19 comentários em “Bola na Torre (domingo, 24.02)

    1. Curiosa é a visão de longo curso dos dirigentes, amigo Cláudio. O Remo resolve reforçar um concorrente direto pela vaga à Série D. A inteligência desse povo é algo que comove.

  1. Gerson, mesmo antes de ver (há pouco) essa análise do Kajurú, eu desde ontem pensei que poderia ser, sim, uma farsa a apresentação de um menor, como autor do disparo do sinalizador. Abaixo, o Kajurú.

    1. Não só você, amigo Heleno. O pessoal que acompanha o Círio também viu cheiro de farsa naquela entrevista no Fantástico. Operação “salva Corinthians” em marcha.

  2. Quando ouvi esta notícia hoje à tarde no Cartaz pensei exatamente isto. Quanta inteligência, quanta argúcia, o Remo reforçar o adversário direto. Putz!

  3. Heleno, não é tão simples assim. Pra essa galera se livrar lá da Bolívia, vai ser necessário bem mais que uma confissão industriada. Nesse caso só uma firme intervenção de “diplomacia transversa”. Tá difícil, mas não é impossível, inclusive há o diplomata talhado para tal, que já matou no peito missão com índice de rejeição bem mais elevado. Aguardemos pra ver se e quando ele entra em ação.

  4. Nem vi no Fantástico. Eu vi apenas no Esp. Espetacular, que o menor tinha sido identificado e que seria apresentado. Mais uma da Globo !

  5. Pessoal, não esperem nada de diferente na relação Globo-Corinthians. É uma parceria que não se enfraqueceu nem com a saída de Ricardo Teixeira da CBF, este que foi o padrinho do pacto e um dos articuladores junto a globais e mosqueteiros da queda do Clube dos 13.
    Sabiam que a Globo, que paga pelo futebol mas não suporta sequer mostrar os patrocinadores dos clubes, sobretudo se não forem os patrocinadores do futebol global (há uma teoria defendida por jornalistas de que muitos clubes começaram a colocar patrocinadores nos ombros das camisas dos times por que a emissora ao entrevistar jogadores os focalizavam quase que do pescoço pra cima, visando não permitir exposição de marcas), tem uma acordo com o Corinthians para que ela pronuncie futuramente o nome do patrocinador do estádio doado aos mosqueteiros desde que estes cedam à Vênus 10% do que o clube arrecadar com os chamados “naming rights”? Já perceberam que quase toda a imprensa esportiva chama o novo estádio de Itaquerão enquanto a Globo chama de Arena Corinthians? E o que dizer do estádio do Atlético Parananense, que durante um tempo passou a ser chamado de Kyocera Arena, mas que a Globo chamava Arena da Baixada para sequer citar o nome do patrocinador atleticano?
    A emissora é a maior cobradora de propina do país, não esqueçamos disto.

  6. Parabéns pelo comentário caro Daniel Malcher. Esqueceste apenas que a Globo também se recusa a chamar o nome da equipe Red Bull de Fórmula 1, o que para ela é apenas RBR. Lembrando que há um time de futebol com esse mesmo nome no Rio de Janeiro, eu imagino como a Globo o chamaria se acaso subisse para a primeira divisão estadual?

Deixe uma resposta