Clube de futebol ou ONG?

Por Gerson Nogueira

GERSON_27-08-2013Recebi, via companheiro Rui Guimarães, a eloquente manifestação do amigo Aldo Valente, pesquisador dos mais competentes e torcedor alviceleste desde priscas eras. Transcrevo aqui a carta dirigida ao presidente Vandick Lima. “Como torcedor bicolor, senti a obrigação de apresentar meu desconforto e ansiedade, que com certeza é a mesma sensação de milhares de bicolores. Quando o senhor assumiu a direção alvi-azul pensei que os fantasmas que tanto nos atormentaram há muito tempo haviam definitivamente ido embora, que agora respiraríamos novos ares. Mas vejo que lamentavelmente estas visagens nos perseguem e nosso time de futebol continua repetindo os mesmos erros do passado”, observa Aldo.

Aldo sublinha a herança maldita da gestão anterior. “A antiga diretoria depois de nos submeter a tantos sofrimentos, de tanto marcar passo, de erros e desacertos conseguiu colocar o PSC na série B. E agora presidente? Qual o seu projeto? Aonde você pretende deixar nosso clube no ano do centenário? O que vemos é que parece que o nosso clube virou um clube de amigos, uma fraternidade. Não foi organizado um time para disputar a série B e sim forjado um time mambembe baseado numa Série C e no fracassado campeonato estadual com jogadores limitados, de péssima qualidade ou com prazos de validades vencidos”, destaca.

Critica as opções por veteranos que deram ao Papão imensos triunfos há alguns anos. “Vejam os exemplos do Vânderson e Iarley, que no passado deram tantas glórias ao PSC, hoje parece que perderam a noção de transitoriedade de suas condições físicas. Estão andando em campo e pouco ou nada contribuem para o time, mas são salários mais altos no clube e se escalam pelos nomes que têm, pois são amigos do presidente e dos ex-treinadores. Se realmente formos muito generosos podemos manter no time 2 goleiros: Marcelo e Rafael, além de Pikachu, Raul, Fábio, Zé Antonio, Ramos, Nicácio, Djalma, Capanema e só. O resto chame para rescindir contratos e deixe que sigam seu rumo”.

Ecoando as queixas de grande parte da torcida bicolor, Aldo lembra a Vandick que o Papão não pode ser confundido com uma ONG que ampara jogadores em fim de carreira, ou que não encontram mais abrigo em outros clubes: “O senhor teme problemas na justiça do trabalho? Então me responda: o que prefere, ter um clube com dívidas trabalhistas na Série B ou clube limpinho e enxutinho rebaixado na Série C? Ora, o senhor não é mais pedra presidente, é vidraça seu cargo exige ações firmes e o barco está fazendo água, tome uma atitude é isso que a comunidade bicolor está exigindo”.

Aldo avalia que o clube está sem comando “dentro e fora de campo”, arriscando-se ao rebaixamento sem reagir. “A cada partida, os fracassos e o desânimo tomam conta da equipe que não rende porque não tem o que render. Os clubes estão perdendo o respeito pelo PSC, nossa autoestima está acabando e está claríssimo que o problema não é treinador, já tivemos três, eles não podem fazer milagre com um elenco tão medíocre e pífio”, acrescenta.

Para arrematar, Aldo apela a Vandick, procurando alertar para as consequências de uma campanha desastrada na Segundona. “Presidente, não há mais tempo para paternalismos, corporativismo e concessões. Dispense quem não serve, contrate bem e cobre resultados, só assim poderemos escapar do rebaixamento, caso contrário diga adeus a sua vida parlamentar e prepare-se para carregar o estigma do jogador vencedor e do presidente perdedor. Ainda há tempo, não nos decepcione”, finaliza.

————————————————————————-

Botafogo perde sua maior revelação

Como no ano passado, quando os principais atacantes (Maicosuel, Elkson, Herrera e Loco Abreu) foram negociados em pleno campeonato, o Botafogo repete a estranha estratégia de desmanchar seu time quando se encontra em alta na competição.

Desta vez, porém, a decisão é ainda mais lesiva ao clube. Vitinho, principal peça ofensiva do time e maior revelação alvinegra nos últimos dez anos, está indo jogar no futebol russo. Investidores que têm direitos sobre o jogador entraram em acordo com os dirigentes para fechar a transação.

Pelo histórico, não surpreende que os toscos cartolas alvinegros tenham concordado com a transação (avaliada em 10 milhões de euros). Só gostaria de acreditar que abriram mão do jovem atacante por burrice. Infelizmente, esse tipo de atitude tem outra denominação. De burros os dirigentes não têm nada. São apenas muito espertos, sagazes e descomprometidos com o clube. Funcionam como cúmplices dos investidores e banqueiros.

E a torcida que se lixe.

Diante da notícia, só resta concluir que mais uma vez o Botafogo prova que é o seu maior adversário.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta terça-feira, 27)

56 comentários em “Clube de futebol ou ONG?

  1. Gerson e amigos, o torcedor e grande parte da mídia, são assim mesmo… Se pegarmos as opiniões deles, lá no Parazão, tenho certeza que os mesmos estariam dizendo que o Vandick era o cara… Papão é o Campeão Paraense,…. e tudo mais…

    É por isso, que sempre falo.. Você pra se meter no futebol, tem que entender, peitar torcedores e grande parte da mídia e ir pela sua cabeça, pois você sabe o que faz… Agora, quando você tá no comando do futebol de um clube de massa, sem entender, você faz o que o torcedor e grande parte da mídia querem, depois que der errado, eles se viram e deixam você sozinho….
    – Ontem, escutei de um comentarista em uma rádio, que o Vandick tinha que ter agradecido ao Lecheva o acesso, dado a ele uma boa premiação e ter contratado logo um bom técnico, para que ele fosse montando o elenco no Estadual, para o brasileiro (Égua, não era eu quem falava isso?).. Com todo respeito ao comentarista, mas não recordo de ter escutado isso, de ninguém na mídia… Desculpe, mas eu não tenho memória curta…

    Quanto ao torcedor, eu não culpo ele, porque é o cliente, paga pra ver seu time vencer, sempre, e não está errado… Ninguém quer jogar dinheiro fora…

    Eu, demitiria o técnico, hoje, traria o Guilherme Macúglia(seria o melhor para esse momento do Paysandu. Aliás, já tinha falado nisso..) demitiria o Fabiano, se ele realmente estiver muito acima do peso.. Não pensava duas vezes… Jogadores estão fritando o Arthurzinho, e consequentemente, o Paysandu..

    Ah, Iarley, hoje, é o principal jogador do Paysandu, mesmo com uma boa idade… Não duvidem.. Carrega o time do Paysandu, nas costas. É Indispensável à equipe..

    É a minha opinião.

    Curtir

  2. Infelizmente, as dificuldades de nossos clubes não se restringem apenas à incompetência dos dirigentes. Sofremos de sérios problemas estruturais que vêm se agravando nos últimos anos e comprometem a sobrevivência dos principais times do estado:

    1 – Adoção da fórmula dos pontos corridos: pode-se dizer que é a principal causa de nossa derrocada. O sistema de disputa das séries A e B exige clubes fortes financeiramente, com elencos numerosos e boa estrutura para preparação. Não é por acaso que Remo e Paysandu foram mal em TODOS os campeonatos de pontos corridos que disputaram, sempre brigando para não cair.

    2 – O Pará deixou de ser o “El Dorado” dos anos 90 para os atletas do interior de SP e outros centros, que nos tinham como segunda opção para jogar. Recordo como vinham correndo para cá assim que seus clubes ficavam sem chances nos estaduais. O torcedor papa-chibé assistia os campeonatos de RJ e SP para procurar atletas que pudessem atuar aqui e estes frequentemente vinham. Agora não é mais assim. Outros centros cresceram e se tornaram vitrines mais importantes. Com times mais estruturados e próximos dos grandes centros, estas regiões ficaram mais interessantes para os jogadores, bem como para seus empresários. Vide as seguidas eliminações que o Paysandu sofreu na série C para clubes do INTERIOR do nordeste. O Remo não fica atrás com seus vexames.

    3 – Expansão do futebol empresa nas outras regiões: com nossa população pobre, na qual a maioria dos trabalhadores vive de sub-emprego e baixos salários, uma região pouco industrializada e em eterna decadência, nossos clubes não conseguem emplacar campanhas de arrecadação como o sócio-torcedor simplesmente porque o torcedor não tem dinheiro, ao contrário do que acontece em outras regiões, onde se verifica a rápida expansão destas promoções. O Inter-RS tem 100 mil sócios, o Corínthians tem planos para chegar a tal, outras equipes já passam dos cinquenta mil. Não é apenas neste quesito que somos goleados. Quando analisamos as cotas de TV, os patrocínios, o licenciamento de produtos, constatamos o abismo que se abriu entre estas equipes e nós. O orçamento do Corínthians, o maior do Brasil, equivale a cinquenta anos de arrecadação de Remo ou Paysandu… Impõe-se uma realidade cruel para nós: CIDADE POBRE NÃO PODE TER TIME RICO, como se constata no futebol europeu, onde as grandes potências concentram-se todas nas grande capitais do continente – e já começa a se verificar o mesmo no Brasil também.

    Não basta apenas ter competência e organização como crêem os mais simplórios, uma vez que estamos engessados pela baixa receita e rejeição dos bons atletas em atuar aqui.

    Curtir

  3. Botafogo, não vendeu o Vitinho. Ele tinha uma multa rescisória de 31, 5 Milhões de Reais(se é baixa, é outra história), e o CSKA pagou e levou o jogador… Isso pode ser feito por qualquer clube..

    Agora, uma coisa que sempre falo, é que jogador de base, é pra ser revelado, e vendido… Um bom time, você faz com a contratação de bons jogadores… Apesar de pensar que o Bota é vitrine, e caberia segurar o jogador, mais um pouquinho…
    – Agora, o Botafogo deve mais de 2 meses de salários atrasados aos seus jogadores e funcionários, e se não pagar,o título ficará longe, até com o Vitinho no time… Paciência, tem limite…

    Penso, apenas, que dormiram no ponto, com essa multa rescisória… Já era pra ter aumentado…

    É a minha opinião.

    Curtir

  4. Concordo com a opinião do Eudes e ontem comentava sobre o que o amigo Cláudio,isoladamente,alardeava aos quatro cantos,e os moucos dirigentes preferiram apostar naquilo que não daria certo.
    Em relação a repetição dos erros do passado eu aponto como sendo burrice já que errar é humano. O passado mostrou em grandes letreiros que jogadores de renome não dão certo em nenhum clube porque já não produzem mais ou o que produzem não condiz com a dura e exigente realidade do futebol no mundo!
    Tínhamos no Pará alguns bons valores que lapidados por um bom treinador dariam certo pois jovens talentos são sedentos pelo sucesso e ávidos ao aprendizado!
    A contratação de jogadores à nível de série D só serviu para colocar o time em rédeas curtas pois demitir custa caro e mantê-los no clube geram panelinhas!
    Tudo bem que o campeonato paraense não serve de parâmetro porém, vimos alguns valores se destacando em seus clubes e que após uma boa garimpagem poderíamos construir um time fechado e focado nem que fosse para lutar pela permanência na segunda divisão.
    Cansamos de bater na mesma tecla! Jogadores rodados e em fim de carreira não dão certo no atual ritmo de competições por pontos corridos como é a série B.
    Ainda não joguei a toalha, mas não me iludo com o fraquíssimo elenco que o Paysandú tem. A real constatação é que conseguimos formar um time pior que os piores dentro do campeonato brasileiro e que hoje desponta como a quarta equipe com maior possibilidade de queda para a terceira divisão nacional!
    Reagir em busca de reforços justamente quando o mercado já exauriu os bons atletas é consequência de um planejamento irresponsável que condiz com diretores que de “NOVOS RUMOS” não têm nada!
    E quem paga a conta é o TORCEDOR!

    Curtir

  5. Bom Dia! Senhores
    Todos os dias quando acordo a primeira coisa que faço até mesmo antes de tomar o café e longe de Belém e do meu único e querido clube que torço é ler este blog para saber noticia do meu clube e vejo tantos comentários que sinceramente são de torcedores, clientes de clubes paraense e de uma das maiores torcidas do Brasil juntas e vejo como é famigerado este futebol e dirigentes sem um pingo de noção o que é amor a um clube de futebol.
    Vejo que estas opiniões não vão levar a nada pois não há mudança, não há atitudes para mudança, apenas só velhos novos dirigentes que querem usar o nome de uma instituição para seu bem próprio.
    Até quando? Tudo que os grandões querem é isso que o futebol do norte se afunde por conta própria, então vamos lá, Pará, Amapá, Amazonas, Acre,Rondônia, Roraima, Acre onde estão no futebol?
    FUNDO DO POÇO.
    Vandick tome jeito de administrador de um clube de massa, tome jeito de homem é mais facil você fazer o que tem que fazer agora de que se enforcar sozinho.

    Curtir

  6. O CSA quando percebeu que não vingaria na série D tratou de despachar todos os “profissionais’ medalhões da bola e ficou com a sua garotada e sem dívidas!

    Curtir

  7. Bem lembrado, miguelangelo 1967, no post 6, concordo com o Cláudio Santos na demissão imediata do Arthurzinho, esse não tem mais condições de enrolar no Grande Bicolor Celeste Amazônico, tal qual outros que por aqui passaram, é muito bom de Gogó, por isso deveria ser pagodeiro e muito midiático, deveria procurar abrigo na globo, os resultados dele são pífios, discordo no entanto, da sugestão, pois o Macúglia não traz nos resultados, o perfil de ações com resultados imediatos como a nossa situação requer, por isso recomendo já a algum tempo, o João Bocudo Galvão, pela reconhecida competencia, pelo COMANDO, e por conhecer boleiros barqueiros, conta mais ainda a favor da contratação do Galvão, ele conhecer o plantel do Bicolor e de toda a região, além de ser ótimo nas contratações, mantém grande relacionamento profissional no interior de Minas e S.Paulo.
    Além do Técnico, tem que demitir todos os indicados p-or ele, além do Eduardo Ramos, esse, demonstrou ser um verdadeiro Câncer, no seio do plantel do Grande Bicolor, além do M.Nicácio, ineficiente, BIxado e metido a astro, um tremendo Chinelinhho.
    Enquanto o Vandick Lima, tenta trazer o quinto goleiro do Grêmio, o Fabiano dando sopa do outro lado.
    Enquanto o Fabrício come a bola no PFC, agora desempregado, nós temos que aturar o Eduardo Ramos; estamos sem o Capanema e o Jonathan sobrando, o Pablo machucado, jogando meia-boca e o Alex Juan nem é lembrado, …
    Pô Vandick, vamos aturar o rolha de poço ao lado do Vanderson?
    Acorda Vandick!!!!!!!

    Curtir

  8. Concordo com todas as opiniões aqui expostas.

    Agora Claudio, em relação a trazer um novo tecnico, não acho boa ideia.

    Sobre o Vitinho, lí algo a respeito que o mesmo não queria mais ficar no fogão, pois recebeu proposta de aumento de salário e mesmo assim não se animou.

    Infelizmente;

    Curtir

  9. É verdade que o abismo entre os clubes ricos e os pobres está ficando cada vez maior. Entretanto, o nosso futebol só vai crescer quando conseguimos melhorar o nosso futebol, quiçá da região norte. O exemplo atual vem de santa catarina. Bem ou mal, o estado tem 1 clube na serie A e outros 4 na serie B. E nos clubes vemos vários valores desconhecidos da maior parte do público, mas que com certeza foram garimpados durante o regional. Então, fica dificil montarmos times competitivos se ficarmos somente pegando os jogadores que as outras regiões não querem. O clube teria sim que ser formados por uns 4 no máximo 5 bons valores de fora, mas a maioria tinha sim de vir do estadual, região e base. Então, enquanto tivermos um futebol fraco e ruim por aqui, isso vai ficar exposto nos clubes.

    Curtir

  10. O poblema no paisandu nao e tecnico, eles podem contratar o melhor tecnico do mundo e mesmo assim com esse lixo de time que tem ai vai cair, vai ser mas uma cagada do Vandick se mandar tecnico embora. A solucao e mandar uns 15 pernas de pau que existi pela curuzu e formar um outro time o que nao pode acontecer e ficar do jeito que ta.

    Curtir

  11. Considerações bastante pertinentes do Euder.
    No entanto, não dá para pensar o futebol com esse determinismo.
    Aliás, não dá para pensar o esporte e a vida assim.
    Alan Fonteles está aí para nos provar isso.
    Nos últimos dez anos, o Brasil foi o maior ganhador do torneio interclubes de futebol, com três títulos (São Paulo em 2005, Internacional em 2006 e Corínthians em 2012), Itália e Espanha ganharam duas vezes com Inter, Milan e Barcelona (2). Inglaterra, Argentina e Portugal uma vez cada com Manchester, Boca e Porto. Não dá nem para comparar a superioridade econômica, estrutural e organizacional do Bayern, do Real Madri e do Chelsea por exemplo, no entanto, não estão nesta lista.
    Assim, considero que o futebol paraense tem muito sim a evoluir, desde que se administre o futebol com profissionalismo, criatividade e competência.
    Se não for assim, melhor fechar as portas.
    Abs

    Curtir

  12. Sempre fui contra a estrangeiros em fim de carreira, os chamados renomados do futebol, em geral não têm crompromisso com a torcida que defendem pois por serem do outros centros não se identificam com os nortistas!
    O Paysandú é uma instituição séria e merece toddo o respeito por parte dos seus diretores e funcionários. A torcida apóia sempre que sente no clube reciprocidade mas pelo que não tem feito nos gramados além do descaso só faz com que nos afastemos mais ainda da Curuzú.

    Curtir

  13. Seria uma boa opção. Mas com esse elenco não dá Sr. Miguel. Esses caras (jogadores) são “a piada” da série b. Tanto jogador bom de bola nesse Estado e com sede de crescer e aparecer e o Paysandu fica marcando passo, trazendo essas bombas. Até quando? Essa é a pergunta.

    Eu já joguei a toalha.

    Curtir

  14. Vale lembrar que o ABC de Natal contratou um time inteiro visando a reação e vai fazer a limpa no seu elenco atual. Não estamos sozinhos em direção ao naufrágio…

    Curtir

  15. Sério amigo Cláudio? Caso se confirmem, serão dois mísseis terra-ar a contratação de Aleílson e a demissão do “Little Arthur”.

    Curtir

  16. Tomara que se confirme tal notícia, Cláudio ! Creio que, devido ao processo de “fritura” do Pequeno Arthur, pelo elenco, ele cairia mais
    daqui há um tempo, mas o pior seria arrebentar o clube, que seria rebaixamento prematuramente.

    Curtir

  17. Dá página da Rádio Clube:

    Como se isso já não fosse o suficiente, ainda tem os contratados pelo também demitido gerente de futebol, Oscar Yamato, para reforçar (???) o elenco alviazul. Até agora, a turma fora de forma, indicada pelo técnico Arturzinho, e acima do peso só está apta a jogar no time de Dona Redonda. Mas como na plataforma eleitoreira de saramandistas e bole-bolenses, as promessas são as melhores possíveis.

    “Eu estava há três meses parado, então, eu creio que entre 15 e 20 dias, como foi conversado com o departamento físico, eu já esteja disponível para ajudar o grupo”, diz o zagueiro Leonardo, que estava no Mirassol e ficou sem clube e parado por três meses, antes de encontrar abrigo na Curuzu.

    Para o torcedor colocar mais ‘formigas pelo nariz’ de tanta irritação, ainda tem o lateral-esquerdo Gilton. “Eu não estou 100%, mas com os trabalhos, os treinos, eu acredito que essa semana seja o suficiente para entrar na condição física ideal”, diz o atleta ex-Joinville-SC.

    Calma bicolor, não bote o coração pela boca, porque ainda tem mais. “Sei que a minha condição não está 100%, mas eu estou trabalhando e garanto uns 80”, garante o volante Fabiano Silva, ex-Atlético Hermann Aichinger-SC.

    E no time da “Dondinha” ainda tem mais gente. “Não estou 100%, porque estive parado por quase um mês, mas 60%, 70%, estou pronto”, avisa o meia Jailton, ex-Joinville-SC, mesmo clube do zagueiro Jacó, também em fase de readaptação. Para reforçar a onzena da gulosa saramandista, tinha que ter um ex-Bacalhau, o lateral-direito Max, que está sem jogar há mais de três meses e era do Vasco.

    Curtir

  18. É irmão do Osvaldinho da Cuíca, amigo Heleno..rs

    Só o Fabiano, penso que não era pra ser contratado, amigo Carlos..

    Arthurzinho comanda, neste momento um coletivo no campo do Kasa. Agora, Lecheva quando foi demitido, também comandava um coletivo nesse mesmo campo… É aguardar..Notícia foi ventilada por um Twitter do Paysandu…

    Curtir

  19. O Último clube do técnico Waldemar Lemos,foi o ….abc,isto mesmo o lanterna desta série B,será que ele será a salvação para o papão?eu contrataria o Lecheva ou o Cacaio.

    Curtir

  20. Considerações bastante pertinentes do Euder.
    No entanto, não dá para pensar o futebol com esse determinismo.
    Aliás, não dá para pensar o esporte e a vida assim.
    Alan Fonteles está aí para nos provar isso.
    Nos últimos dez anos, o Brasil foi o maior ganhador do torneio interclubes de futebol, com três títulos (São Paulo em 2005, Internacional em 2006 e Corínthians em 2012), Itália e Espanha ganharam duas vezes com Inter, Milan e Barcelona (2). Inglaterra, Argentina e Portugal uma vez cada com Manchester, Boca e Porto. Não dá nem para comparar a superioridade econômica, estrutural e organizacional do Bayern, do Real Madri e do Chelsea por exemplo, no entanto, não estão nesta lista.
    Assim, considero que o futebol paraense tem muito sim a evoluir, desde que se administre o futebol com profissionalismo, criatividade e competência.
    Se não for assim, melhor fechar as portas.
    Abs

    Curtir

  21. Volta para Série C:

    “O Paysandu não estava preparado para a Série B”, afirma dirigente demitido.

    Curtir

  22. Festejo a Notícia, caso confirmada, porém, volto a insistir que o indicado para o Grande Bicolor Celeste Amazônico Chama-se JOÃO GALVÃO, O BOCUDO!!!
    Concordo com o Arthurzinho, pode trazer Pepe Guardiola que o problema do Bicolor não é técnico, ele claro não entregou, mas, todos sabemos, chama-se Eduardo Ramos e Marcelo Nicácio, os intocáveis da Curuzú, explode-se tudo, menos esses Canceres, que continuam encravados na Curuzú!!!
    PQP!!!!!

    Curtir

  23. Demitir o Arturzinho, não resolve, ele tem que levar de volta toda a cambada qiue ele indicou, mais o Eduardo Ramos e o Marcelo Nicácio.

    Curtir

  24. Tantos pensamento, tantas soluções e ninguém pensa em Rocildo Oliveira. Ele é o responsável pelo rebaixamento do papinha. Contrataram Yamato,Arthuzinho e um monte de jogadores, e esqueceram do maior secador do futebol mundial que sou eu. Sacanearam com o meu amado Remo, os diretores do papinha se meteram até na série D, convencendo o palhaço lá de Roraima ou Rondônia sei lá, a sacanear com o Leão. Tudo era graça e riso, e eu alertei vou derrubar o papinha, vou rebaixar o papinha, e para isso vou a todos os jogos que eu puder ir lá na curuzu, mangueirão e na televisão. Vou secar porque eu sou um grande vencedor em jogos contra o papinha. Eu já assisti a 116 Remo e papinha, e venci 76 vezes, 18 vezes e o resto eu perdi. Ver jogos do papinha contra outras equipes, eu assisti 39 vezes e pasmem venci 27 com o jogo papinha x Icasa , empatei 5 vezes e o resto eu sai derrotado. Portanto um vencedor , saliento que esse são jogos em que eu fui ao estádio e tudo começou no dia 02/11/1975 dia de finados, no jogo papinha 1 x 0 Ceará gol do velho Tuica, em jogo realizado no baenão. Passei o sábado e parte do domingo vendendo vela no cemitério de Santa Izabel junto com meus amigos, para o Juraci , que era o comerciante da rua, e decidimos que todos iríamos ao baenão ver o papinha jogar pelo brasileiro. Ainda garoto eu não tinha o espírito de secador que tenho hoje. Porém hoje pme transformei no maior e mais eficiente secador que o mundo bicolor conhece.

    Curtir

  25. Acredito no rebaixamento do menor clube do norte. A MUCURA (papinha)ele é muito pequeno e ficará por baixo.

    Curtir

  26. Mesmo nas adversidades do Maior conquistador de títulos do Norte do país ainda acredito que não cairemos e essa canbada de secadores do remorto vão ficar chupando dedo no final das contas e torcendo por sub-20 da vida!
    Remortos vão consumir o defunto de vocês!

    Curtir

  27. O momento que passa o Paysandu é passível de acerto! Eu creio que a direção tome uma atitude para manter o clube na série B!
    Não acredito que o Paysandú retornará para a terceira divisão!
    FORÇA PAPÃO!!!!!

    Curtir

  28. No caso da contratação do Aleilson o que o Vandique tem que fazer é parar de abrir a mão para os jogadores de renome e mandá-los embora e trazer que está identificado com a região.
    Se perdemos a Aleilson é mais uma “merda” a ser contabilizada na conta dos “NOVOS RUMOS!”.

    Curtir

  29. Só o que sei é que quando começar o returno, o Papão da Curuzú tem que tá com todos esses problemas resolvidos.

    Mandar tecnico embora, contratar outro, dispensar jogadores etc.

    Não gostei da afirmativa do Arthur ao dizer que nem Guardiola daria jeito no papão, se não mudasse certas coisas. É uma frase tipica de quem não tem fé mais no seu trabalho.

    Se for pra mudar, que mude logo, mas traga um tecnico que preste.

    Curtir

  30. A boataria correu solta pela cidade nesta terça-feira quanto ao comando técnico do Papão, amigo Cláudio, mas Little Artur permanece como grande timoneiro – pelo menos até o próximo jogo.

    Curtir

  31. João Galvão tem o projeto pessoal de ser o técnico do Brasil com maior tempo de permanência a frente de um clube. Assumiu como técnico do Águia em 20/07/2008, em substituição a Fran Costa, e em outubro próximo, iguala o recorde do Mestre Telê Santana a frente do São Paulo com 05 anos e 03 meses. Obviamente não abrirá mão do seu objetivo para assumir o Paysandu, além do que, todos sabemos que o mesmo não é somente técnico do Águia, mas também dirigente ao lado do Ferreirinha.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s