Paissandu luta para não perder dinheiro

O Paissandu trava três importantes batalhas no front financeiro nesta semana. A primeira diz respeito ao contrato em vigor com a empresa de logística BWA, cuja multa rescisória é de R$ 1,6 milhão. Outros seis clubes brasileiros rescindiram acordo com a firma, mas o Paissandu ainda não descobriu um jeito de pôr fim a uma parceria que na prática não existe mais. A segunda bronca tem a ver com o lateral-direito Pikachu, cuja transferência para investidores permanece um grande mistério. Um dos empresários desembarcou nesta semana em Belém alegando que pagou um adiantamento ao ex-presidente Luiz Omar Pinheiro. A diretoria não levou em conta os argumentos e defende-se dizendo que não há nenhum documento assinado comprovando o negócio. Por fim, uma causa trabalhista de grande monta surge no horizonte alviceleste. Envolve o ex-jogador Sandro, que cobra na Justiça dívidas no valor de R$ 750 mil e ação indenizatória, por calúnia e difamação, no mesmo valor, contra o ex-presidente LOP. Quem acompanha de perto detalhes das reivindicações dá como praticamente certa a vitória do antigo ídolo da Fiel nos tribunais.

14 comentários em “Paissandu luta para não perder dinheiro

  1. é mano, até hoje o aLOPrado ainda se faz presente nas lambanças que o mesmo fez, agora tai o preço da fatura que ele deixou, é VAN tá pegando preto!!!

  2. Também sou favorável que o título de sócio desses sejam caçados!
    O que o Vandique ainda vai enfrentar pela frente? Quais serão as más surpresas deixadas por LOP ao Papão!
    Seria lícito “descontar” da dívida que o Papão tem com o LOP, aquela que ele alega e o grupo conivente acatou de 1,5 milhões?
    Mas acredito muito na capacidade e honestidade do Vandique e que ele saberá administrar todo este rolo e colocar o trem nos trilhos novamente.
    Força Vandique porque o abacaxi é podre!

  3. A razão de Remo e Paysandu terem se associado à BWA anos atrás não foi a modernização na venda de ingressos, mas sim a solicitação de empréstimos que deviam ser descontados da renda das partidas. Após alguns jogos deficitários, os empréstimos não puderam ser pagos e a divída se acumulou. Agora estão querendo trocar de empresa. Não se iludam, porque não é para vender ingressos pela internet, é apenas para fazer novos empréstimos e aumentar a bola de neve das dívidas. Assim é nosso futebol, sempre repetindo os mesmos erros.

  4. Vade retro, Ídolo de Barro (= Sandro Goiano). Fique com o $, que não te comprará, nunca, um lugar para sempre na galeria dos imortais jogadores e ídolos alvi-celestes.

  5. Não será difícil, Heleno. Pois toda a diretoria atual é ligada ao ex-presidente Tourinho, de volta ao poder após ter sido cassado pelos dois desafetos.

Deixe uma resposta