Médico cubano negro x elite brasileira branca

medicos-cubanos-brasil-1

Por Renato Rovai

A foto que está circulando hoje pela internet de um médico negro de Cuba sendo vaiado por jovens brancas de jaleco branco em Fortaleza é ilustrativa do significado da insana luta a que se dispuseram muitos de nossos doutores. Eles não estão lutando pela saúde da população, mas pelos seus interesses mais mesquinhos. E por isso não aceitam que um negrão cubano, que se brasileiro fosse serviria pra catar suas latas de lixo num caminhão de coleta ou ainda carregar fardos de carga num armazém, venha para o Brasil ocupar um espaço que, inclusive, ele não deseja.

Boa parte da argumentação dos médicos que têm radicalizado no discurso xenófobo contra os que aceitaram trabalhar nos cantões do Brasil é a de que eles estudaram muito para conseguir passar num vestibular. E que os estrangeiros não. Que eles pagaram caro pelo curso. E que os estrangeiros não. Que eles investiram na carreira para ter retorno futuro. E que com a vinda dos estrangeiros isso está em risco. Este argumento final é o verdadeiro x da questão. Boa parte dos nossos médicos decidiram ser médicos para permanecer num patamar restrito da elite. Mas talvez não se deem conta de que esse corporativismo é a base da morte de milhares de brasileiros pobres e miseráveis.

Eles não são contra apenas os médicos estrangeiros ou de Cuba, mais especificamente. Eles também são contra a criação de novas faculdades de medicina. Os conselhos vivem desqualificando as iniciativas do governo pra criar novos cursos. Ou seja, a foto que está ilustrando este post é significativa para pensar o país que queremos. Se queremos um Brasil da inclusão, onde seja algo normal ser atendido por médicos negros que não sejam cubanos. Se queremos um Brasil onde estrangeiros sejam recebidos com respeito. Se queremos um Brasil onde saúde seja um direito de todos. Ou se preferimos viver num país de brancos de jalecos brancos que exigem ser chamado de doutores exatamente porque se acham acima daqueles que deveriam tratar com respeito e dignidade.

O interesse de uma corporação não pode estar acima dos interesses de toda a sociedade. E os médicos que estão nas ruas vaiando os seus colegas cubanos nunca estiveram nas ruas lutando por melhorias na área da saúde. Os que estiveram e estão nesta luta por um sistema único de qualidade, por exemplo, não se dignam a participar de um papelão desses.

Essa foto fica pra história, como a daquelas dos navios negreiros. Mas neste caso, pelo seu inverso. Porque negros de Cuba aceitaram vir pra cá contribuir pra melhorar a vida de outros negros e brancos pobres. E foram açoitados pelas vaias de brancos e brancas que se lixam pra vida dessa enorme parcela da população. Porque eles são da Casa Grande. E a Casa Grande sempre se locupletou com a péssima qualidade de vida da senzala.

Assista abaixo ao vídeo, onde um grupo de cerca de 50 médicos vaiaram e xingaram os profissionais cubanos, chamando-os de “escravos“.

Jornalista potiguar insulta médicos cubanos

Micheline Borges, uma jornalista potiguar, causou revolta nas redes sociais ao expressar sua opinião sobre os médicos cubanos que estão chegando ao Brasil para trabalhar no programa “Mais Médicos”. “Me perdoem se for preconceito, mas essas médicas cubanas tem uma cara de empregada doméstica”, afirmou a repórter. Em outro trecho, ela reclama da imagem dos profissionais cubanos. “Médico, geralmente, tem postura, tem cara de médico, se impõe a partir da aparência”.

A jornalista chega a questionar se os médicos de fato são profissionalizados, por conta da aparência deles, e questionou se eles serão capazes de tratar dengue ou febre amarela. Micheline Borges termina desejando que “Deus proteja o nosso povo.” A jornalista deletou sua conta no Facebook após a repercussão negativa de suas declarações. O tom preconceituoso do texto fez com que quase mil pessoas compartilhassem a imagem na rede social, com tons ofensivos, acusando Micheline de racismo.

O onipresente pagode de Tiaguinho

Por Jamari França

Como sabem Tiaguinho é onipresente na Globo. A última aparição foi em Malhação. Seguem 10 sugestões para novas aparições de Tiaguinho na Grobo.
1. Coroinha na Santa Missa.
2. Vaqueiro no Globo Rural.
3. Testando carros no Globo Esporte.
4. Falando de investimentos no Pequenas Empresas & Grandes Negócios.
5. Correndo a maratona no Globo Esporte.
6. Dando uma força na vingança da Emily Thorne contra os Grayson em Revenge.
7. Acidentado atendido no Hospital San Magno em Amor à Vida.
8. Ajudante de florista do Bento em Sangue Bom no lugar de Giane.
9. Motorista de bugre em Flor do Caribe.
10. Professor de geografia no Telecurso Segundo Grau.

Consequências da saída de Vitinho

Por Julio Gomes

O Botafogo faz uma temporada heroica. Sem a Unimed, sem a grana que o Flamengo recebe da TV, sem encher estádios, agora sem o Engenhão… Ganhou o Campeonato Carioca sem precisar de final, está a ponto de eliminar o campeão da América da Copa do Brasil e está a dois pontos da liderança do Campeonato Brasileiro. Os caras não recebem salários há dois meses. Dívidas fiscais representam o bloqueio das receitas – o que deveria acontecer com todos os clubes que têm dívidas.

Resumindo. É uma situação péssima extra-campo, que teria tudo para representar fracasso dentro de campo.

Mas não. Pelo contrário. Com muito profissionalismo, bons jogadores e um ótimo treinador, o Botafogo consegue resultados que simplesmente não combinam com o que normalmente estaria acontecendo. Claro, sem nunca esquecer o fator Seedorf. Um veterano que fala o idioma, já viveu tudo no futebol, é um gênio do esporte e está ensinando muitas coisas a todos dentro do clube.

E aí, com as saídas de Andrezinho e Fellype Gabriel, aparece Vitinho. E agora, vai-se Vitinho. 19 anos, revelação, ótimo jogador, evoluindo claramente a cada rodada, xodó de Seedorf.

Um jogador fundamental no Botafogo atual. Velocidade no meio de campo, drible, finalização de fora da área. Não, não é o novo Neymar. Não é Vitinho e mais dez. Mas o garoto está fazendo muita diferença para o time, suas características o fazem muito menos substituível do que a maioria dos outros companheiros.

O CSKA vai pagar a multa, o Botafogo não tem nada o que fazer. E possivelmente nem verá os 60%a que teria direito. Não adianta o torcedor quebrar tudo, xingar todo mundo… certamente o clube não queria que ele fosse embora. E só temos a lamentar que vá embora Vitinho, um menino símbolo do lixo social em que vivemos, diretamente do mundo de violência que assolou por anos o Complexo do Alemão para a titularidade, a fama, a chance de ganhar um dinheiro que nunca viu. Mais do que dinheiro, imagino o que ele não ganhou de “amigos” nos últimos meses…

e1519170-4ac3-424c-bf5c-fae9cd84bae2_vito

Esportistas como esse garoto não têm estrutura alguma para recusar tudo isso. É difícil fazê-lo entender que ficar no Botafogo representaria tanta coisa que, daqui a dois anos, todos daríamos risada da proposta do CSKA. E tem pressão de empresário, família, etc. Vai para uma cidade linda e gigante, ameaçadora e fria, cheia de pecados, pouco futebol, idioma para lá de estranho. Espero que seu entorno e o novo clube ajudem muito para que essa promissora carreira não se perca por aí. Que apareça outro Seedorf para adotá-lo no caminho.

E o Botafogo?

Bom, para mim é mais do que a saída de um jogador importante. É simbólico. Do que mais os funcionários, jogadores e treinador precisam para baixar a cabeça? Mais dramático que isso, só se Seedorf fosse embora ou se lesionasse. Ducha de água fria. É um movimento emblemático que deve tirar o Botafogo da briga pelo título. Título que já seria quase um milagre, dada a situação geral, a característica maratônica do campeonato e a concorrência endinheirada por perto. É lutar para ficar no G-4, o que já seria um feito e tanto para o Botafogo.

O futebol brasileiro continua andando para trás. A saída de mais esta promessa é uma grande pena. Seja feliz, Vitinho! Estou na torcida para que a vida seja melhor daqui para frente do que foi até pouco tempo atrás.

Dívidas forçam fechamento da TV Corinthians

TVCorinthians-canal-620x366Fruto de uma parceria realizada em 2011 entre o Sport Club Corinthians e a rede de televisão TV +, o canal ficou endividado, não conseguiu entrar na grade das grandes operadoras como a Net e sairá do ar nos próximos dias. Por meses, o Grupo Bandeirantes negociou com o clube paulista para se tornar sócio do projeto.

A ideia era realizar uma espécie de integração com a produção do BandSports, plano que chegou a ser montado para entrar em vigor ainda neste ano. No entanto, o clube desistiu da empreitada e não quer mais investir em um canal de TV.

Folha apurou que o prejuízo da TV Corinthians está na casa dos R$ 4 milhões. Com sede no Parque São Jorge, centro de treinamento do Corinthians, o canal pago teve cerca de 80 funcionários, além das parcerias com produtoras independentes.

Em sua programação, a TVC exibia treinos do time profissional de futebol, além de outras modalidades do clube como vôlei, basquete e futsal.

A TV Corinthians deixará de ser transmitida na TVA no próximo dia 30. Nas operadoras Oi e NeoTV, sairá do ar no dia 7 de setembro. Procurados, Corinthians e Bandeirantes não comentaram o assunto. (Da Folha de SP) 

Clube de futebol ou ONG?

Por Gerson Nogueira

GERSON_27-08-2013Recebi, via companheiro Rui Guimarães, a eloquente manifestação do amigo Aldo Valente, pesquisador dos mais competentes e torcedor alviceleste desde priscas eras. Transcrevo aqui a carta dirigida ao presidente Vandick Lima. “Como torcedor bicolor, senti a obrigação de apresentar meu desconforto e ansiedade, que com certeza é a mesma sensação de milhares de bicolores. Quando o senhor assumiu a direção alvi-azul pensei que os fantasmas que tanto nos atormentaram há muito tempo haviam definitivamente ido embora, que agora respiraríamos novos ares. Mas vejo que lamentavelmente estas visagens nos perseguem e nosso time de futebol continua repetindo os mesmos erros do passado”, observa Aldo.

Aldo sublinha a herança maldita da gestão anterior. “A antiga diretoria depois de nos submeter a tantos sofrimentos, de tanto marcar passo, de erros e desacertos conseguiu colocar o PSC na série B. E agora presidente? Qual o seu projeto? Aonde você pretende deixar nosso clube no ano do centenário? O que vemos é que parece que o nosso clube virou um clube de amigos, uma fraternidade. Não foi organizado um time para disputar a série B e sim forjado um time mambembe baseado numa Série C e no fracassado campeonato estadual com jogadores limitados, de péssima qualidade ou com prazos de validades vencidos”, destaca.

Critica as opções por veteranos que deram ao Papão imensos triunfos há alguns anos. “Vejam os exemplos do Vânderson e Iarley, que no passado deram tantas glórias ao PSC, hoje parece que perderam a noção de transitoriedade de suas condições físicas. Estão andando em campo e pouco ou nada contribuem para o time, mas são salários mais altos no clube e se escalam pelos nomes que têm, pois são amigos do presidente e dos ex-treinadores. Se realmente formos muito generosos podemos manter no time 2 goleiros: Marcelo e Rafael, além de Pikachu, Raul, Fábio, Zé Antonio, Ramos, Nicácio, Djalma, Capanema e só. O resto chame para rescindir contratos e deixe que sigam seu rumo”.

Ecoando as queixas de grande parte da torcida bicolor, Aldo lembra a Vandick que o Papão não pode ser confundido com uma ONG que ampara jogadores em fim de carreira, ou que não encontram mais abrigo em outros clubes: “O senhor teme problemas na justiça do trabalho? Então me responda: o que prefere, ter um clube com dívidas trabalhistas na Série B ou clube limpinho e enxutinho rebaixado na Série C? Ora, o senhor não é mais pedra presidente, é vidraça seu cargo exige ações firmes e o barco está fazendo água, tome uma atitude é isso que a comunidade bicolor está exigindo”.

Aldo avalia que o clube está sem comando “dentro e fora de campo”, arriscando-se ao rebaixamento sem reagir. “A cada partida, os fracassos e o desânimo tomam conta da equipe que não rende porque não tem o que render. Os clubes estão perdendo o respeito pelo PSC, nossa autoestima está acabando e está claríssimo que o problema não é treinador, já tivemos três, eles não podem fazer milagre com um elenco tão medíocre e pífio”, acrescenta.

Para arrematar, Aldo apela a Vandick, procurando alertar para as consequências de uma campanha desastrada na Segundona. “Presidente, não há mais tempo para paternalismos, corporativismo e concessões. Dispense quem não serve, contrate bem e cobre resultados, só assim poderemos escapar do rebaixamento, caso contrário diga adeus a sua vida parlamentar e prepare-se para carregar o estigma do jogador vencedor e do presidente perdedor. Ainda há tempo, não nos decepcione”, finaliza.

————————————————————————-

Botafogo perde sua maior revelação

Como no ano passado, quando os principais atacantes (Maicosuel, Elkson, Herrera e Loco Abreu) foram negociados em pleno campeonato, o Botafogo repete a estranha estratégia de desmanchar seu time quando se encontra em alta na competição.

Desta vez, porém, a decisão é ainda mais lesiva ao clube. Vitinho, principal peça ofensiva do time e maior revelação alvinegra nos últimos dez anos, está indo jogar no futebol russo. Investidores que têm direitos sobre o jogador entraram em acordo com os dirigentes para fechar a transação.

Pelo histórico, não surpreende que os toscos cartolas alvinegros tenham concordado com a transação (avaliada em 10 milhões de euros). Só gostaria de acreditar que abriram mão do jovem atacante por burrice. Infelizmente, esse tipo de atitude tem outra denominação. De burros os dirigentes não têm nada. São apenas muito espertos, sagazes e descomprometidos com o clube. Funcionam como cúmplices dos investidores e banqueiros.

E a torcida que se lixe.

Diante da notícia, só resta concluir que mais uma vez o Botafogo prova que é o seu maior adversário.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta terça-feira, 27)