Antonio Candido morre aos 98 anos – e o Brasil fica menos sábio

12 de maio de 2017 at 14:14 1 comentário

image_large

O escritor, crítico literário, sociólogo, professor e um dos mais importantes pensadores e ativistas sociais do século 20, Antonio Candido, morreu à 1h40 desta sexta-feira (12), em São Paulo, aos 98 anos. Seu corpo está sendo velado no Hospital Albert Einstein, em cerimônia que prossegue até as 17h. O hospital não informou a causa da morte.

Antonio Candido ingressou na Universidade de São Paulo (USP) no início dos anos 1940 tendo como colegas de universidade figuras como Florestan Fernandes e Aziz Ab’Saber. Pertence a uma geração que ajudou a construir leituras e pensamentos que formariam o Brasil resistente do século 20.

Há alguns anos, este redator o visitou em sua casa. Por sugestão do amigo Flávio Aguiar, professor aposentado de Literatura da USP e colunista da RBA, a finalidade da visita foi presentear Candido com exemplares da Revista do Brasil e conversar sobre o país. No encontro de 30 minutos, o anfitrião transbordou sensibilidade, sabedoria e lucidez. Não quis gravar entrevista – “Já falei o bastante, prefiro dar a vez aos outros” –, mas aprovou a iniciativa do diálogo e agradeceu com brilho sincero nos olhos o presente. A acolhida foi retribuída com atenção aberta e bloco de notas, caneta e gravador guardados.

Estudioso do marxismo e “tradutor” dessa ciência para todas as fases do capitalismo de Marx em diante, o professor militava naqueles anos 1940 no antigo Partido Socialista, ao lado de Florestan e Aziz. Dizia ele que a discordância teórica e prática dos comunistas do antigo PCB, seguidores do stalinismo e do real socialismo soviético, bastava para ser classificado como “trotskista”. “Era um xingamento”, ironiza ele, em depoimento ao documentário Marighela, de Isa Ferraz (2011).

O futuro do país e do mundo, dizia Antonio Candido, a construção de um novo modelo como meio de superação das inviabilidades do capitalismo para a humanidade passa por uma nova reconstrução teórica. “Seria algo como um ecossocialismo. Tanto movimentos ambientalistas quanto organizações socialistas ainda não se convenceram de que uma bandeira não tem futuro sem a outra, mas ainda não surgiram teóricos da linhagem da Marx para dar base teórica e sustentação prática para isso”.

Sem caneta, sem gravador, essas palavras são puxadas pela memória. Não foi necessário muito esforço. Aquela voz serena e lúcida permanece nestes ouvidos até hoje.

Em suas escassas entrevistas nos últimos anos, fazia questão de observar que não necessariamente o socialismo experimentado, mas essencialmente as lutas socialistas travadas pela humanidade, foram responsáveis por avanços civilizatórios. “A revolução russa serviu para formar o capitalismo. O socialismo deu certo onde não foi ao poder. O socialismo hoje está infiltrado em todo lugar”, disse em entrevista de 2011 a Joana Tavares, no jornal Brasil de Fato. “O grau de igualdade de hoje foi obtido pelas lutas do socialismo. Portanto ele é uma doutrina triunfante. Os países que passaram pela etapa das revoluções burguesas têm o nível de vida do trabalhador que o socialismo lutou para ter, o que quer. Não vou dizer que países como França e Alemanha são socialistas, mas têm um nível de vida melhor para o trabalhador.”

Observava ele que se daqui a 50 anos no Brasil não houver diferença maior que dez do maior ao menor salário, se todos tiverem escola – “não importa que seja com a monarquia, pode ser o regime com o nome que for” –, não precisa ser o socialismo. “Digo que o socialismo é uma doutrina triunfante porque suas reivindicações estão sendo cada vez mais adotadas. Não tenho cabeça teórica, não sei como resolver essa questão: o socialismo foi extraordinário para pensar a distribuição econômica, mas não foi tão eficiente para efetivamente fazer a produção.”

O ex-presidente afirmou em nota que o Brasil perdeu hoje mais do que um dos maiores intelectuais da nossa história. “Dedicou sua vida à cultura, à democracia e à justiça social. E o fez com excelência em todos os campos. Foi um corajoso adversário de qualquer tipo de autoritarismo e já nos anos 40 fundou a União Democrática Socialista. Lutou contra a ditadura militar e durante toda sua vida se manteve fiel aos ideais da esquerda democrática”, escreveu.

Nascido no Rio de Janeiro, em 24 de julho de 1918, o intelectual era professor emérito da Faculdade de Filosofia e Letras e Ciências Humanas da USP e ganhou vários prêmios importantes da literatura, como o Jabuti, em duas edições, de 1965 e de 1993. Também recebeu o prêmio Juca Pato, em 2007, o Machado de Assis, em 1993, e o Alfonso Reyes, um dos mais importantes da América Latina

Entre as suas obras estão a Formação da Literatura Brasileira: momentos decisivos, 1959; O observador literário, 1959; Tese e antítese: ensaios, 1964; Os parceiros do Rio Bonito: estudo sobre o caipira paulista e a transformação dos seus meios de vida, 1964; Literatura e sociedade: estudos de teoria e história literária, 1965; O estudo analítico do poema, 1987; O discurso e a cidade, 1993; Vários escritos, 1970; e Formação da literatura brasileira, 1975. Antonio Candido deixa as filhas Laura e Marina de Mello e Souza.

Com informações da Agência Brasil

Entry filed under: Uncategorized.

“Lula não está tendo direito a um processo penal justo” Matilha

1 Comentário Add your own

  • 1. fernando pina  |  12 de maio de 2017 às 16:17

    A VIDA, que sempre morre,
    o que se perde, em que se perca?!
    Palavras duras de Antígona, heroína e mãe da tragédia grega, pranteando a morte de mais um de seus filhos. E pergunto: o que se perde, quando se perde a inteligência? Estrutura, eu diria! É o que me ocorre agora.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


CONTAGEM DE ACESSOS

  • 7,395,974 visitantes

Tópicos recentes

gersonnogueira@gmail.com

Junte-se a 12.952 outros seguidores

VITRINE DE COMENTÁRIOS

José FERNANDO PINA A… em Direto do Twitter
Acácio F B Elleres -… em Papão pode se safar de vez hoj…
Osvaldo Costa em Papão pode se safar de vez hoj…
blogdogersonnogueira em Campeões da objetividade
Miguel Silva em Campeões da objetividade

ARQUIVOS DO BLOG

FOLHINHA

NO TWITTER

  • A frase do dia blogdogersonnogueira.com/2017/11/17/a-f… 3 hours ago
  • RT @palmeriodoria: "Do desafio de investigar a Globo se saberá se o MPF se assumirá como poder de Estado, ou se continuará atrelado a uma o… 3 hours ago
  • RT @gosmirc: “O departamento de jornalismo investigativo da Rede Globo apurou que a TV Globo não teve qualquer tipo de envolvimento com o s… 3 hours ago
  • RT @kallilolv: O "desabafo" de Ives Gandra: "Como modesto professor, advogado, cidadão comum e além disso branco, sinto-me discriminado e c… 3 hours ago
  • RT @zehdeabreu: O cara rouba, some com 5 milhões (sumiu do cofre que só ele tinha chave), vira presidiário, e ganha a maior aposentadoria.… 3 hours ago
  • RT @robsongfreire: Lula deve ser julgado pelas urnas, aponta pesquisa. Para 57%, o ex-presidente tem o direito de se candidatar à presidênc… 3 hours ago
  • RT @cartamaior: Duas pesquisas divulgadas hoje se completam: -a Vox Populi mostra Lula líder isolado e ascendente; e a Big Data revela q 86… 3 hours ago

GENTE DA CASA

POSTS QUE EU CURTO


%d blogueiros gostam disto: