Pimenta Neves e o poder da mídia

sandragomide (1)Numa decisão que gerou forte agito nas redes sociais, a Vara de Execuções Criminais de Taubaté, no interior paulista, concedeu nesta quarta-feira (4) o cumprimento de pena de regime semiaberto para o jornalista Antonio Pimenta Neves, de 76 anos, condenado pelo assassinato de Sandra Gomide. A juíza Sueli Zeraik de Oliveira Armani argumentou que o réu, que foi condenado por homicídio doloso, tem direito ao benefício por ter cumprido um sexto da pena e manter bom comportamento carcerário. Pimenta Neves já foi considerado um dos homens mais influentes da mídia tupiniquim. Quando do assassinato, em agosto de 2000, ele era diretor de redação do Estadão.
Pimenta Neves foi condenado em 2006 a 19 anos de prisão. Ele assassinou a ex-namorada Sandra Gomide, ex-editora de economia do mesmo Estadão, com dois tiros pelas costas em um haras em Ibiúna (SP). Ele inclusive confessou a autoria do crime quatro dias após o ocorrido. Dois anos após a condenação, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) acatou recurso da defesa e reduziu a pena para 15 anos de reclusão. Ele cumpria pena na Penitenciária 2 de Tremembé, em São Paulo, desde maio de 2011, quando saiu a decisão definitiva após 11 anos do bárbaro homicídio. Segundo matéria do sítio do jornal O Globo, a Promotoria de Justiça de Taubaté ainda avalia se recorrerá da decisão.
O advogado de defesa da família de Sandra Gomide, Sergei Cobra, lamentou a sentença, mas disse que é difícil contestá-la. “Para esse tipo de decisão, não encontro elementos para contraditá-la. Ele foi beneficiado pela legislação, que retroage em favor do réu”, argumentou. Já o irmão da jornalista assassinada, Nilton Gomide, manifestou sua revolta com a proteção dos poderosos. “Do começo ao fim, a Justiça nunca foi feita. Ele levou 11 anos para ser preso e agora vai sair. É muito fácil ser criminoso no Brasil… A Justiça tem essas lacunas horrorosas, que soltam assassinos, dignas do século passado”, desabafou. (Por Altamiro Borges) 

8 comentários em “Pimenta Neves e o poder da mídia

  1. Por falar em jornalista…rsrrs…
    Um jornalista e um travesti pararam na delegacia após brigarem dentro de um carro no meio da rua na manhã desta quinta-feira (5), em Florianópolis. As agressões teriam começado após o travesti quebrar o carro do jornalista, o qual se recusou a pagar pelo programa combinado em R$ 150.
    Segundo depoimentos registrados na delegacia, o jornalista e o travesti se encontraram por volta das 3h na Praça Celso Ramos, no bairro Agronômica. Depois de combinarem o programa, os dois teriam se dirigido a um motel de São José, onde ficaram em torno de uma hora. De acordo com o travesti, ao sair do motel às margens da BR-101, o jornalista teria se recusado a pagar o valor do programa e ele ofereceu um desconto de R$ 50.
    Já de volta ao local onde se encontram na madrugada, os dois homens começaram a se agredir. Segundo a Polícia Militar, o travesti começou a quebrar o carro do jornalista, que teria se recusado a pagar pelo programa e os dois entraram em luta corporal. Em menos de 12 minutos, a PM recebeu duas ligações de pessoas que passavam pelo local e resolveram acionar a polícia para evitar maiores agressões.
    Te contar…rsrsr..

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s