonita e, para quem não gosta muito da camisa oficial, eis uma opção que ainda é interessante para quem curte o rock do Pearl Jam. Você encontra todas as camisas na loja oficial do Pearl Jam ou na loja da Copa. O preço é de US$ 60 (cerca de R$ 205,00). Abaixo, os modelos de camisa da Inglaterra, Irlanda e Portugal. (Transcrito do Trivela)

Pearl-Jam-Inglaterra

Ireland

portugal

Depois de isolar Lula, PF proíbe visitas alegando “razões de segurança”

ger120667

Por Dayane Santos, no Portal Vermelho

De acordo com o G1, a justificativa para a mudança “são questões de segurança”, no entanto, a Polícia Federal não informou se essa mudança vale apenas para essa semana. Quarta-feira é o dia de visitação para os presos que se encontram detidos na superintendência da corporação, em Curitiba.
A defesa do ex-presidente Lula solicitou que as visitas ocorressem às quintas. O advogado Cristiano Zanin Martins, que esteve com Lula em todos os dias de seu encarceramento, solicitou a data ao superintendente da Polícia Federal no Paraná, Maurício Valeixo, e ao delegado Igor Romário de Paula, que fazem os contatos com os defensores.
Nesta terça-feira, nove governadores estiveram em Curitiba para visitar o ex-presidente, mas foram impedidos pelo juiz Moro e pela juíza da vara de execução penal, Carolina Moura Lebbos. A juíza seguiu a tese de Moro e disse em sua decisão que estava vetando “privilégios”.
“Uma juíza pode dizer em que termos se dará a visita ao presidente Lula. Mas jamais impedir um direito previsto expressamente em lei e chamá-lo de ‘privilégio’. Ou é prepotência, ou é desconhecimento. Mais uma página triste e inusitada”, resumiu o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), que estava entre os governadores que foram a Curitiba.
Ele se refere à Lei de Execução Penal que garante aos cônjuges, companheiros, parentes e amigos o direito de visitar presos. “Obviamente ‘regras de carceragem’ não podem revogar um direito previsto em lei. E eventual regulação judicial não pode ser desproporcional ou ofensiva ao bom senso”, argumentou o governador, que também é professor de Direito Constitucional e juiz federal.
“Esse episódio deplorável contra agentes públicos, eleitos pelo voto popular, mostra uma profunda animosidade contra o presidente Lula. E a juíza esqueceu que os Poderes são independentes e harmônicos, como manda a Constituição”, acrescentou.

Mídia segue campanha
A grande mídia segue o roteiro de tentar desconstruir a imagem do ex-presidente e tratá-lo como inimigo. A Rede Globo não cansa de publicar o infográfico em que transforma a solitária em que Lula foi colocado num suposto “tríplex”. Nas edições, insinuam que o fato de Lula ter cama, mesa e um banheiro é um privilégio é não um direito. “Na sala especial de Lula tem uma cama de solteiro, mesa, cadeira e televisão”, diz a legenda do G1.
Mas além disso, a nova pauta dos grandes meio de comunicação é dizer que a prisão de Lula esta prejudicando o atendimento ao público na PF. Enquanto afirma que a PF suspendeu as visitas por questões de segurança, a imprensa diz que “o entorno da Polícia Federal está bloqueado pela Polícia Militar (PM), que reforçou o policiamento na região”.